“Somewhere over the rainbow

Way up high,

There's a land that I heard of

Once in a lullaby.

Somewhere over the rainbow

Skies are blue,

And the dreams that you dare to dream

Really do come true.”

Munida do meu fiel companheiro, o pacote das pipocas, fui ver “Austrália”, do realizador Baz Lurhman. É impossível não sair da sala de cinema sem traulitar um pouco de “somewhere over the rainbow”.

Austrália é uma aventura épica e romântica, passada no início da segunda guerra mundial. O filme conta a história de uma aristocrata inglesa, Lady Sarah Ashley. A lady viaja até à Austrália para evitar que o seu marido venda o seu último bem: uma quinta de gado chamada "Faraway Downs". Ao aterrar descobre que o marido foi assassinado e tudo muda na sua vida. É então guiada por “Drover”, Hugh Jackman, um homem rude que está habituado ao convívio com o gado.

Nullah, uma criança aborígena surge então na vida de Sarah. Nullah revela a Sarah que o responsável pela quinta, Neil Fletcher tem uma parceria secreta com o maior proprietário de gado, King Carney, e juntos tentam apoderar-se de Faraway Downs.

E é este o mote para uma história que fala de magia, de amor e de convicção. Quando se quer muito uma coisa ela acaba por se tornar realidade, é a lógica do filme.

Não é um filme do outro mundo, não o considero propriamente excitante. Toda a história era previsível. No entanto, é um filme bonito e enternecedor, que nos mostra o poder do amor. O amor aparece nos momentos mais estranhos e consegue mudar tudo.

O filme vale, em muito, pelos seus actores. Temos uma Nicole Kidman diferente dos papéis que costuma interpretar e um Hugk Jackman que mesmo todo sujo consegue ser um regalo para a vista. :P As paisagens australianas são magníficas. Valeu a pena.

Comentários

  1. vim conhecer teu blog, e gostei daqui. Muito bom.
    Tenha um belo final de semana.
    Maurizio

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Maurizio. Volta sempre ;)

    ResponderEliminar
  3. Também fui ver há uns tempos, ia com grandes expectativas, incluindo em relação às paisagens, e sai um bocado desfalcada. Achei o filme um bocado comprido demais, parecia que tinha várias histórias pelo meio, e uma mistura de estilos do realizador que me baralhavam um bocado... Mas mal sai do cinema, tive que ir à procura da musica!Só me lembrava da musica, não da versão da Judy Garland (não desfazendo), mas da versão de um cantor havaiano, e que eu tinha ouvido no filme "A minha namorada tem amnésia". Deixo aqui o link, é uma daquelas musicas para nos tirar da depressão e nos fazer querer ir para a praia!

    http://www.youtube.com/watch?v=PL-uL2M3xvM&feature=PlayList&p=C18439EFAC59480E&playnext=1&index=48

    ResponderEliminar
  4. Sim, Israel Kamakawiwo'ole tinha uma voz fenomenal. A minha versão favorita, sem duvida. :)

    ResponderEliminar
  5. bom, bom, como filme australiano, é do peter weir, com uma das primeiras actuações do mel gibson: "gallipoli".

    ResponderEliminar
  6. Pois..eu também vi o filme e confesso que não fiquei propriamente fascinada...Mas isso deve ser simplesmente porque não aprecio este género de filmes. Agora em relação ao Hugh Jackman...ele é qualquer coisa, isso realmente não se pode negar:P

    ResponderEliminar
  7. Muito boa, essa versão hawaiana do Over the Rainbow, não conhecia.

    ResponderEliminar
  8. Parece que vens mesmo fascinada.

    bjs com charme

    ResponderEliminar
  9. Charmoso, fascinada não diria... :) Mas a música é qualquer coisa de especial.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares