Avançar para o conteúdo principal

Édipo e Electra

Segundo o psicanalista Sigmund Freud, o complexo de Édipo acontece quando a criança se dá conta da diferença de sexos, e tende a centrar a sua atenção "libidinosa" nas pessoas do sexo oposto no ambiente familiar.

O complexo de Electra é uma atitude emocional que, segundo algumas doutrinas psicanalíticas, todas as meninas têm em relação à mãe. É uma atitude que implica uma identificação tão completa com a mãe que a filha deseja, inconscientemente, eliminá-la e ficar com o pai só para si. Daí a frase "menina do papá", geralmente as raparigas têm maior ligação com o pai... enquanto que os rapazes se ligam mais à mãe.

A menina torna-se hostil em relação à mãe porque ela possui o pai e ao mesmo tempo quer ser parecida com ela, numa espécie de competição. Daí que as meninas gostem de se vestir de senhoras, usar saltos altos e brincar com maquilhagem. Alegadamente, para captar a atenção do pai.

Segundo a psicologia, acabamos por ter como homem/mulher ideal uma figura marcante na nossa infância. Acho que a minha figura marcante foi o meu tio. É um ser humano fantástico, honesto e muito preocupado. Põe a família em primeiro lugar. É inteligente, bom conversador, uma pessoa interessante. Tem uma pachorra impressionante para aturar a minha tia. Adora animais. Adora os sobrinhos... Não é pessoa de gestos carinhosos, mas é pessoa de atitudes carinhosas. Tornou-se a minha figura de referência no que diz respeito aos homens. Acho sempre que nenhum lhe chega aos calcanhares. :')

Comentários

  1. A minha referência foi (e será sempre) o meu falecido avô materno.

    ResponderEliminar
  2. Porra, tou a ver que o meu problema é a falta de referências (lol).
    O meu velho era um homem rude do campo, "bebedolas" que esturrou tudo na taberna.
    A minha mãe foi sempre de uma frieza glacial. À sua passagem as goteiras congelavam nos beirados.

    Como é que eu fui sair este "espectáculo" de homem (quase um Adónis) sóbrio e carinhoso, por quem as gajas choram, gritam e arrancam os cabelos???
    Eheheheh.

    Beijoca

    ResponderEliminar
  3. É engraçado que eu já conhecia esses 2 complexos, por ter estudado psicologia, e acho que o meu namorado emn certas piadas e assim se assemelha ao meu pai xD Isso mete-me medo! LOL

    ***

    ResponderEliminar
  4. O amor procura o aconchego
    Duas almas suspiram em entrega total
    Explode a paixão, enlouquece o querer
    O amar às vezes é pecado mortal...

    ...Às vezes uma intensa alucinação
    Em que viajas pelo meu eu
    Às vezes o mundo fica em espera
    Da união do mar com o céu


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  5. eu não fujo à regra e sou mais com a minha mãe...

    o teu tio devia ler o teu post e ia ficar todo orgulhoso :)

    beijinho

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida que a minha figura de referência é o meu pai... Grandes ensinamentos e grandes valores que me foram passados...

    Kisses*
    Fénix*

    ResponderEliminar
  7. Muito culta a menina. Já diz uma música:

    "Father!?
    Yes Son!
    I want to kill you...

    Mother?!?! I want to, fuck you all night long baby"

    bjs com charme

    ResponderEliminar
  8. Fiquei coladinha a ler o post,muito interessante mesmo.

    Acho que,a escolher uma referência masculina,seria o meu irmão.Sim,também estava sempre muito ligada ao meu pai...mas...enfim...

    ResponderEliminar
  9. A minha figura de referência,é sem dúvida a minha mãe...=)Tem um feitiosinho...;)

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que a minha figura de referência é a minha mãe, e somos demasiado parecidas. O meu pai e o meu marido são o oposto um do outro! Acho que não me insiro muito nessas categorias!

    ResponderEliminar
  11. S*, é um prazer ler-te. E como se não bastasse, ainda aprendo!
    Obrigado. :-)

    Beijo,

    ResponderEliminar
  12. Por aqui a figura de referência, e apesar de ter falecido sendo eu ainda um jovem, é o meu avô do lado materno. Do que vivi com ele, aprendi bastante. A Ele, lhe dedico tudo o que consigo.

    ResponderEliminar
  13. Por acaso adorei aprender sobre isso em filosofia e psicologia e sempre achei interessante. Vai ser giro de observar quando tiver um miúdo.

    E parabéns ao tio pela descrição tem uns calcanhares gigantes e intimidadores ;)

    ResponderEliminar
  14. Cada vez mais me convenço de que na minha procura, tento achar um homem o mais parecido possível com o meu pai. Sem dúvida aquela figura que me inspira. E eu a tal menina do papá =X

    ResponderEliminar
  15. Lembro-me bem dessa matéria em psicologia e estou sempre a confirmar que de facto bate certo!

    ResponderEliminar
  16. Sempre interpretei o complexo de Electra de uma forma mais simplista: achava que era o equivalente ao Édipo, mas entre pai e filha (no fundo não sabia a parte da "inveja" e desejo de substituir a mãe). Gosto de aprender com os posts:D*

    ResponderEliminar
  17. Hm, nao fazia ideia dessa inveja toda...eu por acaso nao tenho. Adoro o meu pai, mas dou-me muito melhor com a minha mae.
    *

    ResponderEliminar
  18. Andas a "laurear a pevide", ou eu não me chame Galo eheheh.
    23 horas sem escreveres nada?

    Beijinho

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.