Avançar para o conteúdo principal

Mulheres espancadas na alta sociedade

É este o tema da capa da revista "Sábado" desta semana (que por acaso sai às quintas). O tema captou logo a minha atenção, até porque sou bastante sensível no que diz respeito à violência - seja ela física ou psicológica.

Casamentos por conveniência, homens de sucesso que espancam as esposas, juízas e médicas que levam porrada diariamente.

"Em plena lua-de-mel, passada a percorrer alguns dos melhores hotéis do país, ele quis parar para almoçar. Ela disse que não tinha fome, mas ofereceu-se para lhe fazer companhia. Enfurecido, o empresário, bem relacionado na banca e no sector judicial, encostou o carro de forma brusca. Saiu, abriu a porta, arrancou Antónia do carro e disse-lhe: 'Agora vou-te ensinar quem é o homem da casa'. Deu-lhe uma sova ali mesmo, em plena via pública, numa zona próxima de Lisboa. Os murros, bofetadas, e pontapés deixaram-lhe o corpo magro cheio de nódoas negras. Mas o pior foi o choque. Esteve três dias sem falar. Limitava-se a obedecer-lhe. 'Ele dizia-me Veste-te, e eu vestia-me. Come, e eu comia. Não conseguia sequer olhar para as outras pessoas. Fazia o que queria de mim."

Esta senhora este hospitalizada várias vezes e, numa das sessões de violência, entrou em coma. Noutra das vezes ele espetou-lhe uma faca num pulmão.

Já Mariana era violada todas as noites pelo marido. Ele sedava-a e fazia o que queria dela. Demorou algum tempo a perceber o que se passava...

Carolina chegou a pesar 35 quilos na fase final do casamento. A violência era constante e arrasadora.

"Noutra madrugada, pendurou-a da janela de um andar muito alto. Arrancou-a da cama, espancou-a e empurrou-a para o abismo. 'A seguir vai a puta da tua filha', gritou. Carolina agarrou-se como pôde às caixilharias. Fez tanta força que rasgou os músculos das pernas até ao osso. Mal ele a largou, pegou na miúda e fugiu. Tornou a regressar."

Os requintes de maldade descritos nesta reportagem são absurdos. Num dos casos, a família sabia que o marido lhe batia. A mãe da senhora violentada fingia que nada se passava e dizia: "as mulheres do Norte morrem de pé".

Leiam!

Comentários

  1. isto choca-me... :S
    por mais que tente perceber, não consigo! como é que elas continuam ao lado desses homens? como é que há mulheres que deixam que lhes façam isso, uma e outra vez?!

    ResponderEliminar
  2. Comprei a revista exatamente pelo titulo!! Porque infelizmente, sei bem o que isso é não desta forma tão agressiva... Enfim!! Havera post brevemente sobre isso...
    Bjinho*

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Aquela de se pendurar nas caixilharias parece-me exagero. Mas enfim! O certo é que a violência existe! Não sei é porque fazem um artigo assim!

    ResponderEliminar
  5. É horrivel...acho a violência doméstica terrivel...um flagelo...
    *Eu não vou ler a "sábado" porque sou extremamente sensível...para tal!fico só arrepiada e treme-me o corpo inteiro só de pensar

    ResponderEliminar
  6. A violencia contra mulher repugna-me.

    Mas nestes casos em concreto não consigo bem entender. Vejamos o seguinte, a maioria das mulher que sofre de violencia doméstica fica em casa porque não tem meios para se sustentar e não tem para onde ir.

    Agora na alta sociedade é suposto terem dinheiro, certo? Porque não abandonam logo a casa e o monstro do marido logo na primeira experiência de violencia? Tem dinheiro para faze-lo de certeza...

    Portanto, as vezes não entendo porque podendo, simplesmente não fogem daquilo...

    De qualquer das formas a violencia para com a mulheres repugna-me

    ResponderEliminar
  7. São todas elas chocantes... mas tenho que admitir que o caso da mulher que era violada todas as noites pelo marido foi a que me chocou mais... penso que se ela se casou com ele não havia necessidade para tal...

    ResponderEliminar
  8. Isso faz-me imensa imperssão.
    Choca-me imenso. é horrivel

    beijinho --'

    ResponderEliminar
  9. é uma revista que eu por acaso costumo comprar e o tema é chocante, mas cada vez mais actual. eu ca nunca sofri violencia nenhuma por parte do meu namorado mas digo-te, acho que se alguma vez acontecesse era a primeira e a ultima
    mas quem somos nós, de fora, para condenar alguem...

    ResponderEliminar
  10. É triste, mas a verdade é que muitas mulheres são submissas e mantêm uma relação doentia, numa submissão inexplicável, seja por vergonha, medo ou pressão familiar!

    ResponderEliminar
  11. Aqui está um tema bastante complicado! Até à data nc sofri de violência física, e espero nc passar por tal! Tenho casos próximos de pessoas q já passaram por tal, e deixaram andar! Em relação ao caso em que a própria familia sabia que a filha sofria de violência doméstica, é vergonhoso assistirem a tal e não fazerem nada! Até porque tanto quanto sei, neste momento violência doméstica passou a ser um crime público, na qual qualquer pessoa pode denunciar (isto pq mts das vezes as pessoas têm medo, e preferem permanecer no silêncio).
    O que não nos podemos esquecer é que hoje em dia, cada vez mais existem casos em que o marido é que sofre de violência doméstica! E isto sim também é preocupante, porque por vergonha estes não apresentam queixa!

    Se o nosso país se preocupa-se em apoiar estas pessoas que mts vezes só não se separam por questões financeiras (porque existem filhos, etc) em vez de andarem a dar subsídios a pessoas que têm bom corpo para trabalhar...

    ResponderEliminar
  12. até a Rihanna deixou que o chris brown lhe bate-se. Enfim mesmo ...

    ResponderEliminar
  13. Por acaso também vi essa capa mas ainda não li o artigo. Eu sinceramente não percebo como é que há mulheres que se sujeitam a isso... Não há nenhuma explicação plausivel para explicar estas relações abusivas. "Mas eu sei que ele me ama"... "As coisas vão mudar"... Acordem para a vida porque isso não é maneira de se viver.

    ResponderEliminar
  14. Estou chocada só com os pequenos excertos que aqui deixaste da reportagem. É, sem dúvida, uma das coisas que mais me custa a entender: a violência sistemática "consentida"... Sei que cada história é uma história e não somos ninguém para julgar... mas custa entender. É deveras chocante.

    ResponderEliminar
  15. Muitas mulheres tambem batem nos homens, isto choca-me!!! Se um casal nao està bem, vai cada um para seu canto, mas por vezes a violencia psicologica è bem pior!!!

    ResponderEliminar
  16. Infelizmente continua a ser uma realidade bastante presente...

    bjo****

    ResponderEliminar
  17. Que tristeza tão grande. Tudo isso acontece mais do que imaginamos, na porta do nosso vizinho, quem sabe? eu acho horrivel e brutal as pessoas que se sujeitam a isso, bem sei que estando dentro da situaçao nao sabemos como ficar ou o que fazer para fugir á situaçao...mas bolas, falar com alguem, fugir ate! Eu desde pequena que sempre disse que quem me tocar uma vez, será a primeira e a unica e assim pretendo manter esta promessa. Nunca na minha vida quererei suportar uma dor dessas, em silencio. É mau e triste demais.
    Ha que procurar ajuda e fazer de tudo para que situaçoes destas deixem de acontecer...
    Depois la vêm eles com os pedidos de desculpa e que nunca mais vai acontecer...mas, sinceramente, quem faz uma, faz vinte mil vezes.
    Tenho tanta, mas tanta pena das mulheres que sofrem esses abusos, e dos homens, pois é raro mas tambem acontece.
    So espero que essas pessoas tenham a força de um dia encontrarem a ajuda que precisam e a força de um dia abondonarem essas pessoas, para entao sim, viverem da forma que merecem.

    ResponderEliminar
  18. Sei que cada pessoa é uma pessoa, cada caso é um caso mas.. algumas destas descrições e casos fazem muita, muita confusão e explico porquê: sou neto de uma mulher de u1,60m que esmigalhou (literalmente) os tomates de um pedreiro que fazia dois dela que a quis violar na serra do Gerês. Ficou de cama 3 meses e impotente para toda a vida.

    É certo que os homens têm, de forma geral, ascendência física sobre uma mulher se quiserem, mas há situações que as mulheres passam porque quase inventam motivos para as passarem e justificarem.

    Desculpem se ofendo alguém mas é a minha opinião.

    ResponderEliminar
  19. Em qualquer estrato social, relatos deste género são chocantes..acho que ninguém deve imaginar o que estas mulheres sofrem..

    beijinho*

    ResponderEliminar
  20. bem... que confusão que isto me faz! Aguentar sem fazer nada, perder a personalidade e a própria vida...nem imagino o que seja!

    ResponderEliminar
  21. Horrível chocante, têm de ser elas a dar o primeiro passo.
    O grande problema nestes casos é elas não quererem colaborar por medo e talvez por um amor doentio ao agressor que faz delas autenticos sacos de pancada.
    Admiro as que tem coragem de sair recomeçar e levantar-se de novo.
    Temo pela vida daquelas que por medo se deixam espancar e humilhar....
    Ha que denunciar e ter coragem para pular fora.
    beijo bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  22. realmente.....ha coisas que..
    o ser humano é cpaz de tudo

    olha tens alta blg...vou adicionar t no meu....da uma visitinha...bj e continua

    ResponderEliminar
  23. Ainda não fui fazer a ronda semanal, praticamente todas as semanas compro ou a sábado ou a visão, sendo assim já está quase decidido :-) os temas de sociedade chamam sempre a minha atenção

    ResponderEliminar
  24. essa gente que tem mais dinheiro tem mais problemas :)

    ResponderEliminar
  25. É triste!
    Eu não sou a favor de nenhum tipo de violência... mas choca-me bastante quando um homem maltrata a uma mulher!

    Para quê?
    O que é que eles tentam provar com isso? É uma tristeza... e mais triste ainda é quem não se quer separar por bem das aparências!

    Sinceramente, benditas as mulheres que aos fim de anos de maus tratos se passam da cabeça e fazem justiça com as próprias mãos, porque como sabemos a justiça cá em PT nos casos de violência doméstica pouco ou nada fazem!

    ResponderEliminar
  26. Não queria ser mal educada, mas FODA-SE. :|

    Estou completamente arrepiada, completamente. Estes assuntos tiram-se do sério...

    ResponderEliminar
  27. Ainda não comprei nem a Sábado nem a Visão esta semana.
    Mas já percebi que vai ser a primeira coisa q vou ler amanhã.

    Como diz uma amiga minha: a primeira todas levam, a partir daí só se forem parvas.

    Tive conhecimento de um caso de uma mulher na casa dos 30 anos que já dura à mais de 20 8começou no namoro) e continua com ele. Amor? Dependência? Para mim é pura estupidez e falta de amor próprio.

    ResponderEliminar
  28. A violência é a hipocrisia do mundo. Estas situações são mais frequentes do que imaginamos: nas camadas desfavorecidas, as mulheres "dependem" financeira/ do companheiro-agressor; nas chamadas "classes altas"(?!), é porque "fica mal" separar, afinal, é "giro" ter 1 marido, 2 filhos, carros topo de gama, casa na cidade e de fins-de-semana...e aguentam as tareias, as amantes, os copos...porque é assim!

    ResponderEliminar
  29. concordo com o comentario de A Tela. Acho horrivel, como é possivel sujeitarem-se a tal. Se tem dinheiro pra se sustentar.. O facto de manter a família feliz com as aparências, não compensa. Não para mim.

    ResponderEliminar
  30. Já foi quase tudo dito pelos comentadores anteriores. Há no entanto, outro tipo de violência também muito grave mas não visível, a violência psicológica...

    ResponderEliminar
  31. Choca-nos a todas, choca e custa pensar que em pleno Sec XXI estas coisas acontecem...

    A todas as mulheres vitimas da violência aquele beijinho de coragem... muita coragem

    A ti
    Um beijinho
    Eduarda
    Be in ♥ love

    ResponderEliminar
  32. a violência também me incomóda em todas as suas formas, no entanto a psicológica é mais manipuladora e perigosa, porque a física responde-se com uma bofetada ou uma cadeira na cabeça...
    Coisa que nunca entendi porque não se defendem assim...


    bj
    teresa

    ResponderEliminar
  33. Eu acho que ninguém se vai chocar se eu disser o que realmente me apetece.
    Peço desculpa pela linguagem mas esses filhos da puta não abandonam este mundo sem terem aquilo que merecem, acredito que não!!!!
    É aqui que resolvemos tudo, não deixamos para resolver em lado nenhum...
    Estou a arder...

    Beijinho querida.
    Obrigado pela partilha.
    Lak

    ResponderEliminar
  34. Temos que mudar o lema das mulheres do Norte para "As mulheres do Norte não se deixam abater e continuam de pé. Sózinhas, mas de pé!".
    Contra qualquer tipo de violência é bom que se debatam estes temas.
    **

    ResponderEliminar
  35. "As mulheres do Norte morrem de pé"??? Que afirmação mais parva e sem coração... É medieval.

    Bjx

    ResponderEliminar
  36. São notícias dessas que me fazem ter vergonha de ser homem em Portugal

    no entanto, e posso estar a ser muito injusto, também acho que é o preço que muitas mulheres pagam, para serem mulheres de um homem com status e poder...

    ResponderEliminar
  37. É triste, muito triste quando isto acontece. Nem parece ser uma coisa do século XXI. Somos tão avançados numas coisas, mas a mentalidade, essa continua ainda um bocado atrás no tempo.

    ResponderEliminar
  38. é chocante e muito pouco evoluido...

    pessoalmente não tolero comportamentos de violencia, alias sou a primeira a apelar a tranquilidade e ao dialogo, seja em que situação for, no grupo de amigos ou no meio familiar.
    vivo num meio pequeno em que tudo ou quase tudo se sabe, o que leva mts vezes a ser a violencia psicologica a ser exercida com mais frequencia, mas esta não menos dolorosa...

    nos meus tempos de escola fiz varios trabalhos sobre violencia domestica, de onde retirei varias elações e bastantes testemunhos aterradores.

    aconselho-te a ouvir pele__ polo norte

    mas na verdade este tema da violencia domestica em muitos casos poderia ser evitado. por exemplo, muitas namoradas acham piada a atitudes mais violentas dos namorados, para com os amigos ou mesmo com 3os, muitas vezes incentivam-nos á violencia, mas esquecen-se que mais tarde serão elas os alvos mais faceis... enfim penso que o verdadeiro mal é tolerar o primeiro gesto...

    beijokinhas

    ResponderEliminar
  39. Pelo que deu para ler, parece uma reportagem bem chocante.
    Mas queria só destacar uma pequena afirmação:

    "as mulheres do Norte morrem de pé"

    Sim, pequena afirmação. Pois ela é de uma completa estupidez, limitação mental, ignorância e pobreza de espírito quando aplicada a este contexto.
    A quem disse isso, pergunto agora: vale mais morrer de pé ou estar deitada e não morrer?

    ResponderEliminar
  40. Sabes qual é o problema?

    É que muita gente vive da frase "quanto mais me bates mais eu gosto de ti".
    levam forte e feio, e mesmo assim nao os/as largam...

    dizem que é por receio, porque X encontra-a/o sempre,porque é maluco bla bla bla mas isso nem sempre é assim, só volta quem quer...

    A mim isso revolta-me, e se fosse comigo, nao deixava sequer chegar a esse ponto, bastava-me começar só "A CHEIRAR MAL" para eu pôr um ponto final...

    mas para algumas essa ideia seria impossivel, porque apesar de tudo é a/ companheira/o que as/os que sustenta a familia, a casa etc etc...

    enfim

    ResponderEliminar
  41. Eu vi a capa e despertou-me logo a atenção. As histórias são realmente muito chocantes, mas mais chocante ainda é permitir que estas coisas aconteçam no século XXI e por homens que, supostamente, são "bem educados e bem formados"!
    Revolta-me o estômago...

    Bjs*

    ResponderEliminar
  42. Eu li. É chocante. Mas não me parece mais chocante do que os maus-tratos a uma mulher com menos formação ou estatuto social, é chocante sempre.

    ResponderEliminar
  43. Trabalho num serviço de saude na parte social: chorei ao ler isto! Chorei muito porque ninguem tem real noçao do que isto é!
    Ain´da há dois dias me deparei com (mais) um caso destes (sao diarios) em que ate o policia se colocou do lado do agressor ao dizer "Ela provavelmente mereceu!" UM AGENTE DA AUTORIDADE A DIZER ISTO! Nao lhe bati eu pk tive de me controlar mas a revolta que sinto desde então é tao tao grande que deveras me apetece fritar sentença de morte para todos os agressores, mas nao uma mera injecçao mas sim uma morte de sofrimento!!! Sei que tb eles sao seres humanos e tento lidar com esta revolta mas é muito dificil ver estes animais a sairem impunes e a sociedade sem fazer nada!
    Acreditem que para estas mulheres todos os apoios sao poucos!
    Ainda nao ha redes de apoio suficientes! É preciso mais minha gente! Mais!

    ResponderEliminar
  44. Trabalho num serviço de saude na parte social: chorei ao ler isto! Chorei muito porque ninguem tem real noçao do que isto é!
    Ain´da há dois dias me deparei com (mais) um caso destes (sao diarios) em que ate o policia se colocou do lado do agressor ao dizer "Ela provavelmente mereceu!" UM AGENTE DA AUTORIDADE A DIZER ISTO! Nao lhe bati eu pk tive de me controlar mas a revolta que sinto desde então é tao tao grande que deveras me apetece fritar sentença de morte para todos os agressores, mas nao uma mera injecçao mas sim uma morte de sofrimento!!! Sei que tb eles sao seres humanos e tento lidar com esta revolta mas é muito dificil ver estes animais a sairem impunes e a sociedade sem fazer nada!
    Acreditem que para estas mulheres todos os apoios sao poucos!
    Ainda nao ha redes de apoio suficientes! É preciso mais minha gente! Mais!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.