Avançar para o conteúdo principal

ASOS, não me falhes!


Já há anos que ouço falar na ASOS. Toda a gente diz bem, o método de compra / troca / devolução parece ser super simples... Os vestidos são maravilhosos... 

Como eu preciso de dois vestidos (primeiro, baptizado da criança na igreja... depois siga para a quinta, para o casamento), andava a procurar on-line uma solução para o baptizado.

Arrisquei e hoje encomendei estes dois exemplares na Asos... A ver vamos!

ASOS DESIGN scatter sequin knot front kimono midi dress

Maya Plus Bridesmaid v neck maxi tulle dress with tonal delicate sequins

Comentários

  1. Quando chegarem queremos ver!!!! ;)
    https://jusajublog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Fui espreitar mas os preços aplicados não são para mim!

    ResponderEliminar
  3. Uma amiga minha encomendou e mandou para trás uns 6 ou 7 vestidos para um casamento! é mesmo muito simples!
    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  4. O primeiro não me parece muito indicado para uma cerimónia católica. Aí parece compostinho mas é aberto de cima abaixo, a saia interior é curta e o decote pronunciado. Além de o protagonista do baptismo, é o baptizado... Acho que lantejoulas e tal não calha bem à mãe!
    O vestido é giro, atenção, mas seria mais apropriado num cocktail (ou até no casamento civil, já que é ao fim da tarde).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também pode ter razão. Eu não sou pessoa que goste de andar arejada... Portanto. .. Veremos !

      Eliminar
    2. Não me parece mesmo que o pequeno se incomode muito que a mãe roube as atenções :P
      E discordo totalmente das lantejoulas. A mãe da criança não pode usar lantejoulas?! Porquê? A única entrave pode ser o facto de o vestido assentar de forma diferente e não ter o decoro que se espera numa cerimónia dentro duma igreja. De resto, acho que são problemas da cabeça das pessoas, não terá nada a ver com a S*.

      Mira

      Eliminar
  5. O segundo é lindíssimo.

    ResponderEliminar
  6. Ò S* agora nao percebi: mas nao disseste que nao querias um vestido de noiva? Entao se é tudo no mesmo dia um a seguir ao outro porque é que o vestido do batizado nao serve também p o casamento? Ou seja, porque nao compras um vestido que dê para as duas ocasioes? Eu percebo se fosses usar um vestido tipico de noiva, grande, rodado, com veu, era estranho levar isso ao batizado, mas pelo que descreves do que queres no vestido para o casamento nao percebi pq nao serve tb p o batizado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo, passo a explicar.

      Por mais que o casamento seja apenas civil, é civil apenas porque o noivo é divorciado também pela igreja. Por mim, obviamente casava na igreja. Vai daí, pretendo fazer na mesma uma entrada tipo marcha nupcial (com outra música) e esconder o vestido até à minha entrada.

      Como o baptizado é antes, cerca de 1 hora antes do casamento, não podia ter o mesmo vestido. :)

      Eliminar
    2. Esconder o vestido até à entrada???? Se for este já todos sabem...

      Eliminar
    3. Caro Anónimo, conforme indicado no texto, são opções para o baptizado...

      Eliminar
    4. Ok, percebo. Mas atencao á logistica da coisa p conseguires trocar os vestidos sem estragar o penteado e a maquilhagem. Tens de ter ajuda.

      Eliminar
    5. Terei a família próxima. Obrigada!

      Eliminar
    6. Só uma pequena correção, o noivo é casado pela igreja com outra pessoa, e divorciado no civil - não há divórcio na igreja! ;)

      Eliminar
    7. Já ponderaste ter vestido de noiva "à séria"? Essa ideia de que vestido de noiva é para quem casa pela igreja já está um pouco ultrapassada. Eu e o meu namorado somos ambos agnósticos portanto quando casarmos será pelo civil, mas nunca me passaria pela cabeça abdicar do vestido.

      Eliminar
    8. Anónimo, estes são vestidos para o baptizado. Mas quero algo igualmente relaxado para o casamento. :)

      Eliminar
  7. Depois queixas-te que não tens dinheiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério, poupe-me. Eu ando a poupar exactamente para as coisas do casamento... Esta é uma delas.

      Eliminar
    2. Tens os anónimos mais lindos e fofos da blogosfera! E se criasses uma conta bancåria para eles contribuírem? Andam tão preocupados....haja muita paciência!

      Eliminar
  8. Gosto muito do segundo vestido, mas para batizado e sendo tu a Mãe da criança, há outras opções mais elegantes, com menos brilho, sem lantejoulas.
    Há vestidos que às vezes parecem tão simples e depois deixam a mulher super elegante.
    Por vezes, menos é mais, acredita.
    Demasiado padrão, brilho, lantejoulas, purpurinas não gosto, mas isto é apenas a minha opinião.

    Depois, não te sintas no exagero de procurar só nos plus size. De tanto certas pessoas abusarem em comentários maldosos apenas porque sim, as pessoas muitas vezes fazem a coisa ainda maior do que na realidade é.
    Que se tenha alguns quilos a mais é uma coisa (e se te sentires bem contigo está tudo bem).
    Outra coisa são pessoas realmente gordas. Sim, gordas... ou até obesas.
    Não é o teu caso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo, mas é o meu gosto. E acredite que não é assim tão fácil encontrar um simples vestido de bom corte. Ahah. Estes vestidos são o meu estilo, independentemente de serem mais ou menos bons elegantes.

      Eliminar
    2. Encontrar vestidos mais simples com bom corte já foi mais difícil. Fui madrinha de uma menina há pouco tempo e além de andar à procura da vestimenta, andei também nas compras com a mãe da bebé.
      Há muitas marcas/lojas hoje em dia com modelos elegantes.
      Em relação aos modelos mais trabalhados, com brilhos... se vai ao teu gosto está tudo bem. Nada contra, obviamente.

      P.S.: Não sou a “Anónima” do comentário seguinte mas realmente, por curiosidade e diversão, também reparo sempre nos vestidos da realeza, nos modelos, cortes, cores, simples contudo elegantes.
      Ah, e batismo ou batizado, ambas estão correctas.

      Eliminar
    3. Se quiseres apostar em compras online, há uma loja interessante com vestidos para todas as épocas, gostos e bolsas.
      Comprei lá um vestido para um evento e correu tudo bem.
      A loja chama-se Westfront.

      Eliminar
  9. Aqui vem a picuinhas da língua portuguesa!
    Em bom português não se devia dizer baptizado mas sim baptismo.

    Quanto aos vestidos, são giros mas não para uma cerimónia que ocorrerá durante o dia.
    Um vestido simples mas com bom corte é sempre uma boa opção. Repara como os membros da realeza se apresentam nesse tipo de cerimónia. São sempre uma boa referência já que têm de cumprir todas as formalidades e protocolos. ;)
    Menos é sempre mais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, vai desculpar, mas quando até o padre diz baptizado, duvido mesmo que esteja errado. O baptizado corresponde à cerimónia baptismal, durante a qual será aplicado (aplicado não será bem o termo) o baptismo. Não creio, de todo, que baptizado esteja errado. Mas estamos sempre a aprender!

      Para mim, a referência é o meu gosto. Não vou usar modelos clássicos com as quais não me identifico. :) mas agradeço!

      Eliminar
    2. Quando a resposta se baseia no priberam... não tenho nada a acrescentar! :(

      Eliminar
    3. Se tivesse andado na catequese, como eu andei, até à comunhão solene, talvez não escrevesse sobre o que não sabe. Priberam? Uso muito. Neste caso, não precisei.

      Eliminar
  10. ADORO o primeiro, é lindo de morrer! Depende muito de como te sentes nele depois de o vestir, pois em formas mais voluptuosas, pode ser demasiado... distractivo, vamos dizer assim se mostrar mais pele do que parece na modelo. Mas eu acho mesmo que é o mais indicado para um baptizado. Um vestido até aos pés em tule é muito mais casamento do que outra coisa. Mas também um baptizado é uma coisa rápida, dado que se fosse comigo não pensaria nunca andar a trocar de roupa pelo meio. (Já é um dia de correria que chegue!)

    Mira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo, mas vai mesmo depender de como caem no corpo!! :)

      Eliminar
  11. Só algumas dicas que ninguém me pediu:
    1. Quando fores experimentar o vestido, não te vejas simplesmente ao espelho, de pé. Senta-te e agacha-te (como se fosses apanhar algo do chão) e repara se o vestido não sobe ou abre muito.
    2. Se estiveres a pensar em usar um casaco/bolero/whatever

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com o peito como eu tenho, é mesmo essencial fazer esses testes!

      Eliminar
  12. Desculpa, S*, pelo comentário incompleto.
    2. Experimenta-os juntos (casaco e vestido) e vê se não perdes a mobilidade nos braços.
    3. Experimenta com a lingerie que vais usar no próprio dia e verifica se não aparece, marca, etc.
    Muitas felicidades!
    Gosto do primeiro mas cuidado com o... Vento! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu espero não usar casaco, tendo em conta que é setembro. Ahahah

      Boa dica!

      Eliminar
    2. em casei em junho e tinha um bolero. uma coisa é a temperatura de dia ou no interior. outra coisa é a temperatura à noite e no exterior. Por ex, no meu casamento e em muitos outros em q vou o corte do bolo é à noite, no exterior, com fogo de artificio. Aí acredita que está fesquinho. Mas claro que depende do vestido, se for mais tapadinho até podes estar bem, mas se fosse cai-cai ou mais aberto ficas com frio (eu sei q nao vais usar cai-cai, mas mesmo com alças pode ser aberto). E da parte de baixo estás com as pernas expostas, é diferente de estar com calças. E vais estar de sapatos fechados ou sandalias? Pensa assim, em Setembro quando vais passear o teu cao à rua à noite ias sair com uma saia e um top de alças e sandalias?

