Avançar para o conteúdo principal
Marcar a diferença

Eu gosto de gente simpática. Gosto de pessoas de sorriso fácil, de pessoas que me tratam bem. Não gosto de simpatia a mais. Soa-me a tremendamente falso, já aqui o escrevi. Mas gosto de carinhos, de gestos de afecto sinceros.

Aqui no curso, acabamos por nos render todos aos encantos da Dona Manuela. A Dona Manuela e o seu marido, o senhor Manuel, têm um cafézinho modesto pertinho da faculdade. É um café pequeno, sem grande aspecto.

Mas a comida é caseira, o ambiente é caseiro e as pessoas simpáticas.

A Dona Manuela faz uma festa sempre que nos vê. É uma velhota amorosa, brasileira, que sorri e fala muito.

Trata-nos muitíssimo bem. Somos os seus "amorzinhos", "filhotes" e "meninos". Olha para nós com carinho e atende-nos ainda melhor. Até nos pergunta o que queremos para sobremesa do dia seguinte. Como quem lá vai são mais os estudantes de jornalismo, ela tenta sempre saber o que nós queremos e gostamos.

Oferece-nos rebuçados e chicletes. E pede-nos sempre para voltar.

E nós voltamos. Não pela comida. Não pela beleza do espaço. Mas pela pessoa. Especialmente pela pessoa.

Comentários

  1. A simplicidade de coisas tão simples que nos enchem!!!
    Sei bem do que falas... e é tão bom!!!
    Bom fim-de-semana!!!
    ;-DDD

    ResponderEliminar
  2. POrque a simpatia e a sinceridade são mais atractivos do que o aspecto exterior da coisa. A mim tb me cativa a simpatia, mas como dizes, não em demasia, porque soa a falso.

    ResponderEliminar
  3. É sempre bom quando encontramos pessoas assim na nossa vida, que por pequenos gestos, conseguiram ocupar um lugarzinho nos nossos coraçoes, nao pelo que têm, mas pelo que sao :)

    (bem, tu e a Saltos altos vermelhos, parece que combinaram o tema da simplicidade das pessoas :))

    beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. Miga!!! Que é feito de ti, k já nao me visitas...
    Já estava com saudades tua, pensando que tinhas ido ibernar...
    Adoro vir aqui visitar-te
    Juizinho minha cara amiga
    Beijos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. São essas pessoas que fazem "ambiente"...
    Adoro "tascos caseiros"!

    ResponderEliminar
  6. Muitas vezes voltamos pelas pessoas pela sua simpatia que não gosta de mimos?

    beijinho e fica bem

    ResponderEliminar
  7. Soraia, foi o texto da Saltos Altos vermelhos que inspirou este texto. O tema já estava em rascunho, mas hoje apeteceu-me. :)

    É uma senhora muito querida, sem duvida.

    ResponderEliminar
  8. De facto também gosto de sitios assim acolhedores...

    São essas pequeninas coisas que fazem toda a diferença....

    ResponderEliminar
  9. Era assim que deveríamos tratar todas as pessoas: como pessoas. Infelizmente há quem se esqueça disso...
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  10. Quando as pessoas têm almas acolhedoras, não importa o local onde estejam, sentirnose-mos sempre muito bem acolhidos. Acredito que essa senhora deve ser assim, e acredito que haja ainda muitas pessoas assim.... beijoquinhas

    ResponderEliminar
  11. São pessoas assim que enriquecem determinaddos momenos da nossa vida! De certeza que quando terminares o curso te vais recordar deles com carinho, pois fizeram parte de uma etapa importante da tua vida!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Que ternura de senhora!!!

    Genuinamente agradável :)

    Beijinhoosss*

    ResponderEliminar
  13. Há pessoas, que têm o dom de tornar tudo especial. Nem que o cefé não fosse muito agradável como "espaço", só pela senhora vocÊs continuariam a ir lá.. =)
    É bom conhecermos pessoas assim.

    Beijinhoo.

    ResponderEliminar
  14. Infelizmente encontrar locais destes é cada vez mais raro, uma vez que as pessoas tendem a ser menos simpáticas e mais impessoais. Assim sendo, é desfrutar :)

    ResponderEliminar
  15. São as pessoas que fazem os sitios. : )

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.