sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Sobre a lei que determina a actualização das rendas anteriores a 1990...

Eu bem sei que as pessoas alugaram as casas tendo em conta determinada renda... mas convenhamos, isso foi no tempo da Maria Caxuxa.

Pagar 30 ou 40 euros de rendas é absurdo. Absurdo especialmente para os proprietários, que não têm culpa de uma lei ridícula que não soube prever que o mundo ia mudar. Os inquilinos, ai esses esfregam as mãos de contentes. Acho muito bem que se abram excepções para os reformados e velhotes, mas caramba... esta lei do arrendamento já precisava de uma bela actualização. A minha irmã viu a renda aumentar 25 euros só este ano, e há gente que paga 25 euros pela casa onde está há 60 anos. Justo, hein?

43 comentários:

  1. Há gente que paga bem menos pela casa onde está mas nada é assim tão linear. Também temos que comparar o tipo de casa, o historial de obras feitas pelo senhorio.

    O caso dos meus avós maternos é um bom exemplo de uma renda antiga que jamais poderá ser aumentada para valores exorbitantes. O senhorio nunca fez obras, a casa ainda tem casa de banho fora da porta, situação amenizada pelo meu avô que fechou lá uma parte dando um pouco o ar de não ter que se sair de casa para ir ao WC. Todas as obras de conservação da estrutura em si foram feitas pela mão do meu avô.

    Há situações e situações.

    ResponderEliminar
  2. E então para aqueles que recebem salário minimo 480 euros, e há rendas entre 300 a 450 euros?

    ResponderEliminar
  3. Rendas a 25 - 30 euros era bom para mim :)

    ResponderEliminar
  4. Sim, muito justo. E são esses inquilinos que se queixam de falta de obras no prédio.
    Eu aumentei-me a mim próprio, porque o meu senhorio é porreiro e nem queria o aumento de 12€, mas da casa de onde saí após 22 anos (saí a pagar 250€) havia inquilinos a pagar 10€.
    Por causa da falta de coragem dos políticos, é que o arrendamento em Portugal chegou a este estado. Os proprietários preferem deixar as casas a cair para depois venderem os terrenos. É lógico, não???

    ResponderEliminar
  5. concordo plenamente. Acho ridículo haverem pessoas a pagar 20 ou 40 euros, quando depois ha outras que pagam 600/700 :x

    ResponderEliminar
  6. Nada justo.
    Concordo, como dizes, que não sejam alteradas a idosos que vivem sozinhos e com reformas de 100euros e lá mais o que os valha, mas há muita gente que paga esses valores absurdos e podiam muito bem suportar valores "normaizinhos".

    ResponderEliminar
  7. Tantas vezes penso: então e para mim uma casinha a 60€ não? Também sou filha de Deus*

    ResponderEliminar
  8. Acho piada às reportagens tendenciosas na televisão. Os inquilinos é que são sempre os coitadinhos, nunca podem pagar mais. Ora, que eu saiba, os proprietários ainda não receberam o título de assistente social, não são obrigados a oferecer um tecto só pq as pessoas são pobres...

    Tive o 'azar' dos meus pais herdarem duas casas nessa situação, onde as rendas são praí de 15€. Como somos "proprietários", o Estado considera-nos ricos e nem direito a bolsa de estudo tenho. O que conta é o valor do terreno e não a renda que recebemos. Enfim, este país!

    ResponderEliminar
  9. eu conheço quem pague( ou então quem pagasse, pois não sei se ainda continua) 50 cêntimos de renda mensal.. um balúrdio... LOOL.Com estas rendas como consegue um senhorio fazer arranjos nessas casas? Difícil assim.
    beijinho

    ResponderEliminar
  10. O meu pai (e a família, claro) foi um dos grandes prejudicados por essa lei, social-comunista, que só serviu para sustentar parasitas. E não há maneira de mudá-la.
    Ainda hoje "temos" um apartamento na Ajuda em que os inquilinos não podem ser despejados e pagam 35.75€ por mês e eu que sou filho dele moro noutra casa alugada a pagar os valores das rendas atuais.

    É por isso que tenho o direito de dizer o que penso desses parasitas.

    ResponderEliminar
  11. Pode não ser, S*. Mas repara, há 60 anos 25 € era uma fortuna. Além disso, quanto imaginas que ganha uma pessoa que tem uma casa alugada há 60 anos e que terá agora, no mínimo, uns 80? E quanto gastará uma pessoa dessa dade só em medicamentos? Já imaginaste?

    (nota que eu também concordo que haja uma.actualização em algumas rendas)

    ResponderEliminar
  12. É por estas e por outras que o pais não vai para a frente...

