Agrada-me o mistério. Gosto de pessoas misteriosas, que nos espicaçam a curiosidade. No entanto, mistério a mais leva ao inverso. Nao gosto que não se revelem. Não gosto de não perceber alguém. Sinto que nao se dão a conhecer. O interesse quebra-se.

Comentários

  1. aquela dose certa de mistério...a que nos permite conhecer a pessoa e mesmo assim ser surpreendidos por ela...

    ResponderEliminar
  2. Posso perfeitamente citar o que disseste. Concordo plenamente. Adoro um bom jogo mas se vir que não me estimula, esmureço e desisto.

    ResponderEliminar
  3. Humm eu também não gosto de pessoas muito misteriosas...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Mistério a mais enjoa, concordo contigo.

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida. Pessoas demasiado enigmáticas causam-me uma certa desconfiança...

    ResponderEliminar
  6. Sabes...estou plenamente de acordo contigo neste assunto.
    Mistério é bom,mas na medida certa,sem exageros.

    ResponderEliminar
  7. O mistério... é de nós, um laço que desapertamos!!

    bj
    Sutra

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Tem de haver um termo certo:=))
    Nem oito...nem oitenta!!!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Mistério na dose certa, vindo de um homem, não é esperar demasiado?

    ResponderEliminar
  10. Bem verdade... O mistério é bom e desejado até um certo ponto.
    Tudo com conta e medida

    ResponderEliminar
  11. é o tal equilíbrio necessário em quase tudo...

    ResponderEliminar
  12. Eu gosto de mistério. Gosto de ir conhecendo as pessoas ao poucos.
    E gosto de ser misteriosa.

    Um dia alguém disse-me algo semelhante com aquilo que escreveste aqui, fiquei a pensar nisso... e só depois percebi que era capaz de ter razão.

    O medo de "perder" assustou-me e fez-me pensar.

    Acabei por perder, e ainda bem. Pois não perdi grande coisa.:D

    ResponderEliminar
  13. O giro é misterio QB... De resto uma pessoa fica na duvida e isso já não é interessante.

    ResponderEliminar
  14. É mesmo assim... Também gosto de mistério e dessas pequenas coisas. Gosto daquelas pessoas que não se revelam logo totalmente quando as conhecemos. Gosto daquelas pessoas que nos dão algum trabalho. Mas que não ficam "paradas" à espera que tudo aconteça e que se vão revelando ao longo do tempo enquanto mostram que confiam em nós. Sim, gosto dessas pessoas :)

    ResponderEliminar
  15. Ai também sou assim, com detalhe que meio investigativa e intuitiva mas se de todo não se quer que se feche em seu mundo, bolas!

    ResponderEliminar
  16. Parece contradição, mas compreendo-te. Eu também gosto de mistério, daquele tipo de pessoas que não revelam tudo (só mostra inteligência) e com as quais tens de ganhar confiança para se abrirem. É muito mais interessante conhecer alguém assim :)

    Beijo*

    ResponderEliminar
  17. Nem 8 nem 80, tudo na medida certa, até o mistério.

    ResponderEliminar
  18. Talvez por vezes o mistério em demasia não seja desejado, nem por quem convive por essa pessoa, nem mesmo por quem causa tal mistério. é estranho, mas por vezes as pessoas ficam demasiado enlausuradas no seu mundo porque, um dia, quando esse mistério ainda não fazia parte da sua vida, elas foram magoadas por isso mesmo, por haver mistério a menos, por se darem a conhecer no primeiro momento, porque, ao terem esse feitio tão aberto as pessoas tomaram uma opinião de que essa pessoa não sofre, está sempre alegre, divertida, que não tem problemas nem nada que se pareça, mas essas pessoas esquecem-se que a vida não é um mar de rosas, e que essa rapariga feliz que se vê durante o dia pode chorar à noite somente quando a sua almofada a acompanha naquele momento à luz do luar.
    hum...acho que levei isto um bocado para o meu caso...mas acredita, por vezes o mistério a mais não é de propósito, mas sim uma consequência da vida

    ResponderEliminar
  19. Tudo é estimulante, desde que seja na dose certa.

    ResponderEliminar
  20. Ou seja o melhor é mesmo que haja um mistério q.b.

    ResponderEliminar
  21. Penso que não é só o interesse dissipar-se... Pessoalmente, isso contribui muito para uma genuína frustração que, mais cedo ou mais tarde, transforma algo que era aliciante e maravilhoso numa grandessíssima dor de cabeça. E aí... ou se é masoquista e se continua (been there, done that...) ou se tem a dose de bom senso e a clareza de espírito necessárias para partir daí para fora (been there, done that too).

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares