E depois fui mãe #1

Nunca achei graça à ideia de dar beijos na boca aos filhos. Não me entendam mal: absolutamente nada contra, apenas não fazia sentido na minha cabeça. Também não achava graça às típicas fotografias de beijos repenicados na boca dos filhos (continuo a não achar... Mas admito mudar, pelo andar da carruagem!).

E depois fui mãe... 

E tenho um menino que adora dar-me beijos na boca. E fá-lo com tanto entusiasmo que é impossível não adorar e retribuir. 

Dá beijos na boca à mãe e ao pai. E aos bebés. Aos primos adora dar beijocas sonoras na boca. Aos outros adultos não o faz, dá sempre beijo no rosto... Ao pai também dá alguns beijos no rosto... Mas à mãe é sagradinho: agarra-me no rosto, puxa-me para ele e cá vai disto. 

E eu adoro. 

Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Com o meu filhote, é a melhor ternura de sempre. 



Comentários

  1. Não aprecio.
    Entendo que tudo é Amor para com os filhos mas no, no... não me faz sentido!
    As crianças dão beijos na boca dos pais quando alguém lhes ensinou esse “ritual” apenas, caso contrário se não forem ensinados vão achar estrago. Como em tudo eles tentam reproduzir o que lhes é incutido, pela repetição através da observação.
    Olha o caso do David Beckam com a filha já crescidita e aos beijos na boca com a miúda...
    A filha já não é propriamente bebé!
    Não gosto de ver, ponto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu filho não foi ensinado a fazê-lo... Suponho que faça ao pai e à mãe porque nos vê a fazer um ao outro!

      Eliminar
    2. Percebo que o faça porque vê os pais fazer um ao outro, mas acho que parte dos pais ensinar que isso não se faz entre pais/filho, que é uma coisa que só os "namorados" fazem.
      Se o teu filho te vê a ti ou ao pai a beber um cerveja, vais deixá-lo beber porque ele está habituado a ver-vos e quer fazer igual?

      Eliminar
  2. https://www.google.com/amp/s/www.mildicasdemae.com.br/2015/07/por-que-voce-nao-deveria-beijar-seu-filho-na-boca.html/amp

    Péssimo hábito mas cada cabeça sua sentença!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu filho começou com isto já teria cerca de 18 meses. Antes não tinha a iniciativa de dar beijos, pelo que esse artigo não me parece ser já 'aplicável'.

      Eliminar
  3. Já eu nem depois de ser mãe, continuo a detestar e não permito que o meu filho o faça.

    ResponderEliminar
  4. A minha filha também houve uma altura em que queria fazer isso, mas nunca deixei. Não consigo encontrar uma explicação para que deixem os miudos fazer isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É carinho. Eu também não acho apelativo ver, mas ele faz com tanto gosto e carinho que seria incapaz de lhe dizer 'não'.

      Eliminar
    2. Ele quer dar beijos, então dá. Ele quer sumo de madrugada, então bebe. Ele faz tudo o que quer?

      Eliminar
    3. Que comparação sem nexo. Não, não voltará a beber sumos de noite. Sim, dará os beijos que quiser aos pais, porque é amor e não faz qualquer mal - ao contrário dos sumos.

      Eliminar
    4. Errado S*, os beijos na boca podem contagiar a criança com herpes ou outro tipo de doença, não tem sequer comparação.

      Eliminar
    5. Só me faz confusão a justificação que dás para ele fazer. Eu deixo fazer porque isso lhe dá gosto.

      Eliminar
    6. Anónimo das 16:54, como estamos a falar da minha boca e da boca do pai, tranquilo. Se nós estivermos doentes ou tivermos herpes, não damos beijo. Simples resolver.

      Eliminar
    7. Anónimo das 18:37, não sei como é que lhe faz confusão uma mãe deixar um filho fazer algo apenas porque o filho gosta... Estranho seria o oposto. Não estamos a falar de uma mimalhice ou mordomia, estamos a falar de carinho.

      Eliminar
  5. Eu era e sou como tu antes: nunca achei piada ver pais e filhos a dar beijos na boca, nem em fotografias. E continuo a não gostar mesmo depois de ser mãe. :) Não é que a Mini-Tété não tente e às vezes consiga mesmo, mas explicamos que beijos na boca é uma coisa entre papás e mamãs, e que poderá dar quando for crescida como eu. Sei que começou a querer dar quando na escola as crianças começaram a dar umas às outras, e também por isso lhe explico que mesmo às outras crianças deve beijar o rosto. Sei que nem todos os pais pensam assim e provavelmente com os seus filhos até terão razão, mas eu não vejo a Mini-Tété a distinguir a quem deve dar ou não (até pelas perguntas que faz), e não quero que considere normal que qualquer adulto chegue ao pé e a beije na boca. Mas não é realmente algo que goste de ver por, para mim, ser coisa e adulto (tal como não gosto de ver crianças de biquínis reduzidos, por exemplo. :D).

    Tété

    ResponderEliminar
  6. Eu era e sou como tu antes: nunca achei piada ver pais e filhos a dar beijos na boca, nem em fotografias. E continuo a não gostar mesmo depois de ser mãe. :) Não é que a Mini-Tété não tente e às vezes consiga mesmo, mas explicamos que beijos na boca é uma coisa entre papás e mamãs, e que poderá dar quando for crescida como eu. Sei que começou a querer dar quando na escola as crianças começaram a dar umas às outras, e também por isso lhe explico que mesmo às outras crianças deve beijar o rosto. Sei que nem todos os pais pensam assim e provavelmente com os seus filhos até terão razão, mas eu não vejo a Mini-Tété a distinguir a quem deve dar ou não (até pelas perguntas que faz), e não quero que considere normal que qualquer adulto chegue ao pé e a beije na boca. Mas não é realmente algo que goste de ver por, para mim, ser coisa e adulto (tal como não gosto de ver crianças de biquínis reduzidos, por exemplo. :D).

    Tété

    ResponderEliminar
  7. Eu era e sou como tu antes: nunca achei piada ver pais e filhos a dar beijos na boca, nem em fotografias. E continuo a não gostar mesmo depois de ser mãe. :) Não é que a Mini-Tété não tente e às vezes consiga mesmo, mas explicamos que beijos na boca é uma coisa entre papás e mamãs, e que poderá dar quando for crescida como eu. Sei que começou a querer dar quando na escola as crianças começaram a dar umas às outras, e também por isso lhe explico que mesmo às outras crianças deve beijar o rosto. Sei que nem todos os pais pensam assim e provavelmente com os seus filhos até terão razão, mas eu não vejo a Mini-Tété a distinguir a quem deve dar ou não (até pelas perguntas que faz), e não quero que considere normal que qualquer adulto chegue ao pé e a beije na boca. Mas não é realmente algo que goste de ver por, para mim, ser coisa e adulto (tal como não gosto de ver crianças de biquínis reduzidos, por exemplo. :D).

    Tété

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo totalmente! O meu filho começou a dar beijos às pessoas com cerca de 18 meses. Antes nem fazia tal coisa. Ele dá beijos na boca aos pais e aos primos. Não me perguntes porquê. Aos pais, eu acho que é por nos ver a dar um ao outro... Aos primos dá na boca ou no rosto, é conforme calha. Aos outros adultos, dá sempre no rosto.

      Eliminar
    2. (Ai, tanto comentário repetido :O)
      Aqui quando começou já tinha 3 anos (mas também nunca foi muito beijoqueira e começou a dar beijinhos mais tarde do que vejo os outros bebés darem). Lá está, na escola as outras crianças dão e em casa ela vê-nós também. Mas depois pergunta se se pode dar à educadora, etc, daí eu achar que ela não distingue. E de qualquer forma, é mesmo uma questão de gosto, não gosto mesmo de ver. :)

      Tété

      Eliminar
  8. Depois desta, sou obrigada a pôr a hipótese de que este blog é uma experiência social, onde os leitores são cobaias, para um estudo qualquer de reacções/interacções humanas na internet, onde a autora (na verdade uma pesquisadora), faz propositadamente de alvo. Boa sorte! Depois partilhe a tese connosco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não entendi, mas talvez seja melhor nem entender.

      Eliminar
    2. Também não entendi... e TENHO CERTEZA... melhor nem entender...
      A melhor resposta aos tolos é o silêncio...

      Eliminar
    3. Eu entendi eheh ;) e concordo...! Eheheh ;)

      Eliminar
    4. Concordo em absoluto. É que só pode.

      Eliminar
  9. Que doçura de post... uma mãe que se preocupa com os filhos... enfim, na vida, há coisas que necessitam serem observadas de várias forma.. as demonstrações de afeto... enfim...
    a vida é cheia de entradas e saídas, que nos compete mostrar a nossos filhos o trilho correto...ou mesmo ensiná-los a decidir!!!

    ResponderEliminar
  10. Não gostava e não gosto.
    Os meus filhos já me deram , nunca fiz um drama mas fui direcionando para as bochechas.

    Talvez seja implicância?U vez vi um miúdo que frequentava o 12o a dar um bate chapas à mãe. Achei completamente nojento e doentio.

    Nunca iria querer replicar aquele espetáculo com os meus filhos. Não se ama mais ou menos por se dar beijinhos na boca e para mim é um "hell no"...

    ResponderEliminar
  11. Eu tenho 29 anos e continuo a dar beijos na boca ao pai (59 anos) e mãe (62 anos).
    faz confusão a muita gente mas quero que se lixem, os meus pais fizeram tudo por mim na vida e eu nao tenho o minimo nojo dos lábios deles. Acho um gesto carinhoso da infância, que recorda que serei sempre a menina deles.

    Claro que quando estava a entrar na adolescencia e houve o escandalo da casa pia foi um circo na escola porque um senhor de idade me ia buscar a escola e dava beijos nos lábios. ainda hoje nos rimos disso na família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se trata de ter nojo ou deixar de ter. Os meus pais também fizeram tudo por mim, amo os meus pais mais que tudo nesta vida mas não damos beijos na boca!
      Hello, há muitas formas de demonstrar carinho.
      Não me faz qualquer sentido e nenhuma criança da minha família da beijos na boca aos adultos.
      Muitos vezes os muidos fazem isso porque lhes foi ensinado ou porque viram outras crianças e se ninguém explicar por vezes eles não entendem, afinal são crianças.
      São os adultos responsáveis por mudar comportamentos enquanto eles são pequenos.
      Mesmo que seja demonstração de carinho podemos sempre explicar as coisas.
      Não é porque são queridos e são nossos filhos que devemos deixar tudo a toda a hora, como é óbvio.

      Eliminar
    2. À anónima que diz que podemos sempre explicar:
      - Ainda vai a tempo de explciar a si própria que é uma demonstração de carinho como outra qualquer, hello, e lá porque lhe faz confusão a si não implica que tenha que ser "explicado" aos filhos dos outros. Menos, tá bom?

      Eliminar
    3. Realmente tem razão, menos muito menos! Lol olhe, sabe que mais, faça como quiser que é para o lado que eu durmo melhor. Eu e as bactérias... Santa ignorância!

      Eliminar
  12. As bocas das crianças são consideradas “limpas” ao contrário da dos pais. Altamente não recomendável fazer isso, segundo dentistas. Se já não gostava de ver então depois de me darem uma explicação lógica do porque de não dever fazer, mais contra sou. Mas os pais das crianças lá sabem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente! Os adultos têm vida sexual e tudo, a maior parte das pessoas já teve vários parceiros. A sério, como é que uma pessoa acha que a sua boca é limpa o suficiente para um bebé a beijar? Quando era pequena e tive essa pancada, a minha Mãe explicou-m que há coisas que é só para o Pai e para a Mãe, eu compreendi e respeitei, não me senti melindrada com isso. (Sim, eu tenho memórias da minha primeira infância.) Eles estão a aprender o que é o mundo, e não há mal nenhum em dizer "não", nada mais fácil para um bebé amado do que canalizar o entusiasmo para outra coisa.

      Eliminar
    2. Não, não são...as bocas das crianças são bem sujas, elas metem tudo lá sem qualquer triagem do que caiu ao chão ou nao, lambem o que aparecer...

      Eliminar
    3. Anónimo de 7 de julho de 2019 às 21:13 :

      Bem sujas como as dos adultos que têm um/multiplos parceiros sexuais?
      Beijava a boca do seu filho/a com a mesma boca com que vai ao pénis do seu namorado/marido?

      Eliminar
    4. O meu comentário sobre serem “limpas” foi mais no sentido das bocas dos pequenos serem neutras em termos de doenças, açúcares e problemas dentários e por aí, enquanto que as dos adultos não

      Eliminar
    5. Em que mundo é que a boca de uma pessoa é suja por fazer sexo oral ao parceiro? Desde que saiba que não tem DST, qual o problema mesmo?

      Eliminar
    6. Informe-se! Pelo seu bem e dos outros, informe-se. Não é porque não desenvolvemos uma doença que não temos vírus que, para outros, podem ser nefastos. A sério, informe-se pelo seu bem e dos outros.

      Eliminar
    7. Há pessoas que não têm mesmo noção. Não é porque não desenvolvemos vírus que a nossa boca é limpa. Nem com boa higiene oral por vezes deixamos de ter uma boca “suja”.
      Para o anónimo das 11:53h, tal como já lhe disseram - informe-se, deixe de ser ignorante. Nos tempos que correm só é ignorante quem quer.

      Eliminar
    8. Anónima das 14:20, deixe você de ser nojinhas. Pode ser que então seja capaz de escrever comentários que denotem menos fel. Olhe que isso faz pior às crianças que beijos na boca. ;)

      Eliminar
  13. Confesso que também já dei um ou outro ao meu filho, enquanto pequenino. Pequenino tipo 2 anos. Mas esporadicamente e porque é essa a tendência natural dos miúdos, dar na boca. Depois fui explicando que é na bochecha. Com mais dificuldade em explicar que o beijo na boca é para "mamãs e papás" porque nunca viu os pais juntos, mas lá me arranjei e a coisa nunca se prolongou.

    É curioso que ainda hoje li uma publicação sobre isto num fórum. E já sabia, pelo título, que ia dar polémica, este assunto dá sempre... as pessoas têm opiniões diferentes e tendem a ofender-se quando os outros discordam. Eu não condeno quem faz disso um hábito, não tenho nada com isso. E não me vou alongar nos meus pensamentos sobre essa prática porque dá pano para mangas e também porque os teus anónimos têm tendência para virar bichos enraivecidos quando se diz alguma coisa... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem todos os comentadores anónimos vêm aqui lançar fel, mas em relação ao tema do post já está tudo dito.
      Quem acha que é tudo permitido, fofo e saudável engana-se. Informem-se junto dos vossos médicos, livros ou pesquisas várias na net. Hoje em dia só não é esclarecido quem não quer ou prefere viver na ignorância.
      Não, não devemos dar beijos na boca aos filhos/crianças. Será que custa assim tanto entender o porquê?
      Bolas!

      Eliminar
    2. Sou médica, e é mentira que seja problemático para a saúde das crianças.

      Eliminar
    3. É médica dentista?

      Eliminar
    4. Olha esta agora. Mas médicos somos todos! E engenheiros, dentistas, psicólogos... Afinal somos anónimos. Aliás: Sou médica e é mentira que seja aconselhavel, pela saúde das crianças. Pronto. Voltámos à estaca zero.

      Eliminar
    5. Se é médica aconselho a que faça revisão do que aprendeu durante a formação. Essa agora... cada disparate que para aqui vai. Nem sequer é preciso ser da área da medicina para entender o porquê de não ser benéfico dar beijos na boca dos pequenos.

      Eliminar
    6. Eu não sou médica mas a minha médica dentista e a pediatra dos meus filhos é completamente contra coisas como "limpar" a chupeta com a saliva dos pais qd cai ao chão.

      Supostamente é porque a única coisa que fazemos é acrescentar as nossas bactérias e potenciais cáries às bactérias que vão do chão... Não limpamos absolutamente nada.

      Pelo que sei de biologia faz-me todo o sentido. E nunca ouvi um pediatra dizer que não tem mal nenhum.

      Eliminar
    7. Eu não entendo é como é que há pais que ainda limpam chupetas com a boca....Para além da baba do bebé, tem a porcaria toda que estava no chão. Para além de bactérias invisíveis terá sujidade como pó, cabelos, sujidade das solas dos sapatos...quem é que quer pôr isto na boca?? Mesmo que acreditem que estão a limpar a chupeta, estão a limpar com a boca deles, ou seja, é a boca deles que vai ficar com a sujidade toda. Não percebo....

      Eliminar
  14. Independente de fazer bem ou fazer mal eu não concordo, faz-me confusão, concordo ainda menos que depois a criança estenda esta prática aos primos, epá não...

    ResponderEliminar
  15. Num dia a discussão deste país é se os filhos devem beijar os avós (na face); no outro, a discussão é "porque é que as crianças não devem beijar adultos na boca, se é tudo carinho e querem".
    Eu, pessoalmente, tenho a convicção que se deve ser coerente nos ensinamentos as crianças,não obstante ser tudo carinho e amor. É o que aplico a mim mesma.
    Por exemplo, eu não quero ensinar que "demonstração de afecto" não amoroso é normal que seja através de beijos na boca. Ainda que, por norma, eles tendam a fazer isso com quem têm confiança, não quero que um dia, um qualquer eventual aliciador de crianças venha pedir beijos na boca ao meu filho dizendo que é tudo normal e demonstração de afecto e ele nem sequer estranhe esse enquadramento. Mais do que a higiene (que também é importante) gostava de lhe ensinar conceitos, para a sua própria adequação na sociedade, e segurança pessoal.
    Mas cada um faz como entender melhor, como é óbvio. Cada um que se preocupe com os seus filhos e lhes dê os ensinamentos que achar mais adequados! Acho que isto é uma questão que não é central, e é do foro pessoal: quem quer deixar deixa, quem não quer deixar, não deixa.

    ResponderEliminar
  16. Eu por acaso até conheço uma senhora, que tanto ela como a filha davam beijos no pênis do bebé por acharem fofinho. Foram muito criticadas pela sociedade, mas eu que conheço a senhora desde pequena e a filha desde que nasceu, posso garantir que não havia qualquer malícia no gesto, e aos que criticam convido a lançar "a primeira pedra".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lance o que quiser. Se com isso está a querer dizer "ninguém é perfeito", certo, ninguém é. Se com isso está à espera da opinião geral "ah claro, sim também faço, é tudo lindo e amor", é melhor esperar sentada.
      Eu, pessoalmente não concordo nem o faria. Jamais. Ainda que, obviamente, acredite que nesse caso não seja malícia. Mas nunca iria passar ao meu filho uma mensagem de normalidade em relação a gestos que podem, no futuro, potencialmente colocá-lo em perigo, quando confrontado com situações não controladas por mim.
      No limite, óbvio que o bem e o mal está balizado pela intenção de quem o faz (carinho e amor vs malícia), mas o mundo não é cor de rosa e eu quero dotar o meu filho da capacidade de distinguir essas situações e preveni-las,ou evitá-las.
      Não amo menos o meu filho por não o beijar no pénis. Posto isto, eu não concordo e até me repugna um pouco, mas lá está, cada um lida com o seu filho de acordo com o que entende ser o adequado para ele.

      Num a parte, nem percebo por que razão a dita senhora tem de o espalhar aos sete ventos o que faz ao filho. Se é algo que faz na intimidade do lar (presumo) não haveria como a "sociedade" saber e criticar. As pessoas têm necessidade de expor tudo, de um forma completamente exagerada...talvez para procurar validação alheia, sei lá. Depois, pronto, têm de saber lidar com as opiniões divergentes e críticas. Natural.

      Eliminar
    2. Tudo inocente ou não. Abusador sexual de menores vem em todas as formas e feitios.

      Eu se tivesse conhecimento de algo do género fazia queixa à CPCJ. depois os profissionais competentes fariam avaliações para ver se era tudo inocente ou se há uma criança em perigo.

      Eliminar
    3. Anónimo das 20:10, menos, muito menos. Isso é que é não ter consciência da gravidade de uma simples denúncia.

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares