sábado, 27 de abril de 2013

Sou uma desgraça

Enquanto tiver dinheiro na carteira, arranjo sempre forma de o gastar.

38 comentários:

  1. Nem imaginas o quanto eu me identifico com esta afirmação...

    ResponderEliminar
  2. kkkkkkkkkkk...Se fosse só você,dava-se um jeito.Eu já uso o meu e vou para o do marido...rs.
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderEliminar
  3. Eu também! Levanto o mínimo, para não andar com dihneiro na carteira :P

    ResponderEliminar
  4. Acho que todos são assim. Se ele nos pertence e não vai fazer falta um gastinho extra, tá valendo.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  5. O pior é quando ele falta e não entra...

    Guarda uma parte em sitio que te 'esqueças'.

    Vais ver como te dará um jeitão daqui a uns tempos.

    E sabe tão bem...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Com muito jeito quero lhe dizer, isto é compulsão. Há tratamento. Pode não fazer grandes danos, mas pode ser bem desastroso.

    Beijus
    Carolina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carolina, não é compulsão, é vontade de gastar. :P

      Eliminar
  7. Isso passa...é uma crise passageira! Quando os armários começam a ficar demasiado cheios, repensamos as nossas prioridades:):):)

    ResponderEliminar
  8. Já fui assim e hoje estou a pagar caro.
    Procura criar o habito de guardar sempre algum.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Não, linda amiguinha - tu não és uma desgraça!!!

    ResponderEliminar
  10. Já fui mais assim...agora tem de ser diferente!!!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  11. Por isso é que pago sempre com cartão. xD

    ResponderEliminar
  12. Pois acho que o problema é geral...
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  13. A minha mãe queixa-se que sou assim. Mas gasto em coisas bonitas, como presentear outros. Sempre que tenho dinheiro, tudo me parece optimos mimos.

    ResponderEliminar
  14. Bem, como eu me revejo nestas palavras! Depois de um mês, sem fazer uma única compra, ontem tirei a barriguinha da miséria. E não foi uma compra qualquer, foram umas galochas HUNTER!!!Algo que já queria há cerca de dois anos! Eu sei que parece uma compra fora do seu tempo, mas por aqui ainda chove :(

    E mais, tenho a dizer, que ler isto, hoje, à uma da matina, (só estou a comentar agora porque tive preguiça de "escrevinhar") foi um bom remate final, depois de ter andado a ler todas as tuas estórias, desdo o início do blog.

    Descobri-te há uns meses e achei-te, logo, imensa piada. Seguia-te, atentamente, mas de forma subtil, sem nunca comentar. Creio que foi a leitura de alguns comentários despropositados, a respeito do casamento no cartório, que despertou a cusca que há mim, fazendo-me recuar no tempo, para tentar entender, porque raio te acusavam de "empregada doméstica", disto e daquilo, que agora não interessa para nada...

    Pois, que fiquei alegremente surpreendida, com aquilo que li. Se já me identificava com muitas das tuas opiniões e atitudes no presente, tenho a dizer que o passado não fica nada atrás.

    A dada altura pensei, que podia ter sido eu a escrever determinados post's.

    Partilhei da mesma sensação de estranheza em 2009, que, no meu caso, teve que ver (desculpa, eu sei que preferes a expressão "teve a ver"!), com o final do percurso académico. Passei uns tempos conturbados no trabalho à pala de uma má pessoa/colega. Dei continuidade aos estudos e comecei um mestrado, onde fiz boas amizades. Apaixonei-me pelo meio, de todos estes acontecimentos. Para além disso, sou uma pessoa que gosta de enfardar à grande, que tem dificuldade em expressar sentimentos aos mais próximos e, que é feminina, portanto, gosto de comprar, comprar, comprar... Outros aspectos em comum, são por exemplo, o facto de sermos ambas inconstantes, nervosinhas, inseguras, humildes, ingénuas e sermos vistas como pitas, tanto pela família, como pelo mundo em geral. No entanto, tenho a ideia, que quando abro a boca, até consigo supreender...tenho quase a certeza que tu também! Enfim...podia enumerar um sem número de coisas, mas acho que já chega.

    Por fim, gostaria apenas de dizer, que adorei "acompanhar" a evolução - Sanxeri antes e pós namorado. Não concordo em nada, com a visão negativa, que têm de ti. Contínuas fiel aos teus princípios! És, definitivamente, uma lutadora, trabalhadora, alegre e consciente. Cozinhas e fazes os afazeres domésticos, tal como eu, por gosto próprio...portanto, não sei onde entra o "papel de doméstica" do namorado em tudo isto. As pessoas avaliam os outros à sua imagem semelhança, são pouco tolerantes e, esquecem-se que há quem tenha prazer em fazer certas tarefas, que para elas é uma obrigação.







    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Cláudia. :')

      Já tinha lido alguns comentários teus por aqui, mas não tinha noção de que éramos tão parecidas. Eu sou assim meio lamechas, como já deu para perceber, e fico meio emocionada com comentários destes.

      Sim, sou ingénua. Sim, sou muito mansinha - sou resmungona mas muito tolerante. Sim, sou vista como a "pequena" da família, mas o resto do mundo considera-me muito madura para a minha idade (a vida a isso me obrigou). Sou brincalhona, bem disposta e alegre, o que não significa que não seja hiper responsável, trabalhadora e batalhadora.

      Gostei tanto da forma como conseguiste "captar-me". Até o Tem a ver tu decoraste. ahahah

      Muito obrigada pelas palavras gentis. Tenho o meu blogue há mais de quatro anos, obviamente que mudei ao longo deste tempo. Passei da licenciatura ao estágio final. Do estágio ao mestrado. Do mestrado à tese. Daí ao mercado de trabalho. Passeio de estagiária profissional a contratada. Passei de uma desilusão amorosa, no início do blogue, a algumas aventuras sem importâncias. Há dois anos e meio, apaixonei-me loucamente pelo homem da minha vida. Adoptei gatos, ainda mais gatos. Passei de menina da mamã a pessoa independente. Aluguei casa com o namorado. Voltei a mudar, para uma casa de família, há dois meses. Mudei MUITO ao longo destes quatro anos mas, como bem disseste, a essência é a mesma.

      Obrigada. Mesmo.

      Eliminar
    2. Ai, escrevi tanto e ainda assim, esqueci de mencionar que também sou muito resmongona, lamechas, mansinha, risonha e um nadita gozona! ;)

      Pois, também é difícil perceber o quão parecidas somos, porque ando neste meio há muito pouco tempo e só cá ando, porque as circunstâncias proporcionaram (como já deves ter dado conta)! Sempre fui muito insegura no que à escrita diz respeito, por isso, para mim, os blogues eram só mesmo para ler o que os outros escreviam...não o meu meio de expressão. Mas, a conjuntura mudou e o blog acabou por ser um veículo de informação para todos os amigos e familiares que se preocupam comigo. Assim, escuso de escrever 50 vezes a mesma coisa ;)

      Fico contente por ter interpretado (bem?) a imagem que pretendes passar para os leitores. Haverá muito mais de Sanxeri que não revelarás, mas que eu acredito, piamente, ser igualmente positivo.



      Eliminar
    3. Cláudia, adoro ler blogues de portugueses espalhados pelo mundo, pelo que é um prazer ler as tuas aventuras. Continua. Vais ver que logo-logo te habituas e te sentes confortável na escrita.

      Da minha parte, cá estarei para te ler.

      Eliminar
  15. Também eu. Levo sempre dinheiro contado de casa para não cair nessas coisas LOL

    ResponderEliminar
  16. Quanto às Hunter, muitos parabéns. Adoro galochas, e as Hunter têm realmente muito bom ar. Podem ser galochas, mas fazem um look. :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui se fazem! Estou radiante da minha vida! :p

      Eliminar
  17. Sim é como eu!!!
    Já pedi ao meu namorado para me manter muuuito ocupada nos fins de semana, se não é sempre a gastar! =/

    ResponderEliminar
  18. Eu é na carteira e na conta. Enquanto não o gasto não descanso, por isso assim que recebo pago as contas do mês e tiro logo um bocadinho para a poupança, assim não se estraga tudo :)

    ResponderEliminar
  19. Tal e qual eu. E ultimamente é mais em comida. Se me apetecer ir comer fora, mesmo que saiba que é melhor poupar o dinheiro, vou e pronto. E ultimamente tem sido uma coisa por demais.

    ResponderEliminar