Avançar para o conteúdo principal

Crescimento

Uma das grandes lições destes meus 31 anos de vida foi aprender a Valorizar-me.

Tornar-me exigente. Não aceitar menos do que aquilo que mereço. Se o faço sempre? Não. Se o consigo sempre? Nem por isso. Mas não me conformo. Não sou capaz de ficar satisfeita com menos do que aquilo que faço por merecer. Acho que, se o fizermos, acabamos por entrar numa espiral... E, quando vamos a ver, perdemos a auto-estima, o amor próprio, a consideração por nós mesmos. 

Antes era muito assim... Pagavam pouco e eu não conseguia exigir mais (ainda não consigo, mas ao menos já consigo sentir que é injusto). Davam-me menos do que merecia (em variados contextos) e eu não reclamava. Faziam algo que eu não gostava, mas não me queixava. Não me tratavam como sentia que merecia, mas deixava-me estar.

Não sou uma pessoa de conflitos. Nunca fui. Gosto de me dar com toda a gente, de espalhar simpatia... E é preciso mesmo muito abuso para me irritarem. 

Mas cheguei àquela idade em que não estou para tolerar mais certas coisas. Como diriam os brasileiros, "agora eu sou mais eu". Valorizo-me. A chatice para os outros é que este é um ponto sem retorno. A partir do momento em que aprendemos a exigir o que sabemos merecer, não há volta a dar.

Comentários

  1. Tal e qual. Tenho 34 e digo o mesmo. Já houve alturas em que duvidei de mim, não me valorizei mas... no more.
    Chega. É mesmo um ponto sem retorno.
    Sou a minha melhor amiga.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou exatamente o contrario, nunca deixei que abusassem de mim mas vejo muito isso na minha mae e custa-me imenso. Ela nao consegue dizer nao a ninguem e toda a gente se aproveita.. Ja tentei tantas vezes falar com ela e pedir que mudasse mas acho que por mais que a vida a ensine, ela nunca ira mudar.

    ResponderEliminar
  3. O nosso valor, só nós os sabemos. Há muito que deixei de estar dependente da valorização dos outros. Faço a minha análise, sincera, e tento sempre ser melhor. Haverá, sempre, quem o consiga reconhecer.

    ResponderEliminar
  4. As vezes fico baralhada comigo. Não era assim e parece que me tornei assim... Deixo tudo andar, as vezes sinto que fazem o que querem de mim...

    ResponderEliminar
  5. Este texto podia ter sido escrito por mim, sou tal e qual !

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.