Avançar para o conteúdo principal

Puxar um pelo outro

Hoje tivemos mini-crise cá em casa porque o senhor meu Marido (adoro!) não gostou que eu o estivesse a pressionar para fazer uma coisa.

Atenção: A coisa era para o bem dele. Apenas para ele, para o ver mais feliz.

Dizia ele que eu não o devia pressionar, que devia respeitar o 'timing' dele... Mas aleguei eu que também é minha obrigação colocar uma pressão extra. 

Se há coisa que eu admiro nele, é o facto de ser o meu maior apoiante. Nunca duvida de mim. Diz-me sempre que eu consigo, vaticina o meu sucesso. 

Por que motivo não poderia eu "empurrá-lo" na direcção que sei que o faria mais feliz? Às vezes não fazemos as coisas por preguiça, por nos sentirmos acomodados ou por termos medo de mudar... E deveria caber ao nosso companheiro de vida ser a nossa "alavanca".

Comentários

  1. Não concordo totalmente porque depende muito dos feitios. Tu gostas de ter essa alavanca e serve-te de incentivo, mas nele pode não ter o mesmo efeito.

    ResponderEliminar
  2. É preciso alguma cautela, pois somos todos diferentes e, como tal, reagimos de maneiras diferentes.
    E temos de aceitar este tipo de situações. Se ele não gostou da tua "pressão", só tens de respeitar.
    Ele de compreender que o queres somente ajudar e tu, ao mesmo tempo, de aceitar que ele, se o fizer, será como e quando ele decidir.

    Certo?!

    ResponderEliminar
  3. Pois devia. Desde que "o empurrãozinho" seja quando estamos à beira do precipício. xD

    ResponderEliminar
  4. Certo, mas ninguém gosta de se sentir pressionado. Também gostava que respeitassem os meus timings.

    ResponderEliminar
  5. Percebo que sintas essa necessidade de o pressionar....
    Mas acho que é importante permitir que o outro tenha o seu espaço e a sua "liberdade". Dar a nossa opinião sim, motivar sim, mas pressionar não. Ou o tiro acaba por sair pela culatra..

    ResponderEliminar
  6. Eu percebo o que dizes mas acho que é diferente apoiar, encorajar, mostrar apoio de insistir e pressionar, mesmo que seja para o bem dessa pessoa. Eu quanto mais me pressionam mais finco o pé. Mas se me apoiaram, se me tentarem convencer encorajando sou capaz de aceitar.
    É verdade que às vezes não ao aceitamos coisas por todas as razões que disseste mas às vezes também precisamos de nós sentir prontos e se não sentimos...a pressão não ajuda. :) Sem conhecer detalhes, acho que nesta estou do lado do marido. :P

    Tété

    ResponderEliminar
  7. Uma coisa é encorajar, outra é pressionar... Ainda mais com a desculpa "é para o teu bem".
    Detesto que me façam isso mas também não ando a policiar os outros. Se ambos são adultos, ambos sabem o que têm a fazer e o que é melhor para si.
    As verdadeiras mudanças têm de partir dos próprios.

    ResponderEliminar
  8. Entendo o que queres dizer mas, somos todos diferentes e há quem lide mal com a pressão.
    Eu detesto que me pressionem, faz-me um mal tremendo.
    Tenho a certeza que ele sabe que queres o melhor para ele mas acho que o ideal será apoiar, conversar sem pressionar.

    ResponderEliminar
  9. Há feitios e feitios, e também há quem lide mal com a pressão 😊

    ResponderEliminar
  10. Muita gente deixa o medo de tentar vencer o mudar e ser mais feliz, pressão nunca é boa mas faz parte mostrarmos os benefícios que eles não conseguem sentir ainda. Ele vai compreender que tu queres o bem dele. Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Respostas
    1. Eu sou mulher e teria a reação deste homem. lol

      Eliminar
    2. Na verdade... mais ou menos... sim, o teu companheiro deve dar-te asas, ajudar-te, incentivar, abrir-te horizontes mas... realmente tu terás sempre o teu timming e nem todos somos iguais. Eu sou como o teu marido xD
      O meu esposo bem me incentiva e empurra a coisas que para ele são "óbvias" e para "ontem" e eu as vezes reajo mal a essa pressão

      Eliminar
    3. Adoro: as gajas, quando se casam, acham que passam a ter legitimidade para a tal “pressão extra” que referes. Não!!! É exactamente ao contrário, menos pressão, melhor casamento. Acredita, é um conselho para a vida!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.