sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Dos animais que são como família

Eu bem sei que este vai ser um post polémico, aviso já.

Os sentimentos não se explicam, sentem-se. Vai daí, assim como eu respeito quem vê os animais como apenas isso, animais, também acho que mereço respeito por sentir os meus animais como parte da família. Não acho que isso seja nada de mal, pelo que me custa quando leio por aí opiniões que tratam os amantes de animais como verdadeiros atrasadinhos mentais obcecados pelos bichos.

Eu amo os meus bichos. Gosto mais deles do que gosto de alguns familiares. Fazem-me mais falta do que me fariam alguns familiares. Isto não significa, obviamente, que ache um animal mais importante do que uma pessoa - apenas, para mim, os meus bichos são importantes.

As minhas gatas, por exemplo, são a minha companhia. Passo horas com elas. Dormem comigo (sim, choquem-se, dormem comigo). Falo imenso com elas, conto-lhes coisas. Bem sei que elas não respondem... mas engana-se quem pensa que os bichos não nos sabem amar. Quando estou triste, elas lá arranjam uma forma de perceber que estou triste e passam todo o tempo à minha volta. Coisas de bicho.

Tive dois gatos realmente especiais: o Biscoito e o Tobias.

Fui eu que descobri o Biscoito com apenas uma semana de vida. Alimentamos o pobre bicho a biberão. Cresceu connosco. Vivia no bolso do avental da minha mãe e saía connosco para todo o lado. Ia ao videoclube connosco, escolher o filme de Sábado à noite. Chegou a andar comigo e com a minha irmã de autocarro. Era um gato verdadeiramente especial. Numa altura em que um membro da família passou uma fase muito muito má, o veterinário diagnosticou-lhe uma depressão. Sim, ao gato. O gato estava triste por ver o familiar triste. Perdemos o Biscoito envenenado com veneno de ratos. Ainda hoje, passados quase 3 anos, ele nos faz falta.

Depois o Tobias, que vivia nas traseiras do nosso prédio mas a quem eu abri a janela numa tarde de muita chuva. Nunca mais saiu. Passava a vida a ronronar, era muito agradecido. Espirrava muito, sinais de dois anos a viver na rua... e todas as noites dormia na minha almofada. O focinho dele num lado, o meu rosto no outro. Perdemos o Tobias por causa de problemas urinários.

Não obrigo ninguém a gostar dos bichos como eu gosto. Mas também não gosto quando leio críticas a quem gosta supostamente demasiado dos bichos. O amor é sempre amor. O amor nunca é demasiado.

71 comentários:

  1. Eu não tenho animais, mas adoro-os e respeito-os na mesma! Não acho nada estranho que durmas com eles e que os adores! :))

    xx

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito deste teu post S*. Revela uma profundidade emocional muito grande, e é como dizes: o amor nunca é demais ;)

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Em minha casa não temos animais pois passariam demasiado tempo sózinhos embora sejamos muitos na maioria das vezes não há ninguém todo dia em casa.
    Concordo contigo e o amor dum animal é incondicional, ele vai gostar sempre do dono.

    ResponderEliminar
  4. Eu vinha comentar aqui e acabei por escrever um testamento... Não o vou meter aqui e vou publica-lo no meu blog, com link para o teu.

    O que me chateia mais é que perante a lei os animais sejam o mesmo que uma mesa, e é o que adianto aqui.

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito deste post S*. Eu tive uma cadela que foi como uma irmã para mim. E eu não estive ao lado dela quando morreu. Ainda hoje, passados 4 anos, quando penso nisso deixo cair algumas lágrimas.

    ResponderEliminar
  6. Quando o Sr.Gato morreu, isto há mais de uma década, chorei que nem uma perdida.

    ResponderEliminar
  7. o meu pai diz sempre «gosto muito mais do meu gato do que de muitas pessoas» ... e é bem verdade :)

    ResponderEliminar
  8. Revejo-me perfeitamente na tuas palavras...percebi o que os gatos sentima no dia em que chorava convulsivamente e a minha gata Micas (a que tinha na altura e desapareceu) neesticou no meu colo e me começou a lamber as lágrimas. Quando estou em casa anda sempre aninhada em mim!

    ResponderEliminar
  9. Aco que o teu post se resumia apenas com a última frase. Sente deste lado o mesmo sentimento de alguém que sempre viveu com gatos e gosta mais destes pequenos seres do que dealgumas pessoas da família.

    ResponderEliminar
  10. Eu gosto dos animais em geral mas os meus preferidos são os gatos. Sempre convivi com gatos de rua, que andavam nos quintais do meu bairro. Eu dáva-lhes comida e deixava entrar em casa.
    Tenho um gato que vive connosco em casa.
    Era incapaz de fazer mal a um animal e quando vejo algum gato na rua só me apetece levá-lo para casa.
    Mas há coisas que as pessoas fazem aos bichos que acho demais. Deixam de ser animais para ficarem mais parecidos com pessoas.

    ResponderEliminar
  11. Ora bem...
    Eu gosto dos animais...acho-os..."sinceros dedicados e fieis"
    Confesso que nunca fui muito agarrada a eles mas convivi de perto e ainda convivo com amores assim....
    Quem sou eu para julgar??
    Beijinhos e nao ligues

    ResponderEliminar
  12. Surpreende-me mais que todas as pessoas que têm um animal de estimação não pensem assim do que muita gente como tu e como eu. Afinal ninguém obriga ninguém a ter um bicho peludo em casa, portanto só resta gostar mesmo muito, digo eu... E se toda a gente pensasse assim não havia por aí cães e gatos nas ruas como vejo todos os dias, mas isso agora dava pano para mangas.

    Tenho amigos que me olham de lado quando digo que a minha gata dorme comigo e que lhe dou beijinhos, que sinto saudades dela e que só lhe falta mesmo falar. Só quem os tem é que percebe.

    ResponderEliminar
  13. Percebo e concordo totalmente. Tive uma gata que morreu no meu braço, tinha um tumor, e naquela manhã acordei com ela a morrer no meu braço! Hoje th dois muito especiais, e o mais agradecido de todos é o cão que adoptamos há um ano

    ResponderEliminar
  14. Não me choca e compreendo. A minha mana do meio dorme com um são bernardo e duas gatas ao pé, todos são a família feliz, há uns meses quando o outro cão, que diziam potencialmente perigoso, um pitbull faleceu devido a problemas de estômago, os bichos sentiram tanto a sua falta... ainda há uns tempos a minha mana encontrou um brinquedo dele e os outros companheiros sentiram.
    A minha mana ainda está a tentar recompor-se, é que existem laços que mesmo invisíveis são muito fortes.
    Os que não sabem o que é isso é melhor não dar importância, desprezo.
    Abraço enorme para ti e para os teus gatos!!!

    ResponderEliminar
  15. o amor é muitas vezes demasiado e não me refiro aos animais.

    ResponderEliminar
  16. Que gente ignorante e intolerante. Eu amo os animais acima de muita gente. Porque há muita gente má, que não me faz bem e que não me diz, absolutamente, nada. Gosto tanto deles, que tenho alguns em casa. Adoptados. E gosto tanto, tanto que sou vegetariana há anos e faço disso o meu maior orgulho. E sim, eles são bem mais sensitivos do que nós. Se eu estiver triste, eles não saem da minha beira. :)

    ResponderEliminar
  17. Anónimo das 22:40, e quando assim é, ainda será amor? A obsessão confunde-se muito com o amor.

    ResponderEliminar
  18. Fico feliz em ler tantos leitores amigos dos bichos.

    ResponderEliminar
  19. Os animais são melhores pessoas que alguns humanos que por aí andam. Mas eu gosto de cães.

    ResponderEliminar
  20. Percebo o que dizes. Também tenho animais e gosto muito deles. Falo com os meus gatos, dou-lhe toda a atenção que posso. Não dormem comigo porque tenho problemas respiratorios e porque o meu quarto é o meu espaço e não o considero local apropriado para os bichos (há coisas que se partem, etc). Trato-os bastante bem, jamais lhe farei mal, mas sei que são animais e não pessoas. Por isso, tambem nao percebo as pessoas que humanizam os animais, que os passeiam dentro de malinhas, que os vestem, que lhes fazem tudo e mais alguma coisa... para mim isso não é tratar bem os bichos, pois não é disso que eles precisam. Os meus cães vivem na rua (pq vivo numa aldeia e tenho espaço) e, ao contrario do que toda a gente julga, não sao infelizes por dormirem numa casota e não dentro de casa. Como em tudo na vida é preciso um equilibrio. Eu amo os meus animais, mas trato-os como tal e nao como pessoas. É esta a minha forma dos amar, e como tu dizes isso é o mais importante!

    Ana

    ResponderEliminar
  21. Ana, gostei desse teu exemplo. Não humanizo os bichos, sei que são bichos, e por acaso também não acho graça nenhuma a quem pinta o pêlo dos cães, os veste e tudo. Uma coisa é uma camisolinha para os cães que têm de ir fazer xixi quando as temperaturas são baixas, se calhar até uma daquelas capinhas para a chuva... agora vesti-los de forma amaricada, com penteados e tal... bom, eu não gosto. Os bichos não precisam disso.

    Quem me dera a mim ter uma quinta, as minhas gatas adorariam andar soltas. Na casa da minha avó existem cerca de 20 gatos e só entram na cozinha, têm um quintal enorme. E acho que os bichos são felizes em liberdade, embora também ache que bichos que vivem em casas e apartamentos podem ser perfeitamente felizes se os donos os souberem cuidar. :)

    ResponderEliminar
  22. Pipoca mais picante, verdade verdadeira.

    ResponderEliminar
  23. Concordo contigo, e na minha opinião, só diz essas coisas quem nunca teve um animal de estimação. Um de verdade.
    Também tive um cãozinho que morreu envenenado e todos os dias olho para uma fotografia que tenho com ele e lhe sinto a falta, apesar de na altura só ter 5 anos, lembro-me de chorar até adormecer quando soube que nunca mais o ia ver.

    ResponderEliminar
  24. Eu já tive um gatinho e tal como eu toda a gente cá de casa tinha um grande amor por ele, infelizmente roubaram-mo. E acredita que foi uma grande tristeza cá em casa, passamos semanas a fio a tentar encontrá-lo mas em vão. A partir daí optamos por não ter outro, talvez por medo de suceder o mesmo :S
    Mas também tenho um cão que já me acompanha há 15 aninhos, tadinho já está velhinho mas continua a ser uma grande companhia e todos os dias quando chego a casa dá-me sempre uma patinha ou atira-se a mim ;)

    ResponderEliminar
  25. Concordo plenamente contigo. Só acho que não conseguia dormir com animais na cama, mas percebo-te perfeitamente, o meu irmão e cunhada dormem com o cão, não me choca só acho que isso não faria, e vai daí...quem sabe!..
    beijocas

    ResponderEliminar
  26. Amo os meus animais, dormem comigo, sao mt especiais, falo com eles e vice-versa. Comunicamos de verdade. Sao mais importantes que as pessoas, porque estao sempre comigo e sao sempre fofos. Amor incondicional. The end. Achem-me estranha. Cada vez que penso que os vou perder, começo a chorar, porque fazem mais parte da minha vida do que a maioria das pessoas.

    ResponderEliminar
  27. Concordo. O meu gato é um filho para mim e não estou a exagerar. Só lamento que nem todas as crianças recebam tanto amor.

    ResponderEliminar
  28. Os animais valem mais que algumas pessoas. E sou como tu...gosto mais do meu cão do que alguns familiares meus. E aqui em casa ele para os pais é o filho mais novo para nós o irmão.
    Tens todo o meu respeito por demonstrares assim a essência do amor que tens pelos teus bichos. Prefiro passar um dia entre os animais do abrigo que muitas vezes entre algumas pessoas lá eu sei que eles precisam de mim e são amigos verdadeiros

    ResponderEliminar
  29. Tenho uma opinião muito semelhante à sua!

    ResponderEliminar
  30. Amén querida S*, amén!
    Meus queridos bichos!
    Leais amigos!
    Não quero alongar-me porque me vêm à memoria os que já perdi e de quem tenho tantas saudades...
    Mafalda, Maria, Missy, Merlin, Musti...têm atravessado a vida comigo (a Mafalda tinha 19 anos...)

