Rendi-me ao on-line!

Este Natal consegui superar-me e já só me faltam três prendas (duas em conjunto com a mana). Ofereço apenas à família, mas somos 15 pessoas à mesa e é muita prenda para pensar e comprar - até porque os miúdos levam sempre dose dupla, entre roupa e brinquedos. E ainda temos três aniversários para assinalar no mês antes do Natal.

Para o ano, estou absolutamente decidida a investir nas compras on-line. Adoro comprar no comércio tradicional, mas admito que, desde que o marido mudou de trabalho, como vou sempre buscar o pequeno à creche, não tenho muito tempo para ir às lojas de rua. Vai daí, as compras on-line acabam por ser muito práticas e eficazes... Além de que, se procurarmos atempadamente (em Novembro!), conseguimos apanhar óptimas campanhas promocionais. 

Este ano só adquiri três prendas pela internet, mas desconfio que o próximo Natal vá ser muito à moda do século XXI!

Comentários

  1. Por aqui, e sobretudo depois da Mini-Tété nascer, é o mais comum. Não há propriamente comércio tradicional aqui no campo, os centros comerciais são longe e por isso compramos quase tudo online. :)

    ResponderEliminar
  2. Este ano despachei tudo em Novembro e muitas delas foi online. Que sossego! Muito mais tranquila, assim, sem filas intermináveis e stress desnecessário.

    ResponderEliminar
  3. Com dois filhos pequenos e nenhuma loja física "à mão" (só supermercados), deixei de ter tempo (e paciência) para compras. Este mês até o supermercado é on-line com entrega em casa (o drive também é bom). Só compramos os produtos frescos (pão e legumes).
    Acabo por poupar imenso dinheiro (e tempo), já que on-line sou bem mais ponderada.
    Já tenho uns casacos escolhidos para comprar nos saldos (on-line, de preferência), caso o Pai Natal não perceba a indireta muito direta (até o link enviei). :D
    SM

    ResponderEliminar
  4. Despachei metade das prendas online, só não fiz as outras porque não dava. Entretanto já fui duas vezes a centros comerciais este mês, para as pessoas com quem fui comprarem as suas prendas de Natal, e confesso que nem vi nada do que me faltava porque já não tenho paciência. Andava nas lojas e só pensava no quão mais simples é fazer as compras online. Centros comerciais só em época de saldos pq gosto de remexer e fazer os meus achados (mas acho que me vou render ao online este ano também) ou para coisas muito específicas que preciso de ver, tocar, experimentar ou então só mesmo a passeio com terceiros. Cada vez tenho menos paciência para lojas a abarrotar e pessoas pouco civilizadas. Ao menos no online é tudo mais cómodo, nem sequer saio de casa, recebo tudo onde quiser e sem dramas.

    ResponderEliminar
  5. devias oferecer livros as criancas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porquê? :) As crianças não merecem receber roupa e brinquedos? :) Por acaso ainda hoje comprei 5 livros para oferecer a adultos no Natal mas para a minha filha não comprei nenhum e que eu saiba não vai receber nenhum. Apenas e só porque livros recebe todo o ano...:)

      Eliminar
    2. Estou com a Tété. O Rafael tem uma biblioteca maior que a minha. Todos os dias 'lê' livros. Sim, podia perfeitamente comprar livros para as crianças, mas é algo que já têm diariamente.

      Eliminar
  6. Eu também descobri o online recentemente. Até agora tenho usado no PC da biblioteca lá da escola, tenho de ver se adiro e se me vão instalar a internet lá a casa porque a verdade é que até dá jeito para fazer trabalhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Credo! Este comentário parece vindo directamente do ano 2000 :D

      Eliminar
  7. As compras on-line são práticas e evitam as multidões e o stress das filas. Muitas vezes uma opção para mim :)

    ResponderEliminar
  8. Depois queixas-te de seres pobre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se fossem as prendas de Natal que ditassem a pobreza ou a riqueza da conta de cada um....

      Eliminar
    2. Enfim. Eu gosto de poupar para gastar nesta altura! É como poupar para as férias. Poupar para mimar os que mais amo. Qual o mal?

      Eliminar
  9. "Depois queixas-te de seres pobre". Que comentário mais parvo! Comprar on-line é para ricos????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o comentador se referia ao elevado número de presentes oferecidos.

      Eliminar
    2. 2 prendas por criança? 1 das prendas tem de ser brinquedo? Cada criança recebe 8 brinquedos? Acabam por nem ligar... eu acho um desperdício.

      Eliminar
    3. Sim. É excessivo, conseguimos reconhecer que sim. Mas nem toda a gente tem de dar brinquedos, obviamente.

      Eliminar
    4. Deixem as crianças serem crianças, acham que se não fosse pelas prendas do Pai Natal alguma criança e adultos gostava do Natal? O natal é isso mesmo quer se queira ou não é presentes de quem mais gostamos e para quem mais gostamos, e não venham cá com a treta da "festa da familia" porque isso também podemos ter todo o ano. Eu era criança e o que mais adorava era abrir os presentes que me davam fosse qual fosse o presente...é como mimo de alguém que gosta de nós e de quem nós gostamos. Há pessoas que parece que nunca foram crianças, ou então foram crianças tristes que nunca tivereram nada e agora acham que as crianças devem ser adultos em miniatura. Deixem as crianças serem crianças e felizes.

      Eliminar
    5. Também acho excessivo dar prendas a toda a gente da família, e duas prendas às crianças. Quando comecei a trabalhar deparei-me com a escolha entre dar prendas a toda a família ou só às pessoas mais próximas e decidi dar apenas aos meus pais e namorado. Mas acho que em famílias grandes uma boa ideia é fazer uma espécie de amigo secreto, em que cada pessoa fica encarregue de comprar uma prenda para outra e cada pessoa apenas dá e recebe uma prenda. Evita-se o consumismo exagerado e a prenda que se compra pode ser de um valor mais elevado, logo de melhor qualidade.

      Eliminar
    6. Bom por acaso acho que se pode deixar as crianças ser crianças sem as encher de coisas. Se cada criança recebe 2 presentes de cada família/adulto é uma quantidade imensa de coisas e se calhar era mais bem empregue juntarem-se e oferecer uma experiência gira. Estou 100% certa que os meus filhos gozam mais idas à Disney, a Londres, ao ski ou outras que mais um brinquedo no quarto. Mas lá está são opções de vida :)

      Eliminar
    7. Uma coisa não impede a outra. E, repito, eu sou a primeira a achar um exagero a quantidade de brinquedos. Mas dou prendas a toda a gente porque gosto e porque posso. Se preciso de poupar? Preciso. Mas poupo com gosto, porque adoro comprar os presentes.

      Eliminar
    8. anonimo das 14: 44 "e a prenda que se compra pode ser de um valor mais elevado,"

      olhe a minha opiniao é exactamente o oposto, prefiro receber mais prendas ainda que sejam mais simples. o meu marido tem so o pai e a mae, sempre foram so eles os 3 no Natal, por isso ele oferece uns 3/4 presentes a cada um, pois se fossem a dar so 1 presente a cada um então seria um Natal triste. Uma das partes que eu adoro no Natal é ver a arvore cheia de prendas embrulhadas e depois a emoção de estar a oferecer e a abrir. Colocar musicas de Natal e passar imenso tempo na troca de prendas. Sim, é consumismo, mas caramba é so uma vez por ano. Quando eu era mais nova a minha mae oferecia presentes a muitas pessoas, lembro-me de termos uma lista de 30 presentes para comprar, e muitas vezes para simplifcar dava-se so às crianças (por ex, a minha mae dava prendas aos filhos de um casal amigo e eles tambem so me davam prenda a mim). Hoje em dia so damos mesmo prenda à familia proxima com a qual passamos o Natal, e como do meu lado somos apenas eu, mae, irmã e tio ( a minha avó infelizmente faleceu este ano), damos todos prendas a todos. E à minha mae eu e a minha irmã costumamos oferecer umas 2 ou 3 prendas cada uma. Mas por ex nos ultimos Natais a minha mae tambem começou a oferecer prenda ao meu marido (porque achou que era triste ele passar o Natal connosco e só receber 1 prenda da minha parte), e depois a minha irmã também lhe começou a oferecer prenda pelo mesmo motivo, e sao coisas baratas, tipo 5€-10€, mas é tão bom abrir uma prenda. Quem me dera ter 15 pessoas à mesa como a S* Isso sim é felicidade de Natal :-)

      Eliminar
    9. Anónimo17 de dezembro de 2019 às 11:16,

      São diferentes formas de ver as coisas. Eu não tenho interesse em receber muitas prendas, prefiro receber uma que me seja útil ou que realmente queira. Não gosto de "tralha" nem de ter a casa cheia de coisas, faz parte da minha postura em relação à vida.

      Eliminar
    10. Anonimo das 15:08 Nao percebi a relaçao que fez entre ter muitas prendas baratas e nao serem uteis. Eu faço sempre uma wishlist p ajudar a familia a escolher e tenho coisas q realmente preciso q sao baratas: meias, camisolas interiores, rimel, galochas basicas p andar no quintal. Sao tudo coisas q se nao me derem eu teria de comprar. Geralmente roupa, calçado, maquilhagem e cremes quase nunca compro pq tenho o q me oferecem nos anos e no Natal. Se ha pessoa q pede prendas uteis sou eu :-) Nem todas as prendas baratas têm de ser bibelots ou tralha inutel como parece que se refere no seu comentario

      Eliminar
    11. Também não entendo o porquê da obsessão de se ter (e abrir) tantas prendas.
      E não, o Natal não é só prendas (felizmente!). Para quem pensa assim... que vida mais triste tem.

      Eliminar
    12. Nao é so prendas mas é tb prendas. É presepio e arvore e decoraçoes pela casa. É juntar a familia, é mesa farta com bacalhau queijo e presunto. É fazer os doces de natal com a minha mae. Para mim tb seria triste fazer um natal sem ter a arvore na sala, tal como seria triste natal sem prendas. Nao percebi o comentario de q quem gosta de prendas tem uma vida triste.

      Eliminar
  10. Eu compro tudo online e na altura da black friday, para já ter tudo despachado nesta altura. Não tenho paciência nem tempo para filas e confusões nas lojas.

    ResponderEliminar
  11. Ainda não me rendi.
    Como fazes se houver necessidade de trocar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A maioria das lojas tem trocas ou devolução gratuitas. :)

      Eliminar
  12. Se se pode dar à Família toda, que se dê! Cada um sabe o que faz com o seu dinheiro e se é dado com amor, é certamente bom! Toda a vida dei um presente a cada membro da Família porque felizmente posso, e sempre recebi de todos, porque felizmente também podem. Não é por loucura nem por obrigação, é porque tenho gosto. E as crianças podem e devem ser mimadas - se não for agora, será quando? O que fazíamos lá em casa era escolher brinquedos uns dias antes, para dar (e para os novos entrarem) e, depois do Natal, fazíamos nova ronda para voltar a dar. Ficam todos a ganhar, especialmente os meninos que não têm brinquedos e que assim os podem receber! Sejam felizes e deixem os miúdos ser miúdos!!!

    ResponderEliminar
  13. Só não entendo porque é que se tem de fazer duas prendas para as crianças e uma para os adultos. Essa diferenciação é algo com que não concordaria ( e não concordo).

    Por aqui damos uma a cada pessoa e os miúdos já entram a fazer prendas para todos também.
    Os meusis e sogros começaram a levar o que traziam em excesso porque não se comediam nas prendas para os miúdos... Qualquer dia precisava de outra casa só para tralha.

    Eu gosto de dar e de receber algo que mostre que a pessoa pensou em mim também.
    Na minha família não dá para fazer o "amigo invisível" ou algo do género. Há pessoas que ficariam muito mal servidas não pela prenda mas pela falta de carinho e dedicação de algumas pessoas a escolherem prendas para os outros ( como chocolates comprados à pressa no próprio dia, sem embrulho sequer e dados com total desinteresse). Defeito ou feitio é como são e para evitar natais estragados para alguém que se dedique e tenha cuidado na escolha, a prenda única está fora de questão.

    Entre mim e o dito cujo oferecemos experiências, escapadinhas e miminhos. Já temos tudo o que precisamos...

    Em relação às prendas desculpa mas não acho que comprar em novembro seja cedo 😅 mas isso é defeito meu. Habitualmente em setembro já decidi o que quero dar a quem e fico à caça de promoções. Se não encontrar promoções antes, espero pelo black friday e cyber monday. Se até lá não encontrar em promoção faço logo a compra ( maioritariamente online ). Este ano tive várias que só comprei em novembro e achei tão tarde!
    Ontem vi uma mãe no FB a pedir opinião sobre o presente para os filhos e fiquei em "choque". A ideia de estar sem prendas a uma semana do Natal e sem as ter escolhido é inimaginável para mim. A partir do dia 1 de dezembro tento dar uma grande distância de tudo o que é estabelecimento comercial... É de loucos. Acho que sofro de ansiedade relacionada com shoppings, supermercados e compras em dezembro no geral 😛

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia da prenda única pode funcionar caso se decida que a pessoa que vai dar pede sugestões à pessoa que vai receber. Depois decide o que compra, obviamente. Mas é uma boa ideia para evitar prendas excessivas e inúteis.

      Eliminar
    2. Eu percebo a ideia mas não é exequível por aqui.
      Há quem seja incapaz de querer saber das necessidades dos outros e quem nem sequer encare o natal como momento de partilha.

      Ainda este ano falamos sobre a possibilidade de fazermos isto mas chegamos à conclusão que ia correr mesmo mal para quem recebesse a prenda*daquela* pessoa.

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares