Sou meia totó

Nunca fiquei realmente zangada com alguém. Nem sei ficar. Assim como não sei guardar rancores. Nem sei não perdoar.

Isto não é ser boa pessoa. É ser totó.

Mal notem que tu não te queixas, pisam-te como se fosses uma insignificância. Quem nasceu para ser pisado é tapete.

Comentários

  1. eu não sei ser assim. às vezes isso também é mau...

    ResponderEliminar
  2. É a mais pura verdade, abusam e abusam até uma pessoa dizer chega =P


    gostei muito do blog ^^
    beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Se me chega a mostarda ao nariz...ui...não há quem escape...
    Não gosto que me pisem.

    ResponderEliminar
  4. Eu, é até encher. Mas tbm deixo que me pisem muito. Quando deixo de me importar deixo de me lembrar que me pisaram e a coisa passa a ser indiferente. Mas rancor, nunca. É uma palavra e um sentimento muito feio.

    ResponderEliminar
  5. Fico extremamente chateada quando me pisam, mas o que é certo é que vou deixando que isso aconteça...
    É, também devo ser totó...

    *

    ResponderEliminar
  6. Gostei "Quem nasceu para ser pisado é tapete." Eu sou um bpcadinho como tu, e depois sou pisada e magoada vezes sem conta... : /

    ResponderEliminar
  7. Pisam uma vez... Nós deixamos... Pisam sempre... =/

    ResponderEliminar
  8. Eu já estou a ficar perita em não perdoar e a cortar radicalmente com as pessoas. E quando digo radicalmente, é mesmo tipo "fazem-me x ou y agora, logo à noite já não sei quem são".

    ResponderEliminar
  9. eu também sou um bocado totó nesse aspecto, às vezes. mas quando me magoam a sério, não consigo esquecer. posso desculpar, mas fica sempre comigo.

    ResponderEliminar
  10. Ainda sou assim um bocado, mas muito menos do que era...temos de aprender a dar mais valor ao que somos e a ganharmos mais respeito e amor-próprio!

    beijinho*

    ResponderEliminar
  11. Totó é o meu segundo nome!! --'

    Mas claro que sei que ás vezes é um exagero e há que sacudir a poeira.. *

    ResponderEliminar
  12. Verdade, verdadinha. E não vale a pena esperarmos o bom senso alheio. Quando apanham a oportunidade, toca de pisar e bem pisado.

    Aqui deste lado está outra totó, que ultrapassa as coisas pensando apenas naquilo que as pessoas têm de bom.

    Mas não vale mesmo a pena. Há que aprender.

    Beijocas :)

    ResponderEliminar
  13. Demonstra a tua boa natureza, mas.. toma cautelas e não te esqueças que a desconfiança hoje em dia é uma virtude.

    ResponderEliminar
  14. Eu não vejo as coisas dessas forma. Se é verdade o que dizes, não saber o que é não perdoar, então podes escolher ver as coisas de outra forma que não essa - de ser tótó. Repara que, saber perdoar é uma das virtudes mais raras de se encontrar nas pessoas. Quando perdoas, fá-lo por ti. Ao perdoares de coração, curas a tua ferida interior, caso contrário sujeitar-te-ias a viver na revolta. Com a revolta, arriscamo-nos a alimentar o ódio; pelo outro, por nós e pelo mundo em geral. As atitudes, essas ficam com quem as comete. E tu, como já disse, podes escolher te ver como uma pessoa com um qualidade rara, em vez de tótó. Que interessa o que os outros acham? Os outros não existem. O perdão puro é das coisas mais bonitas que existe em nós. Não devemos é confundir perdão com reconciliação. As pessoas confundem isso...Não é a mesma coisa.


    Não estou a tentar modificar a tua opinião sobre esse assunto. Apenas te transmito a minha opinião, ciente de que respeito a tua. :)

    ResponderEliminar
  15. isso é verdade, S*! tens que fazer um esforço para ser selectiva no que merece realmente ser perdoado ;)

    ResponderEliminar
  16. também sou meio assim como tu, não fico chateado como há pessoas que ficam anos chateadas por discussões.. enfim!

    ResponderEliminar
  17. pois... Eu também não consigo ficar chateado com ninguém. Totós, nós? Não acho. Quem prefere ficar chateado e não resolver os assuntos "pendentes" revela ser uma pessoa sem carácter.
    Mas como referes também concordo que apesar de preferirmos resolver os problemas e perdoar, também há que saber nos impor e estabelecer um "limite de perdão" de maneira a não sermos espezinhados.

    Até porque perdoar até perdoa, mas esquecer... isso já não. Não deixo que me as façam 2 vezes..

    bye

    ResponderEliminar
  18. Eu sou totalmente ao contrário.
    Então, o que seria melhor??
    eu não sei...
    ¬¬

    ResponderEliminar
  19. Olá!
    Perdoar ??? Não.
    Esquecer??? O tempo encarrega-se disso!!!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  20. O meu problema e que não consigo ficar com remorsos, principalmente de pessoas mais intimas.

    beijinhos*

    ResponderEliminar
  21. Não será exactamente ser totó, mas também não é propriamente ser simplesmente boa pessoa. Por vezes, é mesmo um processo de aprendizagem; saber perdoar é uma virtude, mas saber quando se deve realmente fazê-lo ainda mais.

    Durante muito tempo fui assim, panhó e a aceitar as desculpas mais que esfarrapadas de quem me tinha feito do pior. Até que chegou o dia em que disse basta e comecei a pôr tudo em perspectiva. Ainda perdoo (e ainda quase sempre), mas aprendi a reconhecer quando alguém não o merece, de todo, que eu o faça. E aí, por muito que custe, ajo conforme.

    É uma aprendizagem; e não é uma fácil de se fazer.

    ResponderEliminar
  22. identifiquei-me. gostava de não ser assim, mas não consigo. acho que me habituei.

    ResponderEliminar
  23. Podia ter escrito este post. E sim, só podes ser boa pessoa (e tóto).

    ResponderEliminar
  24. Muito simpatica e honestamente digo que tens um pouco de razão. Mas também é seres boa pessoa, mesmo que não o sejas tanto para ti por causa disso.

    ResponderEliminar
  25. Eu já fui mais totó.
    Com a idade vamos aprendendo a deixar de ser tapete e a ser sapato.

    ResponderEliminar
  26. Eu já fui mais totó.
    Com a idade vamos aprendendo a deixar de ser tapete e a ser sapato.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares