Avançar para o conteúdo principal

Controlo

Hoje um cliente, um homem de 30 anos e pai de uma filha, roubou o telemóvel à namorada para lhe ler as mensagens.

Sentados no carro, ao meu lado, a terem uma discussão patética. Ela a exigir o telemóvel de volta e ele a dizer que queria saber o que ela estava a responder a lá sei quem... alegadamente uma amiga.

Virei a cara e fingi que não era nada comigo.

Que vergonha.

Comentários

  1. Arrufos domésticos e ciúmes parvos em público caem sempre bem...

    ResponderEliminar
  2. eheheh as vezes eles nem tenhem noção que estao em publico.. só pode.. loool

    ResponderEliminar
  3. Há pessoas que não têm noção do ridículo.

    ResponderEliminar
  4. LOL
    É que mesmo que fosse verdade, gritar não era solução! Enfim, vergonha mesmo!

    ResponderEliminar
  5. Desconfianças... Talvez desnecessárias...

    Kisses*
    Fénix*

    ResponderEliminar
  6. Mali mali, credo Virgem Santissima que poucas vergonhas essas.... Muah

    ResponderEliminar
  7. Uma vez uma amiga mandou-me uma mensagem que era para a filha. Dizia: "Sim, meu amor! Mais logo! Beijos"
    Imagina que se enganava e a mandava para um homem e o companheiro via! Um mal-entendido dos diabos!
    Felizmente, cá em casa ninguém vê o telemóvel, revista bolsos, ou outras parvoíces que tal! Bolas!

    ResponderEliminar
  8. O problema é que tu tiveste vergonha, mas eles não.

    ResponderEliminar
  9. Ah! É sempre bom assistir a essas cenas. Inseguranças manifestadas em público revelam muito da podridão de uma relação. E a vergonha é de quem assiste ao espectáculo...

    ResponderEliminar
  10. Homem controlador dá que nem erva daninha... arranca logo.

    Literalmente ¨arrancar o mal pela raiz.¨

    ResponderEliminar
  11. hahahahhaha, ta vendo como eles fazem tambem?

    ResponderEliminar
  12. Será caso de "gato escaldado de água fria tem medo?". ;)

    ResponderEliminar
  13. Bom, pelo que tenho lido, reparei que na minha curta ausência arranjaste emprego. O que não sabia é que agora eras motorista de taxi.

    ResponderEliminar
  14. essas situaxoes n sao so tipica dos jovens (subentendaxe miudos) de hj em dia...
    o ciume é uma coisa tramada... e nalguns casos doentia
    bjs*

    ResponderEliminar
  15. E aprender a falar entre quatro paredes não?!

    É como dizes, que vergonha!

    ResponderEliminar
  16. Quando as coisas começam assim é meio caminho andado para a ruptura. Sem confiança não há relação que resista, bjs

    ResponderEliminar
  17. lá está o conceito de vergonha social. eu morria de vergonha ali, na tua situação. que situação embaraçosa para todos

    ResponderEliminar
  18. Também não concordo nada com esse tipo de atitudes, até porque são uma perca de tempo. Repara no seguinte, se uma pessoa quiser "saltar para fora da cerca" irá mesmo fazê-lo, independentemente de que o outro tente ou não controlá-la...

    ResponderEliminar
  19. Por isso ainda estou sozinha, é que sou ambiciosa, para mim uma relação tem de ter uma base sólida, baseada em comfiança, cumplicidade e companheirismo, onde reside a desconfiança a relação não tem harmonia, é uma relação fraca e oca.

    ResponderEliminar
  20. naložbeno zavarovanje [url=http://www.publikumsi.info]publikum.si[/url]

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.