segunda-feira, 8 de abril de 2013

Margaret Thatcher

Não vivi no tempo em que ela governou. Não conheço a fundo as suas políticas, apenas o que vou lendo aqui e ali. No entanto, Margaret Thatcher foi sempre um daqueles nomes que, de certo modo, admirei. Uma mulher forte, sem dúvida alguma, que ousou pensar diferente e conseguiu reerguer o Reino Unido depois de uma crise imensa.

34 comentários:

  1. É uma figura polêmica, sobretudo por ser uma neo-liberal, pode ser verdade que numa segunda fase as suas políticas levaram ao crescimento do Reino Unido, mas numa primeira fase apenas aprofundaram as desigualdades, as quais ainda se aprofundaram mais depois dela.

    ResponderEliminar
  2. Enfant, sabes, todos os sacrifícios são difíceis. No entanto, se os sacrifícios nos levarem a bom porto, são melhor tolerados.

    ResponderEliminar
  3. Para mim foi a primeira a dar a machadada no estado social na Europa e só por isso acho que morreu com 87 anos de atraso. :|

    ResponderEliminar
  4. Sempre encontramos umas personalidades destas em nosso caminho não eh!

    também tenho pessoas assim, que não convivi mas só de ler sobre já me admirei!!!

    um abraço e boa semana pra ti!

    ResponderEliminar
  5. Foi sem dúvida uma grande mulher, teve coragem e fez a diferença para que nós as mulheres hoje a pudessemos admirar em muitos aspectos!!!

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  6. Não gostei da sua estratégia política que, apesar de inovadora, deixou quem estava na merda ainda mais na merda. Para não falas nas greves dos mineiros... E ter declarado guerra pelas Falkland foi escusado, a meu ver. Ainda hoje, o Norte de Inglaterra se ressente pelos pequenos detalhes da época Thatcher...

    ResponderEliminar
  7. Aconselho o filme "Dama de Ferro" (The Iron Lady) com uma excelente interpretação da Meryl Streep como Margaret Thatcher. Está bastante bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale pela interpretacao da meryl. De resto e fraquissimo.

      Eliminar
  8. Fizeram um filme até sobre ela,Dama de Ferro...

    ResponderEliminar
  9. Não costum comentar nenhum blog, mas agora vai ter de ser.

    Acho um bocado contraditório o que dizes "Não conheço a fundo as suas políticas, apenas o que vou lendo aqui e ali. No entanto, Margaret Thatcher foi sempre um daqueles nomes que admirei."

    Fazer sacrifícios e deixar muitos à beira da morte por fome e pobreza não é de todo uma boa política, isto a meu ver, tendo em conta que no seu mandato atingiu-se um desemprego bruto chegando a rondar os 3 milhões de pessoas. Antes de ela subir ao poder os números eram de "apenas" um milhão. Tu própria disseste que não sabias a fundo, lê mais sobre ela e lê mais as suas políticas económicas e vê porque é que a chamavam de Dama de Ferro e porque é que hoje há pessoas a dar vivas a sua morte (eu não sou apologista disso mas compreendo).

    E como muito se leu e disse hoje "Ding Dong, the witch is dead!"

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  10. Muito à conta dos pobres. Estas coisas são sempre à conta dos mais pobres.

    ResponderEliminar
  11. Foi sem dúvida uma das poucas mulheres que ficou para a História.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo das 20:45, está-me a parecer que apenas se concentrou no início da sua governação. Está certo que o país sofreu uma recessão, mas a crise do petróleo da altura também ajudou e muito. Ela venceu a Guerra das Malvinas, ela foi reeleita, ela conseguiu que o país recuperasse economicamente. Por algum motivo ela tem o nome de Dama de Ferro. Não concordo com tudo o que ela fez mas, tal como referi ao Enfant, os sacrifícios custam menos se surtirem efeito.

    ResponderEliminar
  13. Ah, e para terminar, gosto de pessoas que sabem renunciar ao poder. Há que reconhecer quando o povo não os quer mais.

    ResponderEliminar
  14. O sócrates também foi reeleito, não faz dele um bom governante. Faz dele um bom político.
    Não me baseio apenas na fase inicial da sua governação mas sim num todo n global. Mas é a minha opinião. É como os rabos cada um tem a sua ^^

    Mas aconselho-te a ler mais sobre ela (peço desculpa tratar-te por tu mas gosto mais assim)

    ResponderEliminar
  15. eheheh Eu sempre ouvi dizer que vaginas é que cada um tinha a sua, e quem a queria dar, que a desse. :D Podes tratar por tu à vontadinha.

    Não digo que admire todas as medidas dela - fui a primeira a admitir que não conheço assim tanto -, mas gosto de pessoas que acreditam no que estão a fazer. A intransigência dela pode ser muito criticada, mas a verdade é que o país se reergueu.

