Avançar para o conteúdo principal

Dúvidas da vida


A vida nem sempre é justa, é um facto. As coisas nem sempre estão fáceis, é outro facto. No entanto, a insatisfação que temos com a vida não pode - nunca, em momento algum - ser justificação para tentarmos prejudicar de forma deliberada quem nunca nos fez mal e quem até acreditava que era nosso amigo. 

Durante quanto tempo podemos manipular os outros, tentar prejudicá-los, virá-los uns contra os outros, tentá-los fazer perder o seu emprego por "pequenas coisas" ou por coisas inventadas... e achar que nada nos acontece? Achar que as pessoas não vão descobrir? 

Durante quanto tempo podemos ser maus e achar que ninguém vai reparar?

Comentários

  1. What goes around, comes around. Esta é a verdade pura e dura. Tenho gente assim que é minha familiar e quando alguma coisa mais infeliz lhes acontece a culpa é sempre de alguém e jamais deles ou das suas acções. Não lhes desejo mal (exactamente pelo motivo com que iniciei este comentário) mas é nestas alturas que penso que se fossem pessoas diferentes o desfecho de muita coisa tb o seria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente é isso. Estas pessoas acham sempre que a culpa está nos outros.

      Eliminar
  2. É duro lidar com as decepções da vida, amiguinha!

    ResponderEliminar
  3. Há pessoas que não têm limites no que diz respeito a maldade, e infelizmente cada vez mais vemos pessoas assim...

    ResponderEliminar
  4. Haverá sempre gente assim infelizmente :(

    ResponderEliminar
  5. Eu bem quero acreditar que quem deseja, ou faz mal, mais cedo ou mais tarde também o recebe. Não dá para serem maus uma vida toda...

    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Acredito muito no karma e que colhemos o que semeamos.
    Temos que agir de acordo com a nossa consciência. Agir sempre de bem connosco e com os outros, se as outras pessoas não o fazem, problema delas, inevitavelmente o destino encarregar-se-à delas.

    ResponderEliminar
  7. Olá S.

    Acho que é por muito tempo. Ou seja pessoas mal resolvidas com a vida tentam prejudicar os outros, traem os amigos (se bem que eu acho que não conhecem e não vivem o conceito "amigos") e continuam impunes. Como está escrito no primeiro comentário "What goes around, comes around" mas às vezes parece que tarda.
    Eu não lhes desejo mal. Até acho que se fossem felizes e amados as atitudes até podiam melhorar. Mas depois há os outros dias em que a vida dessas pessoas até parece melhor e continuam amargas, mal formadas e ingratas. Enfim....a minha estratégia tem sido rodear-me de gente positiva e ignorar ao máximo, mas nem sempre sou bem sucedida. O meu comentário já vai longo, mas como deve ser perceptivel eu tenho uma pessoa dessas com quem tenho de trabalhar. Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Olá S.

    Acho que é por muito tempo. Ou seja pessoas mal resolvidas com a vida tentam prejudicar os outros, traem os amigos (se bem que eu acho que não conhecem e não vivem o conceito "amigos") e continuam impunes. Como está escrito no primeiro comentário "What goes around, comes around" mas às vezes parece que tarda.
    Eu não lhes desejo mal. Até acho que se fossem felizes e amados as atitudes até podiam melhorar. Mas depois há os outros dias em que a vida dessas pessoas até parece melhor e continuam amargas, mal formadas e ingratas. Enfim....a minha estratégia tem sido rodear-me de gente positiva e ignorar ao máximo, mas nem sempre sou bem sucedida. O meu comentário já vai longo, mas como deve ser perceptivel eu tenho uma pessoa dessas com quem tenho de trabalhar. Beijinho

    ResponderEliminar
  9. É uma praga, existem em todo o lado. Tive um colega de trabalho assim. A partir do dia que se foi embora o ambiente alterou-se completamente, e agora toda a gente se dá bem.

    ResponderEliminar
  10. O problema é que as pessoas que fazem essas maldades não têm a noção que estão a fazer mal. Acham-se sempre no seu direito e que estão completamente correctas.
    Um beijinho grande*
    Novo blogue! Crazy Cat Lady

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já conheci algumas assim, completamente aheadas da realidade!!

      Eliminar
  11. Eu gosto de pensar que quem faz mal aos outros mais cedo ou mais tarde recebe na mesma moeda. Mas ás vezes parece que esse momento nunca chega...e que afinal fazer essas maldades nem sempre tem consequências :/ infelizmente.

    ResponderEliminar
  12. Eu conheço mais do que uma pessoa assim, geralmente mantenho a distância, mas infelizmente, um deles, acabou por se tornar namorado da minha "melhor amiga". Foi impossível distanciar-me, porque ela até é daquelas que quando tem namorado, não faz nada sem ele. Aturei as constantes bocas idiotas, que se tornaram ataques porque eu não lhe dava troco e ele ofendia-se, as invejas, intrigas, competições absurdas, sem que eu nunca tenha entendido sequer o porquê (ele é assim com toda a gente, mas comigo foi um bocadinho pior). Eu nunca entrei em confronto, nunca lhe respondi mal, nunca o ataquei de volta,nunca sequer falei mal dele à minha amiga, mas o mal estar que se instalou entre nós, eu e ele, afectou a amizade que eu tinha com ela há uns bons 15 anos. Já há uns 5 anos que não tenho contacto com ela. E isso magoa-me, tanto. No fim, quem não fez nada, é que ficou prejudicada... eu gostava dela como se fosse minha irmã.
    Não lhes desejo mal, mas não entendo como é que ela não vê a pessoa mesquinha com quem decidiu dividir a vida.

    Desculpa, acabei por desabafar num post teu.

    AnaC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AnaC, que tristeza... assim de repente lembrei-me de um ex-melhor amiga que tive... desapareceu do mapa quando arranjou parceiro novo. :( Fomos amicíssimas durante um ano, desapareceu há quase 7 anos e nunca mais me disse nada, apesar de eu ter mandado emails, mensagens... enfim!

      Eliminar
  13. Eu costumo sempre dizer que problemas todos temos, nenhum é desculpa para tratar mal os outros...

    ResponderEliminar
  14. Espero que não seja um relato na primeira pessoa... Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não faço mal a uma mosca. Não gosto é que me pisem, mas infelizmente sou demasiado passiva... mas, nesta fase da vida, já tive mais pachorra para as frustrações alheias. :/

      Eliminar
    2. Eu percebi que não eras tu a fazê-lo :-)
      O que quis dizer é que espero que não sejas tu a prejudicada, principalmente quando se fala prejudicar o emprego, é coisa bem séria!

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.