quinta-feira, 7 de março de 2013

Esta blogosfera é do malhão

Se, por acaso, não concordam contigo, passam logo para o insulto gratuito. São incapazes de discordar sem entrar pelo insulto fácil.

Ser educado é uma coisa muito bonita.

86 comentários:

  1. Da maneira que estao as coisas, ter um insulto gratuito já é uma sorte! :|

    ResponderEliminar
  2. Ah e os tipicos "moralista", "és muito nova a vida vai-te ensinar coisas", "mente fechada" e blablabla? O mundo está perdido porque já ninguem aceita as opinioes dos outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro esses. Somos todos uns tacanhos.

      Eliminar
  3. Um insulto só é um insulto quando vemos nele um bocadinho de verdade!

    E sim, és preconceituosa! Na minha opinião é o que és! E se tu podes achar que eu sou mal educada, eu também posso achar que és preconceituosa (com base naquilo que escreves, pq não te conheço de lado nenhum!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pense à vontadinha, eu é que sei o que sou.

      Eliminar
  4. Blogosfera é bipolar S* XD
    Beijinhos*


    http://garotaembonecada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. bem, suponho que estás a falar do post anterior....dou já a minha opinião: cada um sabe de si...cada um mostra aquilo que quer mas mostrar assim fotos destas nas redes sociais acho do pior :S mas como digo, cada um sabe de si!!!

    Continua na tua :P caga para os outros xD hihi

    ResponderEliminar
  6. Pois S*, tu até podes não passar para o insulto. Mas quando alguém aqui apresenta um ponto de vista que difere do teu, partes logo para as respostas arrogantes. Isso também não é coisa bonita.

    ResponderEliminar
  7. Ser educado está fora de modas, já venho a notar isso há algum tempo!

    ResponderEliminar
  8. nem mais, olha ainda ha uns dias fui chamada de aldrabona, hehehehe
    Aldrabona porque? eu tenho mtos defeitos mas mentirosa nunca.
    Enfim...

    Maggie

    ResponderEliminar
  9. Por acaso não vi nenhum insulto, pelo menos publicado.

    ResponderEliminar
  10. E se deixares de passar cartão ao "anónimos" vais ver como melhora!!

    ...digo eu!

    Bjo*

    ResponderEliminar
  11. Não admito faltas de respeito nem na vida real nem na vida virtual.

    ResponderEliminar
  12. há pessoas que não são capazes de guardar as coisas para elas e tem que se manifestar seja a opinião boa ou má, eu cá quando gosto comento, ou dou a opinião, quando não gosto simplesmente não comento e passo ao lado ... Mas enfim!

    ResponderEliminar
  13. foi você que pediu um insulto gratuito?
    não seja por isso
    http://amorportatil.blogspot.com/2013/03/lm-not-crazy-my-reality-is-just.html

    ResponderEliminar
  14. Ó S* francamente, dizer que o preconceito quanto à orientação sexual é provinciano, é ofensa gratuita?

    Bem, já que não publicaste o outro comentário, imagino que nao publiques este também, por ser "altamente ofensivo".

    ResponderEliminar
  15. Não te rales com isso, S*
    Apenas não dês importância a isso**
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Ainda bem que esse tipo de situações não me tocam!

    ResponderEliminar
  17. S*, nós todos temos preconceitos. Eu às vezes dou por mim a ter pensamentos ou reações que me fariam corar de vergonha se as tivesse dito em voz alta – muitas vezes apercebo-me de que estou a agir de forma preconceituosa, outras não e ajudava se me dissessem, porque não quero ser tacanha, quero crescer e que os meus horizontes se alarguem.

    Chamar preconceito ao que é preconceito não é um insulto, é o que é. Eu também acho que o que tu escreveste é preconceituoso – porque transforma o talento dele num “apesar”, porque esperas dos teus leitores que tenham de “tentar esquecer que o vídeo é de um homem que mais parece uma gaja, com os ombros à mostra” para gostar e porque a “diferença” que é a sua forma de ser e estar numa desvantagem à partida o que, sendo muitas vezes o caso justamente porque o mundo consegue ser muito cruel, não é sempre, como os exemplos da Lady Gaga e do Freddie Mercury documentam.

    Ser “diferente” não tem de ser um impedimento ao sucesso e depende de nós fazer com que isso mude. Recusar repetir estereótipos e estarmos atentos aos momentos em que damos voz a preconceitos, mesmo sem intenção, faz parte do trabalho que temos de fazer, todos, para que ser “diferente” não seja logo uma condenação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, pois eu acho uma hipocrisia. Ele é, de facto, diferente. Não disse que isso era mau, não vejo mal nisso. E sim, acho que o nosso país não aceita bem essa diferença.

      Eliminar
  18. Uma coisa é discordar, outra é ofender! Que biolência, pah! LOL.

    ResponderEliminar
  19. Não sei ao que te referes mas não compreendo esse tipo de atitudes...na blogosfera como em qualquer outro lado...democracia e liberdade devem incluir respeito.
    Maria

    ResponderEliminar
  20. Opah! O blog é teu escreves o que queres. Não querem não leem, simples.
    Anda tudo muito stressado. Tenho a impressão que andam sempre à espreita para "arrear" em alguém. Vão pró box páh, dizem que é um bom anti-stress!

    ResponderEliminar
  21. Ah, e não, eu não sou do malhão, e é absolutamente lamentável que não tenhas a capacidade e poder de encaixe de aceitar uma crítica, sem a considerares um insulto.

    E não, dizer-te que o preconceito que mostras relativamente a pessoas "diferentes" é provinciano, ou que lamentares que alguém não seja mais "normal" - isto é, heterossexual e sem "tiques" - é demonstrativo de preconceito, também não é um insulto, é uma crítica. E é pena que não tenhas a humildade suficientes para aceitares essas críticas e pensares sobre elas, em vez de as rejeitares sem qualquer reflexão, para a seguir escrever um post a fazer queixinhas de que as pessoas - neste caso, eu - são más e te insultam gratuitamente, quando é mentira já que não te insultei, insultei o preconceito implícito ao teu texto sobre a infeliz diferença.

    Talvez te fizesse crescer como pessoa aceitares pensar sobre o que te dizem, principalnente quando até to dizem de boa fé, como eu procurei fazer, e de vez em quando, questionares as tuas opiniões, e perguntares-te se essas pessoas não terão uma ponta de razão no que te estão a tentar mostrar. Só evolui quem tem a capacidade de olhar para si mesmo, para o que pensa ou diz, e rever as suas posições. Fazê-lo é sinal de maturidade e crescimento.


    E antes que me digas que o post não era para mim, era sim, que entre a tua resposta a dizer que te estava a insultar (!) e a publicação deste post sobre a minha suposta falta de educação passaram-se exactamente 6 minutos.

    E espero, espero mesmo, que não me censures este comentário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luna, vamos lá a ter calma, que só te fica bem.

      Primeiro, eu não censurei NENHUM comentário teu. Estava a trabalhar e não aprovei comments. Vires deixar comentários onde afirmas que te censurei é coisa que me ultrapassa.

      Achei o teu comentário insultuoso e continuo a achar. Então quer dizer... Eu elogio o rapaz mas como tenho a ousadia de afirmar que, num país como o nosso, o facto de ele ser diferente (disse diferente, não disse que isso era mau...) o pode prejudicar, tu julgas ter o direito de dizer que tenho mentalidade provinciana? Se há pessoa que respeita as diferenças no campo da sexualidade sou eu. Quero lá saber se ele gosta de carne ou de peixe. No entanto, não sou hipócrita, acho que ele se prejudica por ser diferente - diferente não é mau. Portugal não é país do Prince ou da Lady Gaga. Portugal foi o país do António Variações.

      Tens o direito de pensar diferente, mas não tens o direito de me tentar rebaixar para fazer valer o teu ponto de vista.

      Eliminar
  22. a educação é algo que escasseia hoje em dia

    ResponderEliminar
  23. infelizmente, de facto, a falta de educação reina em muitos sítios hoje em dia :/

    ResponderEliminar
  24. Eu até agora ainda não recebi nenhum comentário a insultar-me no meu blog, mas concordo contigo as pessoas quando estão contra a tua opinião obrigatoriamente estão contra ti, e não conseguem separar uma coisa da outra.

    http://deverasoriginal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  25. S*

    mais uma vez, o meu comentário nao foi insultuoso à tua pessoa, mas ao teu comentário sobre a diferença. E sim, esse comentário foi extremamente preconceituoso, quer queiras quer não.

    E esta tua resposta revela mais uma vez a recusa e impermeabilidade total às opiniões das outras pessoas.

    Por exemplo, eu reconheço aqui que errei e me precipitei ao assumir que me tinhas censurado os comentários, quando estavas apenas a trabalhar e nao pudeste moderar os comentários feitos, e por isso peço desculpa. Como vês, assumir um erro, uma atitude precipitada, não é demonstração de fraqueza, mas capacidade de mudar de opinião quando em contacto com outra visão e mais informção.

    De resto, subscrevo inteiramente o comentário da Rita Maria, e recomendo-te que o leias com atenção e reflictas sobre ele, porque mais claro nao pode ser.

    E talvez, se te esforçares por ter maior abertura às várias opiniões aqui expressas, reconheças que ao elogiares um talento "apesar" da diferença, estás a demonstrar intrinsecamente o mesmo preconceito que pretendes criticar.

    E dando o exemplo do António Variaçoes, como vês, a diferença nem sempre é razão de insucesso, antes pelo contrário.

    Food for thought.

    ResponderEliminar
  26. And here we go again: mas é diferente porque? Nao tem duas pernas, dois braços, dois olhos, uma boca?

    É diferente porque é gay? Porque se apresenta de forma diferente?

    Ao ter de se mencionar a diferença, independentemente de expressares que é boa ou má, estás a tornar essa diferença relevante e prejudicial, e deste modo, implicitamente a dar-lhe uma conotação negativa.

    ResponderEliminar
  27. "não seria insulto se fosse verdade"
    HAHAHHAHAHAHHA really S*?
    precisas de umas lições de self image and learning about how to see yourself as others do...

    See, self-image is both a conscious and subconscious way of seeing ourselves. It is the emotional judgment we make about our self-worth.

    We form our self-image through interaction with others, taking into account their reactions to us and the ways they categorize us. there are 3 ways of assesment:
    how we see ourselves, how other people see us and how we really are.
    you are clearly in denial about self-image...
    sim, tens uma mente provinciana como a Luna referiu e isso é claramente gritante na maioria dos posts que publicas. Não vale a pena tentar tapar o sol com a peneira, podes não gostar de o ouvir, porque não te revês nisso, mas é a verdade. Aliás, basta ver as contradições argumentativas em que cais...
    Aceita a verdade, ahhh pois, mas tu não achas verdade e se nao achares que é verdade, é um insulto!...
    fantástico !!! it´s a one trick pony!...

    ResponderEliminar
  28. Também acho que aturas com cada coisa aqui S* :o upa upa!

    ResponderEliminar
  29. Xuxi, tens orgulho em ser assim mal educada? Uau.

    ResponderEliminar
  30. Luna, podes até nem concordar com o meu post e achar que foi preconceituoso, mas eu não vou assumir um preconceito que sei que não tenho. Respeito que consideres preconceituoso, apesar de não o ter escrito minimamente nesse sentido.

    Sim, acho estranho o aspecto do rapaz. Perdoem-me se acho estranho um rapaz andar de ombros à mostra e maquilhado. Isso não faz dele melhor ou pior, apenas diferente. Caramba, não me parece que seja difícil de perceber. E ser gay também é diferente, porque o "normal" é ser hetero. Isso não é dar uma conotoção negativa à coisa, é mesmo constatar um facto. Assim como o normal é ter duas pernas, e não uma, duas orelhas, e não uma. Não sou cá de hipocrisias, não vou dizer que o aspecto do rapaz é normal, porque não é. Isso não é uma crítica ao Carlos, é ter olhos na cara.

    ResponderEliminar
  31. Ok, S*, I rest my case.

    Já vi que nao há permeabilidade a qualquer tipo de argumentação - reforçada mais uma vez pela afirmaçao de que ser gay nao é "normal" - pelo que se torna inútil continuar a discussão.

    Let's agree to disagree.

    ResponderEliminar
  32. E já agora, poderia apresentar-te vários amigos gay, que se sentiriam muitíssimo ofendidos por não os considerares normais. E que sim, considerariam essa opinião extremamente preconceituosa.

    ResponderEliminar
  33. Luna, mais uma vez, eu acho que não queres perceber o meu ponto de vista. Isto não é argumentar contra as tuas ideias... vamos lá ver se me faço explicar melhor de outra forma: existem, sei lá, 95% de heteros no mundo. E 5% de gays. Logo, pode-se dizer que o normal (sendo que são todos normais) é ser hetero, pois apenas uma minoria é gay.

    Por acaso não tenho amigos gays, mas conheço dois gays, amigos de duas amigas, e acho que nenhum deles tem queixas de mim. O facto de dizermos que uma coisa é menos normal não significa que achemos que essa coisa seja menos boa.

    ResponderEliminar
  34. Ser gay não é normal?!!!

    ResponderEliminar
  35. mal educada porque te digo a verdade? a verdade ofende-te? mas é a verdade, ao conrario do que pensas, lá do casulo onde te enfias...os teus preconceitos são reveladores de mente pequena e provinciana....se escreves posts preconceituosos com moralismos baseados em normativismos e padronizações sociais que são os teus, expressos e declarados em posts que publicas regularmente (é que não é um nem dois, é uma coisa recorrente..) criticar é tao bom mas ser criticado
    é fodido não é??..
    não é preciso sair o prémio para fazer o 1x2 certo?
    é que estás a tu a ofender a minha inteligência caramba!...
    posts e comentarios preconceituosos = mentalidade preconceituosa, logo mentalidade pequena e provinciana, logo, eu ofendo te e sou mal educada por te dizer a verdade, que tu recusas
    fantastico melga!!
    às vezes ate me custa entrar no teu raciocinio pavloviano, mas
    e isto certo?
    senão é por favor argumenta-me com capacidade intelectual para tal

    ResponderEliminar
  36. Cara S*, a percentagem estimada é de 10%. Qual a percentagem de canhotos? Serão os canhotos não "normais"?

    Como dizes, não tens amigos gay, e conheces apenas dois. Pois eu tenho muitos amigos - e inclusivé familia - gay, e posso desde já garantir-te que sentiriam este teu post e comentários como preconceituosos.

    Queres ter a certeza? Queres comprovar que o que dizes não é visto por outros como preconceituoso? Pergunta-lhes.

    Desafio-te a fazeres esse exercício a ti própria, mostrando abertura e permeabilidade a outra opinião: pergunta honesta e abertamente a esses dois gays que conheces se acham o teu post preconceituoso, e sê capaz de rever a tua posição se te disserem que sim.

    (e já agora, eu já tive opiniões preconceituosas quanto a gays, e fui aberta o suficiente para as mudar quando exposta às suas opiniões e sentimentos, procurando corrigir as minhas atitudes com isso)

    ResponderEliminar
  37. é que tu não entendes o principio que está por detras das nossas criticas...normal não existe percebes? normal aos teus olhos não é normal aos meus, nem aos da Luna, pá!!
    tenho de fazer uma dissertação sobre moralismo e codigos de conduta e valores e cultura e suas representações e diferença vs. normalidade?

    ResponderEliminar
  38. Tu achas que ser gay não é normal! O que não significa que ser homossexual não seja normal, só por tu achares que uma merda de uma percentagem dá ou retira a normalidade a alguém! Eu sou homossexual e acho-me normalíssima! E se me vires na rua não vais ver essa "anormalidade" ou "diferença" que defendes.

    ResponderEliminar
  39. S* já partilhei casa com um gay e um casal de lésbicas. Sendo que sou uma rapariga hetero, estás me a querer dizer que no universo daquela casa partilhada o normal era ser gay?

    ResponderEliminar
  40. penso que o que queres dizer é "ser hetero é o mais comum" em vez de "ser normal"

    ResponderEliminar
  41. não temos que concordar todos uns com os outros, mas é preciso saber a melhor forma de dar a conhecer aos outros o nosso ponto de vista, e de facto isso nem todos o sabem.

    ResponderEliminar
  42. Eu cá acho um piadão ver a Luna a chamar intolerantes aos outros quando ela é, sei lá, talvez a blogger mais intolerante da blogosfera. E ficar toda ofendidinha porque alguém não concorda com ela, quando no blog dela, se te atreves a discordar, levas logo de burra (já me aconteceu).
    E a outra, a Xuxi, ó pá, que culta, só comenta em inglês!! Sinceramente, não sei como tens pachorra. Manda à m*rda, é melhor ser parola (eu também sou, pois sou de Braga e não da capital) do que ser parva, condescendente e ter a mania que se é melhor do que os outros.

    Bj S*, continua, que eu gosto muito do teu blog (e nem falemos do que eu aprecio ver fotos do Fred!)

    ResponderEliminar
  43. oh xuxi, fala lá português...é que estar a escrever inglês e depois português é altamente esquisito. Ah mas tem muita classe...se tem!

    ResponderEliminar
  44. maria, aceitei o post porque não o vi como insultuoso, tendo em conta o contexto. Mas, por favor, no meu blogue espero ser a única visada no que a comentários menos bons diz respeito. :)

    ResponderEliminar
  45. S*

    Com todo o respeito te digo uma coisa: a normalidade não existe. Muito menos a antítese Normal Vs diferença.

    (e não vale a pena responderes-me que o meu comentário não carece de qualquer resposta/justificação/acrescento. É apenas um tópico para reflectires. Se assim o aceitares.)

    ResponderEliminar
  46. Xuxi, és mal educada, sim. E se nem te apercebes disso, não vale a pena explicar. Qualquer pessoa que leia o que escreves vê isso. É a diferença entre ti e a Luna - ela não é mal educada, mesmo quando não concorda comigo.

    ResponderEliminar
  47. Anónimo das 20:20, vamos lá explicar de novo: ser gay é menos comum.

    ResponderEliminar
  48. Luna, mas eu nunca disse que os gays não sentiram o meu texto como preconceituoso. Eu é que não o escrevi nesse sentido. Sei muito bem que, por vezes, escrevemos coisas que levam a más interpretações. Se ofendi ninguém, não era minha intenção (caramba, eu até queria elogiar o rapaz, porque gostei do cover dele) e peço desculpa.

    ResponderEliminar
  49. Pólo Norte, mas eu sei disso... o problema é que, pelos vistos, não me sei explicar. Ou então sou mal interpretada. Eu sei lá. Como me considero uma pessoa de mente muito... hum... vamos lá ver se agora não digo asneira... hum... uma pessoa de mente aberta, até fico chocada quando me acusam do contrário. Isto de ter blogue é pior do que andar em cima de cascas de ovos.

    ResponderEliminar
  50. Pronto, e aqui estamos a chegar a um acordo sobre o post poder ser ofensivo a quem é gay, e por isso, segundo as tuas palavras "diferente".
    Eu acho que tens bom fundo, e que nao ofedes ninguém intencionalmente, e é por isso que comento - se achasse que o fazias com má intenção, nao me daria a esse trabalho.

    ResponderEliminar
  51. Não costumam ser assim comigo, espero que nunca se lembrem de tal coisa porque tenho mais que fazer do que eliminar comentários :)

    ResponderEliminar
  52. Luna, todos temos os nossos maus posts, que ninguém percebe a não ser nós. :P

    Se foi ofensivo, não foi mesmo com intuito. Eu tenho este jeito meio brincalhão que, de facto, nem sempre corre bem.

    ResponderEliminar
  53. Quanto à Maria, se a memória nao me falha, defendia a censura de uma obra prima da literatura - neste caso o Lolita, de Nabokov, que obviamente nao leu - por retratar a pedofilia.
    Segundo ela, o livro deveria ser proibido.
    E lamento, não há argumentação inteligente possível que defenda que obras literárias e de arte em geral devam ser censuradas por abordarem temas que nos são incómodos, e nos fazer reflectir sobre o assunto.
    E lamento lamentar mais uma vez, mas essa é uma visão tacanha do mundo e da literatura.

    (mal seria que obras fossem proibidas só porque incomodam e fazem pensar. felizmente já nao estamos no estado novo)

    ResponderEliminar
  54. p.s. lamento ter usado o teu blog para responder à Maria, mas já que ela o usou para falar de mim, acho que tenho o direito a resposta.

    ResponderEliminar
  55. Disseste tudo no comentário "ser gay é menos comum". Se era isso que querias dizer desde o início devias ter escolhido logo essa expressão e nunca "normal é ser hetero" porque como é óbvio (acho eu), apesar de parecer que se está a dizer a mesma coisa, vai se a ver...dá no que deu.

    ResponderEliminar
  56. Sem problema, Luna.

    Acho que me lembro dessa polémica, por acaso. E não querendo discutir a opinião da Maria (que até é fã do meu Fred, logo uma mulher de bom gosto), tenho a dizer que acho a escrita do Henry Miller assim uma coisa fascinante. E ele fala de meninas que têm sexo como gente grande. E eu gosto da escrita. Independentemente que, na vida real, achar tal coisa uma nojeira, óbvio.

    ResponderEliminar
  57. Eu concordo com a Luna. O problema S* é fazeres questão de marcar a diferença entre o que é normal e não é. :) Por exemplo, o meu pai é português, filho de famílias portugueses, mas mede 1,80m, tem olhos azuis e é ruivo. Não gostaria que me dissessem que ele não é normal só porque 99% dos portugueses são baixos e de cabelos e olhos escuros. :)

    ResponderEliminar
  58. Tete, mas eu não faço questão de coisa alguma, apenas me tentei explicar. ;)

    ResponderEliminar
  59. A Lolita é do Nabokov, não é do Henry Miller

    ResponderEliminar
  60. Anónimo das 23:54, não me venha ensinar isso, que eu sei muito bem. Nem sei de onde tirou a ideia que eu achava ser do Henry... só disse que o Henry também abordava temas ditos complexos. A Lolita eu nunca li, apesar de conhecer excertos.

    ResponderEliminar
  61. Ok Luna, toda a gente que te conhece já percebeu que, para ti, todas as opiniões diferentes da tua são tacanhas. Podes levar a bicicleta (como é que dizem os americanos? - já estou como a outra - no pun intended).

    ResponderEliminar
  62. E já agora, obviamente recomendo a leitura do Lolita. É um livro que perturba, obviamente, como todos os livros que retratam os sentimentos mais negros e doentes do ser humano.

    ResponderEliminar
  63. Não Maria, só as que são, de facto, tacanhas. Como a sua relativamente à censura de livros que nem sequer leu.

    (tenho imensa curiosidade sobre a lista de obras que acha que deveriam ser proibidas, confesso.)

    ResponderEliminar
  64. Bom, sou muito prática e sucinta e o meu comentário vai para a S. e para os "anonimos discordantes".
    1) O Blog é da S.
    2) A S. escreve o que lhe der na real gana.
    3) Quem não gosta ponha na beira do prato.
    4) Quem não gosta MESMO, não siga o blog, e crie o sei próprio.
    5) Sim, a S. tem razão.
    6) Uma mulher que tem de se vender pelo corpo TEM POUCO VALOR.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 10:33, eu só defendo a discussão saudável e sem maldades. Mas obrigada! :)

      Eliminar
  65. mas porque carga de agua é que alguem considera que outro alguem é preconceituoso por manifestar uma opinião contrária à sua, quando ao fazê-lo está a cometer o mesmo pecado ?
    Anonimos de raciocínio lento: leiam váras vezes. Vão acabar por perceber.
    Não sejam preconceituosos. A S. tem direito à opinião dela. Tem direito a que seja diferente da vossa opinião.
    Dasse ! Cromos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 10:40, pois... Devemos saber expressar opiníões de forma educada.

      Eliminar
  66. Já agora, chamar provinciana a alguém de que achamos ter uma mentalidade tacanha é, também, um preconceito. Nem todas as pessoas que nasceram / vivem na província são tacanhas. Eu sei que não é isso que querem dizer, mas as generalizações são do camandro. E esta expressão: "tens uma mentalidade provinciana" é preconceituosa.
    Dulce/Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dulce, e eu sou da cidade, veja lá...

      Eliminar
  67. Todos nós em algum momento somos preconceituosos ou, pelo menos, temos pensamentos preconceituosos e mesmo que não tenhamos intenção de ofender sabemos que o estamos a fazer e, penso, foi isso que aconteceu aqui. A S* não quis ofender mas acabou por ofender e melindrar sensibilidades. Porque o que nos toca de perto magoa muito mais.
    Falar assim de gays não te parece estranho porque não convives de perto com ninguém que tenha que lidar com esse preconceito e sofra por causa dele diariamente. Mas, se calhar, se fosse um comentário sobre gordos/muçulmanos/anões ou equivalente e que toque alguém que te seja querido provavelmente assumirias muito mais facilmente o erro do texto.
    Também sou de Viana, como sabes, e sei que aqui 'ser da cidade' é a mesma coisa que nascer no meio do monte. Viana é provinciana e pouco dada a aceitar aquilo que é diferente. Aqui, na tal cidade, temos UM casal de gays assumidos abertamente mas que nunca dão a mão na rua ou têm gestos de carinho, porque caso contrário têm consciência que são vistos como anormais. A minha mãe tem um colega de trabalho que é educador de infância e gay assumido há vários anos e ainda hoje é olhado com desconfiança pela maioria dos pais que lhe entregam os seus filhos à porta da escola. Aqui ainda se fazem casamentos à pressa porque a cachopa engravidou do namorado e os vizinhos vão falar. Eu própria já senti esse preconceito de mentalidade bacoca numa coisa tão básica como me assumir ateia. E também já ouvi o 'isso não é normal' e apesar de não me sentir minimamente ofendida porque é para o lado que eu durmo melhor, esse comentário é altamente preconceituoso.
    Em última instância podemos ser provincianos mesmo que tenhamos uma grande metrópole a marcar o local de nascimento no BI. Porque o provincianismo é, acima de tudo, um estado de espírito. A grande batalha é não se deixar levar por ele apesar dos pesares.

    ResponderEliminar
  68. Dulce:

    está coberta de razão.
    É verdade que é uma expressão comum, geralmente associada a conservadorismo, mas é uma expressão preconceituosa, de facto. Procurarei ter mais atenção e evitar usar este tipo de generalizações abusivas no futuro.

    ResponderEliminar
  69. Cláudia, Viana não me parece provinciana, apesar de ser pequena. Ou então sou eu que não ludo com os ditos provincianos. De qualquer forma, apesar de reconhecer que o post não me saiu bem, tenho orgulho em me considerar mente aberta.

    Como bem dizes, é um estado de espírito... E todos nós, de forma mais ou menos evidente, mais ou menos frequente, temos preconceitos. Mas eu este preconceito sinto que não tenho.

    Quanto ao "não é normal", foi escrito no sentido "não é tão comum", não no sentido insultuoso.

    ResponderEliminar
  70. Sabes qual é o problema? É insistires em responder a gente que apenas insiste em ver mal em tudo o que escreves. No dia em que deixares de o fazer, a coisa acaba. Fazes o post, revoltam-se todos, chamam uns nomes, e acabou pronto. Como não respondeste, em vez de 20 comentários da mesma pessoa na caixa de comentários, tens apenas um muito revoltado e muito enervado porque és uma preconceituosa estúpida e assunto encerrado.

    ResponderEliminar
  71. isso é coisa de pessoas que não sabem defender a sua opinião, e mais, que não têm mais que fazer com a sua vida e preocupam-se em chatear os outros ;)
    esses, não merecem protagonismo, deixa lá!

    ResponderEliminar
  72. Discordar e ainda assim manter-se educado e respeitoso ao seu oponente, eis o grande desafio da humanidade onde cada um defende suas mini certezas!

    ResponderEliminar