Avançar para o conteúdo principal
Sou boa pessoa.

Não me acanho ao dizê-lo, não penso muito, não tento explicá-lo. Sei que sou boa pessoa, facto do qual me orgulho imenso. Tive uma educação fantástica, rodeada de uma família impecável que tentou enraizar em mim valores sólidos e fortes.

Tive (e tenho) uma mãe fantástica, uns tios adoráveis, uma avó muito querida. E estas quatro pessoas conseguiram rodear-me de muito amor e carinho ao longo da minha infância. Ensinaram-me a respeitar o outro, a preocupar-me com os outros, a olhar para os demais.

Tudo isto para dizer que fui educada de uma forma muito bonita. Não alteraria uma única coisinha na minha infância. Fui uma criança muito feliz, muito risonha e brincalhona. Acredito que as pessoas são, em grande parte, o resultado da educação que tiveram. E isto leva-me a uma outra questão: o respeito pelos outros.

Acabei de ler um texto de um outro blog cujo tema eram os preconceitos. Posso dizer, com convicção, que não sou uma pessoa preconceituosa (ou pelo menos tento não ser). Tento aceitar as outras pessoas, com os seus defeitos, virtudes e diferenças. Tento respeitar o outro, apesar do outro não ser igual a mim.

Todos temos preconceitos. Duvidamos do indivíduo que acabou de sair da prisão, excluimos os ciganos, os pretos (eu uso a palavra preto!), os gays, todos aqueles que nos parecem "inferiores".

Pelo menos nas coisas mais flagrantes, tento não ser assim. Não costumo ter problemas com os pretos (ou negros, ou de cor, como queiram chamar-lhe), tento não criar ideias erradas sobre os ciganos (afinal, só têm um estilo de vida diferente), e nutro especial simpatia pelos homossexuais. Sim, simpatia. Nutro simpatia por aqueles que têm "coragem" para se assumirem diferentes numa sociedade tão mesquinha como a nossa.

Não quero com isto armar-me em santa, longe disso. Estou só a defender uma qualidade muito importante para mim: o respeito.

Admito que posso ser ter certas atitudes preconceituosas, mas tento evitá-lo. Não gosto de faltar ao respeito a quem não me falta ao respeito a mim.

Comentários

  1. pelo que dizes pareces ser boa pessoa... :)

    quanto a preconceitos, é tão fácil tê-los, que por vezes nem noto... e quando dou por mim, lá saiu um comentário pouco digno, e lá fui eu contra os meus princípios, felizmente a quase totalidade das vezes é apenas por piada inocente. mas sei que mesmo assim pode ofender, e isso não me agrada...

    ResponderEliminar
  2. Concordo e assino por baixo.
    Mas às vezes é difícil ser sempre boa pessoa!

    ResponderEliminar
  3. Eu tive uma infância de merda e aprendi, por mim, a perceber o que não queria para mim e para os meus filhos. E isso também me tornou numa pessoa sólida e generosa. Às vezes, os bons exemplos falam tão alto como os maus exemplos.

    ResponderEliminar
  4. Já diria o Victor Hugo..

    "Ser bom é fácil. O difícil é ser justo."

    ResponderEliminar
  5. Eu entendo isso tudo e concordo, mas acho que também não podemos ser ingénuos ao pensar que estamos livres de qualquer tipo de preconceito.É praticamente impossivel fazê-lo, e nem vale a pena entrarmos no campo da filosofia.No entanto, é preciso encontrar um equilibrio em tudo, e mais do que falar em preconceitos,tento desenvolver em mim a tolerância, para me permitir aceitar situações que não compreenda, dado que acredito que o preconceito surje do medo e desconhecimento (e os dois andam de mãos dadas).

    ResponderEliminar
  6. Boa pessoa ainda vai muito além disso :)... Por isso vais escapando xDD

    ResponderEliminar
  7. Parabéns a quem te educou...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Sempre ouvi dizer "se quiseres ser respeitado, dá-te ao respeito!"

    ResponderEliminar
  9. E pelos rafeiros, tens respeito pelos rafeiros? Também somos diferentes... ;)

    Beijoca!

    PS: é impressão minha ou na foto do perfil tens uma perna mais magra que a outra?

    ResponderEliminar
  10. Rafeiro, eu tenho 4 gatos rafeiros. São os meus favoritos. :)

    Uma perna mais magra que a outra? Ah? Deves estar a ficar cegueta, é da idade. :P

    ResponderEliminar
  11. sim, também acho as pernocas diferentes uma da outra... mas assimetrias dão charme :P

    ResponderEliminar
  12. Eu digo sempre que saiu-me a sorte grande com os meus pais e avós maternos! E também acho que, apesar do mau feitio, sou boa pessoa! Mas não sou perfeita... :-)

    Inconscientemente todos temos 'pre-conceitos'! Eu tenho vários amigos gay, já namorei com um mulato e até tenho uma amiga cigana (uma senhora que vende na feira, que conheço há anos e que me trata por minha querida menina!)

    Mas deixa-me dizer-te que, no colégio, eu era frequentemente gozada por ter sangue espanhol... na época era-me difícil, hoje é-me indiferente.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.