Avançar para o conteúdo principal

Da Gratidão


Obviamente que ninguém deve dar uma mão à espera de receber um braço. Não devemos ajudar a pensar que podemos precisar de ser ajudados. Não devemos dar à espera de receber...

Mas caramba, se há coisa que me choca e dói na alma é a ingratidão. Sei que dei muito de mim ao longo dos últimos anos, a algumas (poucas) pessoas. É chocante como se esqueceram. Como parece que não o sabem reconhecer. Eu não queria nada em troca, apenas gratidão e reconhecimento.

Mas é como diz o povo... O que não te mata, torna-te mais forte. E eu mais forte me farei. 

Comentários

  1. Eu acho que o pior erro que essas pessoas ingratas conseguem cometer, é esquecer que um dia pode voltar a precisar da tua ajuda novamente...

    Mas nessa altura estarás tão forte, que já não sentirás a fraqueza de querer ajudar...

    ResponderEliminar
  2. É das coisas que mais me magoa é a ingratidão. Quando faço, faço de todo o coração mas fui educada a agradecer, acho que é o mínimo

    ResponderEliminar
  3. Tenho-me debatido com esse tema ultimamente. Quando as pessoas se esquecem do que fizemos e apenas relevam as pessoas que sorriem quando as veem e nada mais! É triste!

    ResponderEliminar
  4. Verdade...costumo fazer o exercício de "em determinada situação o que é que eu faria por aquela pessoa" e percebo que essa pessoa não o esta a fazer por mim...por isso cada x faço menos e pir cada x menos pessoas. Parece insensível mas às xs é a única forma de me proteger e deixar de me sentir "usada"...

    ResponderEliminar
  5. Totalmente de acordo. Embora uma pessoa quando dá algo não espera necessariamente nada em troca a verdade é que dar é bom mas receber também é muito bom. O que mais me incomoda é quando me sinto "usada"... pessoas que ajudei quando precisaram mas agora que estão numa fase melhor não estão nem aí... Não pensam que também eu às vezes preciso de apoio? Faz falta mais gratidão e empatia. Daniela Torres

    ResponderEliminar
  6. Acho que a cada dia que passa, nestes novos tempos noto mais isso. As pessoas têm uma ânsia de ter tanta coisa, menos carregar os valores. Aqueles básicos. Tal e qual como é a gratidão.

    ResponderEliminar
  7. Eu não sei se é por mal ou não mas de facto há muita gente a "esquecer" o bem que lhe fazem. Não só não o reconhecem como ainda o desvalorizam. É algo que não consigo entender :(

    ResponderEliminar
  8. Ai S*...como sinto isso, mas no meu caso ainda me dói ver mais pela minha mãe, que é das pessoas mais altruístas que conheço, dona de uma enorme compaixão e está sempre a levar "pontapés" da vida e da ingratidão alheia. É que nem um obrigado!! Agem como se não fosse nada...ainda no outro dia assisti a uma cena do género em que a pessoa que ajudou outra (e muito!) demonstrou que ficou sentida com a falta de reconhecimento (pá, não pedia uma medalha, só um singelo agradecimento) e a ajudada ainda se ofendeu, chegando a dizer "ai só fez X porque quis, ninguém obrigou". Enfim...considero que cada vez mais temos de ficar com o bem que fazemos como nossa própria recompensa, pelo menos em termos de consciência...se estivermos à espera dos outros, podemos apodrecer sentados. Joana S.

    ResponderEliminar
  9. Como te percebo ! Falo muitas vezes com o meu namorado sobre isso, e lá está o que está realmente em causa é o reconhecimento e não o esperar algo em troca. Há pessoas que só olham para o seu umbigo.

    ResponderEliminar
  10. Isso é tão comum =\ e, infelizmente, quem mais ajuda é quem mais facilmente leva pontapés, porque as pessoas acham que vamos estar sempre ali...

    ResponderEliminar
  11. Infelizmente e' uma realidade... e muitas vezes de quem menos se espera :/

    Nini
    Seriously Kidding

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.