Avançar para o conteúdo principal

COVID e as escolas

Andava eu (egoisticamente) a achar que o COVID-19 ia ser um daqueles casos de muita parra e pouca uva...

Mas quando se começa a falar de encerrar todas as escolas, esta Mãe que vos escreve até se benze. 15 dias em casa com o pequeno? Numa fase em que ele é tão enérgico e se aborrece com facilidade?  Pelo sim, pelo não, deixa hoje de ir à natação. É assustadora a possibilidade de mandarem os miúdos todos para casa... Não só pelo facto de significar que a saúde deles pode estar em risco, como pelo facto de pôr todos os pais em alvoroço. Não consigo imaginar o caos que iria provocar. Os avós têm geralmente uma saúde mais frágil, fruto da própria idade mais avançada, por isso também não me parecem ser uma solução muito viável. Pelo menos, no nosso caso, não o é.

Não sei como vai ser, mas começo a ficar seriamente preocupada. Já nem falo do impacto económico nos negócios.

Comentários

  1. As crianças para já não apresentam grandes sintomas, não parecem para já fazer parte dos grupos de risco. Mas sendo crianças é mais difícil controlar que lavem as mãos com frequência, que não espirrem para o ar, que não andem a tocar na cara uns dos outros ou aos beijinhos. Tornam-se por isso óptimos condutores para espalharem o vírus, sobretudo aos avós, que como disseste, fazem parte do grupo de risco dado a saúde geralmente mais fragilizada.
    Entendo a ideia da quarentena mas não acho que as pessoas percebam que devem mesmo ficar em casa. Se continuarem a passear as crianças, a ir com elas aos parques, aos centros comerciais, a casa dos avós, etc, não estarão a impedir que os vírus continue a espalhar-se. Suponho (e digo bem, suponho) que em casos destes se considere que um dos pais fica também de quarentena, com direito à respectiva baixa.

    ResponderEliminar
  2. Acho que nos aqui na Europa estavamos todos descansadinhos da vida porque se passava tudo na China e nao nos dizia respeito. Agora com 15 mil casos aqui a porta, as pessoas estao a desesperar.
    O probelma nao é so as escolas fecharem, é os negocios fecharem todos. Bancos, restaurantes, bares, museus, fabricas. Ha muitas pequenas empresas que nao vao aguentar. Tenho medo pela nossa populaçao envelhecida mas ainda mais pelo impacto economico que isto vai ter.

    ResponderEliminar
  3. Quando se começou a falar disso ainda achei que nos ia passar completamente ao lado. Depois, com os casos a aumentarem na Europa, comecei a pensar na questão mais seriamente.
    Sem alarmismos desnecessários acho mesmo que mais valia fechar tudo durante um mês e conter o vírus como deve de ser , e voltar depois à nossa vida normal, do que andarmos completamente despreocupados e depois fechar todo o país por tempo indeterminado, em condições muito mais frágeis.
    A situação da Itália devia ser uma lição para todos nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lição devia ser Macau, vejam a evolução e como está. Mas pronto, somos latinos...

      Eliminar
  4. A melhor é quererem antecipar as férias da Páscoa.
    Oficialmente não é quarentena, logo, não têm que pagar aos pais para ficarem em casa com os filhos.
    Isto qd muitos pais já não conseguiam tirar férias na Páscoa e pagam a ATLs e afins... E os outros têm as férias marcadas para aqueles dias e não conseguem mudar datas nos RH de um dia para o outro.
    Muitos nem sequer avós têm...

    Se anteciparem as férias da Páscoa para a próxima 2a feira, eu gostaria imenso que me explicassem como é que eu justifico as faltas ao meu patrão... Porque obviamente não vou deixar o meu filho de 7 anos sozinho em casa. E por acaso até tenho os avós deles vivos mas todos trabalham, logo, também não podem faltar ao trabalho de um dia para o outro.
    E eu até sou das pessoas sortudas que pode perder uns dias de vencimento. Mesmo assim não posso ter simplesmente 15 dias de faltas injustificadas ..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão. Eu terei a sorte de poder fazer tele-trabalho, se for o caso. E as. Lojas?

      Eliminar
  5. Sim, está a começar a ficar assustador. Mas se for a maneira de evitar mais contágio, então que seja. Só ainda não ouvi falar de fechar centros comerciais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E as pessoas que vão ficar de quarentena depois iam para onde ?! 🤪🤪

      ( Desculpem mas depois de saber que foram de férias para o Algarve já acredito em tudo).

      Eliminar
    2. Quarentena = isolamento!!! Qual é a ideia que não percebe? As pessoas iam para onde??? A ideia é ficar em casa, não acha? Isto não são férias.
      As férias antecipadas é só para não penalizarem tanto os miúdos, caso contrário seria um mês sem aulas. Por vezes, fico com a ideia de que toda a gente quer ser contaminada.

      Eliminar
    3. Mas as pessoas que não têm sintomas, nem contactaram com alguém que tenha estado em sítios de risco, vão parar de viver? Eu tenho uma viagem na próxima semana para um sitio onde nem se contam pelos dedos de uma mão o número de infectados, e nunca me passou pela cabeça cancelar. As pessoas não estão é a ver as consequências económicas e posteriormente sociais que daqui vão derivar, se começarem a parar a economia.

      Eliminar
    4. Sarcasmo, conhece?
      Até coloquei o parêntesis precisamente para não haver alguém a interpretar dessa forma... 🤔🤔

      Eliminar
    5. Não fui eu que escrevi, mas é ironia senhora!

      Eliminar
    6. As pessoas de Felgueiras tiveram ordem de quarentena! Foram para o Algarve de férias...!

      O período de incubação é longo e podem transmitir a doença nessa fase. Além disso podem estar infectados, assintomáticos ( sem sintomas) e a infectar muitas pessoas.

      Logo, não é deixar de viver. É ter 2 dedos de testa e seguir as orientações.
      Quarentena não são férias. É precisamente sinónimo de isolamento. Se não fosse, podiam ir trabalhar não eram enviados para casa...

