segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O meu problema não é sacrificar-me pelo meu país...

É perceber que só a (inexistente) classe média e a classe baixa estão a pagar a crise. O meu problema é ver que os gestores, os administradores, os ministros, os deputados, os políticos no geral continuam a ganhar o mesmo. O problema é saber que o número de tachos continua a ser monstruoso. É reparar que as empresas públicas, ou públicas com participação privada, continuam a ter salários milionários. O meu problema é reparar que as reformas douradas continuam a acumular com outras reformas. É saber que os políticos continuam a mudar de carro de ano a ano, sempre carros de luxo. É vê-los a falar, a falar, a cortar, a cortar, mas a manter intacta a máquina do Estado, essa usurpadora que tem destruído o país.

Os nossos salários são miseráveis. O problema não está aí. O problema está nos milhões e milhões que gastam com os tachos dos "grandes".

Vai daí, custa-me sacrificar-me. Sei que enquanto os sacrifícios forem pedidos sempre aos mesmos, nada vai adiantar.

43 comentários:

  1. Ora nem mais! Eu aperto o cinto, sofro, desde que sejamos todos. A união e a igualdade deveriam ser o motor deste país. Perante esta realidade, qualquer pessoa se revolta. Esta país já me dá nojo!

    ResponderEliminar
  2. subscrevo inteiramente! enquanto não os virmos a cortar as "gorduras" nunca iremos acreditar que temos solução...
    Eu, pelo menos, já não acredito. espero que me provem o contrário. Era bom sinal!

    ResponderEliminar
  3. Precisamente... o problema não é sacrificar-nos, o problema no fim das contas é que cabe sempre ao mesmo e é evidentemente que assim não vamos a lado nenhum. Mas só o povinho é que vê isso, os ignorantes que nos governam calam-se muito bem caladinhos com os seus tachos e deixam andar... Enfim...

    ResponderEliminar
  4. tens 100% de razão. Custa tanto serem sempre os mesmos "otários" a pagar a conta enquanto eles para além da demagogia nada mais fazem :(

    ResponderEliminar
  5. Já viste a notícia sobre a frota automóvel do governo ? É impressionante, hein?

    ResponderEliminar
  6. Faço das tuas, minha palavras.
    É o mesmo que sinto. Eu não queria reclamar de ajudar a pagar a divida, que não fui que contraí, mas nem vamos por aí. Mas porque é que os grandes continuam tão grandes? Vejo noutros países medidas a serem tomadas que afectam igualmente membros do estado. Grandes chefes do capitalismo a colocar dinheiro seu para dentro do buraco, amenizando os cortes a serem feitos ao povo. Cá não se vê nada disso, não se vê Soares dos Santos, nem Belmiros, a tirar um bocadinho das suas off-shores para ajudar o pais. Não se vê as taxas de descontos de quem ganha milhões ser aumentada. Somos nós, os pequenos, que temos de pagar tudo, e isso é tão injusto que até dói.

    ResponderEliminar
  7. Pois, a mim também me custa quando vejo aquelas "tias" sairem das lojas caríssimas cheias de sacos, quando passo a vida a fazer contas!

    ResponderEliminar
  8. É isso mesmo!
    O problema é a sensação de injustiça que fica. Do gosto amargo na boca.
    Se todos víssemos a máquina dos estado a perder a gordura, até poderíamos compreender um bocadinho. Agora assim...
    vidademulheraos40.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. É exactamente isso.

    E vê-los sorrir também. Odeio vê-los sorrir. É claro que continuam a sorrir porque é completamente para eles sentir na pele o que um portugues da classe média inexistente sente todos os dias.

    Fazem 30 por uma linha, mentem e roubam, mas não conseguem fingir-se sérios. Como dizia o outro artigo, vão-se f****. Todinhos, de uma ponta à outra, e desculpa a asneirinha :)

    ResponderEliminar
  10. Mais chocante para mim são os ordenados milionários dos membros dos gabinetes dos ministros, os milhares de euros que o estado paga por pareceres jurídicos às sociedades de advogados "amiginhas", os milhares de euros que se gasta em comissões de inquérito da Assembleia da República para discutir tretas, como o caso Camarate (que já mete nojo!).
    Há muitas mais despesas absurdas para além dos vencimentos dos membros do governo. Sim, deveriam ser reduzidos para servirem de exemplo, mas em termos de valor poupado ao estado, é uma gota no oceano...
    E ouvir dizer que as "gorduras" do estado são os vencimentos dos funcionários e as pensões é absolutamente indecente!!

    ResponderEliminar
  11. Completamente de acordo! E é isso mesmo que está a começar a revoltar os portugueses.

    ResponderEliminar
  12. E sabes o que acho mais incrível no meio disto tudo? A habilidade que têm, de atirar areia aos olhos do povo e fazendo-nos crer que a culpa do país estar assim é nossa, porque andamos a endividar-nos para termos um tecto ou um carro.. eles se calhar não têm culpas no cartório, com as negociatas obscuras que fazem todos os dias, para se favorecerem a eles e aos amigos.. quanto mais gordos estão, mais querem ficar :P

    ResponderEliminar
  13. E era exactamente pelos tachos que eles deveriam começar a cortar, por amor de Deus... quando é que alguém vai de facto fazer alguma coisa?!

    ResponderEliminar
  14. Ora nem mais. É isso mesmo! E eu cá estou com a dee também odeio vê-los sorrir ao mesmo tempo que mandam cá para fora estas medidas!

    ResponderEliminar
  15. Concordo com tudo! Infelizmente não há interesse em atacar senão a "classe média", que não tem como fugir aos impostos..

    ResponderEliminar
  16. Isso mesmo! Se têm que existir sacrifícios, que têm, que sejam para todos!

    ResponderEliminar
  17. Exactamente! a arraia miúda é que paga sempre as favas e eu já estou farta disso. que enfiem a TSU where the sun doesn't shine!

    ResponderEliminar
  18. Concordo contigo a 200% e o q me custa é n saber q posso fazer p mudar esta situação, se souberes avisa-me por favor...

    Bjs e boa semana

    ResponderEliminar
  19. Viste o vídeo dos ratinhos que partilhei no meu blog? ;) Explica muito bem o que estamos a viver, e provavelmente o que sempre viveremos...

    ResponderEliminar
  20. Não podia concordar mais. É sempre o mesmo e isso já cansa...

    ResponderEliminar
  21. O problema está precisamente aí! E eu penso que é por isso que o povo se indigna mais até. Todos compreendemos que são necessários os sacrifícios, o problema é quando eles só surgem de um lado!

    Beijinhos e tem uma óptima semana :)

    ResponderEliminar
  22. Acho graça quando se diz que na altura do Salazar era pior....talvez...não havia liberdade de expressão e tal....mas hoje há gente a passar fome e a viver tão mal ou pior que nessa altura.E não me venham dizer que não,que o meu pai tem quase 80 anos e sabe o que se passava realmente nessa altura,porque os que não nasceram nessa época nunca saberão realmente.Apenas o que se quer que se oiça.Pelo menos,o homem não era gatuno como estes são e deixou os cofres do Estado cheios...

    ResponderEliminar
  23. Pagar para ver o dinheiro a entrar num poço sem fundo, tira até o "patriotismo". :/

    ResponderEliminar
  24. é incrivel como é que eles, la no governo, nao conseguem entender que é isto que o país sente...

    ResponderEliminar
  25. Agora disseste toda a verdade! Sacrificam-se sempre os mesmos.:)

    ResponderEliminar
  26. subscrevo cada letrinha !

    http://tarasneurasmanias.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  27. o problema é mm esse. é sempre o zé povinho a fazer os esforços...

    ResponderEliminar
  28. S,

    existem assessores do primeiro ministro com 24 e 25 anos a ganhar 5000 euros por mês.

    Parece-te justo?

    ResponderEliminar
  29. Tens toda a razão S*, foi por isso que ontem assinei esta petição. Deixo-a aqui para que a leias e se estiveres de acordo a possas assinar também.
    http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N28721

    ResponderEliminar
  30. O sexo e a idade, obrigada!

    O olhar do lobo, claro que não parece bem. Nada bem. Ridículo, até.

    ResponderEliminar
  31. Tudo demagogia, o problema está em nós, só olhamos para nós e que se liche o colega do lado.

    Há um cinismo enorme na sociedade e nas empresas, via-se vir há mais de 15 anos que cada um olha para si.

    ResponderEliminar
  32. concordo contigo, se sao pedidos sacrificios que seja possivel que todos o estao a fazer, nao e o governo continuar a aumentar a despesa publica, nao e nos sabermos que todos os que para la vao, vao com o intuito de tentar roubar algum criando offshores e desviando capital publico e mais grave, nunca serem punidos por tal.

    ResponderEliminar