    ResponderEliminar
  13. O mais injusto ainda a meu ver é no mesmo predio haver casas iguais com niveis de pagamento com preços tão diferentes.
    acho bem uma revisão nas rendas antigas tendo em conta os idosos e os rendimentos de cada familia.

    ResponderEliminar
  14. Depende das situações, os meus pais estão há 40 anos na mesma casa, pagam uma renda baixa (75 euros) mas o senhorio nunca fez uma única obra, nem sequer uma única pintura, e a casa está em muito mau estado apesar dos meus pais ao longo destes 40 já terem feito algumas pequenas obras do bolso deles... Más condições do género chover cá dentro, muita humidade, paredes sempre a desfazeem-se, a cozinha numa miséria, etc. O problema é que não temos condições de ir para outro lado, sujeitámo-nos a morar em más condições porque é a única renda que podemos pagar.

    É uma situação complicada :S

    ResponderEliminar
  15. Vic, não querendo entrar em pormenores, sei de um caso de uma pessoa que paga 80 euros de renda e garanto-te que tem uma reforma que dava para pagar bem mais do que isso. Mas como o contrato é antigo o inquilino só paga aquilo. :)

    ResponderEliminar
  16. ana, toda a regra tem a sua excepção. Pois obviamente que não me refiro a esses casos de casas em más condições, nas quais os proprietários não fazem obras.

    Mas... por outro lado... como é que o proprietário pode fazer obras se recebe uma miséria de renda?

    ResponderEliminar
  17. António, referes-te certamente ao Porto e a Lisboa... nas restantes cidades arranjas rendas razoáveis, basta saber procurar. Infelizmente nas grandes cidades as rendas são demasiado altas para os nossos salários.

    ResponderEliminar
  18. Para quem falou dos reformados... esta nova lei PREVÊ que os reformados e pessoas com carências (sendo que estas carências me parecem um critério meio dúbio) não possam ter taxa de esforço superior a X %. Isto é, não podem ter um aumento de renda superior a 10%, penso eu de que, quando provem que são reformados, desempregados ou com baixos rendimentos. No geral, a lei parece-me bastante justa.

    ResponderEliminar
  19. Não, não concordo ... Na casa onde habita a minha mãe, obras é coisa que não se viu durante anos e tão pouco se vê agora. A minha mãe paga 90 € de renda por uma casa onde está desde 1971. Um t0, convenhamos, em que já caiu estuque do tecto e a senhoria não mandou arranjar. Onde já rebentaram canos e a senhoria não mandou arranjar. A minha mãe tem 64 anos e recebe 400 € de reforma. É bem situada a casa? Agora é, antes nem por isso. Que a culpa não seja dos senhorios, até entendo, mas certamente também não é dos dos inquilinos. Os senhorios não são assistentes sociais, claro que não, podem portanto discriminar (ia escrever "escolher", mas era eufemístico) a quem arrendam. A grande "culpa" é da lei, que penaliza senhorios, sim, mas também inquilinos ...

    ResponderEliminar
  20. Vita C, não vou falar dos tempos mais antigos, mas também não podemos exigir obras se pagamos 90 euros por mês... :/ o proprietário não tem obrigação de gastar se calhar centenas de euros em obras quando recebe cerca de 1000 euros anuais de renda.

    Atenção que não tenho proprietários na família, isto não me toca... mas não podemos exigir aquilo que não pagamos para ter, parece-me.

    ResponderEliminar
  21. Vita C, quanto à tua situação, na mesma, aconselho-te a ler a lei. Os reformados têm uma taxa de esforço baixa... julgo que a renda não poderá aumentar mais que 10% da reforma da tua mãe. Creio que não será nada de transcendente.

    ResponderEliminar
  22. É ridiculo! anda uma pessoa a pagar 500, 600, 700 ou 800€ enquanto há pessoas a regalarem-se com 50€ de renda. Bom para eles, se fosse eu também não me queixava, mas para os comuns mortais como nós é que é extremamente injusto.

    ResponderEliminar
  23. S*, somente um reparo (um erro que vejo constantemente ser feito por colegas teus de profissão): não é alugar, mas sim arrendar - é este o termo correcto, porque estamos a falar da locação de imóveis. Alugar é para bens móveis.
    -Carla-

    ResponderEliminar
  24. S*, a questão não é a transcendência da situação. A minha mãe, felizmente, tem dois filhos que certamente a ampararão, e o facto de pagar 90 euros de renda não depende dela nem a condicionará nisso. As obras que se solicitam não custam centenas de euros, aliás, são, na maioria, das zonas comuns do prédio do qual a senhoria é proprietária. Portanto, estamos a falar de algo que não se compadece dos 1080 euros que são pagos anualmente, Além disso, a minha mãe está lá há 40 anos, na altura a pagar 2000$ que era um balúrdio. Além de que, lida a lei (antecipei-me ao teu conselho por várias semanas), o que existe é uma carência de 5 anos e coiso e tal. Portanto, a culpa não é dos senhorios (não pagando o justo pelo pecador), mas certamente não é também dos inquilinos (não pagando o justo pelo pecador). Isto é como os desempregados: há quem ande a receber subsídio para andar a coçar-se e há quem o receba porque de facto tem direito e apesar de procurar emprego não encontra (e depois ainda deixa de o receber, rotulado de sorvedouro do estado). Mas pronto, parece que a maioria só olha para o lado da barricada que lhe toca. Desculpa o comentário longo, mas parece-me que há muita gente a reclamar de barriga cheia...

    ResponderEliminar
  25. Vita C, se me permite, gostaria de lhe perguntar como pode um senhorio fazer obras numa casa, quando recebe em média 50 euros de renda? Sabe quanto custam umas obras por mais pequenas que sejam?
    Coloque-se no papel do senhorio e e eu tenho a certeza que rapidamente mudarias de ideias.

    A solução para este problema seria o governo, que é responsável por essa lei absurda, realojar as pessoas que sempre se aproveitaram dessa lei, e libertar as casas para os senhorios, pois foram eles que as pagaram. Eu e a minha família somos prejudicados nesta situação há mais de 25 anos, mas isso quando é visto pelo lado do inquilino é sempre na boa.

    ResponderEliminar
  26. Depende do orçamento de cada um.
    Bj** e bom fim-de-semana**

    ResponderEliminar
  27. Bom, o que falar dos meus pais que sempre pagaram para cima de mil euros de renda. É certo que vivemos em Cascais, e que a localização paga-se, mas eu por exemplo quando sai de casa vi-me graga para pagar uma renda com o salário que tinha... Acho que devia ser realmente revisto, deixar que idosos e pessoas sem condições realmente tivessem rendas baixas, mas que quem tem condições de pagar que pague um preço justo.

    ResponderEliminar
  28. Tens toda a razão. Por muito que custe a muitos, não se pode viver de graça numa casa toda a vida. Ajudem quem precisa e os outros que paguem pelo que usam.
    E agora venham lá criticar-me para ver se me importo!
    vidademulheraos40.blogspot.com

    ResponderEliminar
  29. 25€ à 60 anos era bastante dinheiro (era 5.000 escudos) nessa altura eles não achavam muito nem se importavam se as pessoas podiam pagar. A minha mãe não alugou uma casa com mais um quarto porque era mais 20 escudos, na altura era muitodinheiro. Esquecem-se que já ganharam muito dinheiro. O tempo das vacas gordas, já foi.

    ResponderEliminar
  30. amiga da onça, eu não estou a dizer que 25 contos não era muito dinheiro... era! A questão é que HOJE em dia é absurdamente pouco. Absurdamente pouco. As rendas deveriam ter sido actualizadas ao longo dos anos, como acontece hoje em dia. Se para o ano o meu proprietário quiser aumentar a renda de acordo com a inflação, lá vou eu abichar mais uns euros. É injusto que quem viva em casa mais antigas, com rendas antigas, não tenha de passar pelo mesmo.

    ResponderEliminar
  31. Vita C, sendo assim, isso já é uma questão de falta de bom senso do senhorio. Obras nas zonas comuns deveriam se obrigatórias (não sei se o são). Mais uma vez... no prédio da minha mãe ela tem de pagar cerca de 1000 euros por ano em coisas do prédio - pintura, elevador, isto ou aquilo. Obras. E coitada, nem pode dizer que não, porque os outros dizem que sim. Portanto, devia ser obrigatório que os particulares, quando têm a casa arrendada, fizessem aquelas obras realmente necessárias ao bem estar dos inquilinos.

    Como referiste, antes a tua mãe pagava 2000 escudos e isso era muito. Então porque não actualizaram as rendas? O problema foi o facto de terem passado anos e anos sem fazer a actualização devida. Obviamente que as casas anteriores a 1990 agora já estão bem mais velhas e com problemas maiores. Provavelmente, se tivessem actualizado devidamente as rendas, talvez os proprietários pudessem custear as tais obras necessárias. Não sei, não estou a dizer que a lei vai ser justa para todos... mas decididamente que hoje em dia não é justo, para nenhum proprietário, receber 25 ou 30 euros de renda de um imóvel. Fica ali com o imóvel empatado e a ter um prejuízo imenso. A culpa não é dos proprietários. A culpa não é dos inquilinos. A culpa é de quem não actualizou as rendas a seu tempo.

    ResponderEliminar
  32. Martini Bianco, o problema é precisamente "os dois lados da barricada". Há um terceiro, que é bem mais responsável. Como diz a S* "A culpa não é dos proprietários. A culpa não é dos inquilinos. A culpa é de quem não actualizou as rendas a seu tempo.". Da minha mãe eu sei que não é a culpa. Da senhoria, que obviamente está ansiosa por a despejar, também não deve ser, embora a senhora não me mereça respeito nenhum pela falta de educação que tem revelado. Mas essa não é obrigatória. Eu entendo os proprietários. Mas também os há a chular à grande (como bem vi quando andei à procura de casa) e sem fazer pêvas pelas casas! Portanto, não, não mudaria de opinião. Mais: fui eu que paguei as obras na casa da minha mãe... portanto sei o que custam...

    ResponderEliminar
  33. S, concordo contigo, com a ressalva que deve tudo ajustado. Ou seja, como já disseram, depende das condições da casa. Os meus sogros têm uma casa que alugaram há 1900 e troca o passo, por 5€ e qualquer coisa. Numa zona considerada in. E a casa até está muito bem.
    Por isso sim, neste tipo de casos, é muito injusto.

    ResponderEliminar
  34. Não só em Lisboa, Porto pois há preços assim nos Açores, principalmente na Ilha do Faial onde é difícil de eu encontrar um apartamento.

    ResponderEliminar
  35. Concordo totalmente. Aliás, dá vontade de rir (para não chorar) o facto de o meu senhorio ser dono de todo o meu prédio, eu pagar 370€ (e quando vim para cá ate pagava 400 mas ele decidiu baixar um pouco) de renda e duas das minhas vizinhas pagarem 30€ por uma casa exactamente igual à minha =/

    ResponderEliminar
  36. Ser proprietário não é ser a Santa Casa. O direito à habitação não pode ser assegurado pelo património de outros, senão estamos muito mal.

    Há casos e casos, mas o que é certo é que sem dinheiro não há obras, e se a renda é baixa... Nesses casos tem mais é que ser o arrendatário a suportar os custos das obras. Parece-me (sempre me pareceu) lógico.

    ResponderEliminar
  37. Conheço quem pague pouco muito pouco...mas conheço quem pague muito muito muito! E não é justo de nenhuma das maneiras!

    ResponderEliminar
  38. Acho que essas rendas absurdas de tão baratas que são devem ser actualizadas, assim como como as rendas absurdas de tão caras que são - para mais baratas. Na altura em que eu e o meu marido andámos a ver casas, acabámos por decidir comprar porque ficava mais barato (e sempre era uma coisa nossa) do que pagar renda, o que é ridiculo.

    Pior é que muitas pessoas que pagam 25€ de renda ainda se queixam que precisam de obras, como se esse valor fosse alguma fortuna...

    ResponderEliminar
  39. Como foi dito há casos e casos. Ajuste-se mas a ter-se em conta o estado da casa.Neste tipo de coisas também há o senhorio que esfrega as mãos de contentamento por ver as rendas aumentarem e obras nem vê-las.E muitas dessas pessoas estão em casas que nunca terão visto obras (nem no século passado). E existe a situação do "quer obras??faça-as você, que está aí a viver".

    ResponderEliminar
  40. Concordo plenamente.
    Era uma injustiça muito grave aquilo que andava a acontecer... ;)

    ResponderEliminar
  41. Concordo plenamente, tb acho que tinha mesmo de ser revista esta Lei, não é justo que tantos estejam a pagar uns miseráveis 25 euros, enquanto muitos outros paguem 400 ou mais!
    A crise é pra todos!!!!


    ResponderEliminar
  42. Essa lei tem muitos que se lhe diga. Não se pode ver as coisas de forma linear.

    Os idosos não estão assim tão protegidos como se diz, se leres bem a lei vês isso. Para quem vive com uma reforma apenas, um aumento de 100€ pode ser bastante significativo.

    Além disso, não são só as rendas de 50€ que vão levar por tabela. As rendas de 700€ também vão passar para 1500€ ou mais, conforme o valor patrimonial. Para não falar no comércio, que vai fechar quase todo.

    ResponderEliminar
  43. O mais engraçado é que são as pessoas que pagam rendas de valores irrisórios que se queixam que os senhorios não fazem obras nas casas... A receber valores destes não há como arranjar dinheiro para obras, ou é suposto o senhorio tirar dinheiro do ordenado dele para as fazer? Não faz sentido... E as pessoas esquecem-se que não são os senhorios / proprietários que têm o dever social de ajudar os reformados que nem dinheiro têm para medicamentos, as pessoal mais necessitadas e bla bla bla, se ninguém é obrigada a fazer caridade os senhorios não têm de o ser.

    ResponderEliminar