Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2020

Venha daí 2021!

 Não sou uma pessoa muito ambiciosa, por isso nunca faço grandes planos para a entrada de um novo ano. Mas o meu 2020 foi realmente o pior ano de sempre, em tantos sentidos. No entanto, foi também um ano de enorme aprendizagem. Conheci-me melhor. Dei-me a conhecer melhor. Permiti-me fazer algumas coisas que nunca tinha feito. Entrei na dança - que gosto cada vez mais. Estive mais presente para as minhas amigas e, por isso mesmo, reforcei as poucas mas boas amizades que tenho. Que 2021 venha cheio de garra. Só peço saúde, muita saúde para mim e para os meus. E Amor. Quero estar bem, sentir-me bem e tratar bem aqueles que me rodeiam.  2020 não foi bom, mas está a terminar comigo a ser mais positiva, a voltar a ser a pessoa alegre que sempre fui e a acreditar que 2021 vai ser do caraças. Bom ano novo, minha gente!

Ho Ho Ho! It's Christmas!

É um Natal diferente. Um ano diferente, mas que mantém o essencial. É tempo de Família. Tempo de pegar nas canecas velhinhas e nas memórias mais bonitas. Tempo de brilho e de acessórios pirosos. Tempo de passeios com quem mais amamos. Tempo de luz. Tempo de magia. Tempo de contemplação. Tempo de ser criança. Na medida do possível, que este seja um santo e feliz Natal para todos vocês. Boas festas!

Dos Haters desta vida (que, no fundo, se odeiam a si mesmos)

Liguei há pouco o Facebook e reparei que uma criatura que conheço da vida real andou a fazer comentários maldosos na página do blogue. Não satisfeito com um perfil, usou dois perfis falsos. Já todos estamos habituados aos haters das redes sociais, que criticam este mundo e o outro, que dizem mal de tudo e de todos, que perseguem, insultam, ridicularizam (ou tentam, vá). Tenho o meu punhado de haters fiéis, que andam por aqui há anos, sempre com as mesmas conversas, os mesmos insultos - gorda, saloia, pobre, burra. Não sai daqui a conversa. Não desenvolve. Não explica. Não recomenda. Não diz coisa nenhuma de útil para a sociedade... Só demonstra o reles que é.  Há pelo menos meia dúzia de anos que tenho uma hater de estimação, que é uma rapariga com idade para ter juízo, que conheço de vista cá da minha cidade e que, por razões que nem a razão conhece, implicou comigo. Nunca foi minha colega. Nunca lidou comigo. Não sabe se eu sou boa praça ou má rês. Eu tenho uma teoria, mas não val

Insta Last Days

 Têm sido dias muito rotineiros, de muito trabalho e pouco lazer, mas é o que é.  Aquela discrição básica. Passeios domingueiros na aldeia. O calendário de advento dos sobrinhos. Os de cá de casa são mesmo os típicos de chocolate. Entramos em Dezembro e resgatam-se as canecas com mais idade que eu. Paciência de santo o meu Pirata tem... Gosta dos mais pequenos, dispensa os miúdos maiores. Mimos. Demasiado brilho? Não me parece. Dois de seis. Na casa da mãe. O Mercadona cá da cidade abriu no início deste mês e claro que já lá fui buscar o afamado Perfumador. Uma maravilha, confirmo! Na casa de família, o Natal em outro charme. Muito mais charme. Bom fim-de-semana!

Eu bem disse que um dia o sol voltaria a brilhar

É um processo contínuo... Mas quando aprendes a valorizar-te parece que, de repente, as outras pessoas também te valorizam mais.  Tenho cultivado as minhas amizades, criado novos amigos e dou por mim muito mais bem disposta e comunicativa.  Este ano consegui tratar das prendas de Natal com antecedência, já só me faltam três prendas em conjunto com a minha irmã. Até as minhas prendas (que me são oferecidas pelos tios e pela mãe) eu já escolhi. Tem tudo para ser um bom mês, apesar da pandemia, do confinamento ao fim-de-semana e das minhas preocupações (quase) constantes.  Amanhã pode chover... Mas hoje faz sol! 

À espera de melhores dias

Nem tenho escrito nada porque até eu, que sou uma pessoa naturalmente alegre e que gosta de ver o lado bom de tudo, ando a ter uns dias de merda. Com muito trabalho, ainda mais preocupações e dores de cabeça constantes. A 20 de Novembro morreu o meu gato Faísca. Ontem à noite morreu a minha Bella.  Tento-me manter à tona, acreditar que os dias bons estão prestes a chegar... Mas foda-se. Estou cansada.