Avançar para o conteúdo principal


"Amor Cão"


Amor é Traição,

Amor é Angústia,

Amor é Pecado,

Amor é Egoísmo,

Amor é Esperança,

Amor é Dor,

Amor é Morte.

O Que é o Amor?


É esta a sinopse do filme que mais me marcou, até aos dias de hoje. Não é um filme que se deva ver no conforto do cinema. É um filme intenso, que se vive, que se sente. Um filme que nos afecta, é impossível ficar-lhe indiferente.

Do realizador Alejandro González Iñárritu, responsável por filmes como "21 Gramas" e "Babel", este é um daqueles filmes que não esquecemos facilmente.
Três histórias, três mundos ligados por um acidente de carro. A princípio a história é meio confusa, mas com o passar dos minutos torna-se bastante claro todo o significado do filme.

Octávio quer fugir com Susana, mulher de seu irmão. O seu cão Cofi é utilizado como o caminho mais fácil ( e mais cruel) de conseguir o dinheiro para a fuga. Daniel, um homem de meia idade deixa a mulher e filhas para ir viver com Valeria, uma bela modelo. Valeria acaba por ser vítima de um brutal acidente, o que põe em causa a relação do casal. El Chivo, um sem abrigo, aproxima-se do acidente e resgata Cofi, o cão utilizado nas lutas de sangue. Um assassino profissional com um passado demasiado doloroso para ser recordado.

O filme desenvolve-se à volta da busca pelo significado do verdadeiro amor. Não é um filme fácil, que se veja de ânimo leve.

Este é um filme sobre as vidas miseráveis que muita gente tem pelo mundo fora. A pobreza, o desespero, as paixões e os enganos. Somos confrontados com o horror das lutas de cães, com o drama que é perdermos a pessoa que amamos, com as desavenças familiares. Um filme que nos mostra que tudo pode mudar numa questão de segundos.


Realizador: Alejandro González Iñárritu

Actores: Emilio Echevarría, Gael García Bernal, Goya Toledo, Álvaro Guerrero, Vanessa Bauche, Jorge Salinas, Marco Pérez, Rodrigo Murray...

Comentários

  1. Parece-me ser um filme a ver...
    "Amores perros" está anotado!!!
    Obrigado Sanxeri!!!

    ResponderEliminar
  2. Gael García Bernal. Só este nome já faz valer a pena. Assim como o realizador. Há muito que ando para procurar mais filmes dele.
    Obrigado então pela dica ;)
    Obrigado pelos teus comentários e espero que passes mais vezes :)
    Beijoca*

    ResponderEliminar
  3. Já vi e, tal como tu, achei fantástico. Uma liçao de vida. :)


    RC

    ResponderEliminar
  4. Este filme marcou-me muito qd o vi, precisamente pelos mesmo motivos. Impossivel ficar indiferente...

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.