Avançar para o conteúdo principal

Da dor

Foto de As Minhas Pequenas Coisas.

Tenho 28 anos e só me recordo da queda da ponte de Entre-os-Rios (59 mortos) e das cheias na Madeira (43 mortos) no que toca a dramas desta dimensão. 

Uma pessoa nem acredita em tamanha dor. Não há palavras para tamanha tragédia. 

Comentários

  1. Resta-nos apenas o silêncio...e um sentimento de profundo respeito. :(

    ResponderEliminar
  2. Ainda estou em choque. Nem consigo imaginar tamanho sofrimento.

    ResponderEliminar
  3. É mesmo terrível. Eu nem imagino... nem quero se quer pensar que algo do genero poderá abater-se no local onde vivo :(

    ResponderEliminar
  4. É uma dor de alma tão grande. E aquele sentimento de impotência :(

    ResponderEliminar
  5. Sou da Madeira e isto está a fazer-me tanta mas tanta confusão. O 20 de Fevereiro foi terrível mas o desespero dos incêndios do ano passado também foi muito triste e desesperante.
    Desejo a maior força a todas aquelas pessoas e aos bombeiros que fazem de TUDO para conseguir chegar a toda a gente.
    Beijinho, S* (o seu filhote é lindooo! Tudo de bom)

    M.

    ResponderEliminar
  6. Mesmo! Não consigo parar de pensar nestas pessoas...Meu Deus...

    ResponderEliminar
  7. Uma tragédia...nem é bom pensar no sofrimento daquela gente...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  8. Também me lembro desses acontecimentos, bem como o grande incêndio da Madeira o ano passado :/ E triste, E o pior é que nem podemos culpar praticamente ninguém pois são coisas que não podemos controlar :/

    ResponderEliminar
  9. Não há palavras mesmo. Principalmente porque continuamos a achar que o aquecimento global não existe e que não somos nós os culpados daquelas mortes

    ResponderEliminar
  10. São dores inimagináveis. A perda de entes queridos é sempre uma amálgama difícil de digerir. E em casos tão trágicos, parece-me ser pior ainda.

    ResponderEliminar
  11. O cenário negro que temos vindo a acompanhar é simplesmente desolador. De facto, não há palavras.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.