      Tive um casamento no 15 de Agosto, um calor brutal durante o dia, mas quando foi o corte do bolo já eram 23h, estava frescote e a noiva estava com um caicai. No interior da quinta estava quente, estavamos a dançar e por isso ninguem tinha frio, mas disseram logo que ela nao devia sair para o exterior assim por causa do choque termico. Ela nao tinha trazido nenhum bolero..o noivo a reclamar com ela.... la lhe emprestei eu o meu bolero, por acaso era branco, o meu marido emprestou-me o casaco dele e ele foi so em camisa la para fora. E sim, estava frescote, o meu vestido tambem era caicai e eu teria frio sem o casaco até porque entre ir la para fora todos, fogo de artificio, cortar o bolo e servir ainda estivemos bastante tempo no exterior.

      Eliminar
    3. Estes vestidos são para o baptizado, que é às 15h00... uma hora depois vou mudar para vestido de casamento. :) Entendo perfeitamente, mas se estiver frio, ficaremos dentro do salão, creio... com as crianças, não vou arriscar o ar livre.

      Eliminar
    4. mas se tiver nos planos cortar o bolo com fogo de artificio la fora não fazem isso por causa do frio? agora nao percebi, mas o Rafael nao sai à rua no inverno? qual a diferença? simplesmente tem de ir preparada. é como o calçado: eu levei uns sapatos de noiva com salto agulha mas que supostamente eram confortaveis, mas tinha um calçado raso de backup caso ficasse com dores nos pés, felizmente correu tudo bem e usei os meus sapatos a noite toda, mas la está, estava preparada caso corresse mal.

      ja agora os comentários do anonimo sao uteis quer p este vestido quer para o do casamento

      Eliminar
    5. Eu casei em Maio, esteve um dia de sol lindo mas levantou-se um vento a meio da tarde que nem vos digo. A quinta até abriu a sala mais cedo porque as pessoas estavam a ficar geladas cá fora enquanto comiam as entradas. Por isso o corte do bolo, que seria lá fora com fogo de artifício, foi dentro da sala. Eu tinha um bolero mas a maior parte dos convidados não ia devidamente agasalhado para aquele tempo (bom, e não interessava ter nas fotografias a noiva de cabelos a voar em todas direções :D).

      Eliminar
  13. Eu adoro o corte, cor e estilo do primeiro 😍
    Se fosse para eu usar preferia talvez com menos brilho, mas isso porque sou tímida e gosto de passar despercebida. Porque acho que o vestido é lindo . acho que se no dia te sentires feliz e tu mesma estarás linda . Quando se irradia felicidade... isso sente-se ! Pessoas felizes são lindas:)

    ResponderEliminar
  14. Os dois vestidos são lindos, o primeiro sem dúvida é o mais adequado para o batizado, a não ser que vestido fique "muito aberto" e lembra-te que terás uma criança ao colo sempre a mexer-se. O segundo é lindo sem dúvida e seria adequado ao casamento civil a não ser que ao contrário do que queres não usasses dois vestidos e sim um para as duas cerimónias e poderias levá-lo ao batizado e ao casamento. As pessoas não ter todas as mesmas opções e temos que nos adequar ao que temos e podemos, mas fazer de um casamento civil uma cerimónia igual como se fossemos entrar numa igreja para um casamento católico é só um pouco ridículo ainda mais existindo outra cerimónia antes, mas as opções e decisões são tuas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai desculpar, mas acha ridículo por que motivo?

      Não sou de me basear no que vejo, mas sei o que se costuma fazer. Se reparar, como certamente reparou, em qualquer filme se casa na praia ou no campo e a noiva faz sempre a sua entrada destacada. No meu caso, quero apenas uma música que amo de paixão e uma entrada separada do noivo. Não estou a ver como seja ridículo... Não conheço ninguém que tenha casado pelo civil numa quinta e não tenha feito assim.

      Eliminar
    2. Porquê ridículo? A tendência no ocidente é para o casamento na igreja caia cada vez mais em desuso, mas isso não significa abdicar da pompa e circunstância. Para mim, ridículo é o que ainda se vê muito em Portugal, pessoas que se estão a marimbar para a religião mas depois querem ir casar à Igreja.

      Eliminar
    3. eu casei-me na igreja porque eramos os 2 solteiros e fizemos a festa numa quinta que tambem celebrava casamentos civis. Essa quinta era um antigo convento que tinha uma capela que actualmente nao estava consagrada. Ou seja, fisicamente é uma capela como as outras, mas nao é reconhecida pela igreja catolica, e não tinha qualquer imagem ou estatua de santos, no lugar do altar tinha uma mesa. A dona da quinta explicou-me que tinha muitos casais que por so puderem fazer uma cerimonia civil (sendo q 1 deles era divorciado), faziam a cerimonia na capela como se fosse um casamento pela igreja, passadeira vermelha, a noiva a entrar, o noivo à espera no "altar", a funcionária da conservatoria ficava na mesa como se fosse o padre atras do altar. E pronto. Há pessoas que gostavam mesmo de casar pela igreja e nao podem, mas enfim , tentam aproximar o mais possivel. E acho que é uma questão cultural, como a S* diz, nos filmes, ou em programas americanos eles casam em quintas, em barcos, nas praias, em celeiros e fazem sempre esta entrada quer seja casamento catolico ou civil.

      Eliminar
    4. Uma coisa é certa: no batizado atenção à compustura: é uma criança pequena, que vai puxar e tal e pode-te abrir o decote, tem de ser algo que fique bem seguro.

      Desculpa a pergunta, obviamente nao tens de responder mas é so para pensares: ainda amamentas? É que se sim tens de pensar num vestido que dê jeito para isso... Vi uma vez num batizado a mae a ficar com o vestido humido porque já estava a passar da hora de mamar, as mamas a inchar com o leite e ela nao tinha levado protectores, estava com um soutien normal e um vestido fino e foi uma cena parva, ela ficou c vergonha, apesar de q obviamente todos perceberam a situação, mas o que se comentava é: como é q ela nao pensou nisso e se lembra de ir p o batizado com um soutien normal, sem absorventes e com um vestido daqueles.

      Eliminar
    5. anonimo das 12:16, para mim é cultural, é uma questão de educação, de habito e valores. Fiz a catequese até ao crisma, casei-me pela igreja com missa completa, fiz o curso religioso de preparação p o matrimonio, vou à missa no dia de natal, pascoa e festa da padroeira da aldeia, vou a Fatima talvez de 2 em 2 anos, e se tiver filhos vou batizar e seguirem a catequese. Mas nao, não vou à igreja todos os domingos nem me considero uma pessoa muito religiosa, mas enfim, todos os passos que mencionei fazem parte do que considero comum, expectavel, e seria muito estranho para mim se nao os fizesse. Por ex, conheço uma pessoa que so batizou o filho quando este tinha 5 anos porque estava à espera de concluir a construção da moradia, para poder fazer uma mega festa no jardim. Isso para mim era impensavel, se tiver um filho, obvio que é logo batizado nos primeiros 12 meses como é habitual, nunca ia esperar tanto tempo por uma questão de onde fazer a festa.

      Eliminar
    6. Anónima da amamentação, deixei de dar de mamar quando o menino fez 11 meses, por opção dele. :D

      Eliminar
    7. Anónima das 16:35, não percebi o seu comentário. Apenas disse que não faz sentido considerar-se ridículo querer pompa e circunstância num casamento civil. Quem é ateu ou agnóstico não pode ter vestidão, entrada, etc? Referi a questão de quem se marimba para a religião porque efetivamente conheço pessoas que nem sabem se acreditam em Deus, nunca puseram os pés na missa depois da 1a comunhão mas têm porque têm que casar na igreja, que em Portugal ainda está muito associada a uma cerimónia de casamento "a sério". Para mim isso não faz qualquer sentido.

      Eliminar
    8. Anónimo das 16h35, também não percebi bem a sua resposta mas fiquei curiosa. É normal que para si, que é religiosa e tem a sua fé, o esperado fosse casar pela igreja. Mas já foi a algum casamento civil? O noivo não esperou pela noiva? :) É que se pensarmos bem, porque razão não o faria? Há algum motivo religioso para o noivo esperar primeiro? (pergunta sincera porque desconheço mesmo). Mas se não houver, se for apenas tradição, então é uma tradição de casamento, seja ele de que tipo for. Além de que muitas coisas no dia de hoje se fazem mais por tradição do que pelo real significado, como por exemplo, a noiva ir vestida de branco. Nos dias de hoje, poucas são as noivas que vão realmente virgens para o casamento, mas o vestido de noiva é, por tradição, branco. Como deveria para si ser um casamento civil? Fiquei curiosa. :)

      Eliminar
    9. Eu acho que um casamento civil não deve ser uma cópia da cerimónia religiosa, se as pessoas não querem ou não podem casar pela igreja façam a sua cerimónia/festa civil mas não façam uma cópia do que seria dentro de uma igreja de acordo com uma religião porque não faz sentido. O vestido de noiva etc pode e deve existir mas adequado à cerimónia em questão, por exemplo para mim não fica bem numa cerimónia civil e noiva ir de véu e grinalda e pelo braço com o pai ou padrinho como se faz na igreja(entrega da noiva ao marido no tempo da outra senhora) e ainda menos sentido faz quando o casal já vive junto à anos e tem filhos ou seja uma família formada.

      Eliminar
    10. anonimo das 19:45, eu sou a anonina das 16:35

      para clarificar: o meu comentario foi apenas sobre esta frase "Para mim, ridículo é o que ainda se vê muito em Portugal, pessoas que se estão a marimbar para a religião mas depois querem ir casar à Igreja." Expliquei porque no meu caso, apesar de nao ir à missa todos os domingos, e nao me considero uma pessoa muito religiosa, mas todos aqueles passos, tal como casar na igreja para mim fazem sentido.

      relativamente a esta frase eu concordo a 100% com o que diz: "Porquê ridículo? A tendência no ocidente é para o casamento na igreja caia cada vez mais em desuso, mas isso não significa abdicar da pompa e circunstância."

      Eliminar
    11. Tete, o meu comentário foi mal interpretado. Eu concordo que o casamento civil seja igual ou parecido dentro do possivel com o religioso. O meu comentario foi unica e exclusivamente a responder à questao de "Para mim, ridículo é o que ainda se vê muito em Portugal, pessoas que se estão a marimbar para a religião mas depois querem ir casar à Igreja."

      La está , eu nao me considero religiosa por isso tomei este comentário como se fosse para mim e respondi. Para mim religiosa, é ir todos os domingos à missa, ir fazer leituras, ou ser catequista, ou participar no coro da igreja, ter portanto um papel activo, e rezar o terço todos os dias do mês de Maio, e ir à confissão regularmente, etc. Isso para mim sim, é ser religiosa. O que eu faço acho que é basicamente o minimo, mas é engraçado que pela minha descrição a Teté me considerou religiosa. Por ex, na minha aldeia, no dia de Natal, Pascoa e na festa da padroeira a capela enche, e nos outros domingo tem só algumas pessoas, para mim, as pessoas que estão lá todos os domingos sao as religiosas, e todas as outras que como eu so vao algumas vezes por ano são as comuns. Entao para a Tete, todas as pessoas que só vao à missa 3 vezes por ano sao religiosas? Acho que é mesmo uma questao de conceitos do que é ser religioso :-)

      Eliminar
    12. "não fica bem numa cerimónia civil e noiva ir de véu e grinalda e pelo braço com o pai ou padrinho como se faz na igreja(entrega da noiva ao marido no tempo da outra senhora)" porquê? o sentido disto é exactamente o pai entregar a noiva ao futuro marido. numa cerimonia civil de noivos que ainda estejam a viver com os pais, nao vejo porque seria estranho. Ou seja, para mim o entregar a noiva ou nao, poderia ser criticado no caso de casais já a viver juntos, agora por o casamento ser civil ou catolico nao vejo qual a diferença.

      " e ainda menos sentido faz quando o casal já vive junto à anos e tem filhos ou seja uma família formada. "
      eu acho que isto depende do conceito de cada um. eu nunca o faria, sempre disse ao meu marido que morar juntos nao era para mim, tinhamos de casar , construir casa e depois ter filhos. Mas isto é a minha maneira de ser, aquilo que eu valorizo, aquilo que para mim faz sentido. Já fui a casamentos em que vivem juntos e têm filhos, e não vejo qualquer problema com isso, é a vida dos outros, não é a minha, e fui ao casamento e respeito. É como os filhos: eu só pretendo ter 1, há malta que tem 3 ou 4....eu nao tenho de achar mal ou bem, cada um sabe de si, para mim nao faz sentido mas para os outros pode fazer.

      A mim a unica coisa que faz confusao e que critico mesmo é a malta que mente: trata o companheiro como marido. Se nao querem casar tudo bem, estao no seu direito, moram so juntos. Mas é absolutamente ridiculo apresentarem a outra pessoa como marido. E nunca percebi porquê. Se nao lhes fez sentido casar entao porque mentem e fingem que casaram? A S* sempre usou a palavra companheiro, mas há aí uma blogger, tao ridicula que escreve marido ao mesmo tempo que diz que nao se quer casar, que nao se identifica com o acto. ahahah

      Eliminar
    13. Anónima das Anónimo24 de janeiro de 2019 às 09:57, sim, acho que são diferentes definições do que é ser religioso :) Eu referia-me a pessoas que não sabem se acreditam em Deus, nem sequer pensam sobre essa questão, mas querem ir casar à igreja porque isso é o tradicional. Faz-me confusão, para mim isso é usar a religião quando lhes convém. Para mim a anónima, com as coisas que descreveu, é religiosa e faz todo o sentido casar na igreja no seu caso.

      Eliminar
    14. Não percebo o motivo de achar ridículo, para todos os efeitos à luz do código civil, os unidos de facto estão em condição análoga à dos conjuges, logo não vejo motivos para não chamar marido ou mulher. Pode chamar o seu companheiro de "este é o meu unido de facto" mas está correcto chamar marido.

      Eliminar
    15. "os unidos de facto estão em condição análoga à dos conjuges"

      nao confunda direitos com conceitos. Se o meu pai falecer eu tenho direito a 5 dias de dispensa do trabalho, e se o meu sogro falecer tenho direito exactamente aos mesmos dias porque para efeitos de luto os pais sao equiparados aos sogros. Mas nao é por isso que o meu sogro passa a ser meu pai.

      Os unidos de facto têm a maioria dos direitos que os casados também têm, mas não quer dizer que se chamam casados. Exactamente por isso é que na declaração de IRS refere casados ou unidos de facto. Se fosse a mesma coisa não tinham as duas opções.

      Já que referiu o codigo civil, aqui vai um exemplo:

      Artigo 1796.º
      (Estabelecimento da filiação)
      1. Relativamente à mãe, a filiação resulta do facto do nascimento e estabelece-se nos termos dos artigos 1803.º a 1825.º
      2. A paternidade presume-se em relação ao marido da mãe e, nos casos de filiação fora do casamento, estabelece-se pelo reconhecimento.

      Ou seja, se a mae for casada pode ir ter o filho à maternidade sozinha e automaticamente regista-lo sozinha em como o pai é o marido. Se estiver em uniao de facto o pai tem de ir ao registo efectivamente reconhecer que o filho é dele e assinar (nao que isto seja uma questao relevante, mas é apenas para exemplicar as diferenças administrativas). Ou seja, no ambito do codigo civil o termo marido é efectvivamente aplicado a pessoas unidas pelo matrimonio/casamento e não para unidos de facto.

      O Codigo Civil é efectivamente o documento que mais distingue o casamento da uniao de facto:
      ARTIGO 1577.º
      (Noção de casamento)
      Casamento é o contrato celebrado entre duas pessoas que pretendem constituir família mediante uma plena comunhão de vida, nos termos das disposições deste Código.

      As uniões de facto nem sequer sao regidas pelo Codigo Civil, foram criadas pela Lei 7/2001 com o obrjectivo de "A presente lei adopta medidas de protecção das uniões de facto." Portanto nessa lei dá-se aos unidos de facto alguns dos direitos das pessoas casadas.

      E por ultimo: cada vez mais os direitos sao semelhantes mas ainda nao sao totalmente iguais. Em caso de morte o unido de facto tem direitos sobre a morada de familia e sobre prestações sociais mas não é herdeiro do restante patrimonio, esse fica so para os filhos.

      Eliminar
    16. Anónimo das 10:10 eu ainda conheço pior, conheço quem seja católico não casou pela igreja porque não quis(ambos solteiros) e depois batizam o filho e no batizado o padre do altar abaixo diz que os pais tem todas as condições para batizar o filhos porque vão à missa e são casados pela igreja....

      Eliminar
    17. Anónimo das 10h10, depende mesmo do conceito de cada um. Eu, ao contrário de si, não pretendo casar sem morar antes com a pessoa. E nenhuma de nós tem mais razão que a outra :)

      Eliminar
    18. Anónimo das 9h57

      Confusão desfeita. :) E sim, o conceito de religioso varia de pessoa para pessoa porque o definimos pelo que nós próprios fazemos e vemos os outros fazer. Comparada com essas pessoas, até pode sentir que não é religiosa, mas se a comparar comigo até é, porque embora tenha feito o Crisma, não vou à missa, recuso-me a confessar-me, sei o Pai-Nosso e nada mais, baptizei a minha filha com 2 anos porque foi quando mais jeito nos deu, e ainda assim fiz questão de casar na igreja onde fui baptizada e onde mais tarde baptizei a minha filha. E não sinto que encaixe no grupo de pessoas que se marimbam para a religião e depois querem casar na igreja, simplesmente porque eu acredito em Deus. No fundo, acho que não sou nada religiosa mas tenho fé. :)

      Eliminar
    19. O casar antes ou depois de viver junto, antes ou depois de família formada, vai muito da vontade de cada um, e não faz sentido achar que um casamento numa situação diferente da nossa "não fica bem". No meu caso, fazia questão de viver junta antes de casar. Sempre achei importante saber se debaixo do mesmo tecto, as pessoas se davam realmente bem (há sempre umas arestas a limar e não é nas férias em comum que isso acontece), mas não tenho nada contra quem prefere sair de casa dos pais para casar. São opções. Da mesma forma, que nunca quis casar com filhos embora casar fosse um passo que eu gostava muito. Mas quando o meu (agora) marido me falou em termos um filho, eu disse-lhe claramente: eu gostava de casar primeiro, mas se preferes ter um filho, eu não me importo mas aviso já que não me caso depois de ser mãe. Para ele isto não fazia sentido mas respeitou porque de facto são opções (e por isso casámos antes e tivemos uma filha depois). Se acho que quem já tem família formada não deveria ter um casamento igual ao meu? De todo, são opções, eu até acho giro ver mães a finalmente realizar o sonho de casarem mesmo já estando juntas há dezenas de anos. Só não o queria para mim.
      Por acaso também admito que estranho ver pessoas que fazem questão de afirmar alto e a bom som que não querem casar, que não é um papel que muda seja o que for (e não muda, claro) mas depois dizem "marido/mulher" quando lhes convém (que não é sempre, é apenas em situações em que por alguma razão acham que soa melhor), mas não me tira o sono. :)

      Eliminar
    20. anonimo das 15:49, nao me expliquei bem

      quando eu digo que morar juntos nao é para mim estou a falar a longo prazo, como projecto de vida as pessoas irem morar juntos, comprar casa, ter filhos e nunca se casarem. tenho amigos a morar juntos há 10 anos e pretendem continuar assim.
      Ou entao pessoas que moram juntas muito tempo, têm filhos e um dia lembram-se e vao-se casar, ou seja , não era um projecto de inicio, por ex conheço quem morou junto 7 anos, tinha uma filha com 4 anos e foram fazer o casamento e o batizado na igreja o que nao me fez sentido. Não faria para mim sentido casar ao fim de tanto tempo.
      Mas por ex tenho um casal de amigos que se vai casar este ano na igreja e fazer o batizado, já têm uma filha e moram juntos há 6 anos. O que se passou: ele nunca se queria casar, no meu casamento inclusive disse para quem o queria ouvir que era um disparate a festa e que nunca se ia casar. A filha não foi planeada. Mas a minha amiga sempre teve o sonho de se casar, para ela é muito importante, e fartou-se de insistir com ele e agora como têm o batizado da filha la o convenceu a fazer a festa conjunta com o casamento. è complicado quando ambos têm ideias de vida diferentes.

      Agora eu antes de casar, fomos morar juntos durante 1 ano à experiencia, para ver se nos entendiamos juntos e para planear o casamento. Desde o inicio o que ficou combinado era que até fazermos 1 ano de morar juntos ja tinhamos de ter a data do casamento marcada, quinta e igreja reservada. E assim foi. O casamento aconteceu 1 ano e 6 meses após irmos morar juntos (1 ano para estarmos juntos, houve o pedido oficial de casamento e marcação de data e mais 6 meses para organizar as coisas). Hoje em dia penso que é importante a convivencia em comum para perceber se as pessoas sao compativeis. Obvio que isso nao significa que depois as coisas nao possam correr mal, mas acho que a probabilidade é menor do que quando saem directos de casa dos pais.
      Para mim, e eu disse-o muito claramente ao meu namorado na altura, o morar juntos durante um tempo serve como preparação para o casamento, é efectivamente para irmos avaliando a situação e decidir casar, não é para ir enrolando a conversa e ficar anos sem casar. Mas la está, no meu caso o namorado também queria casar, e tinha também essa ideia de que deviamos morar juntos antes para ver se nos entendiamos e eu concordei apesar de que para mim 6 meses eram suficientes, mas ele disse que os primeiros 6 meses eram lua de mel e ninguem se chateava, que era melhor esperar 1 ano :-)
      Mas se tivesse um namorado como aquele minha amiga que so queria morar juntos entao eu nem sequer teria ido morar junta. É um bocado como os filhos: há quem acabe casamentos porque um quer ter filhos e o outro não quer; para mim seria impensavel estar numa relação com alguem que so quer morar junto a longo prazo e nao tem como projecto de vida o casamento.

      Eliminar
    21. Mais uma vez as pessoas que se consideram religiosas a criticar os outros por viverem a vida à sua maneira sem prejudicar ninguém... Mea culpa mea culpa e bater com a mão no peito e depois a falar mal deste mundo e do outro... Coerências das "boas gentes" da religião.

      Eliminar
    22. Mais uma vez as pessoas que se consideram religiosas a criticar os outros por viverem a vida à sua maneira sem prejudicar ninguém... Mea culpa mea culpa e bater com a mão no peito e depois a falar mal deste mundo e do outro... Coerências das "boas gentes" da religião.

      Eliminar
    23. Casei pelo civil, já vivíamos juntos há 5 anos, ao som de uma música que marcou o início do meu relacionamento, o meu pai levou-me ao altar onde me esperava o meu noivo e fui vestida de noiva - só não levei véu porque não gostava. E porquê? Porque quis, porque podia e foi um casamento lindo que ainda hoje, dez anos depois, é falado por todos os nossos amigos e familiares, por terem gostado tanto. Faz-me mesmo tanta confusão como as pessoas católicas fazem tantas considerações da vida dos outros. Não deveria ser mais compaixão, mais empatia e menos julgamento ao próximo? E desde quando o pai levar a noiva é exclusivo da religião católica?

      Eliminar
    24. Desde sempre, os casamentos civis passaram foi a ser uma cópia dos religiosos para quem não é religioso ou para quem não pode casar em caso de divórcio anterior de um dos noivos.

      Eliminar
    25. As pessoas antes de criticarem deviam aprender a ler. Nunca disse q levar a noiva era exclusivo da igreja. Quem casa no civil, p mim tb faz sentido o pai levar a noiva. A mim, e volto a repetir, p mim, n me faz é sentido o pai levar a noiva e entrega-la ao noivo qd ja vivem juntos ha 10 anos... independentemente de ser casamento catolico ou civil.

      Eliminar
  15. Também já andei a vasculhar o site hoje! Adorei ambos os modelos que escolheste! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  16. Cuidado com os tamanhos dos vestidos. Até chegar o dia vais ver que estás bem mais gorda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah ah ah

      a mim sempre me disseram o contrario, que as noivas emagrecem com o stresse da festa.
      um vestido de noiva geralmente é sempre ajustado uma semana antes por causa dessa situação

      Eliminar
    2. A s* já disse que está tranquila

      Eliminar
    3. está tranquila agora, ainda falta muito tempo. a questão por vezes é no ultimo mes antes do casamento se ficam muitos preparativos por fazer ou algo começa a correr mal. eu por ex tive muitos convidados que nao se dignaram a responder com a antecedencia pedida no convite, que so disseram 2 dias antes, e tive de ser eu a telefonar e depois eu tinha de estar constantemente a refazer a organização das mesas. imagina tinha uma mesa de 9 pessoas para os colegas de trabalho, e depois começam a dizer que nao vêm, e so tenho 5 pessoas, entao tenho de os juntar com outras pessoas. e depois tinha algumas situações de namorados e ex-namorados que nao podia juntar na mesma mesa o que tornava o puzle mais complicado. no final consegui organizar as mesas e correu bem, mas foi mt chato e stressante estar a fazer isto nos ultimos dias, e em consequencia so mesmo na vespera consegui ir à grafica imprimir os cartoes com a lista de convidados por mesa, porque obviamente sem ter aquilo organizado nao conseguia ir imprimir isso antes.

      Eliminar
    4. Anónimo mas geralmente dá-se uma data limite até à qual os convidados devem responder, até porque muitas vezes as quintas precisam de saber quantos convidados haverá para saberem quanta comida fazer e elas próprias dão uma data-limite (15 dias antes, 1 mês antes...). Mas também é verdade que nem toda a gente responde, aí concordo consigo. Nós também tivemos de andar a ligar para saber mas lá está, ligámos mal se chegou à data que tínhamos indicado no convite (um mês antes, acho eu). Por isso não se andou a refazer mesas à última da hora (embora uns convidados tenham optado por não aparecer mesmo tendo dito "sim" e outros não tenham ido compreensivelmente por falecimento de um familiar na véspera - mas neste caso pedi apenas para retirar os pratos deles da mesa porque escusavam de estar ali vazios).

      Eliminar
    5. Tete, no meu convite obviamente tinha a data limite de resposta, 1 mes antes , mas as pessoas simplesmente nao respeitaram. e basta uns 10/15 nao responderem que baralha logo as contas das mesas. com a quinta tinha de dar o numero 8 dias antes. eu tentei ligar mais cedo e iam dizendo ai nao sei, ai tenho de ver, depois digo alguma coisa. há situações em que eu sei que é complicado: tinha uma pessoa q trabalhava por turnos e dizia que o chefe so na semana anterior é que confirmava quem ia no fim de semana, achei estranho, nunca trabalhei por turnos, nao sei se é normal, mas enfim... para veres o extremo tinha uma prima minha gravida, perto da data de parto que ainda ia ver se ia, dependia de como se ia sentir, e sim apareceu com o marido, os filhos gemeos de 3 anos e a filha recem nascida de 3 semanas.

      no final acabei por nao ter esses casos de malta q diz sim e depois nao aparece, pq como recebi confirmações em cima da hora, enfim. É que há quintas que cobram esses lugares à mesma.

      Eliminar
    6. Sim, claro, eu paguei pelo casal e filhos que simplesmente não apareceu e não se dignou a dizer que não ia...e também paguei pelo casal a quem faleceu um familiar e que educadamente me ligaram na véspera à noite a informar que não poderiam ir (o que deu tempo para avisar a quinta para não porem estes pratos na mesa). E sim, compreendo esses casos de que fala. É como eu digo, fora a quinta onde ia festejar o casamento ter falido e fechado portas 3 meses antes do casamento, foi um noivado calmo e na última semana nem tinha nada para fazer. Mas depois da "surpresa desagradável" da quinta, acho que mais nada me stressaria. :D

      Eliminar
  17. Podes colocar o link dos vestidos, por favor? São lindos!
    Tenho um casamento (convidada) este ano e o 1º é maravilhoso. Cá pra mim está escolhido. lol ♥ :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Claro que sim. Espero que gostes.

      Melhor que os links, o nome dos artigos. Basta pesquisar.

      O primeiro,
      ASOS DESIGN scatter sequin knot front kimono midi dress

      O segundo,
      Maya Bridesmaid v neck maxi tulle dress with tonal delicate sequins

      Boa sorte!

      Eliminar
  18. Adoro o primeiro. Fui madrinha de baptismo com lantejoulas r vestido curto e a criança brilhou na mesma e ninguém ficou ofendido :x

    ResponderEliminar
  19. Eu vinha só aqui dizer (provavelmente demasiado tarde) que na Asos, no que é da marca deles, visto sempre um número abaixo do meu número real.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.