Se choras sem razão...

Se choras sem razão, eu dou-te uma razão para chorar.

A lógica da minha mummy (a melhor do mundo!) para educar os seus três filhos foi esta. Se faziamos birras patetas, uma torcidela discreta das orelhas fazia-nos ficar logo em sentido.

Hoje somos três adultos calmos, bem comportados e sem problemas de maior. Sim, modéstia à parte, somos três adultos mentalmente sãos.

Não ficamos traumatizados com chapadas nas fuças ou sapatadas no rabo. Se faziamos porcaria, ela olhava para nós com aquela expressão e nós fechávamos logo o bico. Já nem era preciso bater. Nós viamos nos olhos dela que já estavamos a abusar. E parávamos.

Hoje fui à médica. E, obviamente vi lá miúdos birrentos que gritam a toda a hora, sem motivo ou justificação.

Incomodam-me crianças que não páram quietas um minuto. Incomoda-me que os pais deixem os bebés a correr livremente pelos restaurantes, afinal as outras pessoas têm direito a almoçar em paz. Incomoda-me que os deixem gritar como se estivessem a ser torturados. E fico possessa da vida quando vejo os filhos a maltratar os pais só porque não lhes foi dado o brinquedo que pediam. Era o que mais faltava!

E não, não sou eu que detesto crianças. Gosto do meu baby brother de 20 meses, que se sabe comportar e não chateia ninguém. Mas para putos mal educados, tolerância zero. Os miúdos mal educados são fruto de pais mal preparados.

Dar uma palmada nas crianças pode não resolver o problema. Mas acalma os meus ouvidos. Eu já estava nervosinha por ir tirar sangue, escusava de estar a ser incomodada por gente que não sabe estar. Sim, sou meia froufrou e reclamo bastante. E daí?

Comentários

  1. Exactamente a minha opinião. Há pais que parecem que não sabem educar os filhos. Uma valente palmada no rabo quando abusam só faz é bem.

    ResponderEliminar
  2. Olá S*

    Como eu te compreendo e subescrevo.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Poderia ter escrito este post! E esta é mesmo a minha frase favorita ("Se choras sem motivo, dou-te em 2 segundos motivo pra chorar"). Eu nem parto prás palmadas, mas dar um aperto nos braço e falar com firmeza, olhando nos olhos, dá muito respeito:)
    Atenção que não tenho filhos, diz quem sabe que quem não tem filhos não deveria falar:p
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. O problema, S*, é que há muita gente que fica aflita por ver um pai bater num filho hoje em dia. Já aconteceu com uma pessoa que conheço, ser ameaçada se tocasse no filho.

    E isto é extensível a professores. Eu estava a dar um atelier no ano passado a putos do 7º ano. Não paravam quietos nem se calavam. Peguei no mais irrequieto, sentei-o ao pé de mim e disse-lhe que era melhor acalmar-se. Passado 30 segundos, estava na mesma. Levou um calduço e ficou calado o resto da sessão. Mas se visses o ar da prof que vinha com a turma, como se eu tivesse acabado de espancar o miúdo!

    Penso que esta nova geração está perdida...

    ResponderEliminar
  5. por vezes os miudos sao assim porque os pais permitem...

    há crianças que dao muito trabalho, mas so vao até onde os pais deixarem...

    estava eu num supermecado quando ouço um miudo (nao tinha mais de 10 anos) a dizer:
    - fogo pai, que merda...

    ora bem, um filho meu a dizer-me isso levava uma chapada que acho que tinha que ir logo com ele ao oftalmologista (como quem diz claro)... :P

    hoje em dia os miudos sao mal criados muito cedo e um dia ninguem, nem mesmo os pais, conseguem ter mao neles...

    enfim...

    beijoca :)

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Eu concordo...
    A "psicologia aplicada" como quem diz, uma boa palmada no rabiosque nunca fez mal a ninguem ;=))


    Beijocas
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Os pais há muito que se demitiram do seu papel de educadores, S*. Portanto, é o que temos: muitas crianças prepotentes, a darem pontapés nas avós e bofetadas nas mães. A responsabilidade é toda dos adultos, cegos por pedagogias e desinteresse.

    ResponderEliminar
  8. Pois olha que a minha mãe era exactamente assim e não foi por isso que eu morri. Ninguém morre por umas palmadas no rabo, ou um aperto no braço. Tal como tu, aprendi a ganhar respeito apenas pelo olhar dela..mas penso que hoje em dia as crianças têm cada vez menos esse "respeito", se é que me faço entender. Eu que adoro crianças também não tenho paciência nenhuma para essas birrinhas..e já para não falar da má educação que alguns filhos têm para com os pais..mas isso dava assunto para outro post...

    ResponderEliminar
  9. Concordo contigo. Adoro crianças... mas má educação é insuportável :S

    *

    ResponderEliminar
  10. É por isso que eu gosto de vir ao teu blog. Quando num reclamas, nem é um dia normal lol

    Em relação às crianças, acontece o mesmo problema com os italianos: gostam imenso de falar. É por isso que, por vezes, finjo que sou turista lol

    Bom fim de semana :o))

    ResponderEliminar
  11. As crianças na maioria das vezes, acabam por ser o reflexo do que os país foram e a forma com que lhes é incutida a sua educação. Na maioria dos casos as "pobre almas", não são as verdadeiras responsaveis e culpadas pela situação, afinal são crianças, ainda sem o bom senso, para perceberem se estão a fazer/ter comportamentos menos abonatórios, e os miúdos, não têm na realidade verdadeira culpa, por possuírem país tão pouco ou não responsáveis. : |

    ResponderEliminar
  12. Subscrevo o que dizes! Mas olha que alguns dos pais bem que mereciam umas valentes palmadas!

    ResponderEliminar
  13. claro que sim! Crianças mal comportadas são o fruto de pais que não as sabem educar... e mais... São pais que não as controlam e não gostam delas, porque um pai que gosta muito do filho tem que saber dizer não!

    :*

    ResponderEliminar
  14. Há pais que tentam compensar a sua ausência da vida dos filhos (pelo pouco tempo que passam juntos) com demasiado mimo, e com total desleixo pela sua educação...cedem a todos os caprichos e dá no que presenciaste...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  15. Nem mais!
    Estou 100% de acordo e também fico irritado (furioso é a expressão mais correcta) com esses putos merdosos, cujos pais parecem vindos de um outro planeta.
    Fui educado por mãe viúva e nunca fiz uma birra. Por isso era o que faltava um filho meu deixar-me envergonhado ou incomodar alguém com berrarias e faltas de educação.
    Uma palmada na hora certa, pode evitar que se chegue às grandes tareias, essas sim, desnecessárias por tardias.
    É de pequenino que se torce o pepino, não é depois de ele estar irremediavelmente torto.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  16. Já que todos concordam... Eu discordo! discordo que uma criança deva estar sentada á mesa durante hora e meia, enquanto dura um almoço ou um jantar, as crianças não percebem isso, atrofiar uma criança é das piores coisas que eu penso que se pode fazer, dar-lhes liberdade, deixa-las ser criativas é para mim das coisas mais belas, misturou-se ai duas coisas, que quanto a mim não se podem misturar, uma coisa é a má educação, o modo como se dirigem aos pais, outra coisa é o seu comportamento, gosto de miudos irrequietos, com personalidade, que ousam, ao inves aqueles totozinhos que se sentam á beira da mamã a ouvir a conversa de mulheres, esses bananinhas apetece-me despentea-los!
    E eu fui uma criança com essa liberdade, do deixar andar, é bom sentirmo-nos protegidos, como eu me sentia com o meu Pai. Passados tantos anos, rio-me da estupides das pessoas, por eu ser diferente, por eu ser espertalhão, por eu questionar, por eu ousar fazer as coisas era tido como um miudo com problemas. Quantas vezes a minha mãe não foi ao jardim de infancia ou á Primária pk o menino portou-se mal, e pk isto e pk aquilo. Santa Burrice, aqui estou eu... Pessoa Sã(creio) e nada Psicotico(axo).
    Deixai as Criancinhas viver a sua Infância... elas vão ter tempo pa perceber a merda de mundo que as espera. Cheia de Regras, de hipocricias e faz de contas...

    ResponderEliminar
  17. Sempre ouvi dizer " quem dá pão, dá educação" e ums boas palmadas no rabo nunca fizeram mal a ninguém, no meu caso, foram poucas aquelas que caíram ao chão e se perderam, e graças a Deus ainda estou por cá.

    :) Beijos

    ResponderEliminar
  18. teoria do medo é o melhor, não é preciso o homem do saco vir mas pensar que ele existe e pode vir se nos portarmos mal.. LOL

    ResponderEliminar
  19. Tens toda a razão. É tudo uma questão de educação. Como uma vez já li, "Eduquem as crianças para mais tarde não castigarem os Homens".

    Grande beijinho.

    ResponderEliminar
  20. Eu gostei de tu a dizeres sou meia frou frou!!!!O post está mesmo bom! :)

    ResponderEliminar
  21. Também adoro crianças. Mas choca-me imenso as que fazem trinta birras seguidas e cujos pais satisfazem todas as vontades, ainda para mais porque a geração que agora os educa foi, à partida, educada de forma semelhante à tua e à minha...

    ResponderEliminar
  22. ora nem mais, putos birrentos são fruto de pais mal preparados! ora nem mais... mas depois os pais ficam desesperados porque acham que os filhos são hiperactivos! oh por amor de deus.

    ResponderEliminar
  23. O pior, pior, é que... enquanto não são pais, ouço toda a gente a criticar. Agora que começo a ter amigos com filhos verifico que muitos se esqueceram do que anteriormente pregavam! E tenho um medo de morte que me aconteça o mesmo a mim, um dia... porque se há coisa que me tira do sério são crianças birrentas, indomáveis e mal-criadas!

    ResponderEliminar
  24. Pois crianças são feitas para isso mesmo: deixar os adultos louco, loucos e loucos.

    Qual é a vantagem de ter crianças por perto? Elas nos tornam eternamentes jovens.

    Simples assim.

    ResponderEliminar
  25. Filhos mal edicados são o castigo mais do que merecido de pais que não sabem sê-lo. Penso que essas birras não são falta de umas palmadas, são o reflexo de promessas não cumpridas, de falta de compreensão, de falta de regras, de mimos para compensar ausências. Psicologia de mãe... O meu filho não é birrento, porque é confiante e independente

    ResponderEliminar
  26. o problema hoje em dia é q os pais com o medo de magoar e traumatizar os filhos, Aacabam por fazer grandes asneiras com a personalidade dos petizes tem medo de castigar de dizer nao de repreender... E depois acabam por sofrer as consequencias e claro sofrendo os filhos também.

    ResponderEliminar
  27. Nem digas nada--- Mas a culpa é dos papás...
    Beijo

    ResponderEliminar
  28. citando a mha avó "é a educação que levam em casa"...
    sinceramente não curto nada de berreiros e andar a ser incomodado pelos filhos dos outros lolol... quando quiser logo faço um, e tento educá-lo primeiro em casa xD

    =D

    ResponderEliminar
  29. uma coisa que me chateia muito são os putos a correr a berrar e os pais 'ó Jaquim pára quieto. anda cá. Jaquim pára!' e a criança continua aos tropeções a berrar em plena praia/restaurante/rua/sejaláoquefor
    e os paizinhos de cú alapado na cadeira sem fazer nada, so a berrer tanto quanto os putos. não há pachorra!

    tens um mimo no meu blog para ti :) *

    ResponderEliminar
  30. Quando uma palmada é dada com motivo as crianças aprendem e sabem a razão porque levaram. Agora dar palmadas sem razão aí é que não.. São crianças mas conseguem distinguir quando as palmadas são merecidas ou não. Pelo menos com o meu maninho pequeno as coisas funcionam bem assim, embora resolva sempre as coisas a conversar ou dar exemplos.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  31. Sempre levei uns bons açoites qdo era puto e n me fez mal nenhum. Se hj sou um gajo sem frescuras (tenho algumas, pronto) foi mto à pala disso.

    ResponderEliminar
  32. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  33. Também me incomoda imenso e acho que uma bela palmada de vez em quando, só faz é bem! A minha Mãe e a tua foram educadas na mesma escola, a minha é [ou era, já cresci =)] igual! ;)

    E resultou! Tive uma excelente educação que quero transmitir aos meus filhos...

    ResponderEliminar
  34. Olá,

    Posso deixar uma sugestão? Porque não colocas todos os comentários há tua aprovação antes de serem publicados?

    Assim já desencorajava esse(a) anónimo(a) que cá vem mandar umas boquinhas... Enfim já gentinha muito infeliz!

    Continua com o excelente blog que eu adoro ler.

    Bjs

    ResponderEliminar
  35. Acerca da tua mãe:
    - o respeito e a educação nao tem nada a ver com bater.

    Acerca dos putos mal educados:
    - Tb nao tenho paciência nenhuma pare birras, nem para exigências.Parece que querem mandar nos pais! e se são assim em crianças...nao vão dar bons adultos!

    ResponderEliminar
  36. Hyndra, óbvio que nada tem a ver com bater. Mas tem tudo a ver com o saber impor limites às crianças. Na maior parte das vezes, um "não" bem dado ou um olhar mais cortante são suficientes.

    ResponderEliminar
  37. a lógica da minha mãe era parecida: 'vê lá se queres chorar por gosto' xD ah, ainda bem que não vives na minha rua..

    ResponderEliminar
  38. Tiraste este post da minha cabeça! Eu penso exactamente a mesma coisa...

    Os meus sobrinhos têm 9 e 7 anos e não fazem esse tipo de birras, podem amuar um pouco, agora espernear ou gritar. NEM PENSAR!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  39. Isso depende muito das crianças... É certo que há pais que não têm a mínima vocação para os educar e em grande parte a culpa é deles. Mas também já vi crianças que parece que são possuídas pelo demo e que por mais que se faça não se tem mão neles... Assim como conheço outras que, a julgar pela educação que recebem, seria de se esperar que fossem mal-educadas e mal comportadas e são uns amores.
    Mas com certeza que na maioria dos casos são fruto da educação que recebem...

    ResponderEliminar
  40. Cada vez gosto mais do teu blog! Concordo sempre contigo, parece que fui eu que escrevi! Também levei umas belas palmadas em criança e só me fez foi bem! Detesto crianças mal educadas!
    Continua! =)

    ResponderEliminar
  41. Este post poderia ter sido escrito por mim... hehehe

    ResponderEliminar
  42. Este post poderia ter sido escrito por mim... hehehe

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares