Avançar para o conteúdo principal

Auto-censura

Tenho saudades da tranquilidade de poder escrever de forma anónima e absurdamente livre. De não ter de pensar que algum amigo, algum familiar ou algum colega de trabalho poderia ler e não interpretar devidamente aquilo que escrevi. 

Tenho mesmo saudades de quando os blogues eram uma coisa divertida, despretensiosa, sem esta nuvem de críticas que surge por tudo e por nada. Se gostas de branco, então porque não gostas de preto? Ai agora gostas de preto? Então é porque és uma vendida que antes gostava de branco. Se não gostas nem de branco nem de preto, é porque nem sabes do que gostas, és uma incoerente, uma burra.

Gosto de escrever. Escrever sem pensar. Muitas vezes escrevo com o coração, o que acreditava ser uma mais-valia... Só que, nos dias de hoje, tudo é motivo para criticar.

Isto de ter um blogue tornou-se muito cansativo. Desgastante. Desmotivante. Nota-se perfeitamente que já não escrevo como escrevia... Porque já não me permito escrever livremente. É pena. Já levo mais de 12 anos disto.

Comentários

  1. Sinto isso também no YouTube. Ainda me lembro de ver vídeos com desafios entre as YouTubers que via, conversas, “maquilha e fala”. Agora tem de ser tudo mais sério, as luzes têm de ser as boas, o som tem de estar perfeito, as músicas bem escolhidas e sinceramente acho que algumas já não se divertem a fazer os vídeos como antes e isso passa para este lado. Sente-se bem quando fazem vídeos “porque sim, porque tem de ser” da mesma forma que se vê quando nos blogues se escreve coisas só por escrever. E é verdade que o público está mais exigente, mais atento aos pormenores, mais crítico. E se há um lado de bom nisto, também há o lado mau. Contudo, e esta é obviamente a minha opinião, também há uma cota parte de culpa dos autores em tudo isto ao permitir que estes comentários os dominem, ao aceitarem serem insultados e permitirem que esses insultos ou críticas vejam a luz do dia. S*, com certeza não permitirias não tua vida pessoal ou profissional que alguém te falasse ou apontasse o dedo como aqui fazem. Então porquê permitir aqui? Para haver maior número de comentários? Para que se gere discussões? Para mostrares como te tratam? Este blogue também é a tua vida, para quê aceitar tudo isto? <=)

    Tete

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tété, eu mostro 1/3 daquilo que me mandam. Uma coisa são insultos gratuitos, outra coisa são críticas - que posso nem concordar, mas aceito. Maior número de comentários? Qual o propósito? Não me interessa para nada...

      Depois alguns posts, como o da Meghan e do Harry, surpreendem-me imenso pela adesão que têm... Claro que gosto de ter comentários, mas não escrevo isto ou aquilo a pensar nisso e muito menos aceito comentários desse género para gerar mais comentários. Agora algumas vezes, admito, aceito alguns comentários para ver se ganham vergonha na cara. Se sentem vergonha dos seus próprios comentários. Acho que não tem resultado, mas tenho fé. ahahah

      Eliminar
    2. Eu não estava a dizer que o fazias por isso, era apenas uma das hipóteses. Também me parece descabido mas os outros não têm de pensar da mesma forma que eu que tenho um blog pequeno, sem parcerias. :) Não acho mesmo que publicar faça alguém ganhar vergonha porque o objectivo deles é mesmo ver publicado. 🤷🏻‍♀️
      Quanto ao outro ponto, acho que não há forma de dar a volta ao sentirmo-nos condicionados a partir do momento que quem lê nos conhece. Eu não dou a cara e mesmo assim sei que o meu blogue é lido por muitas pessoas que me conhecem e que sabem que sou eu a autora. É o suficiente para não escrever metade do que me apetece. :)

      Tété

      Eliminar
  2. como a entendo,

    tantas vezes pesei essa tentação de dar cara e corpo à escrita, mas depressa percebi que condicionava cada palavra

    ResponderEliminar
  3. Mesmo escrevendo menos, ainda és das poucas que escrevem no blog. E que feliz fico, sempre que vejo mais um post teu para ler :)

    ResponderEliminar
  4. Compreendo o que dizes, entendo e concordo em parte.
    É muito aborrecido levar com gente desagradável só porque sim... 😏

    Por outro lado, acho que deves continuar fiel a ti própria e não te deves limitar só porque os outros dizem ou acham...
    Se te apetece escrever, escreve.
    Não percas a tua essência. 🙂

    ResponderEliminar
  5. Já te sigo há algum tempo e noto algumas diferenças na tua escrita ao longo dos anos. Provavelmente, fruto desse condicionamento que vais sentido após teres dado "cara" ao blog. Quando se é apenas um nome, um pseudónimo, uma meia-foto é também mais libertador porque hoje em dia somos constantemente julgadas e apontadas, pelo que dizemos/escrevemos e também pelo que não dizemos/escrevemos.
    Mas gosto de te ler. Condicionada ou não.

    ResponderEliminar
  6. A S* é das raras pessoas que ainda vai escrevendo no blog. E eu gosto dos seus desabafos e partilhas. No entanto considero que o seu blog tem comentadore(a)s cada vez mais desagradáveis e até com uma postura agressiva. E é pena que essa facto e a eventual má interpretação do que escreve por parte de conhecidos limite a sua convivência com a escrita e com os seus leitore(a)s. Tem acontecido o mesmo em outros blogs.

    ResponderEliminar
  7. Sinceramente, não percebo como aceitas certas críticas mal intencionadas e sobranceiras e certos comentários claramente ofensivos e com o propósito de enxovalhar. No teu lugar, eu eliminava tudo. Agora, a mim como leitora, até me dá um certo gozo responder à letra às pretensiosas que marcam presença cá no teu blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, então também não ajuda muita, deixe que lhe diga...
      Pede à S* para não responder mas depois vem cá você responder?!
      Ou seja, está a fazer exactamente o que acha que não se deve fazer!
      Quem responde à letra também atira lenha para a fogueira visto que está também a ‘incendiar’ com comentários sem nexo.
      Quem vem cá comentar de forma pouco construtiva quer precisamente isso - resposta e atenção.

      O ideal é não dar tempo de antena a essas tais pretensiosas, talvez assim desistam da ideia da ofensa gratuita.

      Eliminar
    2. 24 de março de 2021 às 23:17, minha cara, o que eu faço ou deixo de fazer só a mim diz respeito e à dona do blog, portanto guarde os sermões para quem lhos pedir. Já sou grandinha o suficiente para saber o que ando a fazer... se os conselhos fossem bons, vendiam-se, não se davam...

      Eliminar
    3. Já é grandinha, mas não se nota.
      Pede A e a seguir faz B.
      Enervada da praxe, os seus comentários já começam a saltar à vista!
      Já percebi que responde à letra, mas aqui nem se aplica. Controle esse impulso emocional e seja GRANDINHA e coerente.

      Eliminar
    4. Ó pá, queres ver que me saiu uma "pixicóloga" de trazer por casa na caixa de comentários, agora? ó santinha, vá ver se estou na esquina ou então arranje um tanque de roupa para lavar, que eu não aturo chanfradas...

      Eliminar
    5. Minhas senhoras, mais calma, por favor.

      Eliminar
    6. Está mulher das 22:15 não regula bem, não vale a pena.
      Aqui não está nenhuma psicóloga e muito menos pixicologa, contudo, tenho amigos bons profissionais da área, caso precise (parece ser o caso) disponha!

      Aqui está alguém que não lhe faltou ao respeito, mas já consegui avaliar há muito a sua falta de nível.
      Triste palavreado de gente revoltada que não sabe escrever duas palavras sem sair asneirada do mais vulgar e rude possível.
      Só me dá para rir com gente que vem stressar para um blog.
      Ó alminha, eu para stressar não será aqui de certeza.


      Eliminar
    7. Temos todos que arranjar um tanque de roupa para lavar, incluindo você que pelos vistos também aqui vem.
      Lá está a incoerência!
      Valha-me Deus que atitude tão baixinha. Que cromo, para não dizer outra coisa!
      Esfregue bem essa roupinha no tanque que você anda a precisar de libertar esse mau humor. 👊🏻

      Eliminar
    8. Blá, blá, blá.... mas você ainda não percebeu que o que você pensa ou deixa de pensar a mim me interessa um peido? Quanto à falta de nível, olhe por si abaixo antes de apontar o dedo e de caminho marque lá umas consultas nos seus amigos psicólogos que está bem precisada... Se não tiver roupa para lavar, pode lavar a minha...

      S*, desculpa!

      Eliminar
    9. Anónimo26 de março de 2021 às 23:32, que taralhouca, para não dizer outra coisa... é amiga da outra ou dói-lhe a barriga? Se for o caso, esfregue com manteiga...

      Eliminar
    10. Se reparar o anónimo inicial 23:17h só lhe fez um reparo.
      Não insultou, não desrespeitou, não lhe disse nada para que tenha ficado nesse estado de exaltação.
      Onde se baseia para chamar chanfrado a alguém?
      Veja o que escreve e a forma desajustada como reage.
      Tenha vergonha. Cresça.

      Mereceu as respostas que levou, sem dúvida.

      Eliminar
    11. E eu dispenso reparos de taralhoucas, ainda não percebeu? Siga o seu próprio conselho e arranje algo de mais produtivo para fazer. Olhe, vá ver se chove...

      Eliminar
    12. Na sua vida deve chover todos os dias, tamanha a escuridão!
      Eu prefiro ser sol.
      De nada

      Eliminar
    13. Ó pá, até fiquei sem fala com tamanha poesia... Apanhe sol ou chuva, o que quer que lhe refresque a cachimónia e lhe alivie a acidez...

      Eliminar
    14. Acidez é o seu nome do meio. Vá tomar os comprimidos.
      A sua poesia barata não vende!
      OFF

      Eliminar
    15. E o seu é psicose. Vê-se bem que não tem tomado a medicação... coma mais amêndoas!
      Sempre ON!

      Eliminar
  8. Não é só nos blogs, é em tudo o que se pode comentar. Cansa!
    Há uns dias li no instagram uma grávida a comentar que também fazia jejum de 3 horas. Houve uma alma iluminada que lhe caiu em cima (como se 3 horas fosse jejum). Até tive vergonha da burrice alheia, mas não comentei. Deve ter lido: "Jejum, grávida" => "Ai que a mulher passa fome!" Até o meu filho que mal sabe ler percebia que era uma brincadeira.
    Uns são apenas maldosos (só porque sim), outros burros (não sabem/querem ler e muito menos interpretar) e/ou usam os comentários para descarregar as frustações. Não percebem que na linguagem escrita nem sempre conseguimos transmitir o que queremos, gerando mal entendidos. E que as pessoas têm perspetivas diferentes.
    Enfim...
    Deixem as pessoas escrever o que querem! Não gostam... não leiam! Se for crime denunciem às autoridades.
    Gabo-te a paciência, se fosse eu bloqueava os anónimos. (Ups... sou anónima. :D)
    Sou anónima para não me acusarem do que eu escrevi no dia x do mês y há hora H. Não sou perfeita e também tenho dias. Mas não sou dos teus anónimos "queridos". Quando não concordo não comento. ;)
    Força S*, continua a ser quem és.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Credo. Infelizmente é real. Tudo serve para pegar...

      Eliminar
  9. E é só nos blogs? A pessoa faz um comentário numa noticia do Facebook ( p.e.) e já te insultam de tudo e mais alguma coisa! Hoje em dia, simplesmente, a pessoa não pode dar/ter opinião sem "ofender" alguém...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto a consciência estiver tranquila quem estiver mal que se mude.

      Eliminar
    2. Também evito fazer alguns comentários para não ter de lidar certas me reaccionários, admito...

      Eliminar
  10. Minhas senhoras, tive de eliminar agora 2 comentários. Desculpem, mas insultos umas às outras, aqui, não.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.