quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Matou filha de 15 dias e cortou nariz e lábios à mulher

"Um homem cortou as orelhas, o nariz e os lábios à mulher, por suspeitar que a esposa mantinha uma relação extraconjugal. No meio do castigo, em público, na cidade paquistanesa de Sanghara, acabou por ferir de morte a filha do casal, de15 meses". 

 
Muitas vezes se ouve dizer que devemos respeitar todas as culturas - e respeito. O que não significa que consiga respeitar os hábitos que estão enraizados em certas culturas. Tratar as mulheres como lixo não é admissível em lugar nenhum... só gera situações destas. Nojo.

61 comentários:

  1. Completamente macabro! há atitudes que nenhuma religião ou cultura possa a justificar, simplesmente é desumano :(

    ResponderEliminar
  2. Eu bem sei o que fazia a esse monstro, ai sei sei.

    ResponderEliminar
  3. É triste saber que existe gente a morrer por causa da parvoíce de alguém, ninguém nem nenhuma cultura tem o direito a faze-lo.

    ResponderEliminar
  4. Não compreendo estes rituais, não consigo perceber que raio de gente é esta que ainda aplaude de pé. e o pior é que os direitos humanos, as nações unidas não conseguem travar este flagelo. há por aí tanta injustiça
    :/

    ResponderEliminar
  5. Meu Deus! Tanta desgraça... :s repugnante!

    ResponderEliminar
  6. e ele ainda deve ter sido apludido por outras mulheres como já vi eu numa reportGEM
    quando mulheres aplaudem actitudes destas feitas por homens ariscam-se...ou talvez não
    kis :=)

    ResponderEliminar
  7. Que horror! Essas atitudes, hábitos não merecem qualquer respeito!

    ResponderEliminar
  8. Mas onde é que isso é cultura? Isso é barbarie!

    ResponderEliminar
  9. O problema aqui (e em muitos outros sitios) não é o respeitar as diferentes culturas, mas antes o RESPEITO MÚTUO!

    Onde vai parar o mundo :(

    ResponderEliminar
  10. Eu tinha remédio: olho por olho, dente por dente.

    ResponderEliminar
  11. Sinceramente não creio que tenha sido por uma questão de religião, mas sim de ego masculino ferido. Há homens e mulheres ateus ou até mesmo católicos capazes de fazer coisas iguais ou piores. E ainda nos apelidamos nós de Humanos :/

    ResponderEliminar
  12. Realmente isto é de mais para o nosso entendimento, o pior é pensar que lá foi considerado normal pois ela supostamente tinha uma relação extra conjugal.

    ResponderEliminar
  13. Realmente. E é tão monstro quem comete este tipo de crime como quem assiste. Bahhhhhh.

    ResponderEliminar
  14. Os muçulmanos, ou a grande maioria deles são assim e pensam assim, fora que é preciso lembrar que estes são apenas alguns dos casos que chegam a público. Quantos não estão encobertos em regiões remotas?

    E as meninas de 9 e 10 anos que ainda são obrigadas a casar com homens de 30 e 40 anos no Yemen? E a excisão genital em muitos países de subumanos muçulmanos como o Senegal ou a Guiné?

    O mundo continua calado (dizem que é preciso respeitar as culturas diferentes da nossa) e para a comunicação social e todos os esquerdistas e marxistas culturais do mundo, os maus são sempre os do costume, os americanos e os isrealitas, onde estas práticas monstruosas nunca foram feitas. É tudo ao contário!

    ResponderEliminar
  15. Há coisas inadmissiveis,e esta é uma delas,estou perplexa.

    ResponderEliminar
  16. Não me venham falar em culturas e religião para mim essas pessoas nao tem qualquer sentimento pela vida humana.
    Um horror
    Nem os animais fazem algo assim.

    ResponderEliminar
  17. não consigo perceber como isto pode ainda acontecer. Isto é desumano

    ResponderEliminar
  18. Martini Bianco, não conseguiria dizer melhor. Estou farta de ver o mundo a fechar os olhos.

    ResponderEliminar
  19. Ok, agora fiquei mesmo sem saber o que dizer. Sempre me ensinaram a respeitar todas as culturas, mas isto é demais...

    ResponderEliminar
  20. Fora do contexto: Quando vi o título do post pensei em manchete CM!

    On topic: Não acredito em justiça divina, mas acho que me sentia mais confortável se acreditasse. Isto é das coisas mais cruéis que se pode fazer e não percebo mesmo este tipo de mentalidade arcaica que corre no medio oriente.

    ResponderEliminar
  21. É por estas coisas que fico maluca quando me falam sobre a tolerância para com esta religião em particular, que há muita gente boa e que há muita mulher que usa o véu porque quer. É também por isto que acho que o ocidente deveria agir tal e qual como eles, proibindo mesquitas e véus pela Europa fora. Lá pegam fogo às igrejas católicas, por cá constroem-se mesquitas subsidiadas pelo Estado em prol da democracia e liberdade de religião.
    Bárbaros, ignorantes, nunca saíram da idade média, não os posso nem ver.

    ResponderEliminar
  22. Pipoca mais picante, ninguém vê a sua liberdade a ser reduzida por opção. Fico possessa com essa conversa... uma coisa é ser tolerante, outra coisa é aturar idiotices.

    ResponderEliminar

  23. Verdadeiras histórias de "faca e alguidar"!
    A humanidade ainda é tão pouco evoluída... e ainda há selvajaria pelos 4 cantos deste mundo.

    ResponderEliminar
  24. Bem fiquei sem palavras, há culturas que "devemos" respeitar mas isso implicaria achar normal esta forma de tratar as pessoas e isso é inaceitável :/ chocante mesmo.

    ResponderEliminar
  25. Condeno absolutamente este acto, mas como alguém disse atrás, tem mais a ver com ego masculino ferido do que com cultura. Quantas notícias se vêm sobre homens portugueses que assassinaram as suas companheiras ou as deixaram desfiguradas para o resto da vida? Há uns anos atrás era muito comum queimar as vítimas com ácido...

    Por outro lado, acho isto muito racista: "Os muçulmanos, ou a grande maioria deles são assim e pensam assim, fora que é preciso lembrar que estes são apenas alguns dos casos que chegam a público.". Gostava de saber quantos muçulmanos conhece para afirmar uma coisa destas!

    ResponderEliminar
  26. Kitty:

    Fala-te quem já viveu e vive novamente em Londres, que conhece muitos deles, num dos locais mais sobrecarregados por hordas de muçulmanos que têm vindo parar aqui nas últimas décadas.
    Em Tower Hamlets, um dos boroughs da cidade, já se pensa até em aplicar certas leis da Sharia (lei islâmica) porque a zona em questão já contém 80% de muçulmanos, quer-se até legalizar a poligamia para que os muslos possam ter o numero de mulheres que têm lá para além das Arábias. Nas 90 escolas do borough, já só 5 delas servem carne de porco, porque os muslos não comem carne de porco, fora que as alusões ao Natal e outras festividades cristãs europeias foram banidas das mesmas "porque os muçulmanos não se sentiam integrados" (coitadinhos). A isto chama-se Ditadura das Minorias, consentida na Europa mas jamais em outras culturas do mundo. É por isso que alguns sociólogos até referem que a Europa caminha para o Esgoto Civilizacional ao permitir tanta ditadura de minorias.

    Curioso também que muitos deles fogem dos seus países alegando perseguição religiosa, étnica, etc mas depois de obterem asilo na Europa, a primeira coisa que pretendem é aplicar essas mesmas leis na Europa, incluindo as burkas, nikabs e outros penduricalhos alusivos à sua cultura, que não servem para mais nada que não ocultar as marcas da violência deixadas nas suas mulheres.

    É isto e o racismo, para o público em geral, este só existe quando é de branco para negro/outro, pensam que não existe o contrário, mas os muslos são iguais ou piores que os outros, basta recordar que foram os primeiros a escravizar outros povos (negros) há já 2000 anos para cá, muito antes da Era Colonial, mas isso, mais uma vez não interessa e o mau é o europeu, como não poderia deixar de ser.

    Eu poderia continuar a enumerar mais situações, mas deixarei para com quem ache que tem melhor conhecimento sobre esta questão.

    ResponderEliminar
  27. Kitty esse seu comentário é perfeitamente indescritível. Tente saber como é a vida das mulheres no Iemén ou no Paquistão. Aliás, vá lá passar uma temporada, de preferência casada com um desses muçulmanos, a ver se continua a a largar essas pérolas tipo "já lá foi" e "quantos conhece".
    É um facto que os muçulmanos não respeitam os direitos das mulheres, muito mais do que qualquer outra religião. Quer negar isso?
    (e poupem às excepções que há muçulmanos bons, claro que os há, tal como há católicos psicopatas ou hindus assassinos ou ateus violadores)

    ResponderEliminar
  28. desculpa mas isto não é cultura, mas sim falta dela
    nojento msm
    bjs*

    ResponderEliminar
  29. Por isso é que eu gosto de ti, martino bianco. Para além de seres viajado e culto, não tens cá papas na língua.

    ResponderEliminar
  30. Depois do que o Martini Bianco disse pouco mais há a dizer. Em Granada assistem-se situações muito semelhantes, pelas mesmas razões. Tolerância é coisa que essa gente não conhece.

    ResponderEliminar
  31. Esta tudo completamente loucooooo!

    Http://styleloveandsushi.blogspot.com

    ResponderEliminar
  32. Há uns anos vi uma reportagem referente sobre as atrocidades que acontecem nesses paises. Um deles era muito parecido com a diferença que a senhora estava grávida e ficou ainda em "pior" estado porque também ficou cega (para além de ter sido cortado as orelhas, o nariz e a lingua). E o motivo foi o mesmo: SUSPEITA de traição. Mas o mais impressionante é que o filho nasceu bem.
    É dificil de compreender como em pleno século XXI ainda exista culturas assim, em que a mulher não tenham direitos e sejam tratadas abaixo de cão.

    Bjokas

    ResponderEliminar
  33. Martini Bianco, no teu comentário falaste da situação dos muçulmanos em Londres, mas não foste muito específico relativamente à forma como tratam as mulheres. Falaste apenas na questão da "democracia das minorias", que eu também acho mal, mas não é o que se está a discutir aqui.

    Pipoca Mais Picante, afirmação indescritível é dizer que tanto como há católicos "maus", há muçulmanos bons (como se um muçulmano bom fosse a excepção e não a regra...). Isto faz-me lembrar aquela bela frase: "Tanto aperto a mão a um branco como o pescoço a um preto".

    Tentem conhecer um pouco melhor as outras culturas em vez de basearem a vossa opinião em meia dúzia de notícias veiculadas pela comunicação social. Volto a perguntar quantos homens em Portugal não maltratam as suas companheiras de forma tão ou mais cruel do que a que foi retratada nesta notícia.

    Eu percebo o que vocês querem dizer, mas não acho que a "culpa" seja da religião. Leiam a Bíblia e depois venham cá contar-me como as mulheres são caracterizadas e tratadas. O ódio e o "meter tudo no mesmo saco" não nos leva a progresso nenhum.

    ResponderEliminar
  34. Dá arrepios só de imaginar. Simplesmente horrível!

    http://borboletasaltoalto.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  35. Eu não consigo entender, não consigo mesmo perceber o que passa na cabeça dessas pessoas, se por um lado respeito a questão da religião, estas e outras atitudes de uma violência atroz para com as mulheres, são intoleráveis!

    ResponderEliminar
  36. OK Kitty, tem toda a razão, eu vou explicar-lhe como explicaria ao meu sobrinho de 5 anos, então.

    Sabe Kitty? Gente má há em todo o lado, há assassinos e violadores, brancos, pretos, amarelos e encarnados. Podem ser cristãos, ortodoxos, muçulmanos, hindus e judeus. E depois, Kitty, depois também há aqueles que acham normal ter 4 mulheres, cobri-las de negro da cabeça aos pés para elas não tentarem o homem, bater-lhes ou mutila-las se lhes desobedecerem, proibirem coisas básicas como terem um emprego ou conduzirem um carro, ou até mesmo irem à escola. Essa gente gente, chega a casar meninas de 9 e 10 anos com homens de 30 ou 40. Esses homens prometem que esperarão para consumar o casamento até que elas se tornem mulheres e depois violam-nas porque não aguentam ter na sua cama um bebé de 9 anos. Essa gente Kitty, pega fogo a embaixadas porque foi feito um filme onde o seu profeta era difamado. Gente fanática Kitty. E sabe mais uma coisinha Kitty? Essa gente, em 99% dos casos, não é católica, nem judia, nem hindu nem ortodoxa. Essa gente é muçulmana Kitty.
    Percebeu Kitty? Agora vá brincar com as suas Polly's.

    ResponderEliminar
  37. Lol. Ó Pipoca,então 90% dos muçulmanos são maus? Obrigada pelo esclarecimento, Sr.ª Professora! Pode dizer-me onde baseou estas suas estatísticas?

    ResponderEliminar
  38. Kitty, não é nada bonito ler coisas que eu não escrevi. Poderia perguntar-me se a Kitty sabe realmente ler ou se apenas quer desesperadamente provar que tem razão.
    Se quiser continuar esta pequena conversa envie-me um mail. Foi o último comentário que fiz aqui sobre este assunto.
    (desculpe o abuso S*)

    ResponderEliminar
  39. Pipoca mais Picante, eu nessas coisas não me meto porque tenho acompanhado e parece-me que, apesar da discordância, se manteve o respeito de parte a parte. Acho até saudável estas discussões... embora também admite que a cultura muçulmana, quando levada a extremismos, me assuste.

    ResponderEliminar
  40. S*, a mim escandaliza-me o poder que qualquer muçulmano tem sobre as suas mulheres, ainda que decida não o exercer. Porque a questão é mesmo esta, as mulheres que conseguem viver vidas normais e felizes, dependem da boa vontade dos seus pais e maridos, estão sempre numa posição de inferioridade, sujeitas ao temperamento e vontade do sexo masculino. Viver assim é simplesmente aterrador.

    ResponderEliminar
  41. Pipoca mais picante, isso é que é mesmo castrador. :(

    ResponderEliminar
  42. "Kitty, não é nada bonito ler coisas que eu não escrevi."

    O que é que não escreveu? A questão sobre as estatísticas? Eu eu mostro-lhe:

    "Essa gente, em 99% dos casos, não é católica, nem judia, nem hindu nem ortodoxa. Essa gente é muçulmana Kitty."

    E os outros é que são fanáticos?

    Quando é que as pessoas vão entender que isto não é uma questão de religião? Pipoca, faça uma pesquisa séria (sem percentagens inventadas, ok?) por serial killers cristãos ou católicos e depois venha cá dizer qualquer coisinha.

    ResponderEliminar
  43. Kitty,

    Eu tenho lido o festival por aqui abaixo e acho que você não quer é dar o braço a torcer, para que prevaleça de alguma forma a sua opinião muito pouco fundamentada e se eu estou então vejamos:

    - Sabe porque é que as mulheres e as crianças são tratadas daquela maneira nesses países? Porque está escrito no Al Corao.

    - Sabe porque é que a pedofilia e a poligamia são geralmente toleradas nesses países? Porque está escrito no Al Corão, o próprio pedófilo e assassino Maomé, falso deus do paganismo árabe, "desposou" uma menina de 7 anos, reza o Corão, tinha imensas mulheres e ainda prometia 100 virgens no Céu para todos os homens que morressem a acreditar e a defender o Islão contra os "infieis cristãos". Maomé esqueceu-se dos direitos das mulheres mas parece que hoje em dia ainda há quem defenda os seguidores dessa seita que ficou parada no século VII e que vai estendendo os seus tentáculos na Europa e em todo o Ocidente, via emigração.
    No passado os colonialistas europeus reinavam em outros continentes mas eram poucos e sobretudo a elite, já hoje em dia a imigração muçulmana ataca na base da pirâmide, via hordas de clandestinos e parideiras islâmicas que têm que ter 6 ou 8 filhos para irem fazendo crescer o spread numérico na Europa ao ponto da França e a Belgica terem que proibir a Burka e certas vestes na Europa, porque a Europa ainda é um local de paz, de liberdade e garantias, coisas essas que são opostas ao que defende o Islão. Ano passado em Londres o nome mais dado a bebés nascidos foi Mohammad, é um indicio do que virá aí se nada for feito.

    No passado tivemos as Cruzadas que livraram a Europa dos alógenos muçulmanos mas hoje já não as temos e espero que quem tanto os defende um dia não se arrependa disso ou então que opte ir viver para lá segundo aqueles "costumes". Creio que a Kitty iria sofrer imenso.

    Curioso também que se uma mulher ocidental for para o Paquistão, Afeganistão ou outro qualquer Merdistão tem que andar toda tapada para respeitar a cultura local, já na Europa as assombrações de negro e cara tapada podem andar como querem, inclusive trabalhar assim, como se vê aqui em Londres, mesmo que isso desgoste a maioria cultural deste continente.

    Eu falo assim porque há já muito tempo que deixei de lado o "politicamente correcto" que envenena as mentalidades, a politica social e as "ditaduras das minorias" que para mim são as mais perigosas e penso de acordo com o que vejo, leio e raciocino, para além de ao contrário da Kitty, eu ter o azar de viver perto desses alógenos e a Kitty não.

    ResponderEliminar
  44. Martini,

    Nunca disse que as mulheres nesses países eram bem tratadas. Leia o que foi escrito por mim, se faz favor, logo no meu primeiro comentário:

    «Condeno absolutamente este acto, mas como alguém disse atrás, tem mais a ver com ego masculino ferido do que com cultura. Quantas notícias se vêm sobre homens portugueses que assassinaram as suas companheiras ou as deixaram desfiguradas para o resto da vida? Há uns anos atrás era muito comum queimar as vítimas com ácido...

    Por outro lado, acho isto muito racista: "Os muçulmanos, ou a grande maioria deles são assim e pensam assim, fora que é preciso lembrar que estes são apenas alguns dos casos que chegam a público."»

    Mantenho a minha opinião de que o comentário é racista. Por acaso estamos a falar de muçulmanos, por isso ninguém acha estranho; mas se eu vivesse na Cova da Moura e escrevesse um comentário a falar mal dos negros e a dizer que "eles são TODOS assim", de certeza que toda a gente me caía em cima...

    O que eu disse é que isto não tem assim tanto a ver com a religião. A poligamia é ainda aceite em certas seitas cristãs. A pedofilia... bem, basta lembrar o escândalo dos padres pedófilos, que pelos vistos eram mais que muitos. E os direitos da mulher? A mulher, ainda hoje, é vista pelo cristianismo como um ser inferior. Os preconceitos duram até hoje, não pensem que lá por termos evoluído um pouco, as mulheres no mundo ocidental têm o mesmo estatuto dos homens. Não têm. Eu sinto discriminação na pele TODOS OS DIAS. De referir que fui criada como católica e vivo numa sociedade de fortes influências católicas/cristãs.

    Enquanto apenas apontarmos o dedo aos outros, vamos-nos esquecer dos nossos próprios defeitos e do longo caminho que ainda temos a percorrer. Com que autoridade criticamos os "outros" quando em Portugal ainda aparecem notícias destas?

    http://www.ionline.pt/portugal/vitimas-violencia-domestica-culpadas-tribunal

    Quanto ao Corão, nunca o li, mas já li a Bíblia e está repleta de passagens como aquela em que Ló oferece as suas duas filhas virgens aos somomitas. Para quem não sabe, a Bíblia é o livro sagrado dos católicos...

    Só para terminar o post, que já vai longo, sou contra o uso de burkas.

    ResponderEliminar
  45. Kitty

    A sua resposta representa exatamente o "politicamente correcto" a funcionar e isso é muito perigoso! Tal como a violência doméstica acontece em portugal, também acontece nos países mais evoluidos, na Suiça, na Austrália, na Noruega, existe também ao contrário, a violencia da mulher sobre o homem (tenho um casal de vizinhos assim) mas isso não é falado pois como sabe, isso "não vende".

    A sua resposta lembrou aquelas discussões familiares em que as pessoas se insultam em casa mas na rua aparentam o ser muito felizes e a prova disso é usar a igreja e os padres para justificar abusos sexuais, etc. Se for um professor a abusar de uma criança ninguém coloca o Ensino em causa, se for um cientista a abusar de uma criança ninguém coloca a Ciencia em questão, se for um medico a abusar de uma criança ninguém coloca a medicina em causa, já se for um padre a abusar de uma criança, já alguns gostam de colocar a Igreja em causa. Já viu o quanto é incongruente?

    Eu nem me considero católico mas sempre ouvi o Papa a condenar veementemente os padres que estavam envolvidos em casos desses e a exigir a sua condenação, mas agora pergunto-lhe: Já ouviu algum imã ou sheik muçulmano ou um qualquer político islâmico a condenar publicamente a violência sobre as mulheres e as meninas de 8 anos que são violadas via casamento, nesses países? Nunca ouviu nem vai ouvir.. faz parte do que diz o Corão e depois porque muita gente no Ocidente gosta de ser "moralista" só na sua própria casa, já o resto do mundo de nada lhes interessa, ne?
    O paralelo que faz sobre os negros não faz sentido, pois eu nunca usei o termo TODOS em nenhum comentário meu, alem disso os portugueses não são racistas por natureza e a prova disso é se for ao CC Colombo, o local mais multiculturalista do país e ver a quantidade de portuguesas com negros de mão dada. Vai dizer que elas namoram com eles por ser uma atitude anti-discriminação ou que é por pena deles?!
    Diz que é discriminada todos os dias? Poderia dar exemplos? Se a mulher é vista como inferior no cristianismo é uma generalização que está a fazer, já eu que defendo os direitos da mulher até digo que as mulheres é que deveriam ser padres e não os homens, já viu? Era muito menos pedofilia e filhos bastardos no mundo e veriamos como as mulheres se portariam com um encargo daqueles, mas parece que elas também não lidariam bem com o sacrificio do Celibato, portanto...

    Aconselho-lhe a ler o Corão, especialmente as partes que referem a mulher como inferior ao homem, um agente reprodutivo e pouco mais. Como o livro é longo envio-lhe isto http://www.answering-islam.org/portugues/mulheres/10mulheres.html que sucinta as passagens mais dolorosas para as mulheres e se isso não lhe bastar, sugiro-lhe que guarde uns trocos e visite um dia o Paquistão, a Arabia Saudita, o Irão ou um desses merdistões quaisquer e confirme com os seus próprios olhos o que ali se passa antes de criticar aquilo que vê em Portugal e na Europa, pois aos seus olhos parece-lhe que a Europa é que é um cativeiro para as mulheres. Abra os seus horizontes e aventure-se por essas paragens mas aconselho-lhe: Não vá sozinha.

    ResponderEliminar
  46. Martini,

    «A sua resposta representa exatamente o "politicamente correcto" a funcionar e isso é muito perigoso!»
    Não, Martini. Não estou preocupada com o "politicamente correcto", muito pelo contrário. Os meus comentários apenas expõem a minha opinião. Se a mesma não lhe agrada, paciência, não sou obrigada a estar de acordo consigo.

    « existe também ao contrário, a violencia da mulher sobre o homem (tenho um casal de vizinhos assim) mas isso não é falado pois como sabe, isso "não vende".»
    Creio que até vende, não há é muitos homens dispostos a assumirem-se como vítimas. O sexismo funciona para os dois lados e prejudica toda a gente, não só as mulheres. Depois os homens sofrem violência e não ousam queixar-se, poir "um homem não chora".

    «A sua resposta lembrou aquelas discussões familiares em que as pessoas se insultam em casa mas na rua aparentam o ser muito felizes»
    Não entendi...

    «e a prova disso é usar a igreja e os padres para justificar abusos sexuais, etc.»
    Desculpe? JUSTIFICAR abusos sexuais? Calma aí em acusar-me de "justificar" algo tão grave e que condeno vivamente.

    «Se for um professor a abusar de uma criança ninguém coloca o Ensino em causa, se for um cientista a abusar de uma criança ninguém coloca a Ciencia em questão, se for um medico a abusar de uma criança ninguém coloca a medicina em causa, já se for um padre a abusar de uma criança, já alguns gostam de colocar a Igreja em causa.»
    É que os professores, os médicos e os cientistas não andam por aí a apregoar que a pedofilia e em particular a homossexualidade são pecado. Entende? Falso moralismo e hipocrisia. Mas eu é que sou incongruente... ok.

    «Eu nem me considero católico mas sempre ouvi o Papa a condenar veementemente os padres que estavam envolvidos em casos desses e a exigir a sua condenação»
    Que bom é o Papa! Sabe quantas pessoas morrem todos os dias de SIDA e de outras doenças porque o Papa acha que usar preservativo é pecado?

    ResponderEliminar
  47. «Já ouviu algum imã ou sheik muçulmano ou um qualquer político islâmico a condenar publicamente a violência sobre as mulheres e as meninas de 8 anos que são violadas via casamento, nesses países? Nunca ouviu nem vai ouvir..»
    Neste aspecto tem razão. Nunca ouvi. E o Martini, já ouviu um juiz português a dizer a uma criança que foi violada que a culpa era dela, porque tinha facilitado o comportamento do agressor? Eu já...

    «faz parte do que diz o Corão e depois porque muita gente no Ocidente gosta de ser "moralista" só na sua própria casa, já o resto do mundo de nada lhes interessa, ne?»
    FALSO, o resto do mundo interessa-me sim, simplesmente não sou inocente (nem hipócrita) o suficiente para andar aqui a condenar outros povos, quando no meu país acontecem todos os dias coisas semelhantes.

    «eu nunca usei o termo TODOS em nenhum comentário meu»
    Passo a citar: "Os muçulmanos, ou a grande maioria deles são assim e pensam assim".

    «alem disso os portugueses não são racistas por natureza»
    Nem vou comentar isto, de tão estúpido que é.


    «Diz que é discriminada todos os dias? Poderia dar exemplos?»
    De tudo o que escreveu, este é o comentário que mais me ofende e que revela tudo aquilo que tenho estado a tentar explicar. O Martini pensa que as mulheres ocidentais não sofrem discriminações, que isso só acontece nos países muçulmanos, não é assim? Então vou-lhe dar alguns exemplos das discriminações que uma mulher europeia sofre quotidianamente (não estou em Portugal):
    - Nas entrevistas de emprego, as primeiras perguntas que me fazem são se sou casada e se tenho filhos. Só depois me perguntam sobre as minhas habilitações e experiência. Acha normal? Ao Martini já alguém lhe perguntou isto?
    - No trabalho, diariamente, sou obrigada a levar com os comentários machistas de um colega que nem se preocupa em disfarçar que, na opinião dele, as mulheres nem deveriam trabalhar.
    - É-me difícil conseguir simplesmente estar num café ou até sair à rua sem ser assediada, e não é por ser muito boa. É porque os homens, desde cedo, são ensinados a tratar assim as mulheres. Quando digo assediada, refiro-me a olhares lascivos e bocas porcas.

    «Se a mulher é vista como inferior no cristianismo é uma generalização que está a fazer»
    Se a mulher é vista como inferior no Islamismo, é uma generalização que está a fazer...

    «e veriamos como as mulheres se portariam com um encargo daqueles»
    Também sem comentários.

    «Como o livro é longo envio-lhe isto http://www.answering-islam.org/portugues/mulheres/10mulheres.html»
    Olhe, mas já leu a Bíblia? Como lhe devem pesar muito os livros, sigo o seu exemplo e mando-lhe um link onde pode passear os seus olhos, se quiser saber mais sobre aquilo que defende:
    http://feminismonarede.blogspot.pt/2009/06/machismo-biblico.html

    Está-me a mandar a mim ler o Al Corão, quem lhe diz que já não li? O link que me enviou NÃO É o Al Corão, é um site feito por cristãos, unicamente destinado a desacreditar a religião dos outros. Parecem aqueles partidos políticos que se limitam a dizer mal dos outros partidos, mas que se esquecem de "limpar a sua própria casa", digamos assim.

    «visite um dia o Paquistão, a Arabia Saudita, o Irão ou um desses merdistões quaisquer»
    Volto a dizer-lhe que nunca disse que as mulheres nesses países eram bem tratadas, disse sim:
    1º - Que na nossa sociedade ainda há muito a fazer, por isso não adianta ser hipócrita e fingir que somos muito tolerantes;
    2 º - Que o seu comentário "os muçulmanos são assim" é RACISTA e que nem toda as as pessoas são iguais.

    «pois aos seus olhos parece-lhe que a Europa é que é um cativeiro para as mulheres.»
    E é.

    ResponderEliminar
  48. «Já ouviu algum imã ou sheik muçulmano ou um qualquer político islâmico a condenar publicamente a violência sobre as mulheres e as meninas de 8 anos que são violadas via casamento, nesses países? Nunca ouviu nem vai ouvir..»
    Neste aspecto tem razão. Nunca ouvi. E o Martini, já ouviu um juiz português a dizer a uma criança que foi violada que a culpa era dela, porque tinha facilitado o comportamento do agressor? Eu já...

    «faz parte do que diz o Corão e depois porque muita gente no Ocidente gosta de ser "moralista" só na sua própria casa, já o resto do mundo de nada lhes interessa, ne?»
    FALSO, o resto do mundo interessa-me sim, simplesmente não sou inocente (nem hipócrita) o suficiente para andar aqui a condenar outros povos, quando no meu país acontecem todos os dias coisas semelhantes.

    «eu nunca usei o termo TODOS em nenhum comentário meu»
    Passo a citar: "Os muçulmanos, ou a grande maioria deles são assim e pensam assim".

    «alem disso os portugueses não são racistas por natureza»
    Nem vou comentar isto, de tão estúpido que é.


    «Diz que é discriminada todos os dias? Poderia dar exemplos?»
    De tudo o que escreveu, este é o comentário que mais me ofende e que revela tudo aquilo que tenho estado a tentar explicar. O Martini pensa que as mulheres ocidentais não sofrem discriminações, que isso só acontece nos países muçulmanos, não é assim? Então vou-lhe dar alguns exemplos das discriminações que uma mulher europeia sofre quotidianamente (não estou em Portugal):
    - Nas entrevistas de emprego, as primeiras perguntas que me fazem são se sou casada e se tenho filhos. Só depois me perguntam sobre as minhas habilitações e experiência. Acha normal? Ao Martini já alguém lhe perguntou isto?
    - No trabalho, diariamente, sou obrigada a levar com os comentários machistas de um colega que nem se preocupa em disfarçar que, na opinião dele, as mulheres nem deveriam trabalhar.
    - É-me difícil conseguir simplesmente estar num café ou até sair à rua sem ser assediada, e não é por ser muito boa. É porque os homens, desde cedo, são ensinados a tratar assim as mulheres. Quando digo assediada, refiro-me a olhares lascivos e bocas porcas.

    «Se a mulher é vista como inferior no cristianismo é uma generalização que está a fazer»
    Se a mulher é vista como inferior no Islamismo, é uma generalização que está a fazer...

    «e veriamos como as mulheres se portariam com um encargo daqueles»
    Também sem comentários.

    «Como o livro é longo envio-lhe isto http://www.answering-islam.org/portugues/mulheres/10mulheres.html»
    Olhe, mas já leu a Bíblia? Como lhe devem pesar muito os livros, sigo o seu exemplo e mando-lhe um link onde pode passear os seus olhos, se quiser saber mais sobre aquilo que defende:
    http://feminismonarede.blogspot.pt/2009/06/machismo-biblico.html

    Está-me a mandar a mim ler o Al Corão, quem lhe diz que já não li? O link que me enviou NÃO É o Al Corão, é um site feito por cristãos, unicamente destinado a desacreditar a religião dos outros. Parecem aqueles partidos políticos que se limitam a dizer mal dos outros partidos, mas que se esquecem de "limpar a sua própria casa", digamos assim.

    «visite um dia o Paquistão, a Arabia Saudita, o Irão ou um desses merdistões quaisquer»
    Volto a dizer-lhe que nunca disse que as mulheres nesses países eram bem tratadas, disse sim:
    1º - Que na nossa sociedade ainda há muito a fazer, por isso não adianta ser hipócrita e fingir que somos muito tolerantes;
    2 º - Que o seu comentário "os muçulmanos são assim" é RACISTA e que nem toda as as pessoas são iguais.

    «pois aos seus olhos parece-lhe que a Europa é que é um cativeiro para as mulheres.»
    E é.

    ResponderEliminar
  49. Kitty,

    Depois do link que me enviou, se dúvidas houvessem, já não existem, caiu-lhe a máscara. Afinal temos aqui uma feminista.

    Curioso que diz que o link que lhe enviei é parcial porque é escrito por cristãos e envia-me um link de um blogue feminista... que deve ser bastante imparcial :)

    Eu luto contra as forças da Nova Ordem e contra o marxismo-cultural todos os dias e dentro dessa Nova Ordem o feminismo está lá incluido. Naturalmente que luto contra essa gente também, sempre respeitando as opiniões diferentes da minha. Eu sou um defensor dos direitos da Mulher, mas não do Feminismo e dos Mandamentos da Bíblia Feminista (MBF), que não passa do antónimo do Machismo, camuflado pela bandeira da "igualdade". Ler: http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/01/quando-igualdade-ja-nao-interessa.html

    O feminismo é uma ideologia política perigosa que, em contraponto com o machismo apenas representa a mudança do OPRESSOR, nada mais. Eu defendo a igualdade, não a troca do opressor por isso jamais cairia nas falacias das feministas, que no fundo nao querem igualdade alguma, querem sim, tratamento preferencial. Ler: http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/07/feministas-querem-tratamento.html

    A maioria das "feministas" que conheço padecem dos piores defeitos que encontro em qq mulher, são eles a arrogância e a agressividade gratuita. Não são regra geral mulheres felizes, são reaccionárias e insatisfeitas e tudo o que representa de certa forma o "contra-natura" elas estão lá a dizer "presente". Muitas não conseguem sequer lidar bem com a sua própria natureza feminina e revoltam-se. Não quero com isto dizer que é o seu caso, pois não tenho dados suficientes para concluir isso.

    "É-me difícil conseguir simplesmente estar num café ou até sair à rua sem ser assediada, e não é por ser muito boa. É porque os homens, desde cedo, são ensinados a tratar assim as mulheres. Quando digo assediada, refiro-me a olhares lascivos e bocas porcas."

    Admito que isso possa incomodar muitas mulheres e eu garanto-lhe que nunca agi assim, mas não se esqueça que isso tb varia de mulher para mulher. Por exemplo, quando volto a Lisboa e saio com um grupo de amigos e amigas próximos, algumas delas, sobretudo as encalhadas por vezes lamentam-se que ninguém olhou para elas durante a noite, mesmo que se tenham produzido a valer. Até a minha namorada já me confessou que não se importa com olhares e bocas desde que se respeitem certos limites. na medida certa, disse-me um dia até lhe aumenta a auto-estima. Dizer que isso é uma discriminação para a MULHER no seu todo é a mesma falácia daquelas mulheres que dizem que os "homens são todos iguais".

    Quando refere que os homens têm vergonha de denunciar casos de violencia doméstica tem toda a razao e essa é uma prova de que esta sociedade "patriarcal" também prejudica os homens, cada vez mais. Dar-lhe-ei alguns exemplos da discriminação ao homem. A média das penas de prisão para mulheres é de 5.4 anos, já a dos homens ronda os 8.8 anos em crimes semelhantes, dizia um relatório do MJ do ano passado. Como se explica esta diferença?
    Em cada dez casos de partilha de filhos em tribunal, 9 ficam à guarda da mãe, mesmo que esta ganhe menos e ofereça menos condições económicas para sustentá-los, excusado será dizer que se foram a tribunal é porque ambos manifestaram vontade de ficar com a sua guarda. Certamente que estes dois casos que lhe dei nunca figurarão nos Mandamentos da Biblia Feminista (MBF) que você deve seguir. Dou-lhe ainda mais um exemplo, que aconteceu indirectamente comigo. Já trabalhei no Casino Estoril e sempre que era preciso contratar empregados de mesa colocavam anúncios respeitando o (M/F) que está previsto na lei, mas estranhamente às mesas só eram escolhidas moçoilas lindas (muitas ucranianas) e com belos corpos. Cheguei a me perguntar o pq de colocarem nos anúncios o M/F (e concorriam muitos homens com experiencia de servir à mesa) de tao discriminatório que aquilo era, mas depois desisti.

    ResponderEliminar
  50. "É que os professores, os médicos e os cientistas não andam por aí a apregoar que a pedofilia e em particular a homossexualidade são pecado. Entende? Falso moralismo e hipocrisia. Mas eu é que sou incongruente... ok."

    Estou estupefacto com a sua resposta. O que quis dizer com isto? Que a pedofilia deveria ser legalizada? Não é um pecado? Não é um crime? Enfim o mundo deve ter endoidecido e eu parei no tempo, e mesmo não sendo contra o casamento gay (não me aquece nem me arrefece) tenho algumas reservas em relação a isso simplesmente porque após essa decisão alguém ainda se porá a frente para legalizar no futuro a pedofilia e o incesto, só para não haver "discriminação" e já se sabe que isso é anti-constitucional e por sê-lo pode conduzir á legalização do mais variado tipo de aberrações (pedofilia, incesto, etc).

    "Que bom é o Papa! Sabe quantas pessoas morrem todos os dias de SIDA e de outras doenças porque o Papa acha que usar preservativo é pecado?"

    Não tenho nada a favor nem contra o Papa mas se você percebe alguma coisa de religião ficará a saber que a Igreja não é uma Democracia - ou se está com ela e se a aceita ou se está contra ela e não se a aceita. A maioria das pessoas prefere o comodismo da coisa e manifesta-se contra ela como é o seu caso. Tornou-se uma atitude trendy, uma moda, e eu cada vez vou menos em modas.

    A Sida? Vá lá dizer para Africa para eles colocarem o preservativo e aguarde pelas respostas. É uma questão cultural e educacional, bem mais que uma atitude religiosa. Engraçado também que o papa insurge-se contra o preservativo mas já não diz nada sobre a pílula. Será ele um feminista?

    «alem disso os portugueses não são racistas por natureza»
    Nem vou comentar isto, de tão estúpido que é."
    Estúpida é a sua resposta por falta de conhecimento ou comparação. Vá a Polónia, vá a Hungria, vá a Lituania (já estive nos três) e ai verá quem são os verdadeiros racistas. São-no declaradamente e inclusive até para com os do sul da Europa. Lá voce dificilmente verá casais mistos. Em Portugal nunca vi nada disso, bem pelo contrário. Talvez nao interesse aos MBF mas tente ver o contrário que acontece Africa do Sul, onde só mudou o opressor e os sul africanos brancos são assassinados por tuta e meia aos milhares todos os anos, mas já sa sabe que esse racismo "não vende", quando o racismo é ao contrário deixa de ser divulgado e transforma-se em "acerto histórico", ou seja se o racismo for de negro/outro contra o branco já ninguém quer saber, inclusive a comunicação social esquerdista que farta-se de encobrir casos desses.

    «e veriamos como as mulheres se portariam com um encargo daqueles»
    Também sem comentários."
    Resposta fraquinha. O celibato não deve ser nada fácil, portanto elas não se insurgem contra o facto de não poderem ser padres nem isso deve constar nos MBF.

    Voce num comentario anterior afirmou que nunca tinha lido o Corão, agora já leu?! Não caia na contradição.

    Não sei o que você ganha em defender tanto os "outros" em vez dos "seus", embora eu saiba que isso faz parte da dialética dos marxistas-culturais e dos Mandamentos da Bíblia Feminista. Que lhe tragam bons frutos, é o que lhe desejo.

    Eu luto contra isso tudo, faço parte claro, de uma minoria e você é parte da maioria, mas mesmo assim não desistirei e continuarei a alertar quem me lê para estas verdades inconvenientes que enunciei.

    ResponderEliminar
  51. Leitura complementar, noticia fresquinha de ontem de um jornal que até é esquerdista, o Publico: http://www.publico.pt/Mundo/paquistaneses-atiram-acido-para-filha-que-viram-com-um-rapaz-1569810

    Continue pois a defender esses "coitadinhos" e todos os "outros" coitadinhos da sociedade. Eles merecem esse apoio!

    ResponderEliminar
  52. Não me esqueci deste post. Em resposta ao chorrilho de disparates que o sr. Martini Bianco escreveu, deixo um vídeo interessante:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qaW9GzNts-A

    Mulheres ocidentais e cristãs a defenderem a submissão da mulher ao marido. Sim, também há mulheres machistas. E aqui ficam as deprimentes declarações de meia dúzia delas, para provar o sexismo não é um exclusivo da religião muçulmana (antes fosse). O discurso vai ao ponto de enumerarem os "perigos" da mulher aceder à educação superior.

    ResponderEliminar