    ResponderEliminar
  31. Eu vou mais longe e acho mesmo que os animais podem mesmo ser mais importantes que certas pessoas, tenho pena de quem vê os animais apenas como animais eles são muito mais que isso e dão-nos tanto! São seres fantásticos que nós humanos temos a sorte e a honra de poder conviver e ter como amigos e membros da familia!
    Bj S

    ResponderEliminar
  32. Eu não gosto muito de animai, e então de gatos nem se fala. Mas respeito muito quem gosta e, na verdade, até sinto uma pontinha de inveja porque deve ser maravilhoso amar assim um ser que também nos ama à maneira dele. E o que posso dizer, é que ainda bem que há pessoas como tu ;)

    ResponderEliminar
  33. A companhia e amor de alguns animais vale por mil pessoas...

    ResponderEliminar
  34. Bárbara, gostei desse vice-versa. Os bichos falam connosco à maneira deles! :)

    ResponderEliminar
  35. Sinto o mesmo! A minha cadela vitória é a filha que ainda não tenho, acompanha-me para todo o lado, passo o dia atrás de mim, come do que eu como e dorme comigo. Passo noites a pé quando está doente e ela faz-me companhia quando tenho noitadas de trabalho... Percebo perfeitamente o que diz!
    Só quem se disponibiliza a sentir este amor o poderá algum dia compreender, porque depois de sentirmos o amor que eles próprios nos dão, ficamos viciados!

    Beijinhos,
    Cat

    ResponderEliminar
  36. Percebo o que queres dizer. Também eu sempre disse que não percebia como havia pessoas que amavam os animais desmesuradamente, mas se vissem alguém na rua, estendida no chão, se calhar passavam ao lado e nem olhavam para o infeliz... Neste momento convivo com um animal e embora o bichinho só tenha 1 ano em meio, penso que será muito dificíl quando ele partir.
    Mas (há sempre um "mas"...) muitas pessoas tentam humanizar os animais e isso, desculpa, mas é algo que a mim me deixa a pensar se as pessoas estão boas da cabeça! Os animais são felizes na sua condição e só exigem água, comida, conforto, higiene, saúde e carinho. Mais nada. Não precisam de roupinhas, nem tótós, nem ganchinhos, nem perfumes...bah! Isso para mim é demais... Amor sim, mas não nos podemos esquecer que eles são animais e não humanos.

    Bjinho
    Lilla

    ResponderEliminar
  37. Lilla, é um facto, os animais são viciantes. Dão, dão, dão, e nada pedem em troca. :)

    Banipupi, que giro, as minhas gatas também só se deitam quando nós nos deitamos.

    ResponderEliminar
  38. Olá S.
    Que texto tão bonito. Gosto muito de animais e se tivesse espaço teria vários. Tenho duas gatas uma com 10 anos e outra com 5 meses. Não imagino a casa sem elas e as crianças muito menos. A gata mais velha sempre dormiu connosco e a mais nova as vezes dorme no quarto as vezes não é como lhe apetece. São consideradas como parte da família e tratadas com muito carinho. E acho que é assim que deve ser, quem tem animais deve tratar deles com carinho. Eles retribuem isso com o carinho e amizade deles e é tão recompensador.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  39. Concordo com tudo o que disseste. Mas mete-me alguma impressão chamares-lhes "bichos", porque pelo menos para mim tem uma conotação negativa. Sei que para ti obviamente que não, o texto que escreveste mostra isso, mas bichos aqui na zona são os insectos e todos aqueles animais mais... nojentos.

    ResponderEliminar
  40. Subscrevo as tuas palavras... Têm tudo a ver comigo!

    Sempre tive e tenho um amor louco por todos os meus cães e gatos... Aqui em casa, são tratados como membros da família. Eu até costumo brincar e dizer que são mais bem tratados do que muitas pessoas.

    Amor é sempre amor, independentemente, do que se ama!

    Bjs,
    Sara

    ResponderEliminar
  41. Gostei da forma como terminaste o teu post... «O amor é sempre amor. O amor nunca é demasiado»

    É isso mesmo, essas palavras revelam maturidade emocional.

    Vida longa para as tuas gatas.
    Bom fim de semana (^^)

    ResponderEliminar
  42. como te percebo! nao e nada polemico, ha pessoas que valem a pena, mas muitas infelizmente nem por isso. sao interesseiras e calculistas e nao podemos contar com elas. um animal esta sempre la do nosso lado para o que der e vier e o amor e incodicional. que companhia acabaria por preferir muitas vezes? facil, os meus "bichanos" e as pessoas que realmente gosto claro.

    ResponderEliminar
  43. Subscrevo inteiramente o teu último parágrafo, e com a desilusões que tenho tido com as pessoas, cada vez gosto mais de animais ditos irracionais mas com mais sentimentos que os ditos racionais!

    ResponderEliminar
  44. "Quanto mais eu conheço as pessoas mais eu gosto dos animais!"
    Eu também adoro os meus bichinhos. E não sou nada sem eles. Sei que eles me vão amar sempre!
    No ano passado também apanhei na rua o meu peste e era para ficar temporariamente. A verdade é que já passou um ano e sou louca por ele! Mesmo ele quando ele me deixa toda arranhada e quando se lembra de roer sapatos, óculos, e estou a falar de um gato. Mas também tem o seu lado extremamente meigo!!

    ResponderEliminar
  45. Anónimo das 10:23, sabes de onde vem o som "bxbxbxbx" para chamar os gatos? De bichano. :D E bichano vem de bicho. Mas entendo esse teu comentário, a verdade é que cá e casa trato as minhas gatas por filhas, não por bichas.

    ResponderEliminar
  46. Eu também amo os animais no geral e os meus três gatos muito em particular. Percebo-te perfeitamente, porque o que eu sinto por eles não se explica, sente-se e é tão forte, mas tão forte, que não consigo imaginar a minha vida sem eles.

    ResponderEliminar
  47. Ohhh como concordo! Fiquei com lágrimas nos olhos ao ler o teu texto!
    Sinto tudo isso! Sem tirar uma palavra.
    Parabéns menina, por seres a pessoa que és.

    ResponderEliminar
  48. Pela primeira vez fizeste-me ver esta questão de uma outra perspectiva. Eu sou uma pessoa que não consegue ter a minima sensibilidade com animais, não gosto, não tenho, mas respeito-os e respeito quem gosta. Mas sempre achei um exagero quem coloca a vida de um animal acima da vida de uma pessoa com total extremismo. E hoje as tuas palavras fizeram-me repensar a minha opiniao. Realmente amor nunca é demasiado. E amar mais o NOSSO animal mais do que algumas pessoas é perfeitamente normal e aceitável. Gostei verdadeiramente do que escreveste :)

    ResponderEliminar
  49. O que fizeste com o biscoito fiz com a minha pipinha que infelizmente já morreu. Chorei baba e ranho era a minha mais que tudo.

    ResponderEliminar
  50. S* se já gostava de ti rapariga,agora ainda gosto mais.Descreveste como ninguém os sentimentos que nutro pelo meu Gaspar.Ele É da família.Gosto mais dele do que de certas pessoas.E sinceramente estou-me verdadeiramente nas tintas para as opiniões da pessoas acerca disso.Eu tbm não entendo a delas.Porque os animais não são "coisas",são bichos com mais sentimentos do que muitas delas e isso,elas nunca vão entender!

    ResponderEliminar
  51. e agora tenho os olhos rasos de agua pelo gato mais inteligente e sensivel que alguma vez tive e que me desapareceu há 3 meses, e o coração e o colo cheio de um reguila que dorme na minha almofada e que me obriga a levantar da cama nas folgas para ele dormir, Há quem entende, e quem nunca teve um amor assim. Temos pena...

    ResponderEliminar
  52. Amo os meus animais, sim. E sim amo-os mais do que muita gente e sim são mais importantes para mim que muitas pessoas da minha familia. E não tenho pejos nenhuns em dize-lo, quero lá saber que choque as pessoas!

    ResponderEliminar
  53. É bem verdade: o amor nunca é demasiado. Eu também adoptei uma gatinha abandonada, a Naná, e não me arrependo um único segundo, mesmo vendo os sofás um pouco arranhados, aturando os objectos remexidos e tendo que tratar da areia!
    Bjnhs

    ResponderEliminar
  54. Como te compreendo S*!!

    Sinto tanto falta da minha Bia...

    ResponderEliminar
  55. Adorei este post! Exprimiu tudo aquilo que penso e sinto... obrigada pela partilha.
    Os meus pequeninos também dormem comigo e é tão bom :) são a minha grande companhia, senão os tivesse passaria imenso tempo sozinha! São do melhor da vida!

    ResponderEliminar
  56. Não podia ter dito melhor. Bravo!

    ResponderEliminar
  57. Atrasadinhos são aqueles que não gostam de animais.
    Não consigo respeitar uma pessoa que não goste de animais e geralmente assim que sei que uma pessoa não gosta de animais afasto.me dela. Extremista? Talvez, mas eu sou como tu, valorizo os bichinhos*

    ResponderEliminar
  58. A minha Pinkie é um membro da família e a princesa aqui de casa.

    Big Kisses

    ResponderEliminar
  59. Não acho o teu post polémico e sim bonito e sincero. Não é por alguém ter o mesmo código genético que eu que vou automaticamente gostar da pessoa. Eu gosto de alguém pelo carácter, pelo que me transmite. E os animais são puros, dão-nos mimos e não nos atraiçoam. Eu amo animais! Ainda à uns dias ouvi uma senhora ser criticada por andar a gastar dinheiro levando a sua cadelinha a cada 15 dias a fazer quimio. Eu acho um gesto lindo.

    ResponderEliminar
  60. Pois eu sinto exactamente o mesmo pelos meus peludos! Por mais maluco e desobediente que seja o Scott (cão) e resmungão e insuportável quando mia com decibeis inimagináveis - O gato Elias: eles são um tesouro. O nosso tesouro. E sim, fazem parte da família.

    ResponderEliminar
  61. Concordo tanto contigo!
    Subscrevo cada palavra, cada sentimento...
    Para mim, os meus bichos são e hão-de ser sempre da família!

    ResponderEliminar
  62. Oh S* amei este post! Também gosto muito de animais, se tivesse uma casa maior era uma festa, tinha montes deles, e fico chocada cada vez que oiço falar de maus tratos a animais!
    O amor é sempre amor, tens toda a razão!

    ResponderEliminar
  63. Eu adoro animais. Cães, gatos, tartarugas (são os q tive/tenho). Também durmo c o meu cão. E a felicidade de o ter é tão grande q por vezes nem consegue ser explicada. Um animal pode acalentar-nos o coração de uma forma inexplicável... =)

    ResponderEliminar
  64. "O amor é sempre amor. O amor nunca é demasiado." =D

    Gostei tanto deste teu texto..Não é demasiado mesmo, eu tenho dois gatos que adoro adoro e não me imagino sem eles..

    Eu costumo dizer que só entende quem sente algo assim também!

    ResponderEliminar
  65. Criticar quem gosta muito de animais? Sinceramente?? Caramba, eu não os aprecio, não os terei em casa, não comprarei nenhum e não me babo quando os vejo. Aliás, uma vez comentei no blog da Leididi (sabes?) que não aprecio animais, no seguimento de um post que ela colocou sobre o cão dela, e chamaram-me de tudo. A sério, disseram que eu devo ser má pessoa porque não gosto de animais. Ora portanto, só posso deduzir que as pessoas têm muito tempo livre, muita amargura dentro e muito pouco amor de qualidade. Tu adoras os bichos, eu nem por isso. Tu és assim e eu assado. Parece-me óptimo, no mundo cabemos todos.

    ResponderEliminar
  66. Olá S*
    Deixei de ter visitas em casa por causa das minhas meninas (cadela e gata).As meninas passam o dia no sofá da sala e tem os "seus lugares" e quando a familia se sentava no lugar delas eu pedia para sairem e era um escandalo!! Assim acabaram as visitas!!! Elas também dormem comigo, e o meu marido não se incomoda nada com isso.
    O meu filho quando era pequenino dizia que a cadela era irmã dele!!!LOL!!!
    Bjs
    Dulce Barbosa

    ResponderEliminar
  67. Juanna, costumo chamar a isso radicalismos bacocos. Cada um tem direito à sua opção... desde que respeites os bichos, não és obrigada a adorá-los. :)

    Dulce, ahahah. Quem vem a minha casa também corre o sério risco de embater num arranhador, nas duas caminhas delas, no brinquedo. E sôdona Evita é muiiiiito possessiva.

    ResponderEliminar