Avançar para o conteúdo principal
Porquê jornalismo?

Desde pequena que me senti incentivada pela família a desenvolver o meu cérebrozinho. Antes de entrar na primária já escrevia muito bem o meu nome, já conhecia as letras e sabia os números até ao 50. Lembro-me tão bem de estar na cama dos meus tios, sentada com a minha tia, a dizer os números. "Um, dois, três... dez... vinte... trinta... quarenta... quarenta e nove... qual é o outro a seguir tia?".

Tentaram desenvolver em mim gosto pela escrita, pela leitura, pelas coisas que poderiam fazer de mim uma criança esperta. O meu tio, desde que me lembro, sempre leu o "Jornal de Notícias". Todos os dias trazia para casa o jornal e eu gostava de folhear o papel, de olhar para as letras e para as imagens. A minha avó dizia-me, quase todos os dias, que parecia o meu avó (já que ele sempre teve o hábito de ler o jornal).

Não, o jornalismo não foi uma paixão de criança. Não foi um sonho, uma ambição. Foi antes uma escolha tranquila. Numa altura em que não sabia bem o que queria para mim, o jornalismo pareceu-me uma opção óbvia.

Comentários

  1. Assim deveriam ser todas as escolhas. Infelizmente, a maioria de nós acaba a trabalhar em situações que não conheciam, em que as expectativas eram outras, forçadas pelas cisrcunstâncias ou simplesmente porque... bom, porque calhou.
    E isso explica muitas frustrações...

    ResponderEliminar
  2. Pois isso é algo muito bonito e espero que tenhas muita sorte a nível profissional e te sintas realizada. É muito complicado trabalhar em algo que não sonhámos. No meu caso, não faço o que sonhei mas também gosto da área em que trabalho (o que, nos tempos que correm, não é nada mau!)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Apaixonei-me pelo curso no dia em que o comecei. :) Isso é bom. Muito bom.

    ResponderEliminar
  4. falando em escolhas... não tenho muito jeito para elas...

    ResponderEliminar
  5. Eu estive quase para seguir jornalismo mas depois aconselharam-me outra àrea porque infelizmente as perspectivas de emprego nessa àrea não sao muito boas...
    Mas um dia vou tirar...ai vou vou =D

    ResponderEliminar
  6. Vá lá... Qualquer dia ainda crias 1 rádio pra ti ;P

    Novo desafio n meu blog btw ;)

    ResponderEliminar
  7. Também tenho um curso em comunicação :)
    Jinhos
    Su

    ResponderEliminar
  8. ótimo o texto ( como sempre ). é bom voltar aqui.
    Maurizio

    ResponderEliminar
  9. O curso não me dá grandes perspectivas de emprego, é verdade. Mas preenche-me, e isso é o que mais importa. Se tiver de abraçar outra profissão, não me importo. :) Hei-de conseguir.

    Obrigada meus instantes meus momentos. Volta sempre.

    ResponderEliminar
  10. Bom, "preenche-me e isso é o que mais importa"....digamos que com o que já vi desde que acabei o curso, colegas cheios de talento no desemprego (há meses!), o que não é de todo fácil. Se tiveres de abraçar outra profissão irás sentir-te profundamente enganada. Por isso espero que te espere um futuro risonho no jornalismo, e que nunca te arrependas da tua escolha :)

    ResponderEliminar
  11. Fuschia, como eu disse no texto, o jornalismo é uma paixao, mas nao um sonho ou uma ambiçao. Se tiver de enveredar por outros caminhos, ainda que menos entusiasmantes, fa-lo-ei sem problemas. :)

    ResponderEliminar
  12. "O jornalismo é uma paixao, mas nao um sonho ou uma ambiçao. Se tiver de enveredar por outros caminhos, ainda que menos entusiasmantes, fa-lo-ei sem problemas".

    Eis-me: sempre quis dar aulas, desde que me lembro de saber o que queria para a minha vida; estou a escassos meses de ser "taberneiro"! Ahahahah!

    *

    ResponderEliminar
  13. Valter Ego, infelizmente é para isso que todos estamos. O país está cada vez pior, e ñão nos podemos dar ao luxo de querer exercer somente a profissao dos nossos sonhos.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.