      Eliminar
    7. Por cada pessoa com sintomas há várias em incubação e assintomática. O que significa que a taxa de mortalidade é inferior ao calculado atualmente mas também significa que há muito mais pessoas infectadas do que o esperado... Ou seja dificilmente serão apenas uma mão cheia.

      Fará o que bem entender até porque o nosso Estado não tomou uma posição. Entretanto pode ser decretada a impossibilidade de regressar a Portugal. Pode ficar doente ou pode servir como veículo de transmissão...

      A nossa sorte é que a mortalidade é baixa. No entanto, todos temos familiares em grupos de risco, certo?
      O grande problema é que nós não temos capacidade para dar resposta se tivermos uma grande parte da população afectada.
      Em Itália por exemplo já se tem que decidir quem vai ser intubado, a quem vão tentar prestar auxílio e quem deixar morrer.
      Há 20 máquinas específicas para ajudar numa questão específica resultante do coronavirus em Itália. Estão todas a ser utilizadas. Portugal tem 10... Estão a ver o cenário?

      A população saudável, jovem e sem factores de risco tem uma hipótese ínfima de ficar seriamente doente. Mas sem cuidados, podemos traçar a morte para muitas pessoas que não têm a nossa sorte...

      Eliminar
    8. Anónimo das 9h37, não devia ir por prevenção. A ideia do isolamento e medidas de afastamento social para todos é prevenção. Porque uma pessoa que faça X, tem contacto com o virus, até pode nem ter sintomas ou achar que está apenas constipado, mas é portador do vírus, depois espalha-o para Y, que por sua vez o passa para Z, etc etc etc e temos centenas de pessoas infectadas pelo comportamento de uma pessoa, podendo chegar a idosos e doentes crónicos e sobrecarregando gravemente o nosso SNS. Por isso se pede prevenção a toda a gente neste momento, para evitar espalhar o vírus. Eu também tinha 4 viagens programadas para este ano e neste momento nem sei se vou fazer alguma. Vou esperar e mais em cima decidir face às recomendações do momento.

      Eliminar
    9. Não é parar de viver. Mas pegando no seu exemplo: vai fazer a viagem, vem infectada, tudo bem para si que não faz parte de um grupo de risco. Se tiver um filho, pode passar-lhe o vírus, e também não será grave pois não faz parte do grupo de risco. Só que depois o seu filho vai à escola e vai infectar todas as outras crianças que por seu lado podem ter pais e avós a quem o vírus pode já ter graves consequências. Ou você regressa ao trabalho, infecta os seus colegas, que por outro lado poderão infectar os respectivos filhos e pais, e assim continua a contaminação.
      Daí a importância da quarentena. Se vai viajar para uma zona de elevado risco de contaminação, o mais razoável e responsável da sua parte e da parte da empresa para a qual trabalha seria ficar depois em quarentena.
      E daí também a importância de que quem está em quarentena não ande alegremente em centros comerciais, supermercados, lojas, hotéis, etc...

      Eliminar
    10. Nesta fase, há que ser menos egoísta. Pensar mais nos outros e no que podemos gerar.

      Eliminar
    11. É tudo muito bonito, mas só funciona se fosse a nível mundial. Não vale a pena parar o país por umas semanas, se os países à volta não pararem. Contemos aqui, e depois deixamos entrar pessoas de países com elevado número de infectados. Até de manhã, sabem que voos de Itália ainda chegavam em barda a Portugal. Voos directos da China nunca foram suspensos. E podia continuar com os exemplos. Egoísta é pensar nos postos de trabalho de certos áreas que já começam a ser postos em causa por causa do medo.

      Eliminar
    12. Lá está, deviam mesmo fechar a entrada de turistas. Habitantes deviam ficar todos em quarentena preventiva assim que chegassem. E a partir de agora quem saísse do país, ficar de quarentena a chegar. Esta última, para viagens não essenciais, não devia ser paga.

      Eliminar
    13. Que eu saiba as viagens não essenciais são apenas para certos sítios, não é para todo o lado. A sério? Proibir a entrada no país de qualquer turista? Milhares de pessoas da aviação e turismo a caminho do desemprego. Mas pronto, depois estão cá os outros para pagar subs de desemprego.

      Eliminar
    14. Vocês devem fazer parte daquele grupo de histéricos que já foi para o supermercado esgotar prateleiras.

      Eliminar
    15. Prefere ficar no desemprego ou morrer? Ah pois, se calhar não é consigo, é só com idosos e doentes crónicos. Que tristeza.

      Eliminar
    16. Não, é melhor não ter controlo nenhum e brevemente termos os nossos idosos ( e não tão idosos) a morrer.
      A primeira vítima já morreu... Assim sempre se pagam menos reformas...

      Eliminar
    17. É que faz um sentido desgraçado querer fechar tudo, escolas, serviços públicos mas deixar o fluxo de turistas quietinho só para não mexer no lobby do turismo...
      Deus nos livre da malta não poder gozar férias à vontade!!
      Grupos de risco? I don't care...

      Talvez se se tornar numa pessoa em risco de vida, a precisar de ventilação mecânica mude de ideias... A miúda de 17 anos infectada por quem veio de viagem, está neste momento a lutar pela vida...

      Mas continue a olhar apenas para o seu umbigo... Os outros fizeram o mesmo. Foi assim que o vírus cá chegou e como o Estado está muito mais preocupado em dar boa imagem em vez de fazer alguma coisa para a prevenção, por cá continuamos...

      Olhe que alguns países foram tão loucos que proibiram mesmo a entrada a turistas. Afinal é possível... O milagre por lá deu-se...

      Eliminar
    18. Desemprego ou morrer? Só existe estas duas opções? Já viu os gráficos dos recuperados? Já leu relatos de quem teve o vírus, e disse que já passou por gripes bem mais duras? Estive na Ásia há um mês em países infectados e sobrevivi. O meu trabalho implica lidar com centenas de passageiros por dia e estou há 3 meses super relaxada com isto. Lavem mas é as mãos, não é só agora, é sempre.

      Eliminar
    19. Eu não sou das loucas que foi esvaziar prateleiras de supermercado mas sou asmática, tenho asmáticos e tenho idosos de quem gosto muito na família. Por isso sim, preocupa-me que pessoas ignorantes e egoístas que provavelmente pouco se dão com os mais velhos da família e por isso estão descansadas achem que não há qualquer mal em andar a passear por países infectados e ir trabalhar logo a seguir. “Adoraria” trabalhar com alguém assim...

      Eliminar
    20. Ter cuidados e não ser palermas, como os que foram para as praias, não é ser histérico e ir esgotar prateleiras.

      Os grandes aglomerados de pessoas são para se evitar. As coisas estão a encerrar para as pessoas ficarem isoladas.
      Não são férias para laurear a pevide...

      Com um tão baixo nível de compreensão é de admirar que saibam escrever sequer...

      Eliminar
    21. Claro porque lavar as mãos vai resolver todos os problemas do mundo. Vai fazer com que as gotículas não fiquem no ar aproximadamente 30 minutos, 7h em superfícies e o risco de contaminação ser até cerca de 4.5 metros.

      Ai esteve na Ásia? Tão linda... E quem lhe garante que não está infectada, assintomática e a colocar em risco de vida pessoas com sistema imunitário vulnerável?

      Tão hippie, tão moderno isto de olhar apenas para o nosso umbigo, para as nossas fragilidades...

      Vá lá dizer às centenas de mortos em Itália que deviam lavar melhor as mãos 😉

      O histerismo é tão grave quanto a desresponsabilização total... Belo exemplo. Hoje também foi à praia, ao shopping ou a outro local sobrelotado?

      Eliminar
    22. Já vi os gráficos dos recuperados. Dos casos que já temos com um final, a nível mundial, 94% recuperaram e 6% morreram. Veja o worldofmeters que é atualizado diariamente. Tem noção que isso é uma mortalidade altíssima? A gripe mata 0,1% por ano em Portugal e mesmo assim aposta-se na prevenção e vacinas. Leia a entrevista que um epidemiologista de ontem ao Público e veja se ainda acha que é "só" uma gripe. Pode ser para si e para quem tenha um sistema imunitário forte, para o resto da população não. Veja o relato de quem trabalha em hospitais em Itália, onde não há ventiladores para todos e já andam a seleccionar doentes. Veja qualquer recomendação da comunidade médica, que está bem preocupada com isto e com a sobrecarga do nosso SNS e recomenda precaução a toda a gente. Mas você deve saber mais do que eles porque esteve na Ásia e trabalha com passageiros, enfim.

      E ser cauteloso não significa ser histérico. Não significa esgotar supermercados. Simplesmente ter medidas de contenção. Lavar as mãos mais vezes ainda, evitar estar próximo de outras pessoas, trabalhar a partir de casa, não viajar, ter o mínimo contacto social possível.

      Eliminar
    23. Anónimo das 21h17

      Mas ainda não percebeu que o problema não é o anónimo apanhar o virus? Se é jovem e saudável, se calhar nem vai ter sintomas. Mas existe mundo à sua volta e pessoas com sistema imunitário mais fraco. Eu também estou relaxada comigo, por mim, com a minha filha, com o meu marido. Mas tenho avós e pessoas doentes na família que se apanhassem este vírus poderiam ver-se aflitas para não dizer pior. Mas concordo consigo: as pessoas deveriam lavar mais aos mãos (infelizmente só isto não é o suficiente, há outras medidas que também são precisas tomar).

      Eliminar
    24. E a anónima deve ser aquele tipo de pessoa que foi ao Corona party a Santa Maria da Feira.

      Eliminar
  6. Quando falam em encerrar escolas, não estão a assumir que isso é ficar de quarentena, o que está errado, no meu ponto de vista, porque se for quarentena, as pessoas até teriam uma "maior obrigação" para a cumprir, e ficar em casa, agora fechar escolas só para não estarem juntos....enfim.... isso não é, de todo, quarentena. Aliás, acho que as entidades competentes deveriam começar a assumir coisas, em vez de deixarem nas mãos de quem coordena....

    ResponderEliminar
  7. Passei toda a vida muito pouco tempo com os meus filhos. Eles estavam 11 horas no colegio. Era uma hora de manhã e pouco mais de duas à noite. Nunca tive essa sensação de não querer estar com eles em casa. Mesmo quando eram os dois bem pequenos. Mesmo estando muito tempo se nenhuma ajuda, só eu e eles. Ansiava pelos fins de semana e as férias eram um bálsamo para a alma. De facto todos vivemos a maternidade de formas diferentes. Não melhores ou piores, apenas diferentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu aproveito muito bem o tempo com o meu pequeno. Mas adoro trabalhar.

      Eliminar
    2. O problema aqui não é ter de ficar com as crianças, é ter de ficar com elas EM CASA. Eu adoro estar com a minha filha (tem 1 ano), mas aos fds passamos parte do dia ao ar livre a passear e brincar. Ficar 15 dias fechado em casa com crianças pequenas é um suplício.

      Eliminar
    3. Eu passo os meus dias a trabalhar como ama, portanto, de manhã à noite, tenho quatro crianças pequenas (entre os 6 e os 18 meses) comigo, incluindo a minha. Não é um suplício para todos :) e eu adoro estar em casa com os meus filhos, mesmo que não possa sair com eles.

      Eliminar
  8. Compreendo que seja complicado arranjar solução para alguém ficar com as crianças, mas vocês querem o quê?
    Qual é a outra solução?
    Não dá para fechar tudo mas tenta-se por onde dá.
    Ou preferem risco de contaminação elevado???
    Qual é a vossa solução?
    Acham mal fechar escolas.
    E acham bem que estejam abertas nesta altura do campeonato?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém disse isso. Acho muito bem que se fechem escolas. A contenção só acontece com restrições. Mas posso achar que vai ser complicado de gerir.

      Eliminar
    2. Acho bem que se feche as escolas. O Estado que pare de inventar em chamar-lhes férias.
      O Estado, para o qual todos descontamos, tem milhões para destruir em tudo e mais alguma coisa, que utilize os nossos impostos para pagar o ordenado aos pais.

      Estão a chamar férias e arranjar forma de não darem solução aos pais e de não lhes pagarem para ficarem em casa.

      No meu caso, não me faz diferença não ter um salário.
      Quantas pessoas estão no mesmo barco?
      Os portugueses precisam de comer, pagar contas, ...
      Ou será que o Estado vai impedir as instituições bancárias de cobrarem empréstimos, as seguradoras... E vai servir de fiador para os portugueses comerem?

      Ficar em casa de um dia para o outro não só coloca o emprego em risco para muitos como também contribui para a degradação das condições de vida de pessoas, principalmente as que estão no limiar da pobreza.

      Ainda hoje li o testemunho de uma mãe cuidadora informal do filho com graves problemas de saúde a dizer que não tem condições financeiras para fazer compras e garantir que tem comida casa para os próximos dias. É muito fácil estar na minha casa, com a despensa cheia e não querer saber, não é?
      Também não tem condições para pagar quase 2.5€ por cada frasquinho de álcool ( que antes custava 50/60 cêntimos)... E ela precisa disso diariamente para não colocar o filho em risco de infecção...

      Mas olhar só para o nosso umbigo é que é giro...
      Olhe por mim podemos ficar 1 ano sem vencimento. Afinal qual é o problema??

      Eliminar
    3. Podes achar o que quiseres, mas quer dizer... arranjem vocês outra solução então!
      Acho bem que se tomem medidas de prevenção para não chegarmos ao ponto que a Itália chegou, por exemplo.

      Ah não sei o que fazer ao miúdo em casa!
      Muitas pessoas não sabem... mas se estas medidas não fossem tomadas depois vinham mais tarde criticar porque não encerraram escolas mais cedo.

      Eliminar
    4. Nesta altura em que o vírus está a avançar rapidamente 🦠 parecem-me que o que não dá jeito é apanhar esse mesmo vírus, não?

      É preciso implementar medidas de prevenção. Ponto final.
      Não só com os miúdos mas com todos.
      Vir agora com críticas não faz muito sentido!

      Eliminar
    5. Oh gente, só não entende quem não quer. É super VÁLIDO e CORRECTO que se encerrem as escolas. Mas obviamente que, para os pais, é complicado gerir, faltar ao trabalho e ficar 15 dias em casa com miúdos enérgicos e irrequietos. Mas está TOTALMENTE CERTO!!!

      Eliminar
    6. Certo.
      Mas, QUAL É A (Tua) SOLUÇÃO?
      Eis a questão.

      Eliminar
    7. Mas eu acho que ainda não entendeu... eu acho que a solução é mesmo FECHAR. O que não invalida que vá ser caótico para os pais.

      Eliminar
    8. A solução é fechar e, no mínimo, pagar aos pais que ficam em casa.

      Eliminar
    9. Não percebo então o teu post ou o sentido do mesmo.
      Estás preocupada? Estamos todos.
      Entre dinheiro e saúde venha a saúde sempre em primeiro lugar.

      Eliminar
    10. Anónimo das 23h33

      Se agora dissessem que para nos protegermos todos do vírus temos de tomar todos os dias uma colher de fígado de bacalhau, todos tomaríamos é claro mas queixarmo-nos-íamos do sabor. Não seríamos contra a medida mas falaríamos do quanto desagradável esta seria. Aqui é a mesma coisa: a S* não é contra a medida de fechar as escolas mas sabe que essa medida implica ter as crianças fechadas em casa, e de como isto pode facilmente saturar pais e filhos. Defende que é medida correcta mas desabafa também que não será fácil ficar em casa com uma criança sem poder ir a parques e assim.

      Eliminar
    11. Touché, anónimo das 9h55!

      Eliminar
    12. Percebi que a S* concorda com o encerramento das escolas. Não percebo é o queixume tuga mas ok.
      Há casos bem piores do que o da S*.
      Pessoal que se vê sozinho com crianças ou idosos, mães solteiras, viúvas, gente que não tem família perto, doentes oncológicos, etc.

      Eliminar
    13. Não sou adepta do queixume mas também não sou adepta do “há sempre alguém pior que nós”. As pessoas têm o direito de desabafar, de pensar no que as incomoda...O facto de alguém ter de tomar 5 colheres de óleo de fígado de bacalhau não vai fazer com que a única colher que eu tenha de tomar me saiba a chocolate e não tenha o direito de desabafar que me sabe mal.

      Eliminar
    14. Evidentemente, todavia, há queixumes e Queixumes.
      Queixas com fundamento e outras nem tanto assim.
      De epidemia a pandemia.
      Dar jeito? A ninguém no mundo esta crise dava jeito, sobretudo, aos que já foram desta para outra, infelizmente.
      Dentro do azar ainda vamos tendo sorte, logo, menos queixinhas...

      Eliminar
    15. Também acho que há queixumes e queixumes. E como mãe de uma criança com quem agora vou ter de ficar em casa, entendo bem o desabafo da S*. Gosto imenso de estar com a minha filha, adoraria encarar estes dias como férias e podermos andar as duas a passear, ir ao parque, conviver com as crianças vizinhas. Mas não são férias. Teremos de nos resguardar e ficar mais por casa. Durante dias, semanas. Vou ter de arranjar com que se entreter, não vai gastar energia da mesma forma, vai começar a ficar saturada e eu também. Comparando: isto é 15425484521 vezes melhor do que estar doente ou morto. Mas caramba, deixem os pais desabafar. Nunca foi fácil ficar em casa fechado com crianças, não é porque agora há um vírus, que passa a ser algo maravilhoso.

      Eliminar
    16. Não têm varanda? Terraço?
      Jardim? Brinquedos? Actividades variassssss, culinária com a miudagem, pintura, contar histórias, jogar monopólio entre família, fazer sestas com eles, ver filmes, aprender a escrever ou desenhar dependendo da faixa etária, sei lá, aproveitar o tempo com eles que se estivéssemos a trabalhar não teríamos.
      Tal como você, eu, a S* e outros tantos.
      É assim por um bem comum.
      Sejam optimistas e já agora pragmáticos!

      Aproveitar este tempo para reflectir sobre o mundo e nós enquanto seres humanos, o que temos andado a fazer, a forma como vemos e levamos a vida.
      Meditar sobre a fragilidade humana.
      Se começar por aí depressa chegará à conclusão que passámos demasiado tempo com críticas e queixumes sobre o precioso tempo em Vida.

      Eliminar
    17. Quando o drama já está instalado e justificado a atitude mais sensata é não dramatizar ainda mais.

      Dá jeito ficar fechado e aborrecido? Nenhum.
      É preciso? Então bora lá.
      O queixume resolve? Não.
      Solução? Existe?
      Óptimo.
      Estou viva e os meus filhos também?
      Perfeito.
      Gratidão 🙏🏻 é a palavra.

      Eliminar
    18. Aqui, não temos terraço nem jardim. E as varandas são abertas em baixo, por isso não se brinca lá.

      Irei optar pela casa de família, que tem muito quintal, em alguns dias...

      Eliminar
    19. Sim é uma ideia S*.
      Ou para quem não tem varanda e etc. montem a “tenda” na sala.
      Uma manta no chão, almofadas, pipocas e brincadeiras.
      Abrir as janelas ainda não é proibido!
      É mau estar tanto tempo em casa mas se queremos que a pandemia passe, esta é a atitude correcta.
      De todos para todos.

      Eliminar
    20. E há mais actividades que podemos fazer com eles. Mencionei algumas mas podem até fazer pequenos exercícios físicos em casa para gastar energia, adequados sempre às idades deles, como se estivessem na escola ou escolinha.
      No final ainda vão rir todos com a ginástica.
      Mais... aproveitar a oportunidade e falar aos miúdos sobre a importância do amor, da amizade, da família.
      Contar histórias sobre a nossa infância sempre que for benéfico, contar peripécias sobre a vida dos avós ou de outros antepassados.
      Conversar sobre aquelas coisas que na correria do dia-a-dia e quando andamos no activo deixámos para depois...

      Para as meninas fazer bonecas de trapos, roupinhas para bonecas ou pompons de fio. São fáceis de fazer e na net também estará o passo-a-passo.
      Para os meninos e também para elas recortes de carros, borboletas, tudo o que vos ocorrer.
      Há moldes na net para imprimir e eles costumam gostar destas actividades.

      À noite olhar pela janela todos juntos e tentar ver as estrelas, se der... deixem os miúdos dizer o que vêm ao olhar para o céu.
      É giro.

      Ensinar sobre plantas, animais, cores, aprender as horas, etc.
      Fazer desenhos e por em molduras.
      Fazer pinturas faciais que eles adoram.
      Jogar ao jogo dos Nomes, cidades, frutos, etc.
      Montar puzzles.
      Enfim, é arranjar estímulos e puxar pela criatividade. É bom para pequenos e adultos.
      Arranjar actividades diferentes para que haja sempre novidades e não apenas passar os telemóveis e tablets para as mãos.

      Eliminar
    21. Mas na casa de família não estará em contacto com os avós e tios mais velhos? Fará sentido, ainda mais havendo já outras crianças lá?

      Eu não tenho quintal nem varandas. O jardim mais perto é onde está o parque infantil por isso não faz sentido ir para lá. Mas não estou a fazer disto um drama nem um queixume. Estou mais do que habituada a estar em casa e a arranjar actividades. Ainda assim afirmo que para adultos e crianças ficar fechado em casa muitos dias é duro, pode saturar, pode criar neuras. Se assim não fosse não se dava tanta importância aos quintais, às varandas, ao tempo que as crianças devem passar no exterior...É apenas uma opinião, um ponto de visto, de quem já está em
      isolamento sem
      problemas ou sacrifício. Só vê nisto um queixume, um drama, uma tragédia, uma falta de gratidão, negativismo, etc, quem quer. Eu prefiro reconhecer que ter os filhos em casa é mais complicado do que poder sair com eles e dar ideias de actividades giras para fazer a quem se sente perdido e sem ideias interessantes ou criativas do que fingir que é mesma coisa.

      Eliminar
    22. Desisto. Quem não quer ideias que se arranje como puder ou quiser...... aff gente com o complicometro ligado, não obrigada.

      Eliminar
    23. Até parece que não podem andar pelo prédio ou pelas moradias, ir levar o lixo ou abrir uma cx. de correio que seja. Já esticam as pernas e apanham ar.
      Abram as janelas, aliás convém arejar a casa sobretudo nesta época em que se vai estar mais no mesmo ambiente.

      Porra, há pessoas muito complicadas.

      Coitadas das educadoras com apenas dois braços por pessoa e creches e infantários cheios, uns berram, outros saltam, outros...

      E já agora, antes de começar a choramingar lembrem-se dos profissionais de saúde que vão trabalhar incansavelmente estes dias e muitos deles também tem filhos e preocupações pessoais.

      Eliminar
    24. Também desisto. Não é fácil discutir pontos de vista quando alguém vê em tudo choraminguices e negativismo (que há zero por aqui. Vivo numa zona isolada, posso bem ir passear com as crianças para a floresta mas entendo os pais que não têm a mesma facilidade).
      Ao anónimo que deu ideias, gostei da partilha. É sempre útil saber mais algumas actividades para quando falta a imaginação. :D

      Eliminar
    25. Fui eu a anónima das ideias.
      Se ajudou ou ajudar alguém já foi útil. :)
      Esqueci-me que vem aí a Páscoa e podemos fazer também actividades ligadas à época (que eles muitas vezes fazem nas escolas).
      Pintar ovos à mão ou fazer decoupage (para quem saiba fazer), fazer coelhos de pompons ou lã, fazer cestinhas de cartolina ou decorar latas e caixas com amêndoas de Páscoa ou até flores de papel e por aí fora.

      Pequenas lembranças para dar aos padrinhos ou aos avós ou apenas por diversão e ocupar o tempo de forma que eles estejam entusiasmados e bem dispostos. E nós também.

      Eliminar
  9. Eu estou preocupada por um motivo. As inscrições para os exames do 11ª ano são de 11 de Março a 24 de Março. Agora imaginem milhares de alunos a tentarem fazer a inscrição para os exames até esta sexta-feira ( onde é suposto ser o último dia de aulas caso fechem as aulas) e a se a "dita quarentena" durar até à Páscoa o que fazemos. Isto sem falar sobre todos os testes que estavam marcados para o 2ª período e que serão adiados e que depois acumulam com todos os os outros….
    Dúvidas e mais dúvidas….

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hão-de possibilitar a inscrição online ou prorrogar o prazo... acho que essa é a menor das nossas preocupações!

      Eliminar
    2. Alguma solução há-de aparecer.
      Mais consciência e menos alarmismo.

      Eliminar
    3. Saudades do tempo em que as minhas grandes preocupações eram estas.

      Eliminar
    4. Estava aqui a ver as notícias e a pensar o que passou pela cabeça dos miúdos para irem para a praia ontem. Depois leio que as preocupações de alguém, num cenário problemático, pandémico e sem precedentes, são "como é que me inscrevo nos exames?". Percebo automaticamente que uma e outra são o mesmo tipo de pessoa: umbiguista, alheada da realidade e, lamento dizê-lo, pouco inteligente. Vá ler o relato do médico italiano no Expresso e veja o recado que ele tem para as pessoas que estão incomodadas porque não podem ir ao ginásio. A sério que a sua preocupação são as inscrições nos exames e o testes ficarem encavalitados? Está a ouvir-se?

      Eliminar
    5. Miúdos e graúdos encheram praias ontem.
      Há pessoas mesmo sem noção.

      Eliminar
  10. Temos que considerar todas as possibilidades.
    Se for para o bem de todos e travar a propagação do vírus, é uma medida positiva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me irrita profundamente é a falta de consciência e bom-senso por parte de muito boa gente.
      Praias a abarrotar de gente.
      Pessoal que pensa que a quarentena são férias.
      Que disparate, sinceramente.

      Eliminar
    2. https://www.google.com/amp/s/www.cmjornal.pt/sociedade/amp/calor-leva-milhares-de-portugueses-as-praias-no-dia-em-que-foi-decretada-pandemia-devido-ao-coronavirus-veja-as-imagens

      Vejam o link.
      O pessoal não se enxerga mesmo.
      Cambada de cromos.
      As instituições fecham por algum motivo, não é à toa.
      E este bando de idiotas acham que devem fazer as vidinhas normais.
      Aproveitar mazé as “férias” pondo em risco a saúde de todos e rápida propagação do vírus!!!
      Sem comentários.

      Eliminar
  11. A contenção só acontece com restrições, infelizmente não há volta a dar...

    https://little-cherry-wine.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. Como afinal tinham de pagar aos pais para ficarem em casa, afinal já não é preciso encerrar escolas.
    Óptimo. Nós até já estamos fartos dos velhotes. Vamos ver se não contemos a propagação, pode ser que tenhamos a sorte de Itália e morram umas centenas de velhinhos. Menos reformas para pagar...
    Se for um ou outro mais novo também ninguém sente a falta e o mundo até já tem gente a mais...

    ( Ironia, sim? . É melhor legendar já que há malta aqui que não é lá grande coisa a interpretar textos ...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As escolas vão fechar na Segunda-feira.

      Eliminar
    2. Sim e as medidas de apoio aos pais são fantásticas, não são? Uma perda de 34% ( sem contar extras) e de 2/3 para os trabalhadores independentes... Suponho que as pessoas vão comer ar e pagar as rendas e coisas similares vendendo o corpinho...

      Para o governo que tem milhões para a banca, para a TAP, para os CTT, para tudo e todos os grandes... Claro que não havia para garantir a subsistência a 100% de todos os trabalhadores por um único e mísero mês.

      Isto quando a maioria dos portugueses têm que descontar mensalmente largas centenas de euros.

      E isto é um estado social? Protector? Onde?!
      Bela m****. Nem a assistência aos filhos que supostamente era para ser a 100% a partir de 2020 foi assinada atempadamente... Não, isto realmente é fantástico! Não se nota nada que o Estado está a tentar fugir completamente às responsabilidades.

      E, só para sua informação, o nosso fantástico PM admitiu que apenas tomou a decisão porque teve essa orientação da UE... Mas ele jamais colocaria as questões financeiras acima de tudo. Nunca 🙄

      Eliminar
    3. Até pode ter razão mas a forma como expõe o que pensa...
      Mas acha que os outros não estão na sua situação?
      E acha que alguém queria esta crise no mundo, para nós, em Portugal?
      “Para sua informação” diz você.
      Felizmente estou bem informada, obrigada.

      Eliminar
    4. Você queixa-se de não receber para ficar com os filhos.
      Outros queixam-se de estarem no desemprego e com a crise instalada nem anúncios há para se candidatarem porque muitos espaços fecharam e outros vão fechar por tempo indeterminado.
      Enquanto isso os que não têm emprego vivem de m****.

      E então, quem está pior?
      Há muito quem se queixe de barriga cheia!
      Nem sequer pensam no que dizem ou nas restantes pessoas ou casos.
      Só o seu umbigo! 🙄👊🏻
      Ó mulher, menos...

      Eliminar
    5. Adoro o facto de assumirem que é o meu caso... Não, não é.

      Felizmente tenho um marido que sozinho ganha o suficiente para todas as nossas despesas e ainda conseguimos poupar. Além de ter poupanças suficientes para arcar com vários meses de despesas,
      até podíamos ficar ambos alguns meses sem vencimento ( que até já foi o caso quando o meu marido teve que colocar apoio ao cônjuge porque eu tive uma gravidez de alto risco e a nossa fantástica SS também lhe pagou 0€ e a mim demorou "apenas" 3 meses para pagar o devido...)

      A questão é que eu conheço a realidade do país e sei que muitas pessoas vão viver tempos extremamente difíceis. E sinto um enorme asco pela atitude deste governo em relação aos portugueses. Não os protegeu fechando as fronteiras quando era suposto, não tomou medidas preventivas nenhumas, está a cometer todos os erros que a Itália já fez e , como cereja no topo do bolo, vai deixar todas as pessoas que estão no limiar da pobreza e precisam do ordenado para subsistir na mão.

      Mas vamos ver se depois da crise não aparecem todos os milhões necessários para injectar em bancos falidos, se não continuam a privatizar lucros e a tornar os prejuízos públicos, a desculpar as gestões danosas, a fechar os olhos para as derrapagens milionárias e a arranjar jobs e "arranjinhos" para os boys...

      Para os portugueses que trabalham é que 'tá quieto.
      Dá vontade de perguntar se pagar impostos também é voluntário já que aparentemente o governo só serve para isso.

      Eliminar
    6. Se pode viver sem trabalhar, óptimo para si.
      Eu nunca aceitaria viver às custas de homem nenhum seja ele marido ou o que for.
      São vidas!

      O governo já devia ter fechado fronteiras, concordo.
      Ainda assim, mesmo com as medidas já implementadas continuamos a ver notícias de pessoas pobres de espírito e estupidez em grau elevado.
      Já pediram para não ir às praias em enchentes, já pediram para se deixar os cumprimentos para outras alturas, etc.
      Ainda ontem falaram sobre o mesmo porque, novamente, continua a existir quem se move a jeito.
      Esquecem-se que podem chegar a casa e infectar os familiares!
      Mas que raio de brincadeira, há pessoas que, efectivamente, batem mal do capacete!
      Ora, se o governo não se decide já, façam-no vocês, em consciência, cada um por si mas por todos.
      Se todos tomassem as devidas precauções seria tudo mais simples, mas alguns burros só mesmo quando forem amarrados...e mesmo assim ainda vão protestar!

      Eliminar
    7. Ah e peço perdão porque afinal há outro decreto mais específico.

      O Estado não vai garantir 1 mês sequer destas miseráveis medidas. Serão apenas 14 dias porque assim que entrarem as férias da Páscoa deixam de pagar.

      Portanto daqui a 15 dias reabrem os ATLs, creches e afins e os miúdos afinal podem estar todos juntos no pico do COVID-19. Ou então o governo está a assumir que os pais vão todos ficar em casa, do dia 1 ao dia 9 de abril, sem receber.

      Sim, porque apesar de dizerem ( em decreto) que estas medidas apenas são válidas quando não coincidem com as férias da Páscoa, os inteligentes decidiram que só se reunem dia 9 para rever a situação.

      Ó 👌👌👌👌 mas que trabalho espetacular, fantástico e admirável...

      Eliminar
    8. Ora releia lá... Eu trabalho. Não vivo dependente do meu marido... Não que haja mal em existirem casais que decidam que um fica em casa. Mas não é esse o caso.
      Simplesmente o facto de ficar a receber 66% do meu salário não terá impacto cá em casa porque o do meu marido é mais do que suficiente.

      Eu já passei largos meses em casa porque tive uma gravidez de alto risco que me obrigou a estar hospitalizada e depois acamada, não podendo fazer nada e a precisar do apoio do meu marido.
      Nessa altura também me questionei sobre como é que alguém sem poupanças sobreviveria...

      De resto concordo consigo mas quem conhece a nossa sociedade sabe perfeitamente que não vão encerrar tudo, excepto se forem obrigados. Entretanto temos pessoas que provavelmente vão ficar em risco de vida porque os outros andam a passear... E andam, inclusivamente milhares de turistas, porque o nosso Estado não faz aquilo para que existe: proteger os cidadãos.
      A OMS desde janeiro que pedia medidas protetoras. Enquanto isso o nosso Estado comunicava que o COVID-19 não chegaria a Portugal. Continuamos com hotéis abertos e com previsões de turistas chegarem...

      Além disso, como o nosso governo não gosta de assumir responsabilidades nenhumas, as medidas de encerrar universidades veio dos próprios. Ninguém lhes disse que era quarentena ou isolamento social ( podiam chegar lá sozinhos mas há gente com neurónios a menos).
      Neste momento já tomaram algumas decisões, depois de pressionados pela UE. Ainda assim supostamente só consideram 14 dias como quarentena e os restantes são férias. Segundo o decreto nas férias os pais não vão receber nem têm as faltas justificadas. Ou seja, vão todos para os ATLs, creches, avós ou é suposto os pais ficarem em casa e terem faltas injustificadas e não remuneradas ? 🤔
      Cambada de incompetentes...

      Estamos a copiar a Itália em todos os erros que cometeram. E vamos pagar muito caro por isso!

      Eliminar
    9. Não sei se reparou mas continua a falar apenas e só da mesma questão dos pagamentos a quem tem filhos.
      Que curioso!

      Os ATLs e afins reabrem daqui a um mês? Veremos como as coisas correm.
      Ainda serão tomadas novas medidas.

      Façam o melhor que puderem.
      E por agora é só.

      Foque-se na saúde! €€€€ 🤔

      Eliminar
    10. Se diz que o seu marido ganha bem e tem dinheiro que chegue e ainda fica muito (!!!) então porque está tão preocupada com os euros?
      É como já foi dito, às vezes convém abandonar o Ego e tornar-se humilde lembrando-se de quem queria estar em casa com os seus e está a dar o máximo para salvar vidas.
      Além disso há pessoas a viver na miséria, crianças cheias de fome, etc.
      Se tem assim tanto aproveite e meta mão à bolsa para auxiliar quem não tem nem um único tostão...
      E se for preciso são esses os mais humildes de carácter pois muitos há que nem se queixam. Ao contrário de quem até vive moderadamente ou acima da média. 🤙🏻

      Eliminar
    11. Preocupo-me com a subsistência das outras pessoas, dos outros portugueses. Chama-se empatia pelos problemas alheios...

      Falo especificamente dos pais porque estes não têm muitas vezes alternativas ( os miúdos não deixarão de existir) e provavelmente porque são as pessoas com quem eu mais trabalho: famílias em risco. É um tema que me preocupa sempre, especialmente nestas situações.

      Em relação a ajudar, não faz ideia do que faço ou não para ajudar e se já ofereci ajuda ou não a outras pessoas.

      Para sua informação: em conjunto com o meu marido vamos assumir as despesas das rendas de 2 habitações que os meus sogros arrendam, de forma a garantir que as famílias que lá vivem não fiquem em risco, nem os meus sogros que precisam desse valor para subsistir. É uma medida temporária e tenho a certeza que pagarão tudo assim que lhes for possível.

      Tenho uma amiga que é mãe solteira, tem 2 filhos em idade pré-escolar e um ex que infelizmente não só se divorciou dela como dos filhos. Tenho plena consciência dos rendimentos que ela tem e já me ofereci para lhe pagar tudo o que precisar nesta fase.

      Mas é tão giro criticar tudo e todos sem fazer ideia do que os outros estão a fazer.

      Eu nem sequer falei de mim em nenhum momento até começarem a cismar que eu só estava preocupada com o meu umbigo. Já vos ocorreu que talvez existam pessoas que se preocupem genuinamente com os outros e que conseguem ver como as medidas vão afectar os mais frágeis mesmo não estando nessa situação?
      Sabem que há crianças cuja única refeição é feita nas escolas? Sabem o que significa para esses pais não ter parte do seu rendimento e para essas crianças? Já agora, existem algumas associações que se estão a tentar organizar para garantir comida para esses miúdos. Faço parte de alguns grupos que se estão a organizar para isso... Se quiserem ajudar, juntem-se.
      Também faço parte de um grupo que está a tentar encontrar forma para comprarmos mais ventiladores para os portugueses... podem pesquisar e juntar-se aos mesmos.
      Critiquem menos quem se preocupa com os outros e ajudem mais...

      Eliminar
    12. Eu também concordo consigo em algumas coisas mas já se verá o que acontece nos próximos dias.
      A questão de fronteiras fechadas concordo em absoluto.
      O resto, duvido que isto fique resolvido até a Páscoa.

      Bem, boa sorte e fé para todos nós.
      Cheira-me que isto é só uma amostra, um começo, um aviso para a humanidade.
      Que se reflita seriamente...
      As consequências do aquecimento global, se continuarmos como estamos, vão ser bem piores.
      Se alguém resistir para contar história.
      O mundo está virado do avesso.

      Eliminar
    13. Não afirmei que a senhora não ajuda, até porque não conheço a sua pessoa nem a sua vida, tal como você também nada sabe acerca desta que lhe escreve.

      Você entendeu como quis e eu poderia fazer exactamente o mesmo, visto que acabou de escrever algo idêntico.

      “Critiquem menos e ajudem mais”.
      Não tenho particular interesse em criticar quem quer que seja só porque sim.
      Mas eu sei o que faço para ajudar porque o “ajudem mais” não me serve a carapuça.

      Não tenho que lhe dizer de que forma ajudo ou onde até porque o faço voluntariamente e de coração e certas “medalhas” devem ser penduras na alma não precisam de ficar registadas em voz alta.
      Se ajuda e se está ligada a associações ou instituições de apoio acho que faz muito bem.
      Também eu faço o mesmo há vários anos.
      Além disso estive ligada à área da saúde e o mal alheio não me passa ao lado. Sou demasiado sensível para tal.
      Empatia é mesmo a palavra.
      Boa tarde e cuide-se, a si e aos seus. :)

      Eliminar
    14. Então mas porque raio tanta animosidade e tanta crítica em relação a quem não conhecem?

      Porque é que custou tanto ler sobre a indignação de alguém relativamente às ausência de medidas de proteção em relação às famílias portuguesas?

      E eu não levo medalhas nenhumas até porque aqui sou anónima e ninguém faz ideia quem sou ou o que faço. Na vida real também ninguém sabe o que faço ou a quem faço...

      Mas desde criticarem porque supostamente só olho para o meu umbigo até 1001 questões que levantam... acho natural que não goste particularmente das insinuações.
      E, sim, devolvi uma insinuação e parece que também não gostou. Afinal somos parecidas e não gostamos que assumam mentiras sobre nós.

      Eliminar
    15. Aqui somos todos anónimos.
      A questão das medalhas foi apenas porque teve necessidade de dizer onde ajuda e quando é de que forma.
      Isto que nos aconteceu, ao país e ao mundo deve servir para baixar as vozes e mesmo dentro do anonimato não há necessidade de se exaltar que s vida são dois dias... veremos o que nos calha na rifa!
      No comentário anterior coloquei um smile.
      Reparou?
      Agora vão dois :) :)
      Baixe as armas e sejamos todos felizes.

      Eliminar
  13. Eu já não tenho filhos pequenos, mas fico muito preocupado com a falta de papel higiénico. Lá teremos de voltar aos tempos em que íamos à vinha e limpávamos o cu a uma parra. eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...mas há guardanapos, lenços de papel ou com “sorte” rolo de cozinha.
      É preciso ter noção da gravidade se nada for feito mas há dramáticos mais do que a conta... no meio de tamanho stress, agarram-se ao papel higiénico! :)

      Eliminar
    2. E não te preocupa a falta de alimentos? Só a do papel higiénico? Gostava mesmo de perceber esta paranóia com o papel higiénico

      Eliminar
    3. O Zé falou (escreveu) em tom de brincadeira.
      Não percebeu?

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.