Avançar para o conteúdo principal

Ser Pai


Desde o momento em que começamos a tentar engravidar que não tive quaisquer dúvidas que o meu companheiro seria um super pai. Admito que duvidei que se fosse pôr a pé à noite, para zelar pelo menino, sempre que fosse necessário... Mas é bom poder afirmar, passar quase 10 meses, que me enganei redondamente.

O meu homem é um Pai infinitamente paciente. Infinitamente presente. Nunca, nestes meses que já são quase dez, o ouvi queixar de algo. Nunca disse que estava cansado. Nunca disse que queria descansar de estar com o bebé (já eu, digo-o muitas vezes!). Nunca se negou a fazer algo. Nunca resmungou. Nunca reclamou. Nunca se privou de ser Pai.

É absurdamente apaixonado pelo nosso menino. Incrivelmente meigo. Estupidamente paciente - mesmo quando o pequeno grita que nem um bezerro enjeitado ou se torce e retorce enquanto se muda a fralda.

É o primeiro a levantar-se quando o Rafinha acorda de noite. O que anda horas e horas com ele ao colo, se for preciso. É ele quem me diz "vai descansar que eu fico com o menino" noite após noite. Só não lhe prepara a paparoca, mas faz tudo mais como ninguém.

Se eu podia ser mãe sem este pai ao meu lado? Podia. Mas ele facilita tudo. Auxilia tudo. Torna tudo mais apaixonante. É o melhor do mundo. 

Comentários

  1. Parabéns aos pais do presente, aos pais presentes, que não delegam tarefas nas mães. Felizmente, o papel do pai tem mudado na nossa sociedade e é bom saber que os homens acompanham esta mudança da melhor maneira!

    ResponderEliminar
  2. Lindo!! =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  3. Que invejaaa..Da boa heehhe 😜.
    O pai da minha filha foi a pessoa que eu escolhi pra ser pai, voltava a escolhê-lo, foi a pessoa com quem mais tive certezas de que queria ter um filho...
    Mas ao contrário do teu marido, o meu sempre reclama que está cansado, reclama de ela ser pestinha e não dormir, reclama quando tem que levantar o rabiosque do sofá para fazer algo, etc etc.
    Quando sou eu a reclamar de alguma coisa ou porque estou cansada ou porque já não aguento os braços de tanto colo e atenção que ela quer, então ele faz com que eu me sinta mal e a pior mãe do mundo e mima-a.
    Mas depois é um doido pela sua menina e é ele quem prepara tudo antes da hora de adormecer!!
    Será que espancá-lo de vez em quando é grave?! Brincadeirinha...

    ResponderEliminar
  4. Aww que bom! Que continuem assim, a facilitar um ao outro.

    ResponderEliminar
  5. Muitos parabéns a esse pai!
    Que sejam sempre muito felizes!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Tão bom! :) Por aqui também temos um super pai (que reclama um bocadinho) mas não se priva de fazer nada pelos seus filhos. :P

    ResponderEliminar
  7. Tão, mas tão bom :) feliz dia a esse Pai Meigo e Presente.

    ResponderEliminar
  8. Que bonito, Sónia. E que bom que assim é. Mereces 😊

    ResponderEliminar
  9. Olha a tua sorte, hein? Tu agarra-me esse homem, que eu cá, só de ver o título "Ser pai" e de imaginar tudo o que isso implica, fiquei cá com urticária psicossomática, só não digo onde porque estou na tua casa e aqui sei portar-me bem.

    Nos tomates. Foi nos tomates. ;)

    ResponderEliminar
  10. Muitos parabéns por teres esse pai e companheiro.:) Tenho uma pagina nova gostava que visitasses https://www.facebook.com/ju.cunha07/ ou no instagram @bijoux_ju7

    ResponderEliminar
  11. Deveria ser sempre assim isto de ter filhos. Uma distribuição pelos dois em vez de se sobrecarregar a mãe, como se vê em tantos casos. E eu nem digo ambos fazerem as mesmas coisas. É como na gestão da casa, cada um pode ter os seus afazeres, desde que em conjunto tudo seja feito. Com um filho a mesma coisa. :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.