Avançar para o conteúdo principal

O Cônsul de Bordéus - Aristides de Sousa Mendes

Poster de «Aristides de Sousa Mendes - O Cônsul de Bordéus »

O filme que todos deveríamos ver, para admirar quem foi realmente admirável. Pelo que li sobre ele, não era o mais santo dos homens, mas sem dúvida que o facto de ter salvo milhares de pessoas compensa tudo isso. Vou ver daqui a pouco.

Sinopse:

Com a invasão de França pelas tropas nazis, dezenas de milhares de refugiados começam a formar-se junto do consulado português em Bordéus, na esperança de aí obterem um visto para Portugal. Obrigado a respeitar a circular de Salazar que determinava a proibição expressa de concessão de vistos a quaisquer refugiados judeus, Sousa Mendes viveu, então, um terrível dilema: se concedesse vistos, arriscava a carreira diplomática e o sustento da sua família; se não o fizesse, todos aqueles milhares de pessoas teriam como destino os campos de concentração nazis.

Comentários

  1. Sem duvida...
    mas depois deixa a critica aqui.. please!
    Bom domingo!

    ResponderEliminar
  2. Depois conta como foi! Tem-se falado tanto do filme que ando curiosa.

    ResponderEliminar
  3. Já li um livro sobre ele e gostei bastante.
    E teve muito mérito no que fez, contudo aqui a memória dele é esquecida.

    ResponderEliminar
  4. Pode ser que com o sucesso deste filme a casa do mesmo, seja restaurada e transformada em museu!

    ResponderEliminar
  5. Adorava ir ver, mas as minhas colegas lá do curso preferem o "Amanhecer - parte II".

    ResponderEliminar
  6. Nutro pouca admiração por ele!

    ResponderEliminar
  7. Já ouvi muito falar do filme e gostava de ver.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo da 1:14, salvou 30 mil pessoas, mas isso é lá consigo.

    ResponderEliminar
  9. Pois é comigo e por aquilo que sei da sua história. Salvou 30 mil, e antes disso? Desculpe se não vou de encontro à opinião que tem dele.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo das 13 horas, ora essa, a opinião é sua e não me vou meter nela. Eu nem tenho opinião sobre ele, mas sabendo que salvou 30 mil pessoas parece-me digno de louvor.

    ResponderEliminar
  11. S*, eu tb acho que salvar 30 mil pessoas é de louvar, mas pronto tb não consigo ver a história da "forma romantica" como a pintam. Defeito de quem é de história! bom domingo

    ResponderEliminar
  12. anónimo das 13 horas.
    Antes disso não reza a história, mas é provável que obedecendo à condição humana tenha prejudicado algumas pessoas pelo caminho, coisa comum a todos nós.
    O que é verdadeiramente incomum, quase impossível acontecer, é que alguém arrisque a sua carreira e o futuro dos seus para salvar uma pessoa que seja. Ele salvou 30.000

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Um ano a dois

Como o tempo voa, hoje celebro um ano de um relação calma, que me foi conquistando aos poucos e que, hoje em dia, me dá todas as certezas. Quando nos conhecemos, em Abril do ano passado, viramos amigos. Na verdade, tornou-se meu confidente e aturou-me durante semanas e semanas a "chorar-me" por outra pessoa. Já eu percebi que ele gostou de mim no primeiro café que tomamos, mas como é tão ou mais discreto que eu, nada feito. Ficamos assim, entre avanços e recuos, entre conversas diárias e afastamentos semanais. Ao meu lado quando fui operada e nos dias que se seguiram. Eu ainda sem rumo, à procura de algo que não sabia ainda o que era. Foi no dia 6 de setembro de 2021 que a amizade evoluiu para algo mais.  Desde o primeiro dia que não me deixou dúvidas de que queria estar ao meu lado. Acho que foi exactamente isso que (de forma um pouquinho "umbiguista") me fez apaixonar por ele. Sempre percebi que gostava de mim. Sempre me senti acarinhada, querida e desejada.  Dura