Ponto de equilíbrio

Andamos à procura de um ponto de equilíbrio.

Ele gosta de música muito pesada. Metal pesado, que me dá dores de cabeça. Eu gosto de Michael Bublé e de Josh Groban - o que ele considera uma chatice e ao fim de cinco minutos já está a bater os dedos de nervosinho.

Ele gosta de sair à noite, de beber umas cervejas e estar com os amigos. Eu prefiro tomar café, ir ao cinema ou estar em sítios sossegados.

Ele é todo comunicativo e integra-se facilmente. Eu sou mais reservada e não passo grandes confianças.

Para ele, sair à noite é voltar para casa quando o sol nascer. Eu, depois das três da matina, já estou mais pra lá do que pra cá.

Ele gosta de sair à noite. Eu digo-lhe que vá, mas que não me leve de arrasto. Ele gosta de ir e faz questão que eu vá com ele. E eu gosto de ir, gosto de estar com os amigos dele, gosto de fazer parte do mundo dele mas... convenhamos... é difícil pra caraças ficarmos ambos agradados.

Comentários

  1. é a fase de adaptação. difícil.... ui

    ResponderEliminar
  2. Pois, mas isso vai ao sítio. É só o começo. Também tinha assim muitas diferenças mas agora já está tudo em sintonia, passei a gostar de tipos de música que ele já gostava, ele passou a gostar de ir a um bar antes de ir pra discoteca, por exemplo. Se ambas as partes cederem um bocadinho acaba por não ser muito complicado.

    ResponderEliminar
  3. Às vezes pode parecer complicado, mas é uma questão de tempo. Acredita :)

    ResponderEliminar
  4. Nada que não se resolva com duas prendinhas que, quem sabe, ele não te oferece no Natal: um fogão e uma tábua de engomar, se me faço entender. :)

    ResponderEliminar
  5. Lá terão de existir cedências de ambas as partes, e, pouco a pouco, vão-se adaptandado ;).

    ResponderEliminar
  6. Eu e o meu namorado somos tal e qual, muito diferentes mas conseguimos agradar a ambos...dependente da situação.

    ResponderEliminar
  7. Pouco a pouco irá aparecer esse tal ponto de equilíbrio. Boa sorte e felicidades :D

    ResponderEliminar
  8. Acima de tudo é uma fase de adaptações e encontrar um equilíbrio. Acredito que seja necessário algumas cedências de parte a parte. Não abdicar do que se é e gosta, mas encontrar um ponto de equilíbrio para que um dia mais tarde não se diga que se abdicou disto ou daquilo em detrimento do outro.

    ResponderEliminar
  9. Ahh pois... ou então mete-o a cozinhar e a passar a ferro a ver se ele sabe o que é "Metal pesado" lool.
    Olha que o fogão e o ferro pesam que se farta loool.

    ResponderEliminar
  10. S* não existe ponto de equilíbrio no que apresentastes só de diferença. Gerenciar a diferença com tantas coisas incomuns a meu ver impossível. A curto prazo se consegue a médio e longo prazo não. Lembre-se ninguém muda ninguém.

    Não vou te dizer meias palavras, sou sincera, mas quero que saibas que gostaria que tudo dê certo e que torço por ti.

    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Somos sempre diferentes uns dos outros e isso é perfeitamente natural. De qualquer das formas, o truque não está em mudar mas sim adaptar. Com o tempo, já se torna muito nosso.

    ResponderEliminar
  12. Onde já ouvi esta conversa??? Comigo passou-se o mesmo e já vamos a caminho dos 10 anos!

    ResponderEliminar
  13. nem o criador agradou a toda a gente...


    bj

    ResponderEliminar
  14. Com diálogo e sinceridade, tudo se ultrapassa!

    Bjokas

    ResponderEliminar
  15. pois tem de encontrar o equilíbrio e aí que está o desafio......

    ResponderEliminar
  16. Musicas e isso são paneleirices. E na altura do coiso e tal, entendem-se ? isso é que interessa porra.

    Mai nada

    ResponderEliminar
  17. Repara que é chato quando gostam os dois de sardinhas! Podem cair no erro de comerem só sardinhas, tendo uma vasta escolha a disposição e não partilhar gostos diferentes. A fase de conhecimento serve para isso mesmo :)
    Kiss

    http://so_risoincognito.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  18. Ainda são muito jovens e a idade muda as pessoas. Ninguém ouve heavy metal para sempre... nem cançõezinhas delicodoces! :P
    Eu ando por cá com o mesmo gajo há mais de "vinte x 365 dias" e somos muito diferentes. Pronto, eu vou a alguns concertos que não me dizem grande coisa e ele acompanha-me a filmes que o fazem bocejar um bocado mas faz parte... :))

    ResponderEliminar
  19. No início do namoro eu e o meu ex também eramos muito diferentes. Ao fim de algum tempo estávamos estranhamente parecidos, em tanta coisa!
    Cada um manteve a sua individualidade, mas nas coisas mais importantes já pensávamos (e continuamos a pensar, acho eu...) tal e qual. É uma questão de tempo e, claro, de algumas cedências, sempre.

    ResponderEliminar
  20. Com calma, compreensão e cedências das duas partes vão encontrar um meio termo ;)

    ResponderEliminar
  21. Os opostos atraem-se! Se fosse tudo coincidente era uma chatice, mas tem sempre de haver equilibrio entre ambos, num dia como um quer, no outro como o outro quer!

    ResponderEliminar
  22. Tal como mencionas, em tudo existe um ponto de equilibrio. E juntos espero que o encontrem :)

    ResponderEliminar
  23. isso acontece sempre que as pessoas têm hábitos e gostos diferentes, mas com boa vontade tudo se arranja, bjs

    ResponderEliminar
  24. Olá, não te preocupes, até é bom vocês terem gostos distintos. Acabam por se complementar!
    Beijinhos,Sofia

    ResponderEliminar
  25. Mas é giro ir "adaptando" e "agradando"...

    ResponderEliminar
  26. Lembrei-me do par complementar, ou seja, são diferentes e um completa o outro. Gostei muito da opinião de Terrible. Me veio a mente aquele filme ¨Feitiço de Áquila¨ lua e sol. Bem, é muito angustiante, como disseste precisa de equilíbrio.

    Boa sorte!!!

    ResponderEliminar
  27. dividam lá os gostos.
    Ora um dia faço eu isto, no próximo escolhes tu...

    e sempre assim, vais ver como resulta :)

    ResponderEliminar
  28. :) Gostei, S*!

    Custa sempre, e se tivesses alguém igual a ti, iria acabar por se tornar aborrecido. Com o tempo vai ao sítio! ;)

    ResponderEliminar
  29. É difícil mas não impossível, eu sei! Eu e o meu marido éramos muito diferentes, nunca tivemos uma zanga com ameaça de divórcio, só aquela "senhora muito poderosa", nos conseguiu separar ao fim de mais de 40 anos.

    ResponderEliminar
  30. e tem ele muita sorte que nao sejas daquele tipo de namorada que impede/proibe o namorado de estar com os amigos... ha muito "boa" gente assim. :S

    ResponderEliminar
  31. Realmente é complicado. Têm de se adaptar um ao outro. Com o tempo essas coisas são ultrapassadas. *

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares