Avançar para o conteúdo principal
Ora bem, como parece que o último texto gerou alguns mal-entendidos, deixa-me cá corrigir a coisa.

Eu não vou fechar o blogue. Não era a isso que me referia. Se já pensei fazê-lo? Sim, já pensei. Já senti que me expus demasiado, já senti que disse mais do que devia ter dito. Já senti que havia gente que me conhecia (assustadoramente) bem somente por ler o meu blogue.

Tenho um problema. Sou uma pessoa de extremos. Se gosto, gosto muito. Se não gosto, não gosto mesmo nada. Ou sou preto ou sou branco, não sou apologista dos cinzentos.

E eu gosto do meu blogue. Já me permitiu conhecer umas quantas pessoas com quem me dou bastante bem no mundo virtual. Também já estrapulei os limites do virtual e já optei por conhecer pessoas no "mundo real" através do blogue. Por isso mesmo, pelas relações que me permitiu criar, não pretendo fechá-lo tão cedo.

Ok, tenho alguns anónimos mais antipáticos. Mas com isso posso eu bem.

Eu gosto de escrever, gosto de ler outros blogues, gosto das relações que se criam. Gosto de falar na internet com a Petra e lê-la dizer que me considera sua amiga. Gosto, pronto. Mais do que um blogue, é um meio que me une a pessoas por quem nutro carinho.

Depois da lamechice matinal, ora tenham um bom dia!

Comentários

  1. Não pensei que fosses acabar com o blogue, e ainda bem que não o vais fazer! Um bom dia para ti! =)

    ResponderEliminar
  2. Tb nao me passou tal coisa pela cabeça: que fosses acabar com o blogue. Ainda tou nesta coisa dos blogues há relativamente pouco tempo...mas parece-me um mundo divertido. E acho que há coisas que nao devem ser contadas... fazem parte de nós e de mais ninguém. :-D Bom dia para ti tb!

    ResponderEliminar
  3. São fases..:)
    Bom dia também.
    um beijinhoo.

    ResponderEliminar
  4. "Tenho um problema. Sou uma pessoa de extremos. Se gosto, gosto muito. Se não gosto, não gosto mesmo nada. Ou sou preto ou sou branco, não sou apologista dos cinzentos."- Ora aí está!!
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Isso mostra a exelente personalidade que tu tens...
    O meu blog tb é muito importante para mim mesmo quanto aparecem alguns anonimos mais idiotas, mas que se pode fazer? O meu pensamento é que de uma maneira boa ou má o meu blog e a minha pessoa os marcou e por isso tiveram que opinar...

    Conta sempre cmg neste cantinho
    Bjxxx

    ResponderEliminar
  6. antes de tudo: é bom poder comentar o post!.. a censura já lá vai :P

    realmente o post anterior é muito ambíguo... dá para notar que existem algumas dúvidas na tua cabeça, mas acho que uma conversa as pode resolver...(estou eu a falar de cor, ou não!)

    ResponderEliminar
  7. Quanto ao post anterior, também não pensei que tivesse que ver com o blog...
    Quanto a este post, partilho da tua opinião. É um excelente meio de comunicação. Eu gosto de passar como não identificado, mas é quase impossível.

    Que se lixe! ;)

    ResponderEliminar
  8. São ossos do ofício. Um blog, embora há quem pense o contrário, dá trabalho, obriga a oblação e imolação pessoal para que tudo resulte. Nem sempre é possível. O importante é aprender com os erros e melhorar sempre.

    cheer up!

    ResponderEliminar
  9. É bem verdade! Muitas vezes parece que de facto conhecemos mesmo bem a pessoa que está do outro lado! E os laços vão-se criando tal e qual uma qualquer amizade. E isso...isso sabe mesmo bem .:)

    ResponderEliminar
  10. Ainda bem, gostei de o ter descoberto. Continua a escrever!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Eu tbm gosto muito disso tudo :) E ainda bem q o teu está cá p/ficar!

    ResponderEliminar
  12. Ainda bem que não o vais fechar..pois faz parte das minhas leituras matinais :)

    ResponderEliminar
  13. Aii de ti se fechasses o blog ;)

    E deixa-me que te diga que o texto anterior está brilhante.. Um bjinhu

    ResponderEliminar
  14. Tb não me pareceu o fim, mas um desabafo, que não admite comentários e ponto final. Há coisas que tornariam os blogs bem mais interessantes, mas não podem ser publicadas, sob pena de se virarem contra nós. Anónimos é praga a combater, quem não se assume, não merece o nosso tempo...

    ResponderEliminar
  15. Oh, tão fofinha.

    Nós também gostamos muito de ti ;)

    Jokinhas

    d(^^)b

    ResponderEliminar
  16. "As coisas vulgares que ha na vida, nao deixam saudade"
    Certamente que irias deixar saudade!

    "A minha estrada? Fechada para obras."
    Eu não associei ao blog... =)

    *

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.