Avançar para o conteúdo principal

Isto sim, parte-me o coração

Repórter português perdeu pernas ao pisar mina no Afeganistão

O fotojornalista João Silva foi, este sábado, gravemente ferido, no Afeganistão, vítima de uma mina. O repórter viu o "Pesadelo" das guerras do Mundo. Viu "formas penosas de viver e de morrer". Hoje, o fotógrafo do jornal "The New York Times" vive o pesadelo.

Pisou uma mina e ficou com ferimentos graves nas pernas. Tudo aconteceu hoje, quando acompanhava as tropas norte-americanas perto da cidade de Arghandab, no Sul do Afeganistão, ao serviço do "The New York Times".

Foi o jornal que avançou a notícia, dando conta de que João Silva foi transportado para a base da NATO de Kandahar, onde foi submetido a uma cirurgia, na qual os médicos não conseguiram evitar a amputação das duas pernas por altura dos joelhos. Os médicos aguardavam que o repórter recuperasse positivamente para ser evacuado para um hospital norte-americano na Alemanha.


JN

Comentários

  1. Assim se vê o quanto perigoso é fazer certos trabalhos ao ponto de se ter repercursões para toda a vida.

    ResponderEliminar
  2. Para além da dor física, a dor psicológica deve ser avassaladora!

    ResponderEliminar
  3. Só um coração de pedra é que não parte perante tal situação.

    ResponderEliminar
  4. Uma vida destruída, por isto... :(

    ResponderEliminar
  5. Uma pessoa está a fazer o seu trabalho e de repente tudo muda.

    ResponderEliminar
  6. é terrível! e mesmo depois da explosão ele continuou a fotografar!

    ResponderEliminar
  7. Eu vi isto ontem, e caiu-me tudo aos pés.

    ResponderEliminar
  8. É realmente um acontecimento que nos choca profundamente. Num minuto uma vida que se altera drasticamente para sempre. : |

    ResponderEliminar
  9. Eles (e nós) já sabemos logo que de início há uma grande probabilidade de isso acontecer, são zonas de guerra e a palavra "guerra" diz tudo.
    Mas estas notícias chocam-nos sempre... eu cá fiquei totalmente arrepiada.

    ResponderEliminar
  10. Tendo em conta a história de vida dele, tenho a esperança que dê a volta por cima e arranje algo que fazer na área dele.
    Alguém que sobrevive à guerra e à destruição vai conseguir sobreviver a esta provação, espero eu.

    ResponderEliminar
  11. Mais uma reportagem que deu para mudar radicalmente a vida do homem :/

    ResponderEliminar
  12. é por estas que a minha mãe não quer que eu seja fotojornalista!

    ResponderEliminar
  13. Não é fácil, nada mesmo mas o mais importante é ele estar vivo!

    ResponderEliminar
  14. Que horror. Tudo por causa de uma guerra estúpida.

    ResponderEliminar
  15. espero sinceramente que ultrapasse isto.... que horror....

    ResponderEliminar
  16. E mais me afecta, por ser um membro da minha classe profissional, cujo trabalho reconhecia e admirava. E o futuro?

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.