Avançar para o conteúdo principal

Mad World

Já não basta ter de estar em quarentena e sem sair com a criança há um mês e meio (quase...)... Quando saio, é para ir ao centro de saúde e para marcar um exame no hospital. E amanhã volto ao hospital, para o referido exame.

Mas, digo-vos uma coisa... Parecia um cenário de guerra... Entrava uma pessoa de cada vez, uma auxiliar calçava ao utente umas 'meias protectoras', mais a máscara, desinfectando a pessoa dos pés à cabeça... É meio assustador ter de ir ao hospital nesta altura do campeonato, mas pelo menos no hospital onde serei examinada já vi que levam a segurança mesmo muito a sério. 

Claro que uma colega troçou logo de mim e disse que me iam fazer como na CUF, que cobra aos clientes o equipamento de protecção individual. 

Comentários

  1. Infelizmente tb tive de ir ao hospital e foi exactamente o que me fizeram, o pior foi ter de subir as escadas pois os elevadores estavam limitados :/

    ResponderEliminar
  2. Eu nesta altura evito mesmo ir ao hospital.
    E é cenário de guerra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas é por isto que a taxa de mortalidade por situações nao relacionadas com Covid está a aumentar. As pessoas com medo nao vao ao hospital e morrem :-(
      se antes os hospitais estavam à pinha, com horas de espera e agora nao vai ninguem....as doenças continuam a surgir...claro que há menos pessoas na estrada logo menos acidentes de viação, etc, mas mesmo assim.
      Tenho uma vizinha que caiu, magou-se fortemente nas costelas, e ficou fechada em casa cheia de dores so com anti-inflamatorios. Acha que se cura estando quita na cama. A filha queria leva-la ao hospital a fazer um raio x e ela recusou com medo de apanhar covid lá.

      Eliminar
    2. Lá estão os testamentos feitos de juízos de valor precipitados.
      O que quis dizer foi que já adiei algumas consultas que tinha nesta altura porque podiam esperar.
      Ou seja, se dá para esperar evito ir ao hospital nesta altura.
      Em caso de suspeita de vírus ou casos em que não dá para adiar a ida ao hospital como é óbvio aí é outra questão.

      Eliminar
    3. E eu conheço uma Senhora que apanhou o covid numa ida ao hospital...

      Eliminar
    4. Eu também evito. Mas não posso evitar certas coisas.

      Eliminar
  3. Sabes lá tu o que é viver num cenário de guerra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não gosto muito desta analogia a um cenário de guerra. Talvez num futuro infelizmente próximo, quando soubermos o que é de facto uma guerra baseada apenas em bio terrorismo, agora guerra a sério? Com mísseis, bombas, tiros, destruição total, falta de água, com hospitais destruídos...acho que é muito diferente.

      Eliminar
  4. Ja agora, nao percebi bem qual o espanto com a CUF. Se forem a um hospital privado pagam tudinho aquilo que gastam. tenho um amigo que na recta final da gravidez entrou em panico por causa do atendimento numa determinada situação num hospital publico e decidiu à ultima da hora pegar na mulher e ir com ela a um hospital privado fazer uma cesariana de emergencia. Ele contou-me que pagou bastante, e que a factura tinha varias paginas discriminadas com todos os medicamentos que lhe deram, consumiveis que usaram, refeições que ela tomou la, etc, tudo tudo , item a item. Não vejo qual a diferença de agora cobrarem tb se for o kit que o medico usou na sua consulta especifica. Agora que é caro, pois, infelizmente o preço destas coisas tem disparado, e com a margem de lucro em cima,...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À partida, quem vai a um privado já vai pagar. E não é pouco. A pessoa não pede para que o médico use equipamento de protecção... É fruto de uma situação externa, por isso o cliente nunca deveria ter de pagar por algo que não pediu. Especialmente porque não tem qualquer culpa. Já não basta estar doente ou ter uma urgência nesta altura do campeonato...

      Eliminar
    2. S* desculpa mas a tua afirmação de "uma pessoa não pede para que o médico use equipamento de proteção" é completamente descabida! Sabes que há pessoas que podem estar assintomáticas e estar infetadas não sabes? A exposição de quem vai às compras ou à farmácia é bem diferente de quem vê dezenas de doentes por dia!...

