Avançar para o conteúdo principal

Vida pessoal VS Vida profissional

Gosto muito de trabalhar, mas não sou daquelas pessoas que opta por sacrificar a vida pessoal em nome da vida profissional. De vez em quando faço alguns "sacrifícios", claro, faz parte, não me importo de os fazer.  Gosto de vestir a camisola da minha empresa. Mas tudo com conta, peso e medida.

Tudo isto porque o mais-que-tudo tem agora a oportunidade de trabalhar mais 8 horas por semana, para ganhar um valor jeitoso. É bom, claro que é, mas custa-me que ele ande tão cansado do trabalho.

Trabalhar, sim. Empenhar-se, claramente. Agora sacrificar-se por mais dinheiro? O dinheiro não é tudo. Ou nós é que somos um casal pouco ambicioso... também pode ser isso.

Comentários

  1. eu até gosto do trabalho que tenho! Gosto mesmo! Mas a minha vida de casa...hum...não troco isso por NADA!!! :)

    ResponderEliminar
  2. São opções que se tomam em função das nossas prioridades e princípios. Concordo que o dinheiro não é tudo, até porque considero que a felicidade não passa pela ambição mais ou menos desmedida.

    http://www.lavarcabecas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Desde que depois aproveitem bem os tempos livres, talvez esse acréscimo horário (e financeiro) compense, porque lá está, a vida não é só trabalho!

    Só espero que o rapaz não chegue ao fim-de-semana, super exausto e com vontade de ver única e exclusivamente a cama à sua frente :/ Mas penso que não. É uma questão de hábito. Com o tempo vocês acostumam-se a essa nova rotina e depois até aproveitam melhor o tempo a dois.

    Vai correr bem ;)

    ResponderEliminar
  4. Pois...eu concordo contigo, mas cada caso é um caso, e depende de muitos fatores! Vocês é que devem decidir se vale a pena o sacrifício ou não!
    Beijinho, fica bem!

    ResponderEliminar
  5. Concordo, mas 8 horas por semana dividindo por 5 não é assim muito. SE realmente o valor for de facto agradável.

    Por mais 200/300 euros ele que esqueça e fiquem a namorar e a passear :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel, o problema não é trabalhar mais duas horas, é mesmo o cansaço que ele já tem vindo a acumular. :)

      Eliminar
  6. Estou de acordo contigo e sempre agi assim na minha vida. Quando a pessoa está muito enrascada, um dinheiro extra vem a calhar, mas deixar de ter tempo para namorar, passear, estar com a família, descansar... para ganhar dinheiro? Não.

    ResponderEliminar
  7. O dinheiro faz dessas coisas às pessoas, leva-as ao sacrifício mesmo.

    ResponderEliminar
  8. há que saber separar as coisas se quisermos que a relação funcione, eu ainda estou na universidade assim como o meu namorado, mas o trabalho é tanto que por vezes isso interfere na nossa vida pessoal e chegámos a ter de nos separar uns tempos. Há conseguir dar a voltar, porque o amor é sem dúvida mais importante que o dinheiro.

    ResponderEliminar
  9. Penso tal qual como tu: dinheiro é importante, claro, mas não é tudo! "nunca vi ninguém agarrar se a uma nota de 500 num momento triste"
    ;)

    ResponderEliminar
  10. Acho para tudo tem de haver bom senso, e nesse caso mais ainda, é preciso trabalhar sim, mas também é preciso viver, uma coisa não se faz sem a outra muito embora tantas vezes devido à conjunctura acabemos por ter de sacrificar mais um dos lados em prol dos outros, conduzindo assim ao desiquilíbrio.

    ResponderEliminar
  11. Sou como tu, valorizo tanto e tanto os momentos que poderia ter mais ocupações para ganhar mais uns euros mas não prefiro os momentos sempre.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Claro que o € não é tudo... mas aqui acho que têm de ser algo decidido em conjunto...pesarem bem os prós e contras de qualquer decisão... o dinheiro não é tudo... mas ajuda em muito... e pode compensar algo...mas não tudo...Beijos...e boa sorte na decisão...mas seja qual for...espero que te traga alegria...!!

    ResponderEliminar
  13. o dinheiro nem sempre compensa no final

    ResponderEliminar
  14. Eu também sou assim, gosto de me empenhar e fazer bem as coisas mas a vida familiar é muito importante.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  15. olha nem a propósito, eu acabei de abdicar de um part-time em prol do meu bem estar pessoal... o dinheiro extra ao fim do mês sabia-me muito bem, mas primeiro estou eu...

    ResponderEliminar
  16. Bah, eu continuo a sustentar que não acredito em pessoas que, se pudessem, me digam que continuariam a querer trabalhar das 9-18h em vez de andarem por aí na rambóia e passeio.

    ResponderEliminar
  17. Concordo contigo, o dinheiro não é tudo. Mas nos dias de hoje infelizmente quanto mais se poder amealhar melhor. Contudo não seria capaz de fazer como certas pessoas que abdicam de muita coisa, inclusivé família, para ganhar mais dinheiro.
    Beijinhos

    http://dailylifebysophia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  18. Um pouco de sacrifício faz parte, mas precisa ter objetivo. Trabalhar por trabalhar, ou fazer dinheiro por fazer fica sem sentido.

    ResponderEliminar
  19. Se mais dinheiro significa também mais estresse, sou totalmente contra... Dinheiro não é tudo na vida, como você mesmo disse!

    ResponderEliminar
  20. Também acho que o dinheiro não é tudo, mas por vezes ajuda em muita coisa...

    ResponderEliminar
  21. Eu, se fosse ele, avançava com isso. Pode não fazer-vos muita falta por enquanto, mas as coisas estão tão instáveis que (quase) toda a gente se sacrificaria por mais uns trocos. E se, daqui a uns tempinhos, quiserem ter um filho já ficam com uma quantia considerável de parte, o que é óptimo :) Mas o mais importante é que ele se sinta bem

    ResponderEliminar
  22. Caso seríssimo. Estou passando por quase isso. Peguei um trabalho no início do ano para auxiliar nas contas mas agora... estafa, estafa estafa...Nada rende e as paixões ficara de lado... Caso seríssimo. Esto a repesar...

    Bom te ler!!
    Beijos pra ti!

    ResponderEliminar
  23. Pois :/ Eu ando a trabalhar SEM FOLGAS, entro às 2 da tarde, é suposto sair às 10 da noite, mas por vezes só saio às 4am... E não há dinheiro que pague o descanso que tanto preciso. Coitadas das pessoas que têm uma família e filhos para manter... AHrgh. Nem poupar conseguem.

    ResponderEliminar
  24. depende muito da situação económica de cada um. quando se precisa mesmo, o sacrifício nem é tanto! Mas quando não faz assim tanta diferença... são escolhas.

    ResponderEliminar
  25. Sempre disse que nunca me tornaria escrava do trabalho, mas no fundo é isso que tem vindo a acontecer. Até que fui para o olho da rua. Enfim

    ResponderEliminar
  26. sem dúvida que o dinheiro não é tudo, a família é importante...eu até podia arranjar mais trabalho,pois tenho tempo livre, mas e eu? preciso do meu tempo para fazer o que gosto, ou isso ou uma clinica de psiquiatria!

    temos de trabalhar, fazer esforços, mas não matamos ninguém pois não? pronto querida, vê lá isso e dá muito mimo ao teu homem!

    beijinho bom S*

    ResponderEliminar
  27. Acredita, o dinheiro NÃO é tudo!!!

    ResponderEliminar
  28. Nao podia concordar mais... Mas tenho noção que há pessoas com uma ambição descontrolada.

    ResponderEliminar
  29. Depois não fica energia para os bons momentos :D

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.