quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Ainda sobre o coelho enforcado

1º Sim, como carne, e não tenho intenções de deixar de comer. Matar para comer faz parte da lei da vida. Matar por qualquer outro motivo já não é válido.

2º Certamente o bicho já estava morto, por qualquer motivo. Não deixo de achar mórbido e revelador de falta de bom senso. Assim como não acho legítimo profanar o corpo humano, também não me parece justo fazê-lo com o corpo dos bichos.

3º Nem todas as formas de protesto são válidas, por mais motivos que tenha se para protestar. 

43 comentários:

  1. Ainda bem que não sabes o que é uma guerra.

    ResponderEliminar
  2. Até as vegetarianas comem carne!!! :p

    Não stresses!! Andas à chuva...

    ResponderEliminar
  3. Eu que não como carne acho essa cena tão má em tantos níveis que nem vale a pena começar a falar sobre o assunto!
    Bj S

    ResponderEliminar
  4. Deixem-se andar, não abram os olhos que não é preciso. Revoltem-se com coelhos mortos, com bifes de vaca e com pés de porco...Acehm ridículo manifestações, achem bem que vos mandem calar, emigrar, poupar! Deixem-se andar no rebanho, não pensem pelas vossas cabeças, defendam os direitos dos animais mais do que os vossos, comam e calem!É isso que eles querem. Condenem quem protesta (não haverá motivos para isso?), digam que não estão a ser democratas, vão lá por o voto no mesmo de sempre, ou melhor, não vão lá por voto nenhum. Ignorem as milhares de pessoas que estão no desemprego, que não têm dinheiro nem para um pacote de leite, ignorem os estudantes que não podem estudar e aguentem (não foi o que nos mandaram fazer?). Critiquem quem se manifesta, com coelhos mortos ou palavras de ordem, enquanto vocês ficam no sofá a fazer festinhas nos animais. Continuem assim que vamos bem...

    E não, este comentário não é para te atacar, é para todos e não só para ti S*. E não, não sou uma anónima frustrada, invejosa que manda pedras aos animais. Sou a Ana, Licenciada e sem emprego, que vai ter de emigrar se quiser trabalhar. Sou a pessoa que se quiser ter um filho não pode (porque vejo esse direito negado às pessoas com a minha orientação sexual) e que vê toda a gente mais preocupada com um cão do que com direitos humanos. Sou a pessoa que se indigna com o sorriso trocista do nosso PM em vez de ficar chocada com um coelho. Sou a pessoa que já não tem paciência para a falta de opinião e ideias próprias da nossa sociedade, que se rege por modas e que acha que são as redes sociais que vão mudar o mundo.
    E, já agora, quantos de vós, que tiveram pena do coelho, vão manifestar-se (de forma legal e sem animais à mistura) no próximo sábado?

    ResponderEliminar
  5. Acabaram por perder toda a razao... foi mesmo de muito mau gosto, para nao dizer mesmo cruel :S

    ResponderEliminar
  6. Anónimo das 21:48, o que tem uma coisa a ver com a outra? A manifestação é sempre válida e necessária, mas não há custa do corpo de animais.

    ResponderEliminar
  7. Eu achei chocante, o que me parece que era o objectivo, mas não achei grave... O animal já estava morto, embalsamado como fazem crer, e portanto os argumentos de "explorar a vida", "maltratar" e "torturar" o animal não contam nesta situação. Ninguém maltratou nem torturou o coelho, simplesmente antes de ir para a panela passou por ali. Acho que é demasiado alarido por pouco, mas hoje em dia é sempre assim com qualquer notícia no nosso país. Qualquer coisa é logo um barulho imenso...
    Eu não sou vegetariana mas não como coelho, pessoalmente não gosto. Mas é um animal que vive e morre para nos alimentar. Estou certa de que alimentou alguém depois do protesto.
    Se o nome do infeliz fosse Pedro Passos Cão ou Pedro Passos Gato e realmente fizessem o protesto com um desses animais seria outra coisa absolutamente diferente! Assim sendo, não vejo mesmo muita gravidade na situação...

    ResponderEliminar
  8. Oh S* (e sem querer ser fundamentalista, é só mesmo uma questão de ser consensual..), comer um animal não é profanar o corpo dele? x)

    ResponderEliminar
  9. Cat, claro que não. Isso é subsistência.

    ResponderEliminar
  10. Não é não! Podes perfeitamente subsistir sem animais!

    ResponderEliminar
  11. 'mas não há custa do corpo de animais.' ??????????????????????

    ResponderEliminar
  12. Anónimo das 23:58, obrigada pelo aviso. Gralha feia.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo das 23.52, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Todos os animais dependem de outros animais para sobreviver... os humanos não são diferentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que disparate tao grande! Pensa la melhor um bocadinho... :)

      Eliminar
    2. Pense você, que eu não disse nenhum disparate.

      Eliminar
  14. Percebo que vejam o protesto como "profanação" do corpo de um animal. Mas, pessoalmente, faço uma interpretação diferente: a utilização do corpo do bicho serviu para um propósito digno: alguém tentar fazer-se ouvir, usar da liberdade de expressão para (neste caso, não verbal) e assumir algum controlo na sua vida... Por isso, acho que o coelho até se sentiria muito feliz e orgulhoso por saber que fez parte de algo tão sério e importante! :) não sinto que seja um ataque à dignidade dos animais.

    ResponderEliminar
  15. A mais velha, pois se o coelho já estava morto, não sofreu mais com isto. Mas achei o protesto chocante. A mim fez-me impressão, acabando por me fazer esquecer o motivo do protesto.

    ResponderEliminar
  16. Concordo com o anónimo 21:48 e S* não entendi foi a tua resposta ao anónimo.. pois realmente não percebi o que é que a resposta tem a ver com o comentário..

    Eu não achei a situação chocante, aliás, comparando com outros países em que há violência a um nível extremo, pancadaria, fogos e etc. Acho q "norma" forma de manifestação bem mais "criativa"..

    É uma tentativa de sermos ouvidos, já que, como temos visto noutras situações o nosso PM limita-se a olhar e dar um sorrisinho amarelo como se nada fosse, como fez em pleno parlamento quando foi cantada a mitica canção de abril.

    Chocante são os que ficam em casa e, como diz o anónimo, a dar festinhas ao animais.

    ResponderEliminar
  17. Completamente de acordo...não é uma questão de comer carne ou não (eu por acaso como muito pouca, mas não é esse o point) - é a displicência com que se usa o corpo de um animal, que obviamente não foi comido, mas morto por matar, como se fosse um boneco, de uma forma absolutamente desnecessária - e nem sequer ajudou a provar nada!! Qual teria sido a diferença, em termos de protesto, se tivessem agarrado num coelho de peluche e feito o mesmo? Pois é, nenhuma. A diferença teria sido só em termos de humanidade.

    A crise (que aqueles senhores estudantes nem sequer sentem no pelo pois de certeza que na sua maioria não são trabalhadores que viram cortados em 1/4 o seu ordenado, como eu) e o direito ao protesto não são desculpa para tudo.

    ResponderEliminar
  18. Citando a Mary das 22h14:
    "Se o nome do infeliz fosse Pedro Passos Cão ou Pedro Passos Gato e realmente fizessem o protesto com um desses animais seria outra coisa absolutamente diferente! Assim sendo, não vejo mesmo muita gravidade na situação..."
    Qual é a diferença entre um cão, gato e coelho? Há animais de 1ª e animais de 2ª? que raciocínio mais medíocre. E a cereja no topo do bolo: "Mas é um animal que vive e morre para nos alimentar." Claro, a função de todo e qualquer animal é alimentar o ser humano. Fico espantanda com a mentalidade de certas pessoas. Nem todos têm de ser vegetarianos, como é óbvio, mas choca-me que em 2013 haja pessoas a fazer comentários deste tipo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leia lá de novo o que escrevi. Ninguém falou em animais de primeira e segunda. Apenas disse que a LEI DA VIDA nos mostra que uns animais comem os outros. É o normal. E os homens também são animais.

      Eliminar
  19. Eu percebo-te, e percebo que possa não cair bem :) Mas como vim de lá, e fiz e vi coisas mais esquisitas ainda (um dia de manhã, entro na faculdade toda contente para ir para as aulas e aquilo estava transformado num cemitério!), não me surpreende e entendo o espírito que lá se vive :)

    ResponderEliminar
  20. S*, os humanos podem subsistir sem carne de outros animais, senão quem não come carne já cá não andava, lol. N querendo atacar, pq acho que a cena do coelho foi um pouco demais também.

    ResponderEliminar
  21. O que é um coelho morto numa forca quando, enforcados estamos todos nós? Quando na verdadeira forca, está o país? Quando uns cometem mesmo suicídio, por já não aguentarem mais? Quando há cada vez mais desemprego, e mais fome? Quando já mal se consegue pagar as contas? Quando milhares de alunos desistem da universidade, por não poderem pagar propinas? O que é um mero coelho numa forca, quando os impostos sobem, as taxas sobem, as tarifas sobem? Quando a GNR espanca dois utentes por não pagarem o bilhete de uma cadela? Podia continuar mas acho que já dá para ter uma ideia...quem não esteve presente naquele dia naquela faculdade, e quem não conhece a forma como a tertúlia se manifesta, provavelmente interpretará aquele "enforcamento" como o desejo se morte de um outro Coelho. Pois enganam- se, o sentido metafórico daquela forca, simboliza o estado em que o país se encontra, o estado que o outro Coelho nos levou. Simboliza, o estado de estrangulamento em que nos vamos encontradando a cada dia que passa. Há coisas que me chocam muito mais nesta vida, do que aquele acto simbólico, a fome, a miséria, a pobreza, a liberdade que a gradualmente veremos desaparecer, isso sim, choca-me muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é um facto. O estado do país é deprimente e choca muito mais... O que não significa que tenha gostado deste protesto.

      Eliminar
  22. De acordo. Utilizar um corpo é sempre de mau gosto.

    ResponderEliminar
  23. Anónimo das 10h50, em momento algum disse que há animais de 1ª e animais de 2ª. Simplesmente há animais que, NO NOSSO PAÍS (PORTUGAL), são criados para servir como alimento. Vacas, perus, porcos, coelhos... Os cães e os gatos não são servidos à mesa, portanto se fizessem um protesto com o corpo de um desses animais isso sim chocar-me-ia gravemente, pois não há nenhum motivo válido para matar um animal desses, nem para enfeite, nem para roupa nem para comida. O coelho não... já estava morto, ainda chamou a atenção num protesto e depois foi comido (ninguém me vai fazer acreditar que mandaram o coelho para o lixo no final).
    Medíocre é uma palavra um pouco grave para se usar com base num comentário, mas tudo bem.

    ResponderEliminar
  24. Oh pah, desculpem lá mas eu preciso de dizer isto:
    - S*, achas mesmo que o coelho estava morto antes de servir de "bandeira" ao protesto? Vamos acreditar que morreu de velhice, que um minuto estava a respirar e noutro não, e que um estudante passou por ele casuisticamente e pensou: «ora, era mesmo o que precisávamos, de um coelho morto de morte natural; caso contrário seria absurdo pendurar o bichinho ali, 'tadinho». (Eunão acredito nisto, e estou certa de que a morte deste bicho serviu apenas para o espectáculo degradante de mentes que não têm um alcance superior a dois centímetros. O que fizeram foi tão feio e tão mau, que eu acho mesmo que o pobre do coelho morreu em vão. Não passou a ideia correcta, passou outra.
    - Li algures num comentário que o coelho terá de seguida servido para alguém se alimentar e que por isso não morreu em vão. Eu questiono: haverá alguém que acredite que isto é mesmo possível? Acham mesmo que depois de horas sem qualquer tratamento, o coelho estaria capaz de ser esfolado e cozinhado? É preciso acreditar-se realmente que o mundo é cor-de-rosa. Ou se calhar é só o meu, que é cinzento demais. :-((

    ResponderEliminar
  25. R., querida, li algures que o bicho estava morto e congelado. Mas independentemente disso, eu não gostei.

    ResponderEliminar
  26. R. Del piño, pq tantas suposições, quando muita gente esteve lá, presenciou, falou com os organizadores do protesto e sabe a origem do Coelho?

    ResponderEliminar
  27. Cara S*, nós somos omnívoros. Não somos carnívoros. Conseguimos perfeitamente subsistir sem comer carne, sem comer animais. Logo o que disseste foi um disparate. :) Não preciso de pensar muito mais! :p

    ResponderEliminar