Avançar para o conteúdo principal
"Have I told you lately that I love you?"

Quando o sentimos, devemos dizê-lo. Gritá-lo aos sete ventos ou dizê-lo baixinho, pouco importa. O que importa é dizê-lo.

Comentários

  1. Vale se dissermos só para nós?

    ResponderEliminar
  2. seja da maneira que for vale o que vale :)

    ResponderEliminar
  3. Sim, vale se dissermos só para nós. :) O mais importante é mesmo dizê-lo para nós.

    ResponderEliminar
  4. Sanxeri... não te "conheço" dos eite escritacriativa??

    ResponderEliminar
  5. Concordo..o importante é mesmo dizê-lo, seja da forma que for..alto ou baixo, mas sempre com o sentimento que falaste num dos últimos posts.

    Bjinho

    ResponderEliminar
  6. O mais importante pode também não se exprimir de forma nenhuma,apenas sentir.....

    Beijos vianenses

    ResponderEliminar
  7. T, não conheço esse site, portanto não me conheces daí. :) Mas vou investigar.

    Profundo olhar e Ana, exactamente.

    ResponderEliminar
  8. pela minha experiência devemos dizê-lo sempre, antes que um dia seja tarde demais!!!

    mas o mais importante é nós próprios não termos dúvidas....

    ResponderEliminar
  9. É importante dizê-lo..., para nós e especilamente à pessoa visada.
    Nunca se deve deixar por dizer.
    Olha, lê o que eu escre vi A uma Pessoa Linda…
    ...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Ora aí está uma frase que eu tenho alguma dificuldade em dizer... :-)

    ResponderEliminar
  11. Gata, tambem eu tenho dificuldades em dizê-la. :) Mas mais vale dizer do que arrependermo-nos de não o ter feito.

    ResponderEliminar
  12. Adoro dizê-lo baixinho, ao ouvido... :)

    ResponderEliminar
  13. "eu tenho dificuldades em dizê-la. :) Mas mais vale dizer do que arrependermo-nos de não o ter feito." tiraste-me as palavras do "dedo" hehe Beijo*

    ResponderEliminar
  14. Pff eu n digo, apenas me atrevo a pensar :|

    ResponderEliminar
  15. Digo-o muitas vezes ;)

    Mimo para ti no meu blogue

    O que seria do mundo sem afectos?

    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Andas com um bife? :D
    Estar-se apaixonado é muito bom, mas se for por muito tempo não há coração que aguente... depois vem o amor que é mais fraquinho, mas que se compreende. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Quando eu falava para nós não falava em sobre nós...

    As palavras são cruas e frias. Somos nós que lhe damos sentido e sentimento. Podemos dizer 1.000 palavras e nada significar, assim como podemos dizer uma apenas e mostrar o universo.

    Devemos dizer as palavras que nos apetecer as vezes que nos apetecer. Se nos apetecer dizer "AMO-TE" um milhão de vezes que a digamos. Seja qual for o tipo de amor, de um pai ou mãe, de um amigo, de um filho, de uma mulher ou de uma amante.

    O problema está quando a dizemos na surdina, no escuro silêncio, encoberta pela sombra do nosso ser. Quando o que sentimos não é mais que o amor cão, desejado e sonhado e impossibilitado. A questão é: esse "AMO-TE" também vale?

    ResponderEliminar
  18. Vale sim, John Doe. Pelo menos eu acho que vale. Do desejar ao conseguir pode não haver uma diferença tão grande assim. Nunca se sabe o que o futuro nos reserva.

    Aprendiz, não, não ando com um bife. Mas já andei. ;)

    MimiRose, adorei, obrigada!

    ResponderEliminar
  19. Nos tempos de hoje essa palavra é usada em vão, por tristeza minha e de muito com sensatez. Contudo, devemos dizê-lo, sim..acho que sim, ter medo de o dizer pode ser coisa do momento, mas muitas vezes não se diz mas traduz-se por acções, e olha que essas valem bastantes palavras.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.