Avançar para o conteúdo principal

Pensar o Amanhã

Quando alguém gosta de ti, mostra-te. Integra-te. Faz planos. Combina férias. Programa o futuro. Fala do futuro. Não tem medo de pensar o "amanhã". 

Reconheço em mim uma nova serenidade, uma forma mais ponderada de viver as emoções, mas já lá vão quase cinco meses de uma relação bonita, calma, sem dúvidas, sem medos. Estou confiante no que ainda está por vir.

Comentários

  1. 5 meses ainda é muito “pouco”, mas se quiserem que continue a resultar, é isso mesmo… quando alguém quer: demonstra, faz e integra-te.

    Mas o futuro não se combina!
    (Embora entenda o sentido do teu pensar ou o que queres dizer com essa frase).

    Tudo de bom para vocês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O futuro nunca se combina, porque a Deus pertence... mas podemos ir fazendo planos. :D

      Eliminar
    2. Claro que sim minha querida.
      É tão bom saber que estás feliz.
      Parece-me que tens boa energia e és boa pessoa. :)

      Eliminar
  2. Se era isso que buscavas quando sentiste que precisavas de mais numa relação, que assim continue e sejam muito felizes. Que tenhas direito a férias, viagens, todas as pequenas coisas que me foi parecendo que desejavas. Pode não ser tudo na vida, mas quando é uma incompatibilidade percebo que "não mata mas moa". Um beijinho e as melhoras!

    ResponderEliminar
  3. Estimada Ana, não leve a mal por não ter aprovado o seu comentário, mas referia-se a terceiros e, como deve compreender, não posso aceitar publicá-lo... embora concorde em parte com o que referiu. :)

    ResponderEliminar
  4. E mesmo que não seja para sempre, não faz mal. Aproveita esta relação, S*, faz planos, sonha, viaja, conhece o mundo. Mesmo que um dia acabe, que pelo menos deixe boas recordações. :)
    Perguntinha um pouco indiscreta: sentes que é uma relação diferente porque tu mudaste a tua maneira de estar numa relação ou porque a relação em si te dá coisas que na anterior (já) não havia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que me dá coisas diferentes que já não havia na anterior... Mas também é compreensível, 5 meses não são 10 anos. No entanto, eu também sou uma mulher diferente, mais directa, mais comunicativa, mais afirmativa do que quero e gosto. :)

      Eliminar
    2. Porque é que as pessoas são tão parvas?????
      Meu Deus... Porquê????
      S. gabo-te a paciência .

      Eliminar
    3. Obviamente que os anos de relação a vão moldando, mas há coisas que serão sempre do feitio das pessoas. Digo isto não em relação à S, mas ao facto da relação dar coisas diferentes.
      Acredito também que a pandemia tenha sido determinante para algumas mudanças. Mais uma vez, não falo concretamente do teu divórcio - embora os confinamentos tenham contribuído para muitas rupturas - mas acho que todos nós somos pessoas muito diferentes depois destes dois anos.

      Eliminar
    4. Anónima das 13h04, é coisa que também nunca entenderei assim como nunca entenderei o que leva alguém a sentir necessidade de vir à internet ofender alguém. Tem todo o direito de pensar o que quiser de mim, mas essa falta de controlo e a necessidade o dizer em voz alta (ou escrever) é algo que me ultrapassa.

      A minha pergunta tinha uma razão de ser. Lembrei-me, por exemplo, da Pipoca que assumiu que tinha tido uma grande parte de culpa no fim do seu casamento e que numa nova relação haveria comportamentos que teriam de ser diferentes para não haver o mesmo destino. Estes comportamentos diferentes levam obviamente a ter uma relação diferente. Não sei o que se passou no casamento da S*, não sei se assume alguma quota parte de culpa/responsabilidade (e não estou a perguntar). Mas a curiosidade levou-me a perguntar se, com sentido de culpa/responsabilidade ou não, ela sentia que nesta relação tinha uma postura diferente do que na relação anterior.
      Ou se esta relação estava a ser diferente por haver coisas que não existiam (ou já não existiam) na anterior. Sei lá, se na anterior relação o companheiro fosse mais caseiro, e o actual não conseguir estar fechado em casa, isso leva a diferenças. A verdade é que nem sempre temos tendência para escolher alguém diferente. Eu sempre tive pessoas calmas. Se um dia me divorciar, dificilmente terei numa próxima relação um bad boy. :D Daí a minha curiosidade: foi a S* que mudou alguma coisa ou/e é esta pessoa/relação que é diferente da anterior. E está respondido. :)

      Eliminar
    5. O parceiro é outro logo a relação será sempre distinta da anterior.
      Não está em causa se o parceiro actual é melhor ou pior que o anterior, mas sim que é outra pessoa, portanto o relacionamento é outro.
      Além disso quem sai de um casamento também já trás mais bagagem e já não será a mesma pessoa da relação anterior.
      Certamente não queremos repetir as mesmas falhas.

      Eliminar
  5. É sempre a mesma lenga lenga..daqui a uns tempos estão separados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Cristo, e se acabar, paciência. Ninguém morre e ficam os bons momentos.

      Eliminar
    2. Faz parte do processo de evolução.
      De todas as vezes que caímos, aprendemos mais um pouco.
      Portanto se a relação terminar significa que houve vivências e que estarão ainda mais preparados (ou modificados) para uma outra relação, se for caso disso.

      Está tudo bem. Vive a tua vida S*.
      Para criticar há sempre quem.

      Eliminar
  6. É muito bom ver-te feliz e confiante. Aproveitem o mais que puderem. Beijinhos, S*.

    ResponderEliminar
  7. Estou completamente perdida. Então, mas tu estás numa relação? Eu tinha percebido que tinhas feito o isolamento com o teu ex marido. É preciso ser uma pessoa muito confiante, para aceitar que a namorada fique com o ex marido na mesma casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não fiz confinamento com o meu ex marido. Estivemos os três infectados e temos guarda partilhada, pelo que naturalmente a criança passou de um pai para o outro e partilhamos responsabilidades. Fui levar almoço, fui ficar com a criança para o pai marcar PCR e ir fazer o teste... coisas necessárias.

      No entanto, não se trata de confiança, trata-se de respeito. O pai do meu filho é o pai do meu filho e será sempre bem-vindo à minha casa.

      Eliminar
    2. Então não cumpriram isolamento?

      Eliminar
    3. Não estou a entender a sua questão. Claro que cumprimos isolamento, assim como cumprimos o nosso acordo de regulação parental - ou seja, a criança mudou para a residência do pai no dia estipulado, visto que estávamos os 3 positivos. Visto que a criança não podia ficar sozinha em casa para o pai ir fazer o PCR (e eu também), tivemos de nos revezar nessas horas.

      Eliminar
    4. E fazem muito bem. Eu entendi à primeira a tua explicação.
      Isso para o vosso menino é óptimo, perceber que os pais mudaram de casas, não estão mais juntos mas dão-se bem.
      Pelo lado emocional/psicológico do Rafael, estão a fazer as coisas certas.

      Eliminar
    5. Eu também acho que é ótimo para o Rafael que os pais se dêem bem. Mas... estavam com covid. O isolamento é 7 dias. Estavam ambos infectados. Não acho normal (nem é permitido) andarem pela rua para, por exemplo, levar almoço.

      Eliminar
    6. Eles já estavam infectados portanto já não iriam infectar um ao outro… já estavam!
      Mas… sim, isolamento significa ISOLAMENTO em casa.
      Mesmo que a intenção de ajuda mútua seja boa, Convém cumprir o que nos foi dito.

      Eliminar
  8. Claro que não cumpriram o confinamento, se a criança e os pais estão infectados cada um fica na sua casa a cumprir o isolamento e os testes a criança ia com a pessoa com quem está, uma vez que não tem idade para ficar sozinha!!!! Que toda a gente saiba o acordo de regulação parental não é excepção para sair de casa infectado, nem ir levar e buscar filhos também infectados...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não cumpriram o isolamento, isso é óbvio.

      É tudo muito bonito mas cumpram as regras, caraças.
      Por algum motivo elas existem.

      Uma semana não é um mês…

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.