      Eliminar
    3. Anónimo, isso é porque interpretou mal a minha afirmação. ÓBVIO que o médico e toda a equipa de saúde tem de andar equipado como deve ser. O que quis dizer com "uma pessoa não pede para que o médico use equipamento de proteção" é... O UTENTE NÃO TEM CULPA. Não pediu a pandemia e tudo o que esta no trouxe. Vai daí, o utente não deveria ser responsabilizado.

      É a mesma coisa que eu ter de pagar a piscina do meu filho quando esta está fechada. A Câmara Municipal fechou a piscina, obviamente e muito bem... Mas eu não vou pagar. Não me pode ser imputado o custo de algo que eu não tenho culpa... Digo eu. A creche é outra situação, pois são privados ou IPSS e os custos não diminuem com o pessoal. No caso da piscina municipal, a autarquia já teria na mesma de pagar aos funcionários municipais, por isso não teria motivo para cobrar ao utente.

      Eliminar
    4. S*, estás a confundir alhos com bugalhos.
      Não pagas a piscina ou a creche porque não estás a usufruir desses serviços...
      Se vais ao médico, estás a usar esse serviço, por isso tens de o pagar. E se a entidade decidir aumentar os valores que cobra (e que é legalmente permitido) só tens duas opções: ir e pagar ou não ir.

      Eliminar
    5. Anónimo das 10h48, a sua lógica não corresponde porque muitas creches estão a cobrar o total ou parte da mensalidade.

      Eu não estou a discutir os custos das coisas. Estou a discutir o facto de o valor dever ser imputado ao utente por uma situação à qual este é alheio. O utente não tem culpa do facto de a pandemia exigir gastos extra com protecção, daí não me parecer justo ter de pagar o material.

      A saúde não é uma opção. Pelo menos aqui, pelo que me foi indicado, só um hospital particular continua com todos os serviços e com celeridade. Marquei ontem, vou hoje. A saúde não pode esperar por dias melhores nos SNS, pelo que esse seu comentário é algo egoísta, lamento...

      Eliminar
    6. S*, por essa logica a comida também não é uma opção e entao deviamos poder ir ao supermercado poder buscar arroz e carne suficente para comermos e o dono do supermercado que suporte o custo. E a habitação? tambem o senhorio tem de te ter na casa de graça se nao puderes pagar a renda? tantos exemplos que se podiam dar. não é egoismo, é a realidade da vida. O que está em causa na CUF é que pelo que li nas noticias cobraram valores no final sem o cliente saber previamente (e portanto nao pode decidir se queria aceitar ou ir a outro lado), e cobraram valores muito superiores em alguns casos (em que ja vieram dizer q foi erro e que vao devolver). Mas a verdade é que um hospital privado é como qualquer negocio, cobra o que quer e quem nao quer nao vai la. No caso em que falas de exames em que o SNS te envia para la, tu obviamente nao pagas mais mas o SNS, que somos todos nós com os nossos impostos , tem de pagar.

      Eliminar
    7. O problema com a CUF foi cobrar pelo equipamento do médico a cada consulta, mas efectivamente o médico NÃO MUDAR de equipamento. Ou seja, usar o mesmo horas seguidas, e cobrar a cada doente que viu nessas horas. Mais ainda, tenho vários amigos a produzir máscaras e viseiras, que estão a doar aos hospitais, e a CUF foi uma delas. Ou seja, cobram por equipamento que lhes foi doado.

      Eliminar
  5. Os privados são hospitais para quem tem seguros ou acordos, pois tudo é pago. Não sei qual o espanto de ter de pagar o que usou. Foi numa situação de pandemia, queria ser atendida sem proteção? Quer dizer não deveria pagar porque não pediu? Que lógica...O hospital também não tem culpa de ter regras de atendimento nesta altura. Já numa situação normal também paga tudo que lá usa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é verdade o que diz. Eu, por exemplo, vou fazer exame ao privado enviada pelo Serviço Nacional de Saúde. Pelo menos aqui, quando são ecografias, análises e afins, mandam directamente para o privado. Vão cobrar a quem, no caso? Ao SNS? Só se for. Eu não tenho culpa de o público não ter possibilidade de me atender e me enviar de urgência para um privado. Era o use faltava ter de pagar... Quando já vão ser pagos pelo SNS por me atenderem e fazerem o exame que necessito.

      Por norma, também toda a equipa está protegida. Supostamente também já usam toucas, luvas, máscaras, gel desinfectante e tudo mais. Certamente que agora reforçam, mas daí a cobrar entre 8 a 25 euros, com foi noticiado... Nem comento.

      Eliminar
    2. Era o que faltava... Gralha do telemóvel.

      Eliminar
    3. É ingenuinidade pensar que só quem tem seguros ou acordos vai ao privado. Eu não os tenho e vou à ginecologista no privado e vou por vezes a consultas de especialidades que não existem no SNS, como dermatologia, e tenho ainda uma médica de medicina geral e familiar numa clínica porque não tenho médico de família no SNS e não quero andar sempre a saltitar entre médicos que não conhecem o meu historial clínico. Acredito que a maioria das pessoas, mesmo sem seguro, recorra ao privado em certas situações.

      Eliminar
    4. Vão cobrar isso ao SNS, não a si, já que foi enviada pelo SNS. Só cobram diretamente ao utente quando este vai lá diretamente.

      Eliminar
  6. O exame é urgente? Ou aproveitaste para tratar disso agora que estas em casa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que é urgente. Suponho que o SNS não esteja a passar exames não urgentes nesta altura... digo eu...

      Eliminar
    2. Já vinham de dedo em riste. Já agora, pode um leigo determinar se um exame é urgente ou não?

      Eliminar
    3. Ouvi nas notícias que iam regressar as consultas / exames, daí a pergunta.

      Eliminar
  7. E quem paga isso tudo no Público? Somos todos nós, mesmo os que não usufruem do serviço. A única diferença é que no privado é o utilizador que paga os seus custos quando la efectivamente vai , no público pagamos todos nós, a priori.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo das 2:25 eu não disse que só vai ao privado ou deve ir ao privado quem tem seguros ou acordos... pode ir quem quiser logicamente! Mas sabe à partida que vai pagar muito mais. A mim, por exemplo fica-me mais barato e é mais rápido ir ao privado.Há dois anos tinha de fazer uma cirurgia se fosse pelo SNS demorava dois anos, pois ficava em espera, no privado fiz no próprio mês. Claro que pelo SNS seria quase de borla.. ali paguei na hora e bem. Só que o seguro permitiu que recebesse 80% da despesa. Agora no caso da S* eu não sabia que tinha sido indicada pelo SNS para ir fazer exames. E aí dou-lhe total razão. Não deveria ter pago nada, Agora todos os cidadãos podem ir onde quiserem obviamente sabendo que se marcar uma consulta no SNS vai para a lista de espera e no Privados seja CUF seja Hospital da Luz o caso é tratado com brevidade, mas paga. Até uma simples vacina ou injeções paga todo o material utilizado tal como acontece numa farmácia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, paguei 1.8 euros. Não sei do quê, porque o recibo não dizia. Como era pouco, também não questionei, admito. Talvez fosse mesmo o material de protecção, porque era um recibo estranho, um papel pequenito que apenas dizia o valor...

      Eliminar
    2. Devia ser só a taxa moderadora

      Eliminar
    3. eu ate fico chocado com isto....mas as pessoas não sabem que pagam sempre a taxa moderadora? obvio que os 1,80€ é disso! mas quando vai ao centro de saude, ao hospital nao paga sempre a taxa? so quem tem baixos rendimentos, da sangue, ou se for criança, etc, há varias excepções que nao pagam taxa moderadora, mas o normal é pagar sempre.
      o papel mesmo pequeno tem de ter la uma descrição, deve mencionar taxa moderadora ou TM abreviado.

      aquilo da CUF cobrar materiais de protecção é "só" para quem la ia mesmo pelo privado, por conta propria, ou pelo seguro. nao se aplica a quem la vai reencaminhado pela SNS.

      Eliminar
    4. Anónimo das 12h34, eu sempre paguei 4.5 euros de taxa moderadora no centro de saúde... ou 3 euros quando vou buscar apenas uma receita... 1,8 euros nunca paguei. Mas isso não é propriamente relevante, creio eu. :)

      Eliminar
    5. S*, isto é como ires a um supermercado: o frango custa X, o arroz custa Y, a massa custa W, etc. As taxas moderadores têm centenas de valores diferentes consoante os serviços que usas e existe uma tabela definida pelo Ministério da Saude aplicavel a todo o país.. Os 4,5€ e 3€ é os valores de serviço no centro de saude. Se fores a um hospital são preços mais caros, e quando fazes exames cada exame pode ter um preço diferente. Já fiz exames que custam 1,5€ e ja fiz exames que custaram 28€ (colonoscopia com anestesia).

      Eliminar
    6. Vamos ver então o que a sorte me reserva... segunda-feira tenho outro exame. :P

      Eliminar
    7. Sim, as taxas moderadoras variam consoante o "serviço", por isso é que quando vamos ao centro de saúde pedir receita (consulta não presencial), não pagamos o mesmo; e por exemplo, as consultas de planeamento familiar são gratuitas. Por outro lado, uma urgência hospitalar custa 20 ou 25 euros, salvo erro (a não ser obviamente, para os isentos de taxas moderadoras). Faço exames regularmente para vigiar uma situação de saúde, ecografias e análises de sangue, e pago taxas diferentes. O valor das análises variam consoante os parâmetros pedidos pela médica, também aí não pago sempre o mesmo :)
      No fundo, os exames não têm todos o mesmo custo, e o que pagamos ao prestador privado têm a ver com um pequeno custo (para nós), sendo que o Estado paga o que vai acima. Neste caso, deves ter pago isso, creio que, a cobrarem o EPI, cobrariam ao Estado.

      Mas achei fixe marcarem-te diretamente o exame no prestador, aqui a médica dá-me a prescrição (o vulgar "P1") e eu é que marco o exame no laboratório ou hospital que quero, desde que tenha convenção com o SNS, claro.

      Espero que esteja tudo bem com a tua saúde, atirou-se tudo aos equipamentos de proteção e esquecem-se do mais importante, que é o nosso bem-estar. Um beijinho e que fique tudo bem.

      Eliminar
    8. Joana, eles não me marcaram o exame no prestador, eu marquei por telefone... mas avisaram que, de momento, era o único que estava a fazer estes exames rápido. Portanto, não tive grande escolha. :D

      Hoje já paguei 18 euros, por isso não entendi bem o critério... ecografia, 1.80 euros... TAC,18 euros... Mas bom, siga. Conheço uma pessoa que foi fazer um TAC por sua livre vontade no mesmo hospital e, há uns 12 ou 13 anos, pagou mais de 500 euros. ahahahah. Não me vou queixar! :D

      Obrigada, está tudo bem. Apenas algo que tenho de resolver.

      Eliminar
    9. S*, o critério deve ser precisamente o exame em si. Não sei que exame fizeste anteriormente, mas por exemplo, uma ecografia é um exame barato. No entanto, a TAC é um exame bastante caro, daí esse teu conhecido ter pago os 500 euros (e dependerá até a que zona do corpo fazes a tac e se leva contraste, por exemplo). Pagaste uma pequena percentagem do valor desse exame, o resto o estado paga o estado por ti ao privado 🙃

      Eliminar
    10. Joana, sim, eu sei que é realmente um exame muito dispendioso, daí ter sido a segunda opção, após a ecografia não mostrar o suficiente. Levei contraste. Na altura, o meu conhecido não levou... foi um TAC à cabeça, não me recordo de ter levado contraste. Obrigada!!

      Eliminar
    11. E, por exemplo, o preço de uma ecografia à tiróide pode diferir de uma ecografia abdominal, de uma ecografia mamária… Tal como quando vou ao oftalmologista pago uma coisa, à ginecologista outra, e ao dermatologista outra (aqui até dói!).

      Beijinho e tudo a correr bem 🌈

      Eliminar
  9. Se a S* for operada num hospital privado, acha que não lhe serão imputados os custos dos equipamentos que os médicos terão que usar - batas, máscaras e afins? Vai queixar-se que acha injusto pagar porque não pediu e porque não tem culpa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que é mais do que justo. Se for uma escolha minha. Neste caso, fui enviada pelo SNS a um privado. E também não concordo muito que um utente seja responsável por pagar um equipamento que é exigido pela força das circunstâncias...

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.