Avançar para o conteúdo principal

Sexo & Facebook - um trabalho da Cocó na Fralda


Ou melhor, da jornalista Sónia Morais Santos. Leiam e voltem a ler. Está fabuloso. Tenham cuidado com os flirts alegadamente inofensivos... podem destruir.

"Com mais de quatro milhão de utilizadores em Portugal e mais de oitocentos milhões em todo o mundo, o Facebook é uma rede social que permite encontros que provavelmente não se dariam na vida real. O atrativo erótico está no seu potencial máximo, a comunicação escrita é rápida, e o facto de se dizer sem olhar nos olhos do outro acende o imaginário e permite desinibições ousadas e eficazes. Há casamentos que não resistem a encontros na rede de Mark Zuckerberg, há quem deixe de estar sozinho, há facadinhas em matrimónios que não passam disso mesmo. Há relações para todos os gostos. E uma coisa é certa: há muito sexo na rede. "

A reportagem para ler, aqui.

Comentários

  1. É por isso que eu vou deixar de lá ir. Ando com uma vontade de dar uma facadinha... num bolo que a Maria fez, entenda-se.
    Olha, antes do FB não havia facadinhas?
    Dizer que o FB é o culpado dos encornamentos que por aí vão, é como dizer que a chuva causa acidentes de viação.
    Os condutores é que não sabem adaptar a velocidade às condições do piso. ehehe

    ResponderEliminar
  2. Está realmente espectacular a reportagem.
    Em relação aos testemunhos, coitados, é o que eu penso, dos 3.

    ResponderEliminar
  3. Adoro-a! Tem uma maneira de escrever cómica mas ou mesmo tempo tão séria... fica bem em qualquer assunto!!
    Obrigada por partilhares aqui S, poupaste-me "trabalho" em ir procurar eheh :p

    ResponderEliminar
  4. eu cá não tenho facebook :)

    ResponderEliminar
  5. :-) mt bem,embora n admire k mt relacao se destrua...
    Eles andem ai,eles andem...
    Gracias S*!

    ResponderEliminar
  6. Antes do Fb já existia o messenger. O Hi5. as SMS.
    Existindo vontade... ou propensão, não há nada que nos impeça!

    ResponderEliminar
  7. Fantastica reportagem!
    Como em quase tudo na vida: "Não há almoços grátis..."

    ResponderEliminar
  8. Há coisas que devem ser usadas com cuidado! O facebook é uma delas.

    ResponderEliminar
  9. Concordo. O facebook é como outra rede qualquer social. E antes de qualquer outra rede social havia a realidade. Bem mais trabalhosa pois está claro, nem tudo era facilitado como agora. Mas não era por causa da falta de redes sociais que não havia traições. É tudo uma questão de bom senso :/

    ResponderEliminar
  10. Olha filha, tal como já foi dito em cima, quem quer dar uma facadinha, o fb só pode facilitar, mas só o faz quem quer.

    ResponderEliminar
  11. Mas isso já não acontecia nas outras redes sociais? Não foi o facebook que criou isso!

    No saudoso hi5 acontecia bem mais.

    ResponderEliminar
  12. Eu não tenho FB, e na minha opinião as redes sociais só vieram potenciar o lado negativo das pessoas. E quem quer trair, trai, com ou sem FB!

    ResponderEliminar
  13. Realmente isto está cada vez mais assustador... O facebook mesmo pode estragar a vida das pessoas.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.