Avançar para o conteúdo principal
Para que conste eu NÃO tenho as pernas magras. Estava a ser irónica meus amores.

Como diria uma certa pessoa, são fofinhas. Fofinhas! Sou só eu que acho "fofinho" ofensivo?

:P

Comentários

  1. Quando é que vocês, mulheres, se convencem que nós até gostamos de coisas fofinhas?

    ResponderEliminar
  2. Olá, Olívia Palito :=)
    Fofinho ofensivo? Só se for pra quem emprega o termo.
    Por exemplo: para um "macho latino", fofinho é capaz de ser um bocado "roto" ahahah.

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. deixa lá isso, o que interessa é serem fofinhas eheheheh


    beijinho fofinho (ou este será ofensivo? LOL) :)

    ResponderEliminar
  4. Fofinho não é ofensivo... É RABETA! :P

    ResponderEliminar
  5. Achas ofensivo do tipo, podias ter-lhes chamado tantas coisas mas "fofinho"?! Não ligues! Não é um termo depreciativo!
    Beijinhos! =)

    ResponderEliminar
  6. Ena...

    E se disseremos que são queridas?

    ResponderEliminar
  7. Ja viste aquele video da Colbie com o Mraz ao vivo no programa da Ellen?
    A Colbie tem umas pernocas fofinhas. E aqui fofinhas assume o papel de PERNÃO BOM mesmo =D

    Aqui:
    http://www.youtube.com/watch?v=tYhYYHE-iVI

    Beijocas*

    ResponderEliminar
  8. Mr. Me, é rabeta? ahahah

    Conheço alguem que nao vai gostar de ler isso. :P

    Lúcio, elegantes é optimo. Pode é nao ser bem verdade. :P

    ResponderEliminar
  9. Ora aí está, um adjectivo que nunca pensei aplicar as pernas, mas és capaz de ter razão, fofinhas acaba por ser um termo corectissímo! :)

    Quanto à frase que tens na secção de comentários, penso ser um convite à minha pessoa! :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  10. Não creio que "fofinho" seja ofensivo, se bem que não me lembro de ter visto antes esse adjectivo aplicado às pernas. :)

    ResponderEliminar
  11. Lol É carinhoso miúda!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Fofinha és mesmo fofinha sanxeryta..... lololololollll
    bjo

    ResponderEliminar
  13. São as tuas pernas, por isso falas como queres ;)
    Não acho o fofinho ofensivo, mas depende do contexto e de quem o diz...

    ResponderEliminar
  14. Acho que "pernões" é mais :P
    "fofinho" hum, não me parece que seja.

    *

    ResponderEliminar
  15. Antes de eu emagrecer, o meu Coiso também estava sempre a usar esse eufemismo: "Não estás gordinha estás fofinha"; "Não são nada banhas, são fofinhisses".
    Eu sei que ele é um verdadeiro fofinho (aqui é na verdadeira acepção da palavra), mas juro que a minha mente ficou condicionada e, hoje em dia, associo sempre as "fofinhisses" às gordurinhas.
    Ai, nós mulheres!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.