'Book Lover' em crescimento

Se há coisa em que o meu filhote sai à sua mãe, é nos hábitos de leitura. Sou uma leitora frenética, se pego num livro, 'despacho-o' em dois ou três dias. Não gosto de arrastar a leitura quando o livro é mesmo bom. Se demorar mais que uma semana a concluir um livro, é mau sinal.

Assim, naturalmente que os livros foram das primeiras coisas que compramos para o Rafael. Primeiro foram livros tácteis, para ele explorar texturas, barulhos, imagens. Depois aprendeu as primeiras palavras com pequenos livros. Hoje em dia, tem um livro das cores, onde reconhece e diz perfeitamente cerca de 100 palavras. É um orgulho.

Todos os dias pede para ouvir as historinhas. Como estamos por casa, ouve histórias antes da sesta e volta a ouvir antes de ir dormir, à noite. É um gosto que lhe foi incutido desde muito bebé e que ele naturalmente adquiriu. O marido tem particular paciência para ler 1001 histórias seguidas, mas eu creio ter mais talento para "interpretação" das obras.

Poucas coisas me deixam mais satisfeita enquanto Mãe. É uma bênção saber reconhecer a importância dos livros.

Comentários

  1. Isso é muito bom.
    Lembro-me de em miúda sempre que ia com a minha mãe a alguma livraria lá vinha um livrinho para casa para eu explorar.
    Li dezenas de anitas na altura, entre tantos outros que fui lendo conforme o crescimento.
    Conclusão, ainda hoje gosto de ler e de livros.
    Agradeço à minha mãe.

    Com a quarentena então, há sempre livros para ler.
    Agora estou a ler “O Tatuador de Auschwitz”.

    Depois deste vou ao Filho de mil homens de Valter Hugo Mãe e depois provavelmente Anna Karénina de Lev Tolstoi que já está ali na estante a olhar para mim.

    Boas leituras :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse do valter hugo é qualquer coisa! O meu favorito a par da máquina de fazer espanhóis, que não podia recomendar mais; sempre que me pedem sugestões dou a indicação deste porque acho que ficamos logo fãs dele, é lindíssimo e com a temática pouco comum da terceira idade.

      Eliminar
    2. Anónimo obrigada por ter deixado a sua opinião. :)
      Ouvi dizer que vale a pena, sim.
      Está ali em lista de espera, para breve.

      Eliminar
  2. É um bom hábito para se criar numa criança :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. É o melhor vicio que pode criar...devorar palavras!
    Alimenta isso ao máximo =D

    ResponderEliminar
  4. Isso não se traduz necessariamente em gostar de ler, ele gosta de ouvir histórias, mas pode não gostar de as ler quando for mais velho. O meu irmão era exactamente igual, adorava ouvir mas ler nunca o cativou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Naturalmente que sim. Mas se não for habituado aos livros certamente que nunca se vai cativar por estes. :)

      Eliminar
    2. Não necessariamente. O meu filho, era como o teu, adorava livros com essa idade. Cá por casa, temos mais de um milhar de livros, pais que lêem avidamente, é incentivado a ler desde miúdo tanto por nós como pelo clube do livro na escola, no entanto é um pré adolescente que não liga nenhuma a livros.

      Eliminar
    3. Somos três irmãos. Sempre tivemos muitos livros, mesmo que fossem daquela colecção Gritos, Os cinco ou O Bando dos Sete. Acho que eram assim os nomes. Só eu, nos dias que correm, costumo ler.

      Não, não é necessariamente verdade que o facto de ter contacto com livros desde bebé faça dele um leitor apaixonado. Mas, se nunca lidar com livros, acredito que tal nunca acontecerá. Assim acabamos por facilitar a paixão pelos livros. 🧡

      Eliminar
    4. Certamente não é um preditor, mas ajuda! Ao menos sabe o que são livros, tem contacto com livros e histórias desde pequeno, começa a estar acostumado a livros. Não quer dizer que depois será um ávido leitor, mas tem todo um ambiente que propicia a leitura se ele gostar e quiser continuar a ler.

      No meu caso, acho que os meus pais nunca leram um livro sequer. O meu irmão, com 22 anos, nem os de leitura obrigatória na escola. Já eu, apesar de nunca me terem oferecido livros, adoro-os! Leio (menos do que gostaria), compro livros (muito menos do que gostaria), coleciono-os e o meu sonho é ter uma grande biblioteca em casa. Apesar de nunca ter sido incentivada através do exemplo, tenho amor pelos livros e pela leitura. Pesquisava livros na biblioteca municipal, fazia troca de livros com amigas e hoje em dia ainda o faço.

      Parte do prazer que me dá ir construindo a minha biblioteca é saber que esse conhecimento e entretenimento poderá ser passado para futuros filhos. Estou ansiosa para os ter e começar a comprar livros infantis :)

      Eliminar
    5. Anónimo, isso tudo. Poucas coisas mais maravilhosas há que uma biblioteca recheada!

      Eliminar
    6. hahahaha! Fala-se de um pré-adolescente como se fosse um homem feito. Anónima, é perfeitamente natural ele ter uma fase em que rejeita tudo o que fez parte da infância, em especial nesta altura em que nem é criancinha nem adolescente. Não perca a esperança, fique atenta aos gostos dele e sem forçar vá metendo um livrinho aqui e ali. A mãe de um amigo meu da primária, encontrou-me na rua e disse "Acreditas que o nosso R. já não gosta de ler?". Disse-lhe "Compre os livros de Isaac Asimov e livros de Divulgação Científica e depois diga-me." Funcionou, dali ele procurou outras coisas e encontrou o seu próprio nicho de livros. A mãe achava que a coisa ia lá com a Danielle Steel. Quando eles estão a formar os próprios gostos, parece que se vai dar a um caminho sem saída no que toca a livros. Eu demorei a encontrar livros que gosto, porque não gostava dos livros infantis, mas também não gostava dos best-sellers que as livrarias nos esfregam na cara. Aos 10, 11 agarrei-me a biografias de músicos e cientistas, safou-me um bocadinho, mas ninguém esperava que uma miúda fosse gostar de biografias, achavam que era impossível eu gostar daquilo que pedia que me oferecessem e ficar limitada à selecção das bibliotecas da escola e municipal era uma seca.

      Eliminar
    7. Anónimo das 10h23, concordo em pleno. Vamos descobrindo o que gostando, aprendendo a ler e refinando os gostos.

      Quando era adolescente, 13 ou 14 anos, lia aqueles velhinhos romances de bolso Harlequin da minha mãe e da tia. Era capaz de ler três ou quatro livros daqueles num dia. Estava na fase de descobrir o amor, as emoções, de começar a olhar para o lado. Não eram grandes livros, mas foram importantes porque me permitiram voltar a apaixonar pelos livros. Quando era pequenita lia Os Cinco, O Bando dos Quatro (creio que era assim) e ADORAVA uma colecção de livros de 'terror' que não me recordo o nome... Arrepios??
      Adorava aquilo!

      Depois, em início de vida adulta, gostava de romances levezinhos... agora gosto de romances históricos e de thrillers/policiais.

      Eliminar
  5. Oh que fofo!!
    Tenho imensa pena dos meus primos não gostarem de ler, gostava tanto de partilhar com eles os meus livros de criança favoritos

    ResponderEliminar
  6. na minha casa quando era criança ninguém lia, eu adoro livros, leio em português, espanhol e inglês a mesma velocidade.
    ja as minhas filhas cresceram numa casa cheia ds livros de todas as cores tamanhos e temas e nenhuma das duas gosta de ler.

    ResponderEliminar
    Respostas


    1. Eu também cresci numa casa sem livros e devorava livros e inclusivamente fazia directas para os ler.
      Fossem da biblioteca ou de amigos, lia tudo.

      Os meus pais ambos dizem que gostavam de ler quando eram novos mas nunca os vi a ter esse hobbie.

      Por aqui também leio inglês e alemão na mesma velocidade que português e, aliás, foi a leitura em português que me ajudou aa suplantar ausência de toda a escola primária em Portugal ( sendo que sei que dou erros mesmo que os tente evitar).

      Os meus filhos têm dezenas de livros. O mais novo ainda é pequenino mas o mais velho a meu ver é muito preguiçoso para ler.
      Por exemplo um livro do HP parece demasiado para ele. Já coisas como "o estranhão" adora ler. Já o HP prefere audiolivro ( ele adora a história)... Por isso é que eu acho que é preguiça.

      Já agora, o audiolivro do HP em PT-Pt no YouTube está fantástico....

      Eliminar
  7. A minha mãe também me incutiu esse hábito e hoje em dia também sou uma devoradora de livros!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
  8. Acho um óptimo hábito! Confesso que nos últimos anos me desleixei bastante mas espero conseguir recuperar. A minha mãe nunca leu para mim mas sempre a vi a ler e provavelmente foi daí que veio algum deste gosto. Nós imitamos sempre o que vemos enquanto crescemos (:

    ResponderEliminar
  9. Agora lembrei-me de quando tínhamos a visita do sr do círculo de leitores... Vendedores de livros, a minha mãe comprava-me sempre

    ResponderEliminar
  10. Se a minha sair a mim, vai ser devoradora de livros ahah

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares