segunda-feira, 26 de março de 2012

As crianças e as redomas

As crianças precisam de brincar. De se sujar. De cair. De esfolar os joelhos. De comer um bocado de areia na praia. De engolir uns pirolitos na água. São experiências... e é força que se ganha.

Em pequenita, bem pequenita, sofri uma daquelas operações de-vida-ou-morte. Durante uns minutos ainda estive morta mas lá recuperei. Acham que a minha mãe alguma vez deixou que eu fosse mais protegida? Lixavas-te! Era mais pequena, tinha de ir ao médico de X em X meses mas corria como os meus irmãos (ou mais), caía como os meus irmãos (mais, muito mais), andava no meio da horta, andava no meio dos gatos, dos cães, das galinhas e dos coelhos.

Deve ser por isso que agora tenho vinte e tal anos e nunca fico doente. Vou ao médico todos os anos, faço todos os anos um check-up completo porque quero. Sempre fui uma criança forte e sou uma adulta ainda mais forte. Nada me pega.

Sorte ou defesas mais fortes? Acredito em ambas.

28 comentários:

  1. Como eu concordo ctg.. E tem que se seguir essa linhas de pensamento desde bebés para que eles criem defesas..

    ResponderEliminar
  2. Claro que sim: bolos de terra, sopa de farinha, vamos ver quem rebola mais rápido na lama. Nunca tive uma otite, não apanhei doenças típicas da infância e estive a centímetros, por mais de uma vez com pessoas infectadas com gripe A e nada. Pode não estar relacionado com a infância livre que tive... ou então pode. *

    ResponderEliminar
  3. Por isso nunca esterilizei nada do meu filhote...
    Obviamente se deixasse cair um brinquedo de levar à boca em cocó de cão na rua, lavava. Mas... coisas em casa e usadas em casa nunca esterilizei nada!

    ResponderEliminar
  4. Esse é o truque, o que não mata cria defesas, já dizia a minha avó. Hoje em dia as crianças são demasiado protegidas e depois uma corrente de ar e já andam doentes. E, eu acho, que no nosso tempo éramos muito mais felizes, apesar das dificuldades :)

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo o que escreves. E como mãe de duas filhas de 23 e 14 anos posso dizer que o facto de não as ter tratado como "flores de estufa" tem resultado em pleno.

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Assino por baixo. O amor também passa por preparar os nossos filhos para a vida. E tal não passa por os ter num mundo almofadado mas sim em dar-lhes asas para eles serem autónomos.
    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  7. Sorte, eu também nunca estive numa redoma, pelo contrário e hoje parece que apanho tudo o que há para apanhar...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  8. O meu sobrinho tem quase 3 anos e o que mais gosta de fazer é andar a correr no campo. Cai, levanta-se. Suja-se, depressa toma banho. É saudável, felizmente. E tão feliz! Eu também cresci assim e fui/sou feliz, saudável e aprendi que "O que não nos mata, torna-nos mais fortes"!

    Gostei ;)

    ResponderEliminar
  9. A mim faz me confusao as pessoas que abandonam animais porque !ai jesus a crianca nao pode andar ao pe de animais e respira pelos e rinhinhi e rinhonho! Eu sempre tive animais em casa !bastantes! e nunca tive problemas.

    Desculpa a falta de sinais e pontos de exclamacao a fingirem que sao aspas e parentesis mas nao sei o que se passa com o teclado esta com os sinais todos trocados. so a mim, ehehe.

    ResponderEliminar
  10. Um dia, um médico com o qual trabalhei, numa conversa sobre este tema disse-me literalmente: "Sabe, a minha filha come merd@.Tem que ser."
    Assim de repente até fiquei chocada. Mas ele referia-se ao facto de ela brincar com terra e a levar à boca. Tem que ser. lol
    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Adorei este post!
    Tens toda a razão, as crianças têm de se poder mexer, faz parte da infância, as nódoas negras, os trambolhões, o comer algo que por acaso caíu ao chão, o sujar-se no meio dos animais, o correr, o saltar, tudo isso faz parte!
    Confesso que quando a minha princesa era mais pequenina eu era muito stressada (shame on me), mas agora relaxei relativamente a muita coisa, estou smpre atenta (claro), mas mais calma!
    :-))

    ResponderEliminar
  12. É importante e faz parte do crescimento, sem dúvida alguma. Agora, não gosto nada nada de ver crianças andarem ranhosas, unhas sujas compridas, cabelos sujos, a cheirar mal. Denota-se autêntico desmazelo.

    ResponderEliminar
  13. É verdade, faz parte do crescimento :)
    Olha lá, tu tens 23 anos? Sério?

    ResponderEliminar
  14. Não podia estar mais de acordo... nos dias de hoje é um exagero!
    A minha avó sempre me disse que o que não mata engorda... ;)

    ResponderEliminar
  15. Pois eu tou como tu, já brinquei muito, sujei-me muito e acho uma verdadeira pena as crianças que não têm essa oportunidade, só lhes faz bem!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  16. Concordo contigo :) nem mais!! ****

    ResponderEliminar
  17. 23 anos??? nunca pensei:) dava-te mais...
    És uma mulheraça!

    Quanto às crianças concordo em absoluto.A minha chega a casa todos os dias como se tivesse andado na guerra.Preta,da cabeça aos pés...

    23 anos...estou admirada :P

    bj

    ResponderEliminar
  18. ce. obrigada. Há pessoas que têm de crescer mais cedo... ;)

    ResponderEliminar
  19. Eu também sou assim, é raro ficar doente:)

    ResponderEliminar
  20. eu também penso assim. os miúdos têm de andar na rua, viver, sujar-se, não só para ganhar defesas mas também para serem felizes :)

    ResponderEliminar
  21. Eu também tive liberdade para todas essas coisas. Mas, infelizmente não tenho assim tanta sorte com a saúde como tu.

    Mas, crianças merecem tanto estarem todas sujas de tanta brincadeira :D

    ResponderEliminar
  22. Concordo! Hoje em dia as coisas estão diferentes. Os filhos são demasiado apaparicados e a sua grande maioria tem um percurso diário que consiste em casa-escola-casa. A rua já não é uma realidade e conviver com amigos só na escola. Faz falta, tal como dizes, o brincar, sujar, cair...

    ResponderEliminar
  23. Pelo que escreves, pensei que fosses mais velha :)) Pronto, eu é que sou a eterna adolescente, hehe :)

    ResponderEliminar
  24. Concordo em absoluto! Os meus pais eram (são) galinhas, mas nesse aspecto nunca criaram flores de estufa. Felizmente! Tenho um primo um ano mais velho que eu que andava sempre todos encasacado, cheio de luvas, gorros e meias. No entanto, andava sempre doente. Eu e os meus irmãos, filhos de pais desnaturados, se calhar, andávamos mais à vontade, bem mais à vontade, e até hoje nunca tomei antibiótico, por exemplo. Mesmo que esteja com pessoas doentes, com gripes gigantes, nada me apanha. Costumo dizer que sou tão má tão má que nem os vírus gostam de mim ;)

    ResponderEliminar
  25. Concordo contigo.. As criança não são nenhumas flores de estufa. Têm mais é que viver e conviver com o meio...

    ResponderEliminar
  26. Sábia visão! A minha tia só lhe falta meter os filhos numa bolinha de vidro. Até dá nervos! Não se podem sujar, não lhes pode pousar uma mosca em cima, não convém sairem muito de casa, nunca podem ir a lado nenhum com nenhuma outra pessoa. Enfim, idiotices! Daqui por uns anos, tornar-se-ão desses que longe dos pais, partem a loiça toda.

    ResponderEliminar
  27. Definitivamente, ambas!
    Que continues assim!
    Bjs

    ResponderEliminar