    ResponderEliminar
  16. Uma mulher carismática com uma vida marcante...1
    Maria

    ResponderEliminar
  17. Eu acho que tem de se ser cauteloso e saber do que se fala quando se trata destes temas. Acho que se continua a cair no velho cliché de que depois de mortos são todos bons. E acho urgente distinguir a importância histórica (inegável, uma mulher num cargo onde nenhuma outra tinha chegado no Reino Unido!) das suas ideologias políticas. Não nos podemos esquecer dos seus atentados ao bem-estar social, a privatização da saúde e do ensino, o aumento brutal do desemprego, a sua ideologia anti-sindical, em como foi uma defensora do Apartheid, considerou Nelson Mandela um terrorista, era amiga/defensora do Pinochet... Não vamos ser anjinhos! Quando dizes que admiras/concordas porque acabou por conseguir a recuperação económica do país mais tarde... penso se te apercebes da semelhança incrível que isso tem com a nossa realidade actual e como políticas como estas foram as percursoras das que nos estão a ser aplicadas hoje em dia. Este caminho da austeridade até pode ser o caminho certo mas concordas com ele, independentemente do preço que tenhamos de pagar? Pela analogia, parece que sim :/

    ResponderEliminar
  18. Viste o filme de 2011, a Dama de Ferro? Eu adorei, goste-se ou deteste-se a Thatcher e' um filme muito bom.

    ResponderEliminar
  19. Não são todas as que ganham em vida o título de Dama de Ferro, né?

    ResponderEliminar
  20. Se há mulher pela qual eu nunca tive qualquer tipo de admiração é a Margaret Thatcher. Aposto que até a maioria dos ingleses se estão a sentir aliviados com a sua morte, a não ser aqueles que sentem sempre apreço pelos seus governantes, independentemente daquilo que eles possam ter feito em vida.

    ResponderEliminar
  21. Cat, hum? Claro que não digo que todos os meios justifiquem os fins. Mas acredito que, por exemplo, soubéssemos que o nosso sacrifício traria resultados, não nos sentíssemos tão abusados.

    Quanto à Thatcher, ei, eu não falei dela como ser humano. Como ser humano, conhecem-se imensos excertos de declarações que não são muito abonatórias da pessoa que era. No entanto, a nível de trabalho, o facto é que ela conseguiu reerguer o país. O país esteve em baixo, no lodo, muito à custa dela - é certo -, mas também se reergueu provavelmente à custa dela.

    O que eu não entendo muito bem é porque ela foi tanto criticada e o grande aliado dela, o Reagan, é visto como um fabuloso presidente norte-americano. Ultrapassa-me.

    Mas Cat, eu própria admiti a minha falta de conhecimento sobre o assunto. Apenas admiro a capacidade de trabalho dela e o facto de ter persistido numa política que, certamente muito errada em vários pontos, conseguiu reerguer o país.

    ResponderEliminar
  22. Mulher polémica e inconformista!
    Quisera eu ter um terço da sua têmpera!
    RIP

    ResponderEliminar
  23. Eu também não falei dela como pessoa nem uma única vez, desconheço totalmente. Falei dela como política.

    ResponderEliminar
  24. E diz que foi mãe de gémeos...será?!
    É que, só por isso, já foi uma mulher especial! ;)

    ResponderEliminar
  25. Goste-se ou não, marcou uma época e fica na História.

    Já agora, é bom esclarecer que no Reino Unido, até ao fim da década de 70 do século 20, o desemprego era mais que muito - UB40 não é apenas o nome de uma banda, era o código do impresso do subsídio de desemprego -, na década de 80, já no Governo da Thatcher, o desemprego retrocedeu e a economia cresceu. E ela tentou organizar a Segurança Social, nomeadamente a atribuição de casas 'por tudo e por nada', tal como "ah engravidei, a minha mãe bebe e o meu pai droga-se, quero uma casa!"... Se virem "Little Britain", o Matt Lucas faz uma crítica mordaz a esse tema com a personagem Vicky Pollard.

    Claro que não foi perfeita, mas alguém é? O Tony Blair começou bem e acabou mal, muito mal.

    ResponderEliminar
  26. A senhora Gata é muito esperta e explicou mesmo bem a minha ideia. Obrigada

    ResponderEliminar
  27. Quando as pessoas não vivem nas épocas em causa, ficam com muitas ideias erradas! Dizia-se, na altura e, eu sou dessa altura, que a Sr Tatcher era a mulher mais homem da política. Está tudo dito! Não é este tipo de mulher que me orgulha enquanto tal. Nessa época sentíamos vergonha por tal espécime. Morreu? Que pena!!! O amigo dela, Pinochet também já se foi. Ter um amigo destes diz tudo sobre ela.Ser reeleito na Grã Bretanha é a coisa mais fácil do Mundo e não tem nada a ver com competência anterior. Era bom que se informassem melhor sobre o sistema eleitoral inglês para perceber o porquê.

    ResponderEliminar
  28. parte da publicação do jornal A Folha de São Paulo do dia 08/4/13:
    "Thatcher ordenou que a embarcação fosse destruída apesar de estar fora da área de exclusão estabelecida pelos britânicos. Mais de 300 soldados argentinos, a maioria por volta dos 18 anos de idade, morreram."
    Maria do Brasil

    ResponderEliminar
  29. Concordo com a Cat e com a Fernanda.
    Por algum motivo vimos ingleses contentes com a sua morte.

    ResponderEliminar
  30. A mulher deixou de governar em 1990. Quantos anos tens, pah?!

    ResponderEliminar
  31. "Não vivi no tempo em que ela governou." Really???

    Mais uma bacorada da S*

    ResponderEliminar
  32. ahahah

    A mulher governou de 1979 a 1990. Eu nasci no final de 1988. Mais uma bacorada da anónima espertalhaça. ;)

    ResponderEliminar