Uma mãe é isto?

Eu nem me choco com as palmadas. Eu levei muitas palmadas quando era pequena e não morri.

Choco-me sim com as palmadas dois ou três dias depois da menina ter ido para um país que não conhece e ter ficado sem a família que amava.

A mãe a fumar à frente da criança é horroroso. Mas mais horroroso ainda é o tom de voz, agressivo e desprovido de amor.

É assim tão mau que a menina peça para ver a irmã? Pelos vistos para esta cabra é. Dá logo direito a espetar dois bofardos à menina e empurrá-la.

Dizer mal da "família" da miúda é mau, mas dizer "vendê-la para tirar órgãos ou mandá-la para uma casa de prostitutas" como se fosse uma coisa muito normal é... enfim... triste.

Se é assim à frente das câmaras, imaginem no recato do lar.

Comentários

  1. É o estado em que nossa justiça está...e eu ando lá a chafurdar...

    Se se respeitasse o "interesse superior da criança", como aliás manda a lei, nunca se poderia chegar a uma solução destas...

    Mas pronto, parece que estes juízes ganharm o diploma numa embalagem de Cheerios ou assim...

    ResponderEliminar
  2. Talvez seja melhor nem imaginar... E daí, também já pouca coisa me surpreende neste mundo.

    Como diz a minha querida avó, que já tem a provecta idade de 92 anos, "só me falta vê-los a fazê-lo no meio da rua, com todas as pessoas a ver". E, pelo que me lembro de ter lido num jornal no fim-de-semana, já nem isso é novidade. A minha avó é que não estava no sítio certo... :D

    ResponderEliminar
  3. Podes crer, sem as camaras nem imagino o futuro desta criança...

    ResponderEliminar
  4. É horrivel, não há palavras para o descrever...e sinceramente espero que de alguma forma consigam tirar a Alexandra dali porque eu nem quero imaginar o que é aquela vida sem as câmaras por perto...

    ResponderEliminar
  5. Mais um processo escabroso da justiça portuguesa, para não arranjar um problema diplomático com a Federação Russa,lembro que 1º
    secretátio da sua embaixada acompanhou muito de perto este processo. Para não arranjar um problema diplomático, mata-se aos poucos uma criança, vergonhosa esta justiça, agora não me venham dizer que não existem pressões na justiça.

    Beijo meu, para ti.

    ResponderEliminar
  6. A culpa é da (in)justiça portuguesa. Não quero imaginar o que vai ser desta criança. Custa-me tanto a passividade dos órgãos competentes que devolvem crianças à miséria!!!

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Sinceramente já nada me choca. Nem imaginas os supostos "pais" que aparecem no consultório e procuram ajuda psicológica para os filhos.Já vi pais que são autênticos monstros. Não sei o que é que esperam...Com pais assim qualquer um ficava perturbado. Neste mundo há de tudo.

    ResponderEliminar
  9. o pior é a impotência para mudar seja o que for... e quem pode mudar, a justiça, é mesmo cega

    ResponderEliminar
  10. Custa-me pensar o quão mal essa criancinha, indefesa, será tratada dentro do próprio lar. E revolta-me a justiça que temos por ter dado esta criança a uma mãe assim. Enfim, vai de mal a pior, regride a cada minuto que passa a nossa justiça!

    ResponderEliminar
  11. pais assim mais valia que fossem estéreis.
    Por favor gente.... e como em cima ja foi dito ja nada me choca...
    Uns a querer telos e não conseguem e para os adoptar é um cabo de trabalhos e borocracias, e outros q os tem fazem o que fazem.

    ResponderEliminar
  12. morro de dó de criança, me da um odio profundo ver estas coisas.

    bjosss...

    ResponderEliminar
  13. Mais uma vez, é pelos piores motivos que chegamos à conclusão que a justiça portuguesa não é mais do que uns montes de merda vestidos com uma capa preta, que têm o poder de decidir sobre a vida de seres humanos como se estivessem a tratar de objectos.
    A mãe, já toda a gente sabia o que era (toda a gente que não está metida em gabinetes, a auferir de chorudos ordenados), agora da justiça esperava-se (eu não esperava) mais um pouco.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Uma história triste, e infelizmente não vejo muitas probabilidades de a garota se livrar desta vida que a espera. Eu acho que se fosse mãe preferia mil vezes sofrer eu a causar sofrimento a um filho meu... mas eu penso assim, esta mãe, esta mãe não pensa, não sente.... beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Comentei isso no blog da Saltos Vermelhos.

    Triste justiça portuguesa!

    Nem há palavras mesmo!

    ResponderEliminar
  16. ainda falei disto hoje no meu post :( é horrível!

    ResponderEliminar
  17. Agora é que falastes bem, imaginem como é quando as câmara não estão lá!

    ResponderEliminar
  18. era mesmo nisso que pensava... se é assim à frente das câmaras.. o que fará no dia-a-dia.

    ResponderEliminar
  19. Estou chocada, chocada, chocada.

    ResponderEliminar
  20. Toda esta história dá-me a volta ao estômago!

    ResponderEliminar
  21. É horrível, mesmo!
    Parece que o grupo sanguíneo é mais importante do que o verdadeiro amor e afecto, não é? Enfim... chamam-lhe "justiça"!

    ResponderEliminar
  22. Isto é uma atrocidade! A justiça portuguesa deveria ser menos formal e mais material!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares