Avançar para o conteúdo principal

Toques e retoques

À esquerda, o príncipe George ao colo de kate Middleton. À direita, na capa da 'US Weekly'

O mundo é uma coisa muito estranha. Confirmamos isso mesmo quando até um bebé lindo (e nem que fosse menos lindo...) é alvo de retoques com photoshop.


Rosto de princípe George retocado gera polémica

Comentários

  1. O tom da imagem foi mexido, sim. Estava num tom frio e foi posto num tom quente. É o mais básico da edição. A foto original nunca seria usada por uma capa de revista, pois aquele tom de pele azulada e pálida, não vende. A imagem real não será nem uma nem outra. Algures entre um tom e outro está o tom real da pele deles. Não acho mal. Não mexeram nas feições da criança é o que importa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu isso entendo. Entendo que tornassem a imagem mais apelativa. Mas esta busca pela perfeição, até de um bebé, é estranha e... feia.

      Eliminar
    2. Entendo o que dizes, é desnecessário mexer na imagem de um bebé (é suposto ser puro e perfeito) Mas não me faz espécie, desde que não se alterem feições nem formas do corpo. Também vestimos um trapinho mais giro e passamos a escova no cabelo (no mínimo) para uma foto...digamos que manipulamos sempre o resultado final. :) já para não falar da maquilhagem que, diria, é um tipo de pré photoshop :D ...(fotoxó) como diz um amigo meu.

      Eliminar
  2. Porra! Nem os bebés deixam em paz?

    ResponderEliminar
  3. Mas só utilizam photoshop nos ricos e famosos, valha-nos isso....Os pelintras aparecem sempre como são....:-)
    Mas acho que neste caso a diferença é apenas uma questão de cor, por isso até nem vejo grande mal, embora seja ridículo toda esta alteração que fazem hoje em dia.
    xx

    ResponderEliminar
  4. Eles apenas mudaram o tom da fotoas realmente é uma estupidez terem que dar sempre retoques, em busca de uma perfeição que não existe!

    ResponderEliminar
  5. Sim, apenas a luz da imagem foi alterada, está mais quente. Se deres conta, até o cabelo da kate está mais claro. Isso não é buscar a perfeição para o bebé ou para ela, mas sim para a capa da revista. Há casos desses, de facto, mas este não é um deles...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. M, a capa de revista devia ser com pessoas reais, com tons reais. É a minha opinião. :)

      Eliminar
    2. E acha mesmo que a fotografia original tem os tons reais? Não percebe mesmo nada de nada!

      Eliminar
  6. Só mudaram o tom,não sei para que tanta polemica...

    ResponderEliminar
  7. Penso não havia necessidade até porque é um bebé daí que seja compreensível esta polémica.

    ResponderEliminar
  8. E dizes tu ser jornalista! Devias saber que as cores das capas de revista têm de ser apelativas, cores quentes são mais apelativas que as frias. E foi isso que fizeram, não alteraram o rosto da criança. Alteraram sim a luz da fotografia! Antes de escreveres algo aconselhava-te a pesquisares sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  9. Vejo zero motivos para a polémica, apenas uma imagem cujas cores foram intensificadas para fins de impressão. Não é por ser um bebé que se deve descurar as boas práticas de edição, até porque o que está em causa não é a busca pela perfeição mas sim a busca pela imagem mais visualmente apelativa. E como alguém referiu acima: nem o tom da imagem original é o tom real da criança, pelo que a preocupação pelos "tons reais" é falsa.
    É só uma questão de luz, nada na forma e feitio da criança se alterou.

    ResponderEliminar
  10. Que exagero! Foi só feita uma correcção do balanço de brancos, uma coisa tão básica que até na máquina, antes de tirar a foto, é possível fazer. Diz-se vulgarmente que se "aquece" a imagem e isto é feito para compensar o tom azulado com que as fotos ficam em dias nublados ou se forem tiradas em zonas de sombra. Tal como se "arrefecem" muitas vezes as fotos tiradas sob luz solar directa, ou seja, realçam-se os tons azuis para compensar o excesso de amarelos. Não tem nada (ou muito pouco, vá) de artificial e pretende aproximar a imagem do aspecto real dos modelos/paisagens, não o oposto. Neste caso, por exemplo, não me parece que o tom real da pele do bebé seja aquele azul acinzentado que se vê na primeira foto. É edição fotográfica básica, como já disse. Qualquer um que se interesse pelo assunto saberá dizer que é das primeiras coisas que se aprende.

    Isto não tem nada a ver com a manipulação de feições (aumentar os olhos, o pescoço, o peito, emagrecer as pernas e a cintura, mudar a cor dos olhos e do cabelo, etc.) e correcção de "defeitos" (como borbulhas, cicatrizes e outras) que se faz amiúde em campanhas publicitárias, sobretudo de produtos de beleza, que até se podem considerar enganosas, na minha opinião.

    ResponderEliminar
  11. Isto é apenas uma questao de balanco dos brancos, aposto que a foto original nem faz jus a luminosidade do dia. As pessoas aproveitam tudo para lancar polemica, sao so cores que ate se podem mudar na altura de se tirar a foto.

    ResponderEliminar
  12. Não nada de especial nisto: foi um ajuste de cores que qualquer pessoa faz. Eu faço-o muitas e muitas vezes nas minha fotografias. Para mim seria um verdadeiro photoshop se aumentassem as bochechas por exemplo. É um ajuste perfeitamente normal e comum. Até os telemóveis fazem esse ajuste automático. É uma polémica completamente desnecessária, mas lá está tem que se arranjar sempre um motivo para se vender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo.
      Photoshop negativo é aquele que altera o formato ou as características da pessoa. uma foto tirada com uma má câmara fica com uma cor horrível e com uma lente em condições fica viva e mais apelativa. Tudo normal.

      Eliminar
  13. É muito esquisito, não consigo perceber sinceramente. Acho que já se cai no exagero.

    ResponderEliminar
  14. Não acho que o caso mereça a atnção que lhe estão a dar. A imagem levou um filtro por cima para dar um tom mais quente. No fundo, qualquer pessoa faz o mesmo no instagram... Não se alongaram e adelgaçaram corpos, não se apagaram sinais e rugas como se faz na maior parte das produções fotográficas. Mas quando a vontade de criticar o uso de photoshop é grande (não quero dizer que não seja legítima), tudo é pretexto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mirone, posso concordar, mas em algumas publicações falava-se em alteração da cor dos olhos, acusação que a revista já negou. De qualquer forma, caiu-me mal.

      Eliminar
    2. Sim S*, algumas intervenções do photoshop alteram completamente a realidade. Neste caso, acho que não se justificam as críticas ferozes que vieram a público.

      Eliminar
    3. Não tem de te cair bem, nem mal.

      Eliminar
  15. Experimenta ver duas fotos tiradas no exacto momento por duas máquinas diferentes. Vais ver tonalidades diferentes. Então, qual é a real? Quem levanta estas questões parece-me querer perseguir a revista. É que quem reclama nem credivel consegue ser.

    ResponderEliminar
  16. Nem queria acreditar quando li esta notícia!

    ResponderEliminar
  17. Claramente nunca viste a diferença entre tirar uma foto com uma Canon ou com uma Nikon, por exemplo.
    E, mesmo sendo a mesma foto e tendo eles "puxado" os tons quentes, é normal. Faz parte do "básico" em fotografia.

    ResponderEliminar
  18. É só um filtro... Estão a fazer uma tempestade num copo de água...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é isso a que se referem de facto não tem nada de extraordinário. Com a tecnologia de hoje nos computadores de casa as pessoas também brincam com isso. Para ser impressa e fazer capa é natural que se mexa na qualidade. Ninguém compra uma capa azulada :D

      Eliminar
    2. Olhando só para os títulos: mas quem é que compra uma revista destas?!?

      Eliminar
  19. Aviso para o George: habitua-te, puto, porque é sempre a piorar!!!

    ResponderEliminar
  20. Este bebé continua a parecer muito familiar... Se da primeira vez me fez lembrar eu mesma em fotos de bebé agora voltou a lembrar alguém na família. Coisa estranha, parecenças bebéticas ahaha!
    Onde tem photoshop?? Eu vejo-o igual! Tem os olhos maiores?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.