Avançar para o conteúdo principal

Aprendizagens

Uma das maiores aprendizagens destes mais de 9 anos de namoro/casamento é o "saber seguir em frente".

Todas as relações têm crises. Todas as relações atravessam fases de maior enamoramento e de maior afastamento. Todas as pessoas vivem altos e baixos, passam por fases de maior êxtase ou de tendência mais depressiva.

Vai daí, aprendi que não nos podemos deixar envolver pelas fases negativas. Todos temos fases egoístas. Todos temos atitudes umbiguistas, que acabam por afectar e/ou magoar o outro. Todos dizemos aquilo que não devemos - e não sentimos. 

Aprendi a não guardar rancor. 

Já fiquei muito magoada com coisas que o meu marido me disse - alguns legítimas, outras nada justas. Já lhe disse muitas outras coisas que o feriram - alguns vezes com intenção, a maioria das vezes no calor da discussão.

No entanto, quando voltamos um ao outro e nos reencontramos, eu esqueço. Não fico a moer e a remoer. Para quê? O rancor só nos corrói - seja numa relação, numa amizade, no trabalho.

É seguir em frente. Ver se a pessoa vale a pena. Se valer a pena, a alma não é pequena por perdoar.

Comentários

  1. 100% de acordo. Acho que é isso mesmo!

    ResponderEliminar
  2. Eu até acho que é mais do que perdão. Porque muitas vezes não há algo concreto a perdoar. A outra pessoa foi só parva como nós também fomos porque somos sempre mauzinhos e explodimos com quem está perto. Mas é como dizes, quando a relação / pessoa não é má, tóxica, violenta e agoista, quando sabemos que temos ali O companheiro, O melhor amigo... há que relevar estes momentos que vão acontecer SEMPRE! Porque todos somos mimados, julgamos, exigimos em alguma altura. É entender que aquele companheiro tão importante também cai, também tem defeitos e que tudo é superavel.

    ResponderEliminar
  3. Gostei desta reflexão que vem numa altura mesmo certa da minha vida :D E que é tão verdade. Quando a pessoa vale a pena é esquecer e seguir em frente. Obrigada!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.