Crescimento

Uma das grandes lições destes meus 31 anos de vida foi aprender a Valorizar-me.

Tornar-me exigente. Não aceitar menos do que aquilo que mereço. Se o faço sempre? Não. Se o consigo sempre? Nem por isso. Mas não me conformo. Não sou capaz de ficar satisfeita com menos do que aquilo que faço por merecer. Acho que, se o fizermos, acabamos por entrar numa espiral... E, quando vamos a ver, perdemos a auto-estima, o amor próprio, a consideração por nós mesmos. 

Antes era muito assim... Pagavam pouco e eu não conseguia exigir mais (ainda não consigo, mas ao menos já consigo sentir que é injusto). Davam-me menos do que merecia (em variados contextos) e eu não reclamava. Faziam algo que eu não gostava, mas não me queixava. Não me tratavam como sentia que merecia, mas deixava-me estar.

Não sou uma pessoa de conflitos. Nunca fui. Gosto de me dar com toda a gente, de espalhar simpatia... E é preciso mesmo muito abuso para me irritarem. 

Mas cheguei àquela idade em que não estou para tolerar mais certas coisas. Como diriam os brasileiros, "agora eu sou mais eu". Valorizo-me. A chatice para os outros é que este é um ponto sem retorno. A partir do momento em que aprendemos a exigir o que sabemos merecer, não há volta a dar.

Comentários

  1. Tal e qual. Tenho 34 e digo o mesmo. Já houve alturas em que duvidei de mim, não me valorizei mas... no more.
    Chega. É mesmo um ponto sem retorno.
    Sou a minha melhor amiga.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou exatamente o contrario, nunca deixei que abusassem de mim mas vejo muito isso na minha mae e custa-me imenso. Ela nao consegue dizer nao a ninguem e toda a gente se aproveita.. Ja tentei tantas vezes falar com ela e pedir que mudasse mas acho que por mais que a vida a ensine, ela nunca ira mudar.

    ResponderEliminar
  3. O nosso valor, só nós os sabemos. Há muito que deixei de estar dependente da valorização dos outros. Faço a minha análise, sincera, e tento sempre ser melhor. Haverá, sempre, quem o consiga reconhecer.

    ResponderEliminar
  4. As vezes fico baralhada comigo. Não era assim e parece que me tornei assim... Deixo tudo andar, as vezes sinto que fazem o que querem de mim...

    ResponderEliminar
  5. Este texto podia ter sido escrito por mim, sou tal e qual !

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares