Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2010

É desta que passo de menina a mulher

Estou determinada a começar a usar saltos altos. Quando tiver umas horas livres, vou bater as minhas pernocas pelas lojas à procura do meu primeiro par de sapatos de salto alto. Ou sandálias, também pode ser. Hoje vi uns azuis da CafèNoir lindos lindos, mas demasiados vertiginosos para mim.

Como Golias passa a David

Tenho um coração muito grande.

Duas pessoas fazem o meu coração (ainda) bater mais forte se estiverem online no Messenger. Posso ficar na minha, quietinha, no silêncio, mas os meus olhos procuram logo os dois nomes.

Visto que nenhum alguma vez me retribuiu, começo a achar que viver sempre a mesma história é cansativo.
Portugal não merecia passar. Não pelo jogo de hoje. A Espanha foi superior. Por outros jogos até merecia, não pelo de hoje. Não me abateu, continuo firme e hirta (como uma barra de ferro) no apoio à Selecção. No entanto fiquei triste com a derrota. Por uma única razão.

O Eduardo. O homem tem futuro. Fantástico.
Vou só ali enfardar e ver o jogo da selecção. Rezar para que não sejamos enxovalhados pela Espanha.


Hasta luego chicos!

Update

Os meus olhos estão uma bela porcaria. Ai e tal, três dias e está boa. Já estou assim há uma semana. Aposto que se vai repetir a mesma lengalenga de sexta e nem o jogo de Portugal vou conseguir ver direito. Mais um dia assim e vou de novo ao médico.

Sinto-me feia de óculos. Correcção, sinto-me totalmente sem graça de óculos.


Nota: Vai-se a ver e o defeito não é dos óculos...

Jantar da blogosfera - último convite

Ora bem...

Dia 3 de Julho, Sábado, no Porto. 20 horas. Local de encontro a combinar. Dados confirmados.

Agradecia que quem fosse me contactasse para: sanxeri@gmail.com

Quem disse que ia, confirme ou desminta. :) Sugiram locais, que eu sou uma pessoa que estuda e não ando propriamente no forrobodó todos os dias. Restaurantes não é comigo.

Cá na loja

Hoje é o meu último dia de trabalho cá na loja.
Foram 7 meses a trabalhar aqui dois dias por semana... Nada de muito exigente, portanto. No entanto foi uma experiência enriquecedora. Tornei-me muito mais comunicativa, sem nunca ser daquelas vendedoras chatas. Lembro-me do receio inicial, da primeira cliente, da primeira venda.
As minhas colegas foram sempre impecáveis comigo. Até com a mentirosa compulsiva cá da loja me dou bem. A patroa já conhece a peça, pelo que nunca tive problemas.
Vou recordar com carinho todas elas. A descarada da Isabel e a mosca-meia-morta da Marlene. A patroa adoro-a. Sempre gostou de mim e partilhamos imensas gargalhadas. Claramente trabalhar numa loja nada tem a ver com o meu curso, mas fez parte de uma etapa da minha vida.
Infelizmente, não sou uma pessoa muito ambiciosa nem tenho o sonho de alguma vez exercer determinada profissão. Costumo dizer que quero apenas um emprego estimulante. Gosto de trabalhar, gosto de me sentir útil e de ser boa naquilo que f…

Talk to the hand

Ela acaba de se sentar no sofá, ao meu lado.

Está aqui a falar comigo. Ela a falar. Eu a ignorar e a responder "sim", "é isso", "claro"...

Claro que já me perguntou sobre uma certa pessoa (acho que ela até abafava se não se metesse na minha vida). Claro que eu já fugi à resposta.

Deus me dê paciência... Que a ela deu-lhe muita lata.

Sometimes

Às vezes, quando digo "Estou bem", quero que alguém me olhe nos olhos, me abrace apertado e diga, "Eu sei que não estás".



Tradução livre da minha pessoa. Imagem desviada do blogue "És o meu segredo!".

Estrada

Meu amor
Não quero mais palavras rasgadas
Nem o tempo cheio de pedaços de nada
Não me dês sentidos para chegar ao fim
Meu amor só quero ser feliz...

Mafalda Veiga em Estrada

Incredulidade

Nunca conheci ninguém assim. Fala mal de toda a gente sem que lhe dêem motivos para isso. É invejosa. É egoísta. É mimada. É mesquinha. Não se importa de pisar os outros para subir. Não se importa de desejar mal aos outros se as coisas não lhe correm bem.
Isso eu já sabia que ela era. Infelizmente é-me próxima - deixará de o ser em breve. Não ligava muito, acreditei que ela era somente uma gaja imatura e cusca. Mas agora sei que o veneno dela não atinge só os outros - já chegou a mim. Assim como chegou a alguém de quem eu gosto muito. Assim como chegou a alguém que eu sei ser óptima pessoa.
Não tem limites e eu estou estupefacta. Espanta-me que alguém assim tão jovem, com uma vida fácil e supostamente feliz, seja assim tão má. Ela é má. É deliberadamente má.
Já estive mais longe de lhe espetar uns bofardos nas fuças. Quando ela amanhã vier para a minha beira a sorrir... ai. Agarrem-me.

Adenda: Infelizmente não há ninguém com mais razão do que eu ao escrever este texto. Ela é má. Nunca lh…

Tese

Chegou a altura de escolher o tema da minha tese de mestrado. Uma investigação que é suposto durar mais de um ano. Acho que tenho um bocadinho de receio de não estar à altura do desafio. Mas como eu sou sádica, escolhi logo para meu orientador o professor mais lixado (para ser simpática) que já tive. Tem mau feitio e para dizer mal está sempre pronto. No entanto, é aquele que me dá a garantia de exigir o melhor de mim. Com ele tenho a certeza de que só defendo a tese quando ela estiver boa. Nem ele permitia que fosse de outro modo.
O tema? Escolhi-o ontem à noite, enquanto comia um gelado. Agora é esperar que o Conselho Científico aprove o tema e o orientador. Vai correr bem. Tem de correr bem.
Quero mimos. Preciso de mimos.
Assumo-me desde já carente. Sorte a de quem nunca se sente sozinho e desacompanhado. Hoje senti-me.
Já estou em casa. Já estou melhor.

Viroses

Ida às urgências do hospital. Posso estar cegueta, mas reparei logo que quem me atendeu foi o enfermeiro giro que me atendera no ano passado. Para isso vejo eu bem. Piadinha.

Diagnóstico: conjuntivite por vírus. Lindo e simpático. Já me enfiaram 4 medicamentos e estou proibida de usar lentes durante três dias.

Óculos eu tenho oh. Mas os meus sofreram um acidente, partiram e estou para comprar uns novos desde a semana passada. Como não fui a casa, não comprei. Esta porcaria não podia vir em melhor altura. Dói-me a cabeça de ver tudo desfocado durante horas.

Visto que passei o dia a chorar, vou atribuir as culpas ao facto de estar naquela altura do mês. Ou então choro por notar a carteira a ficar mais leve. Também pode ser disso. :) Rir para não chorar.

(desgraçadinha)

Percebes que és uma pessoa altamente emocional quando vais à farmácia queixar-te de um problema dos olhos e desatas a chorar à frente do farmacêutico. O senhor fez aquilo que os homens fazem quando vêem uma mulher a chorar - mandou a colega farmacêutica vir falar comigo.

Não posso sair de casa porque não tenho óculos para usar. Preciso de comprar uns. Lentes não posso usar pois a situação agravava-se.

Preciso de ir à biblioteca, mas nem posso andar na rua porque não vejo um palmo à frente dos olhos. Visita à farmácia feita, falta ir ao médico.

2º dia de Verão? Enfiada em casa, que daqui não posso sair.

Olá Verão!

Já tinha saudades tuas amigo.

Está bem que a Senhora Férias só vai chegar à minha casa em Agosto, mas não me importo que te faças de convidado para a minha humilde casa mais cedo.

Traz contigo a senhora Esplanada, que tanto pode chegar de manhã, de tarde ou à noite - não me faço esquisita. Traz ainda o Mar com ondas e a Areia fina.

Podes ainda trazer, num só atrelado, a Melancia (já tenho uma cá em casa!), as cerejas e os morangos. O Sumo de Laranja natural e o Granizado de ananás também podem vir.

Os Senhores Calções e os Vestidos já estão cá em casa, acomodados confortavelmente no armário. As Sandálias chegaram há algumas semanas e já aproveitaram para passear pela cidade.

Agora vou terminar de estudar, que mais logo tenho exame. Mas amanhã eu falo contigo e dou-te um grande abraço. Pode ser?

Ah! Mais logo, para celebrar a tua chegada, vou reunir os colegas num jantar. Tudo em tua honra - e do final dos exames.


Com carinho,

S*

Da diferença entre os jogadores (ou do real patriotismo)

Gosto do Deco. Simpatizo com o homem, enquanto jogador. Não o conheço, logo só posso falar dele enquanto jogador.

Não concordei quando fez aquelas declarações ressabiadas pelo simples facto de ter sido substituído.

Gosto realmente do Tiago. Porque sabe estar, é discreto, é bom jogador mas não arma estrilho.

O Tiago entrou no jogo de hoje e marcou dois golos. O jornalista perguntou-lhe, no final, se achou que tinha agarrado a titularidade com esta exibição (o Tiago entrou a substituir o Deco, que está lesionado).

O Tiago disse, convictamente, que isso não era importante. O que lhe importa é que a selecção ganhe. Foi bonito. Fez-me ficar toda orgulhosinha do vianense da equipa.

Da diferença entre os jogadores. Ou do real patriotismo. :)

Lugar de mosca morta é na parede (sabe-se lá a fazer o quê)

Não gosto de gente com ar de mosca morta. Aquelas pessoas que parecem não partir um prato.
Se forem mulheres, dizem procurar o príncipe encantado montado no cavalo branco (vou-vos poupar à piada brejeira relacionada com o verbo montar). Têm um ar muito inocente e gostam de valorizar o lado infantil que há em si.
Gostam de toda a gente, na teoria. Na prática são capazes de cortar mais na casaca do que eu.
Conheço dois ou três casos. Parecem tão boas pessoas, tão fofinhas... No entanto as pessoas perspicazes - como eu e a minha colega M. - percebem que aquilo é tudo fingido.

Ai o que me enerva... Apetece-me dar-lhes um par de estalos para tirarem o ar de Santinha virginal da cara.
"But in spite their differences, they had one important thing in common, they were crazy about each other."

Está-me a querer parecer que alguém está a precisar de ver, pela quinhentésima vez, este filme. Precisar, não querer. De vez em quando preciso de voltar a acreditar. E garanto-vos que vou choramingar novamente. Amanhã. Amanhã eu vejo. Agora tenho de estudar.

The Notebook - O Diário da Nossa Paixão

Say what you want

"I feel you're on the run
Never lived too long to make right
I see you're doing fine
And when I get that feeling
I can no longer slide I can no longer run
And when I get that feeling
I can no longer hide for it's no longer fun

You can say what you want
But it won't change my mind
I'll feel the same about you
And you can tell me your reasons
But it won't change my feelings
I'll feel the same about you
[claro que me identifico com o refrão, só podia]


Já nem me lembrava disto. Pelos vistos continuo a adorar.

Sou meia totó

Nunca fiquei realmente zangada com alguém. Nem sei ficar. Assim como não sei guardar rancores. Nem sei não perdoar.

Isto não é ser boa pessoa. É ser totó.

Mal notem que tu não te queixas, pisam-te como se fosses uma insignificância. Quem nasceu para ser pisado é tapete.

Não sei porque faço isto

Tenho uma caixinha destes aqui em casa. E já marcharam uns cinco só hoje. Eles olharam para mim, eu olhei para eles e foi amor à primeira vez.

Trouxe-os comigo, para me mimarem quando me sentir carente. Suspiros... ai.

Saramago

Está bom que o senhor já era velhote mas fiquei chocada ao saber da sua morte. Achava a escrita uma tremenda seca, mas há que admitir que o homem era genial.

Três dias de luto em Lazarote pela morte de um escritor português (ainda que a viver em Espanha há vários anos) só provam a genialidade do senhor. E o prémio Nobel só veio carimbar o facto.

Lamentável.
Não gosto de confusões. Não gosto de escandaleiras e muito menos de ser apanhada no meio delas.

Nessas situações faço o que deve ser feito - retiro-me silenciosamente.

Interessante...

Nas traseiras da nossa casa temos um terraço. O terraço tem vista directa para as traseiras de um apartamento do prédio em frente. Temos um vizinho novo.

Aqui em casa é só fêmeas. Ele vê-nos no terraço, a pendurar roupa ou a limpar o chão... Mas não se coíbe de andar nu ou de toalha enrolada à cintura, a passear-se no quarto, com a janela aberta.

Diga-se de passagem, também não me importo de ver.

O homem é bem feitinho, lá isso é...

Não querias mais nada, não?

"O Tribunal da Relação absolveu o Estado de pagar a indemnização a Paulo Pedroso, no âmbito do caso "Casa Pia". Um tribunal cível de primeira instância havia atribuído 100 mil euros de indemnização ao ex-deputado socialista , por prisão preventiva ilegal.Em Setembro de 2009, Paulo Pedroso ganhou a acção interposta contra o Estado por prisão preventiva ilegal no processo da Casa Pia, tendo pedido uma indemnização de 600 mil euros por ter estado preso preventivamente cerca de cinco meses."JN
És irmão de um juiz e por isso és intocável, pelos vistos. Tens um ar de tarado do caraças e eu não acredito minimamente na tua inocência - assim como não acredito na inocência de nenhum dos arguidos do processo Casa Pia.
As crianças não se lembraram de inventar. Não és um político assim tão famoso para resolverem criar uma acusação de pedofilia.
Uma indemnização? Tem vergonha na cara.

Olha que fofo - not!

Ora vamos lá ver...

Não gosto - não gosto mesmo - de homens que se tratam por "menino". "O menino está bem". "O menino acaba de almoçar, e tu?"

É nesta altura que eu faço um esforço - um "esforção" - para não dizer:

Ai és um menino? Pena. Pensei que estava a lidar com um homem feito. Siga a marinha!

É que ir tomar café com o menino até pode ser engraçado, mas imaginar-me em situações mais próximas com o menino já me parece menos bem. Não é estimulante. Não é mentalmente excitante, se é que me entendem. Menino? Não sejam patetas.

Da blogosfera

O truque para se conseguir ser "popular" na blogosfera, pelo que me tenho apercebido, é escrever bem. Ser original. Ter graça. Ter carisma. Sem isso um blogue acaba por não ser seguido. Obviamente que nem toda a gente quer ser muito visitada, mas alguns leitores é sempre bom. Para ajudar à festa, convém que a blogosfera conheça o blogue. Vai daí, há que investir um bocadinho em coisas tão simples como ler outros blogues e deixar comentários relevantes - algo que desperte a atenção e faça os outros querer ler mais sobre nós. Não é necessário estarem constantemente a comentar, for god's sake, apenas saber comentar.
Depois existem os corta-interesse totais (lá está, expressão popularizada na blogosfera). Não me venham dizer "ai que adoro o teu blogue... podes passar no meu?". Detesto isso.
Um blogger deve conseguir captar a atenção pelo conteúdo interessante dos comentários que deixa, pela originalidade do nome e, obviamente, pelo que escreve no blogue.
Se me pedem …

Saudades

De quando me encosto a ele, os braços dele me abraçam e entrelaço as minhas pernas nas dele.
De me enroscar junto ao peito dele, ficar a falar, a falar, a falar... A contar as minhas pequenas coisas, enquanto ele sorri e me faz festas no cabelo.

Nota: Recordar momentos passados, não presentes.
Achar que ninguém é demasiado bom para mim é regra de ouro cá em casa. Devia sê-lo em todas as casas.

Eufemismos

"Algumas pessoas têm horror às palavras pénis e vagina. E assim nasceram o "pirilau" e a "pachachinha". Seria altura de uniformizar os nomes dos órgãos sexuais e não andarmos por aí a inventar."

Ao ler esta crónica do Tiago Mesquita, para o Expresso, tive de aceitar a realidade.

As pessoas têm medo das palavras. Andam ali à roda, à roda, a engonhar para não dizerem claramente aquilo que pensam.

E não me refiro só aos nomes que damos aos órgãos sexuais - leiam a crónica, não fiquei tola de repente - refiro-me a tudo. As pessoas têm medo de verbalizar. Têm medo da força das palavras.

Um preto não é um preto, é uma pessoa de cor. Um gordo não é um gordo, é roliço (não gosto da palavra gordo, admito). Uma pessoa burra não é um burro, é um limitado. E um pobre não é um pobre, é alguém que tem dificuldades financeiras.

Em relação aos nomes dos genitais (voltamos à crónica), até entendo que se utilizem outros nomes. Há que assumir que "pénis" e "vagina…

Ah?

"Cristiano Ronaldo foi o jogador escolhido para a conferência de imprensa de hoje, domingo, que antecedeu o último treino da selecção portuguesa em Magaliesburg, antes de defrontar a Costa do Marfim. O jogador entrou confiante, garantindo que quer “ser o melhor do Mundial” e que está tranquilo porque “os golos são como ketchup, quando aparecem vêm todos de uma vez”. "JNMas que porcaria quer isto dizer? É de mim, ou o Ronaldo pirou de vez? Para o que lhe havia de dar... Fica caladinho rapaz.

Cesta rota

Um dos meus maiores problemas é o facto de me expor em demasia.

Falo demasiado de mim. Conto tudo sobre mim e isso nem sempre é bom. Muita gente tem aquela máxima de que "o que é do passado, pertence ao passado" e não falam do seu passado com as novas pessoas que vão surgindo... Novos parceiros, incluídos. Concordo com isso mas custa-me ficar calada. É mais forte do que eu. Quando alguém me transmite confiança, dou por mim a contar a vidinha toda e a revelar todos os meus defeitos.

Tenho-me apercebido, nos últimos tempos, que excesso de sinceridade pode não ser uma coisa positiva. Tenho medo disso mas não consigo evitá-lo.

Do Mundial

Alguém me sabe dizer se esta coisa boa ainda joga? É que se jogar, eu torço já pela Itália. Afinal, sempre gostei de massas (e amassava-o de bom grado :P ) e a minha especialidade é fazer lasanha.
Portugal não tem de se sentir ofendido... Há que reconhecer que não tem argumentos para vencer "isto".

Se ele é o capitão eu vou estar na fila da frente a ver os jogos de Itália... Só para saber do resultado antes dos outros, claro.

Factor C (de Cunha)

Não tenho nada contra as cunhas. As cunhas não significam (obrigatoriamente) que se contratou um incompetente para o local. Significa sim que se deu uma oportunidade mais fácil a alguém. Pode ser competente ou incompetente, evidentemente.

Mas se há coisa que me irrita é gente que chega a certos empregos por Cunha e não tem coragem para o assumir. Mas qual é o problema? Só deve ter problemas com isso quem duvida da própria competência.

Infelizmente, o mercado está difícil. Se tivermos quem nos ajude, devemos agradecer. E assumir o facto. Olha que se me arranjarem algum tacho eu não tenho problemas em assumi-lo.

E sabem que mais?

Vou provar a toda a gente que, apesar de eventualmente ter tido um tacho, sou óptima naquilo que faço. É essa a melhor maneira de eliminar o Factor C.


Nota: Eventualidades, claro. Que tachos não tenho.

10 de Junho

Tenho um orgulho do caraças em ser portuguesa.
Podemos ser um país teso, com políticos corruptos e com um Factor C (de Cunha) amplamente conhecido...
Mas há qualquer coisa de muito forte que me faz sentir orgulhosa do nosso País. São as pessoas.
Acho que os portugueses são boas pessoas - generalizando, claro. Os portugueses sabem receber bem. Os portugueses podem ser tesos, mas fazem questão de dar tudo o que têm para receber bem qualquer pessoa, mesmo que o vizinho da casa ao lado. Os portugueses são os que se preocupam em passar uma boa imagem do país. Podem emigrar, mas não esquecem as raízes. Defendem que a sua comida é a melhor do mundo. São aqueles que recebem uma selecção de futebol em estado de histeria em Joanesburgo. São os que vibram com o futebol, não por ser futebol, mas por ser a selecção nacional. São ainda os que se esforçam por falar castelhano com os espanhóis e dão umas arranhadelas no francês para se explicarem aos franceses. São os que não negam ajuda a ninguém. Com…

Ódiozinho de estimação - O ódio de estimação

Gente que faz barulho a comer.
Sorver a sopa, comer de boca aberta, barulhos irritantes. A comer cereais? Ui... que agradável. E a roer uma maçã? Argh. Fazer aqueles barulhos típicos de satisfação (qualquer coisa tipo "aaahhh...") também é altamente dispensável. Eu? Eu como de boca fechada e evito fazer barulhos. Não aguento. Enoja-me.
Ser ingénuo diz que é bonito, porque se mantém uma visão idealizada do mundo e das pessoas. Vêem-se as coisas de forma mais pura e genuína. Isso é bom.

Mas acreditar quando te escrevem meia dúzia de tretas é ingenuidade a mais. Sou estupidamente ingénua. Isso não é bom.

Home

Algumas pessoas até podem ser aventureiras e cidadãs do mundo... eu não sou.

Não vou a casa há quase duas semanas e já estou aqui cheia de saudades. Da família, dos meus gatos, da princesa Cookie (afinal é uma gata), do ambiente, do dolce fare niente.

Não há nenhum sítio melhor que a nossa casa. Mais logo volto para a minha.

Cruzamentos

Sabem aquela sensação de arrepio que vos invade o corpo desde os pés até à nuca? O nervosismo imenso? O sorriso parvo?
No Domingo à noite, enquanto esperava pelo metro, vislumbrei um olhar familiar no meio das pessoas.
Não conhecia o homem em questão. No entanto, era absurdamente parecido com alguém por quem tive uma paixoneta (tola, percebo agora).
A emoção que sentia na altura surgiu toda a novo, acho que ainda mais avassaladora. Não conseguia descolar os olhos do indivíduo. Os mesmos olhos rasgados. A mesma altura. Ele reparou. Até o sorriso era parecido... Olhei para ele, olhei e voltei a olhar. Não conseguia evitá-lo. As saudades eram muitas. Ele olhou de volta, provavelmente a perguntar-se porque raio uma estranha não tirava os olhos dele. Para mim não era estranho... Passei o resto da noite a pensar na coincidência. A tentar perceber o Porquê das emoções. Pela primeira vez na vida tive uma vontade enorme de meter conversa com alguém. Felizmente, apercebi-me logo que nunca poderia …

So nice, so boring

- É tão bom que sejas romântico...
- És tão bom para mim, nunca nenhum homem me tratou tão bem como tu...
- Apesar de tudo, sinto-me mal por ti.

- Hum?

- Vai doer como o caraças quando decidir trocar-te por um bad boy manipulador.


Mulheres.


Nota: Tradução livre proposta pela minha pessoa.

S* Aleixa (e os conselhos que vos deixa) *

Há que saber morder pela calada.
Comer e calar.
Que é como quem diz, mulheres deste Portugal, se querem andar à caça tipo perdigueiro, façam-no mas mantenham um ar de coelho fofinho inofensivo.
Se querem engatar, façam-no mas não digam a ninguém. Mantenham um ar puro e angelical, qual Virgem Maria no altar. Sempre ouvimos dizer que as santas são as piores...
Resumindo, podem fazer o que vos apetecer, desde que com recato. Assim evitam comentários desagradáveis. Corem, corem muito. Soltem aqueles risinhos tímidos, como se nunca tivessem visto um homem na vida. O machame costuma apreciar o género tímido (cheguei a esta brilhante conclusão ao observar as colegas). Parece que o género "oh pra mim que sou tão tímida" faz com que os homens confiem em vocês. Parece... Como se costuma dizer, Uma lady na mesa...
*Nota: Imitação foleira do Bruno Aleixo e "Os conselhos que vos deixo".

Nota 2: Apeteceu-me exagerar. Não levem a sério.
As minhas colegas de trabalho escrevem "beije". Apetece-me dizer-lhes que as calças são "bege", mas fico calada.

Depois há uma delas que me faz enrubescer. De cada vez que ela diz à cliente "deixe-me registrar os talões" até me encolho no meu canto, para não ser confundida.


E sim, já são casadas e mães de filhos. Há coisas que não se entendem.

Jantar II (e S* por terras de mouros)

Em Agosto quero ir a Lisboa city passear-me por isso é bom que marquem um jantar nessa altura, para poder dar um ar da minha graça. Ai está tudo de férias? Tudo bem. Hão-de querer e não ter. :P
E se marcarem um em Coimbra também sou capaz de passar por lá.
No entanto, este será mesmo no Porto. É que o Norte é grande, não é só Porto. Jantares em Lisboa e em Coimbra, tanto quanto eu saiba, já se realizaram. Só no Porto é que não vejo coisa nenhuma.
Mais uma vez, email: sanxeri@gmail.com
3 ou 10 de Julho? Escolham. Ler texto abaixo para mais informações.

Jantar da blogosfera

Ora vamos lá ver meus amigos...
Isto vai ser impossível agradar a gregos e a troianos. É impossível. Vai haver sempre alguém que trabalha, alguém que tem um casório ou até alguém que vai simplesmente aproveitar para descansar nesse dia.
No Porto.
Do alto da minha sapiência, Sábado parece-me o melhor dia. Isto porque permite que as pessoas se demorem mais, sem a pressão de trabalhar no dia seguinte. Início do mês também me parece uma boa opção por questões monetárias.
Posto isto, sugiro 3 ou 10 de Julho, datas que calham a um Sábado. A data que reunir mais consenso, fica seleccionada.
Quem quiser oferecer-se para participar no belo do jantar, envie email para sanxeri@gmail.com. Não importa se somos 3 ou 30, o jantar realiza-se na mesma. :D
Agradeço que não confirmem e desmarquem depois. Confirmem até final do mês, se faz favor. Quem quiser dar sugestões de sítios para morfar no Porto, esteja à vontade. Apesar de viver cá há 4 anos, não sou muito boa nesse tipo de decisões.
E não se acanhem, t…

Ódiozinho de estimação

Homens que parecem gajas a falar.
Cuscos e metediços. Gostam de saber a vida de toda a gente e adoram destacar os pontos fracos das pessoas. Falar pelos cotovelos é característica feminina, meus amigos. O mulherio adora cortar na casaca. Adora o corte a costura. Como Escorpião que sou, sou curiosa e meia cusca. Admito a lacuna. Mas os homens geralmente não são assim. São até numa onda "deixa lá isso, não quero saber da vida dos outros". Logo, homens cuscos é coisa que chama a atenção... pela negativa.
Não gosto não. É um corta-interesse enorme.

"Oh pra mim que sou tão boa"

Não há pessoa minha conhecida que não decida exclamar um "estás tão morena!" mal me vê.

É nestas alturas que ponho o meu arzinho mais mete-nojo e respondo um "Achas? Só fiz dois dias de praia...".

Depois há quem diga que o Verão me faz mais gira [e ainda por cima foi macho!]. É nestas alturas que o meu ego incha como um peru em vêspera de Natal. Ah e tal toda a gente fica mais gira no Verão? Pode ser... Mas isso agora não interessa para nada.

Chocolate

Ando deliciada com este aqui. "Chocolate", de Joanne Harris.

""A aldeia de Lansquenet-sur-Tannes tem duas novas moradores: Vianne Rocher, jovem mãe solteira, e a sua filha Anouk. Ambas correram mundo e querem agora estabelecer-se, pelo que Vianne pensa montar um negócio. Um negócio aromático e guloso mas, naquelas paragens, pouco comum: uma chocolataria com o nome de "La Céleste Praline".

Para a aldeia, "La Céleste Praline" e a sua encantadora proprietária são um sopro de ar fresco frente à tirania de Francis Reynaud, um jovem padre de uma austeridade a raiar o fanatismo, que não oculta o seu desagrado por um comércio demasiado sofisticado e "tentador", e que vê em Vianne um desafio à sua autoridade. Frente a ele, a jovem Vianne só pode apelar à alegria de viver das gentes de Lansquenet...

Chocolate é um repertório de sabores, descritos de uma maneira tão viva que quase se sentem; é também uma galeria de personagens ternos e cruéis, amáve…

A força das circunstâncias

Já vos aconteceu conhecer uma pessoa e terem a sensação de que era com aquela pessoa que deviam ficar?

Já vos aconteceu sentirem que aquela pessoa tem tudo o que vocês sempre que quiseram mas que, por infelicidade da vida ou por falta de esforço de uma das partes, a coisa não se deu?

A mim já. Penso nisso (quase) todos os dias.

Abertura oficial da época balnear

Não falho meus amigos. Lá fui eu até à praia.

Digam lá que já tinham saudades da típica e muito interessante foto dos pézinhos. É a marca de Verão na blogosfera. Não podia falhar a minha.

Balanço do primeiro dia? Estou uma autêntica zebra. Apanhei um escaldão apesar do protector solar. Tenho a zona do peito com umas manchas, o que me leva a concluir que não sou perita a espalhar creme.

Vou-me ali estirar ao sol como um congro. See you later guys.

PS: Só me saem duques. Ao querido leitor que perguntou se tinha alguma doença de pele, por ter as pernas às manchas... Esteja descansado que a minha doença tem por nome Areia.

Take II?

Ora bem, os caros leitores acharam por bem perguntar se vai haver um Take II do café.

Honestamente, não me parece. Pessoa demasiado complicada.

Não houve contacto físico algum, senhor Sadeek. Bem, estou sempre a mexer as mãos, sou capaz de ter tocado nele por engano...

Faltou ali qualquer coisa.

Como é que é...? Qual é a palavrinha...?

Ah...

Química.

Faltou aquela emoção... Aquele impulso. Faltou. Nada a fazer.Valeu ao menos para me babar um bocado a olhar para alguém.
Talvez porque sempre fui muito ponderada nas minhas Amizades, nunca me desiludi com um amigo meu. Os meus Amigos contam-se pelos dedos de uma mão. São suficientes.