Avançar para o conteúdo principal

Faísca!

Eu tinha quatro gatas e um cão.

Infelizmente, em Agosto do ano passado, de um dia para o outro (literalmente) a minha gata Princesa entrou em choque, nem se mexia, só se escondia. Reparamos de manhã, levamos ao veterinário às 15h00, mas pelas 19h00 já tinha falecido. 

Fiquei completamente chocada. Era a minha gata mais jovem, estava connosco há cinco anos. Fizemos análises e descobrimos que era Felv+, o vírus da leucemia felina.

Infelizmente, soubemos demasiado tarde. Sendo um vírus que se transmite pela saliva, pela urina e fezes, era inevitável que as outras três gatas estivessem também infectadas. Foi erro meu, que a encontrei dentro de uma gaiola de pássaros, numa loja de animais, e a trouxe para casa sem fazer análises. Infelizmente, passei o vírus às outras, sem querer e sem saber.

A minha Blackie começou a ficar mais apática no início desde ano e tive de a adormecer, quando também já nem reagia... Foi muito emocionante e doloroso, porque foi uma gata arisca nos oito anos em que viveu connosco, mas procurou o meu carinho nos últimos dias de vida. Teve muito colo e muito mimo na hora da despedida.

Muitos animais me iam passando pela frente, ia conhecendo histórias dramáticas, mas nada podia fazer porque, como me referiu a veterinária, a partir do momento em que o vírus existe no lar, não se pode arriscar a saúde de mais gatos.

Até que ontem soube da história deste gato... Que tinha tudo para dar errado. Já tem sete anos, não é bebé nem jovem. É preto, que é aquela cor de gato que parece afastar os adoptantes. E é Felv+. 

Ao saber, nem precisei de ver fotografias. Era meu. Já é meu. Falei logo dele ao nosso filhote, que o baptizou de Faísca Mcqueen. Duvido que um gato de sete anos seja assim tão rápido... Mas rapidamente vai morar cá em casa. Vai ser castrado e deve entrar no nosso lar até ao final da semana.

O Tapete Vermelho da Imagem: Images' Red Carpet: Carros I: 3 ...

Nenhuma descrição de foto disponível.

Cá te esperamos, Faísca!

Comentários

  1. Que o Faísca seja muito feliz e muito mimado no vosso lar. Não duvido que será. É um gato sortudo. ;)

    ResponderEliminar
  2. Tão bom!!

    Vocês têm realmente as condições ideais para poderem adoptar um felino nessas condições.

    Eu só tenho um cão e as despesas já são tantas que não imagino quanto custará cuidar de tantos animais mas ainda bem que vocês podem e querem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não houver doenças, não gasto mais do que uns 40 euros mensais com os meus animais. A comida do cão ronda os 40 euros, mas dura dois meses. A comida das gatas são uns 10 euros por mês, sendo só duas... E a areia também são uns 10 euros. Claro que há medicamentos e coisas extra, mas sem doenças, gasto mais uns 100 euros por ano, em medicamentos para pulgas e desparasitantes internos do cão. Não acho que seja caro ter animais. É preciso é amor, vontade e TEMPO para nos dedicarmos a eles.

      Eliminar
    2. A questão de ser ou não caro depende das bolsas.
      Eu nem acho caro mas o que para mim é considerado acessível para o outro pode não ser e vice-versa.
      Depende também do tempo que passamos em casa, se viajamos e não dá para levar todos os animais a cada vez, depende se sofremos alergias, depende de tantos motivos.

      Adoro animais mas sou incapaz de encher um T2 com tantos bichinhos.
      Aflige-me mesmo quer eu queira quer não.

      Mas adiante o que importa aqui é que o Faísca seja cuidado e estimado.
      É lindo com uns olhos lindos.

      Eliminar
    3. Vivo num T3 que, felizmente, é muito espaçoso e tem quatro varandas (três, sendo uma dupla). Espaço não lhes falta e amor muito menos. :)

      Eliminar
    4. A questão é que a parte da saúde é muito imprevisível.

      O meu cão é de porte grande e além da alimentação ( uns 50€/60€ mês) , temos um seguro para cobrir potenciais problemas, idas ao vet e outras coisas.

      Mas nos imprevistos também temos que cuidar deles e como adoptante sabemos que esses momentos são imprevisíveis.

      Eu já tive despesas inesperadas muito elevadas com ele.
      Não creio que tivesse condições financeiras para ter o dobro ou o triplo sem que isso influenciasse a minha qualidade de vida e a dos meus filhos.

      Aliás eu já gastei mais no veterinário do que com as despesas médicas dos meus filhos, e isso inclui cirurgias que os meus filhos já precisaram...

      Eliminar
    5. Claro que é imprevisível. Mas a nossa saúde também é imprevisível. E acidentes de carro. E incêndios. E desgraças variadas. Se for por aí, nunca teríamos animais. Concordo plenamente com seguros de saúde para a bicharada, acho uma mais-valia e um descanso. Já tive meses em que gastei 100 ou 150 euros em veterinário, mas felizmente nunca tive nenhuma despesa grandiosa com os meus animais... e eram cinco e já tenho animais há oito anos e meio... Mas, claro, se acontecer, terei de pagar. Nem há outra opção.

      Eliminar
    6. Pois é isso. A mim assusta-me, confesso.

      Tenho apenas 1 cão e já tive uma despesa inesperada de +- 1500€ ( somando tudo: consultas no vet, fisioterapia e muda de pensos quase diária).
      Foi bastante complexo e só quando deixou de ser uma situação muito delicada é que começou a ser possível fazer a troca do penso em casa, até lá eram visitas diárias ao vet, depois de 2 em 2 dias e por aí fora.
      Ele podia ter morrido ou ter que amputar mesmo a perna. Não foi necessário mas foi uma despesa muito grande e literalmente de um dia para o outro.

      Foi a maior despesa de uma vez só mas faz-nos ter os pés atrás relativamente a adoptar mais.
      Andavamos a pensar num gato antes dessa situação acontecer e agora, 3 anos depois, ainda não há gato cá em casa e a verdade é que essa é uma das principais razões.

      No ano passado tivemos uma gata que se refugiou no nosso terreno para parir. Foi a primeira vez que pensamos mesmo mudar a situação cá em casa. Na época pensamos em ficar com ela e os gatos que tivesse até podermos dar os gatinhos ou a associação cá da zona aceitar mas ela desapareceu do nosso terreno muito rapidamente.

      Eliminar
    7. Eu gosto de animais e penso muitas vezes que gostaria de ter um gato ou um cão. Depois penso nas contas, nos imprevistos, no trabalho, no amor incondicional e não sei se tenho o que é preciso para ser cuidadora de um animal. Adoro-os, mas acho que os adoro mais na casa dos outros. Não tenho capacidade de arcar com despesas elevadas em veterinários. O gato de uns tios caiu da varanda, precisou de vários cuidados que custaram mais de mil euros e ainda estragou um carro, cujo arranjo teve que ser pago por eles. Eu não sei se teria capacidade de arcar com essas despesas ou, a ter, iria ficar sempre "a chorar" aquele dinheiro porque obviamente seria incapaz de deixar o bichinho sem a assistência médica necessária. Por isso deixo-me estar quietinha, brinco com os animais dos outros, delicio-me com os vídeos/fotos da net e chega, para já.

      Acho um máximo quando as pessoas têm esta capacidade de adoptar imensos animais e cuidar deles com o amor e conforto que mercem.

      Eliminar
    8. a minha mae tinha um cao e um gato. depois ofereceram uma cadela à minha irma e ela nao teve como recusar. e no ano passado a minha avó faleceu e ficamos com o gato e a cadela dela. portanto sao agora 5 animais em casa. e não é facil. digo sempre que à medida que eles forem indo naturalmente nao vamos ter mais nenhum porque é muito trabalho, responsabilidade e despesa. o cao que a minha mae teve inicialmente teve um acidente, despesas de cerca de 750€ e fui eu que tive de ajudar a pagar. felizmente os restantes não têm dado problemas de maior.

      Eliminar
  3. Um gato de 7 anos ainda é um jovem. Que sejam felizes. <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade é aos sete anos que se torna sénior, pelo que é a altura em que os donos devem estar mais atentos. Mas pode te ainda muito tempo pela frente, sem dúvida.

      Eliminar
    2. Anónima, como tenho um gato com 16 anos, 7 parece-me ainda um bebé :D

      Eliminar
  4. Tão bonito!
    Obrigada por serem um exemplo tão bom para a nossa sociedade

    ResponderEliminar
  5. Parabens pela atitude S. Infelizmente, é tao dificil animais serem adotados, ainda por cima com essa idade e doentes.
    Concordo com o anonimo de cima, nao é facil ter tantos animais (acabei de gastar 80€ em veterinario so para um deles) mas nada paga o amor destes peludos. Para mim sao parte da familia e pela maneira que falas, tenho a certeza que os teus tambem sao. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. Tão bom!!!! Que sejam muitoooooooooooooooo felizes!!

    ResponderEliminar
  7. Tenho uma gata que nasceu sem olhos, vai fazer 9 anos em setembro e continua a agir como se tivesse um ano. O único problema que teve até ao momento foi uma infeção urinária há perto de 3 anos, que levou a que fosse feita uma mudança de ração. Um saco de 4 kg custa 44,50€ e dura 2 meses e meio. É o valor mais baixo que consigo para a marca que consome.
    A minha miúda é uma peça fundamental na construção da felicidade da nossa família e, pela forma como age, tenho a certeza que ela sente o mesmo em relação a nós.
    Bem vindo, Faísca! Vais ser feliz 🤗

    ResponderEliminar
  8. A necessidade de ter tantos animais em casa parece o mesmo que de consumismo, pelo menos da maneira como falas. Devias ponderar se ter mais um elemento é o melhor para os restantes animais e não apenas se queres mais um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazer o bem sem olhar a quem. Vou ajudar um animal que dificilmente seria adoptado. Nada há de errado nisso. Nada de consumismo ou teorias do género... Só amor.

      Eliminar
    2. 👏🏼Bravo Sónia! É isso mesmo, amor! Muitos parabéns pela atitude de adoptar um gato já adulto

      Eliminar
  9. Tão bonito. Mais um elemento para a família. Sejam felizes 😊

    ResponderEliminar
  10. Que bom!!! :) :) :)
    Muitas felicidades para o Faísca e para a restante família :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.