Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2021
Boa Páscoa a todos. 💖

Love yourself

  Tenho uma pasta no computador onde vou guardando as imagens e as frases que me fazem sentido. Algumas não partilho porque parecem indirectas (mesmo não o sendo...). Outras partilho e acabam por lhe atribuir sentidos que não lhes tinha conferido... Mas esta é daquelas que vou guardar sempre para mim.  Se nos respeitarmos, vamos exigir respeito. Se nos amarmos, vamos exigir ser tratados de forma correcta - pode nem ser com amor, mas com consideração, no mínimo. As pessoas só nos fazem aquilo que permitimos que nos façam. Só nos tratam como aceitamos que nos tratem. Se não permitirmos, se não aceitarmos, afastamo-nos. Se exigirmos coisas boas, recebemos coisas boas - ou, pelo menos, não recebemos coisas menos boas. Como tu te amas é a forma como ensinas os outros a amar-te. Esta guardo comigo. Ontem, hoje e sempre.

Insta de Março

O prato mais bonito para os acessórios de eleição. O poema que me inspira na maternidade.  Com a tia-avó, nos jogos didácticos. Anda viciado! A festa possível dos 6 anos do sobrinho. O Sonic voltou a estar na moda! O tio Isac é aquele tio chanfrado que todas as crianças adoram. Os melhores abraços do mundo... Evita, há mais de 9 anos a encher a minha vida de pêlos, mimos e ronronadelas. O meu miúdo tinha um cabelo tão bonito... O pai levou-o ao cabeleiro e pimbas. Já eu voltei a fazer as unhas. Ámen!  Sorrisos falsos, amizade verdadeira. Os meus três afilhados deram-me este maravilhoso vaso de uma artista cá da terra. Coisa mais bonita. Os últimos dias não têm sido meigos... Mas sou uma pessoa positiva e acredito que, a pouco e pouco, tudo se compõe. De uma forma ou de outra. Boa semana!

Presente!

Se há coisa que esta pandemia me trouxe, foi a vontade de me mostrar próxima das pessoas de quem gosto e de lhes fazer sentir que gosto delas.  Nunca fui de falar diariamente com as amigas. Nunca fui de meter grandes conversas. Nunca fui a que incentivava, que marcava cafés, almoços e jantares. Dizia que "sim" a tudo, mas ficava sempre na retaguarda. Com as restrições, as distâncias e o corte radical de contacto físico com as pessoas que ajudavam a tornar os dias mais bonitos, fiz um esforço para me ajustar. Para me fazer sentir presente. Para mostrar que gosto. Para revelar saudades. E tem sido tão bom. Sinto-me ainda mais próxima das amigas, mesmo nunca tendo estado fisicamente tão ausente.

Manias

Estão a ver aquelas pessoas com óptima memória e que têm (quase) sempre a certeza daquilo que fizeram e/ou não fizeram? Prazer. Sou eu.  Não é mania, é feitio. Considero mesmo que o meu ligeiro Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC para os amigos) tem muitas vantagens. Sou metódica. Concentrada. Organizada. Dificilmente deixo algo por fazer porque amo preparar listas e ir colocando "vistos" nas tarefas já concluídas. Não preciso de abrir a despensa para saber o que está na primeira, segunda ou terceira prateleira. Sei até dizer se está à esquerda ou à direita, atrás ou à frente do quê - pelo menos as coisas principais. Não acontece com tudo, mas com quase tudo - especialmente na logística da minha casa e na organização do meu trabalho. Até sou boa com datas, principalmente das situações e das pessoas a quem dou valor. Então imaginem o meu sorrisinho interior quando teimam comigo sobre alguma coisa e eu sei que tenho razão porque, vá, eu sei a ordem das minhas coisas, sei onde

Auto-censura

Tenho saudades da tranquilidade de poder escrever de forma anónima e absurdamente livre. De não ter de pensar que algum amigo, algum familiar ou algum colega de trabalho poderia ler e não interpretar devidamente aquilo que escrevi.  Tenho mesmo saudades de quando os blogues eram uma coisa divertida, despretensiosa, sem esta nuvem de críticas que surge por tudo e por nada. Se gostas de branco, então porque não gostas de preto? Ai agora gostas de preto? Então é porque és uma vendida que antes gostava de branco. Se não gostas nem de branco nem de preto, é porque nem sabes do que gostas, és uma incoerente, uma burra. Gosto de escrever. Escrever sem pensar. Muitas vezes escrevo com o coração, o que acreditava ser uma mais-valia... Só que, nos dias de hoje, tudo é motivo para criticar. Isto de ter um blogue tornou-se muito cansativo. Desgastante. Desmotivante. Nota-se perfeitamente que já não escrevo como escrevia... Porque já não me permito escrever livremente. É pena. Já levo mais de 12 an

Inspiração

Não sou muito de partilhar textos de outras pessoas por aqui, mas este tenho de guardar. Partilho-o para que fique nos meus registos e nunca me esqueça.  Não deixei de ser romântica e de acreditar no Amor, mas admito que estou e sou agora mais desconfiada, mais céptica, mais ansiosa. Mas acredito. Muito. Tanto. Talvez demasiado. "encontra alguém que olhe para ti. que te veja além do caos que às vezes és. que te perceba no meio da multidão. que te ache linda sem truques de maquilhagem. que te sorria de volta. encontra alguém que queria caminhar contigo só para conversar. que te dê abraços apertados e demorados. que prefira olhar para ti do que para o telemóvel. que te faça sentir que tudo o que sonham juntos torna-se realidade. encontra alguém que sonhe ser pai dos teus filhos. alguém que faça planos sobre as coisas que vão fazer nas viagens que ainda nem têm data. alguém que te dê colo nos dias em que o mundo te pesa, e te que pegue ao colo nos dias em que conquistas o mundo. enco

Harry & Meghan

Ontem à noite estive a ver a entrevista do Harry e da Meghan. Tinha uma certa curiosidade e depois de ler tanta crítica ao casal, lá me sentei no sofá com a minha massa de queijo feta e tomate-cherry (a da moda!). Primeiro que tudo, admiro os dois. O Harry sempre foi o meu "favorito" na família real. Sempre foi um espírito livre, sem o peso de herdar a coroa... E só realmente um príncipe como ele teria a coragem de abdicar de (quase) tudo por amor. Com ela também sempre simpatizei. Já era uma mulher feita, carreira sólida, não precisaria de passar por tanto se não gostasse tanto dele - ao contrário de Kate, que cresceu no meio e que, no fundo, lutou por um objectivo bem definido (e nada contra...). Quanto à entrevista, que muitos criticam, a mim apenas me pareceu uma defesa justa depois de anos e anos de abusos, de achincalhamento público, de mentiras constantes. A minha veia mais cusca sempre me fez acompanhar o caso e realmente nunca foram defendidos e protegidos. Não sei c

Desconfinando

O pré-escolar e 1º ciclo abre na próxima semana. Fico muito feliz, admito... Por mim, pelo meu trabalho e principalmente pelo bem estar do meu filho, dos meus sobrinhos, de todas as crianças mais pequenas. Dois meses de confinamento é duro e, a não ser que os pais tenham total disponibilidade e algum espaço, não acredito que as crianças não tenham ficado frustradas e ansiosas. O meu filho falava da escola todos os dias, estava sempre a perguntar quando é que o "bichinho" ia embora para poder ver os amigos... O sorriso enorme que fez hoje, quando lhe falei da possibilidade de voltar à escolinha na próxima semana, deixou-me comovida. Também importa celebrar o facto de os cabeleireiros e barbeiros reabrirem igualmente já na próxima semana. Estas raízes brancas e estas unhas roídas agradecem! Vamos lá desconfinar, mas com juízo. 💪💪💪

Vá para fora cá dentro

Por muitos e variados motivos, incluindo a bela da pandemia, não dou nem um passeio "mini" desde Outubro de 2019. Vai daí, acreditando que as coisas vão melhorar e que dentro de alguns meses a vida já conseguirá ser vivida com relativa normalidade, é hora de pensar em férias e de planear pequenas viagens. Acho que prefiro dois ou três dias de cada vez, até porque com miúdos pequenos a coisa pode ser bem cansativa. Um vá para fora cá dentro é o objectivo. Temos um país para estimular e aproveitar.  Planos para 2021? Sugestões?

Entranhou

Agora que se fala tanto da reabertura do pré-escolar é que eu venho aqui dizer-vos que finalmente encontrei um equilíbrio e, afinal, não me importaria de continuar com esta vida meio-meio (uma semana teletrabalho, uma semana no escritório) mais uns tempos. Sei que o meu Rafael tem imensas saudades da escola, dos amigos, das professoras, das actividades, das aprendizagens e das rotinas... Mas também vou ter saudades das nossas manhãs mais preguiçosas, dos nossos almoços em família e sei que ele vai sentir imensa falta do tempo extra que tem passado com os primos - principalmente com sol a brilhar e um quintal para aproveitar. Uma pessoa estranhou, mas efectivamente depois entranhou. No entanto venha daí um pequeno regresso à normalidade, que estamos todos ansiosos. Se bem que ainda nem desconfinamos e já tenho receio dos excessos do desconfinamento... Enfim, é difícil. 

Txin txin!

Brindemos!  Aos novos objectivos. Ao traçar de novas metas. Às descobertas. Aos novos caminhos que nem sequer sabíamos que podiam existir. Aos novos propósitos. Aos novos sorrisos. Ao que te faz feliz. Ao que te entusiasma. Aos recomeços. 

Insta Weeks

Tenho estado em teletrabalho parcial. Nas semanas em que o Rafael está comigo, fico por casa/na casa de família. Nas semanas em que o pequeno está no pai, vou trabalhar presencialmente. Tenho tido muito apoio da "chefa", tem corrido bem. Esta mãe desnaturada que vos escreve até tem conseguido fazer alguns trabalhos que a escola envia. Não faço todos os dias, que não tenho jeito, materiais ou paciência... Mas temos feito alguns e tem corrido tudo bem. A ideia era fazer corações dedicados à Família. Fez para a mãe e para o pai... Depois disse que estava cansado (AKA estava a achar uma seca). "Bolinhos de amor" com o primo mais velho. Este Carnaval, as máscaras foram caseiras. O meu cunhado é um talentoso, é o que vale à criançada! Já eu fiz este palhaço com o meu rapaz. Puro talento o meu! 😅😅 Os pequenos exploradores à descoberta do quintal. Neste caso, a pegarem numa minhoca. O meu rapaz é menino da cidade, não aprova muito esses convívios rastejantes. Finalmente e