Avançar para o conteúdo principal
Há quem diga que os portugueses são um povo pouco dado a conversas e muito fechado no seu mundo. Há quem diga que os portugueses são recatados e protectores do seu espaço. Mas eu sou da opinião que os portugueses gostam é de conversa, de companhia.

A bem dizer, acho que somos bastante expressivos, fazemos amizades facilmente e gostamos bastante de meter conversa com os demais. A necessidade que sentimos de falar é uma variável que aumenta na mesma proporção em que aumenta a nossa idade.

Não é raro estarmos numa loja e alguém fazer um comentário para o ar, à espera que alguém responda e daí se desenrole uma conversa. Não é raro estarmos na paragem do autocarro (ou camioneta, como preferirem) e as pessoas começarem a falar umas com as outras, como se se conhecessem há muito tempo. E também não é raro (como tive oportunidade de comprovar hoje) estarmos no centro de saúde, a tentar despachar aquilo, e ter uma velhota a meter conversa connosco.

E o que é que uma pessoa faz nestas alturas? Pode dar trela e desenrolar uma conversa, ou fazer como eu, acenar timidamente e responder com um "pois..." a tudo aquilo que a senhora diz.

"Ai que o meu marido teve uma trombose ontem e eu não sei se devo continuar a dar-lhe os medicamentos que ele já tomava ou se só lhe dou os que a médica receitou". Pois, se a senhora não sabe, eu também não sei. Não sou médica.

"É que eu quero despachar-me porque tenho de almoçar em casa. E tenho de preparar o almoço para os meus filhos e para as minhas noras". Incomoda-me notar que as pessoas se sentem solitárias, mas eu não sou a melhor opção para dar duas de treta. Fico acanhada e não sei bem o que dizer.

"As minhas noras não fazem nada. tem de vir a velha, depois de uma manhã no trabalho, fazer o comer para elas. No meu tempo não era assim, as mulheres cumpriam as suas obrigações". Nesta parte deixei de ouvir o que a senhora dizia, e abanava a cabeça, concordando com tudo o que ela dizia.

Conversadores, ou somente solitários?

Comentários

  1. Penso que o Povo moderno é que é o timido ;)
    Por exemplo a tua reacção... Foi mesmo daquela k nao t apetecia conversar...
    Eu normalmente sou muito reservado.. Mas algumas vezes dá-me na tola e começo a tagarelar seja com quem for... basta sentir-me à vontade... Por exemplo estar num Shopp e virar-me para uma miuda qualquer e dizer "Tu és bonita..." Depois d ver a expressão dela digo "Mas desiludiste-me..." xDD e continuo o meu caminho ;P.. Sei k sou parvo... Mas sou feliz :D
    Ou então... Entrar num elevador cheio de gente e de repente começar a falar sozinho e a ver a cara deles d parvos XDDDDD

    Bjinhos e sê uma mente aberta ;)

    ResponderEliminar
  2. Hmmm... da próxima vez que acontecer (e sabes que voltará a acontecer), faz um pequeno exercício: pensa na felicidade que a pessoa sentirá simplesmente por lhe retribuires algumas palavrinhas. Mesmo que não te apeteça, sair-te-á qualquer coisa da boca... nem que seja um sorriso!;)

    ResponderEliminar
  3. ahah ;P Eu acho que depende muito das pessoas, mas temos tendencia a sermos faladores... :P ;)


    Beijocas :D

    ResponderEliminar
  4. eu acho que somos um povo feito de gente com muita solidão entranhada.

    ResponderEliminar
  5. Eu acho engraçado esse tipo de conversas que surgem do nada, às vezes ouço histórias interessantes, ou as pessoas acabam por me fazer rir.É raro haver uma pessoa que me incomode com esse tipo de conversa, a não ser que eu já esteja stressada por algum motivo, com pressa de ir a algum lado, ou simplesmente irritada por estar à espera.

    ResponderEliminar
  6. Hmm..não quero que isto pareça uma crítica, mas já vivi em 3 países e passei pelo menos por mais 3, assim só mesmo de passagem,e posso dizer que os portugueses definitivamente não são dos povos mais abertos e faladores, nem em termos de conversas, nem em termos de mentalidade. Contudo há sempre algumas excepções, obviamente;)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Cada caso é um caso... Mas, no geral acho que os Portugueses gostam mesmo de meter conversa! :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que o povo é queixinhas! As conversas são sempre um sprint final até ver quem é que está em pior posição na vida! Quem se pode orgulhar disso? Mas eu digo sempre que sim, ou pois, timidamente, como tu!

    ResponderEliminar
  9. É verdade, a maior parte das vezes estas conversas casuais são queixumes. :P Ou solidão. E custa-me pensar que é solidão.

    ResponderEliminar
  10. A mim não me custa nada falar com essas pessoas, tão queridas e com tanta falta de atenção... Se também estou à espera sem fazer nada, porque não?
    Gostava que fizessem o mesmo com os meus avós, ou até mesmo comigo, um diz mais tarde, quem sabe...

    ResponderEliminar
  11. Eu penso que deve existir de tudo um pouco..eu própria tenho dias em que sou capaz de responder e falar e outros em que não estou simplesmente para aí virada, mesmo sendo muito faladora.. A verdade é que existe muita gente solitária, sim.

    Deixei um miminho para ti no meu blog.

    Bj*

    ResponderEliminar
  12. Depende.
    Muita vez é mesmo solidão.
    E a maior parte a queixaremse da vida.

    Transportes públicos mostly...

    ResponderEliminar
  13. Não acredito que o português seja muito diferente dos outros povos. Penso que é mais uma questão cultural e a prova é que as novas gerações (novas culturas) têm comportamentos diferentes.
    Agora concordo que a solidão tem muito a ver com essa atitude, embora o lado cultural continue a ter maior peso. Não estou a imaginar uma velhota sueca a lamentar a sua sorte na sala de espera do hospital ou do dentista lol.

    Beijo

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.